Seminário
Lição 94: Doutrina e Convênios 88:118–141

Lição 94

Doutrina e Convênios 88:118–141

Introdução

Esta é a última das quatro lições que abordam Doutrina e Convênios 88. A revelação foi dada numa conferência de sumos sacerdotes em 27 e 28 de dezembro de 1832 (versículos 1–126) e em 3 de janeiro de 1833 (versículos 127–141). Esta lição abrange Doutrina e Convênios 88:118–141. Nessa parte da revelação, o Senhor ordenou que um grupo de portadores do sacerdócio organizasse a Escola dos Profetas, sob a direção de Joseph Smith. Aqueles que participavam da escola deviam aprender juntos pelo estudo e também pela fé e deviam ter amor e amizade uns pelos outros.

Sugestões didáticas

Doutrina e Convênios 88:118–126

O Senhor descreve um padrão de aprendizado

Comece a aula propondo as seguintes perguntas:

  • O que vocês aprendem hoje na escola? E em casa? E no trabalho? E na Igreja?

  • De que maneira o aprendizado de matérias escolares, como matemática ou ciências, difere do aprendizado do evangelho? E de que maneira é semelhante?

Explique-lhes que, em janeiro de 1833, em Kirtland, Ohio, um grupo de portadores do sacerdócio seguiu o mandamento do Senhor e se reuniu no que foi chamado de Escola dos Profetas a fim de se prepararem para pregar o evangelho no mundo. Ao se reunirem, o Senhor ensinou a esses irmãos como deviam ser edificados ou elevados, por meio do Espírito, ao aprenderem juntos. Peça aos alunos que procurem identificar os princípios a respeito do aprendizado ao estudarem Doutrina e Convênios 88:118–141 hoje.

Peça a um aluno que leia em voz alta Doutrina e Convênios 88:118. Peça à classe que acompanhe a leitura e identifique como os membros da Escola dos Profetas deviam buscar aprender.

  • De que maneira esses irmãos deviam buscar aprender?

  • O que você acha que significa aprender “pelo estudo e também pela fé”?

A fim de ajudar os alunos a entender o que significa aprender pela fé, peça a um deles que leia em voz alta a declaração a seguir, feita pelo élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos:

Bednar, David A.

“O aprendizado pela fé exige esforço físico, mental e espiritual e não apenas uma receptividade passiva. (…)

O aprendizado pela fé não pode ser transferido do instrutor para o aluno por meio de uma palestra, uma demonstração ou um exercício experimental; em vez disso, o aluno precisa exercer fé e agir para obter tal conhecimento por si mesmo” (“Aprender pela fé”, A Liahona, setembro de 2007, p. 17).

Explique-lhes que podemos aprender pela fé quando nos envolvemos ativamente e em espírito de oração nas oportunidades de aprendizado e, depois, agimos com base no que aprendemos. O aprendizado acontece quando exercemos nossa fé por meio da obediência.

  • Observem que, no início do versículo 118, o Senhor dá a entender que alguns não tiveram fé. O que podemos aprender com esse versículo sobre como aumentar nossa fé? (Ajude os alunos a identificar um princípio semelhante ao seguinte: Se buscarmos ativamente aprender pelo estudo e também pela fé, nossa fé em Jesus Cristo aumentará. Talvez você queira escrever esse princípio no quadro.)

A fim de ajudar os alunos a entender algumas circunstâncias às quais eles podem aplicar esse princípio em sua vida, leia em voz alta as situações a seguir. Depois de ler cada uma, peça aos alunos que expliquem como a pessoa poderia buscar ativamente aprender pelo estudo e pela fé. Peça-lhes também que expliquem de que maneira isso ajudaria essa pessoa a aumentar a própria fé.

  1. Uma jovem lê regularmente as escrituras, mas raramente pondera sobre aquilo que está lendo. Ela não acha que o estudo das escrituras lhe traz algum benefício.

  2. Um rapaz frequenta as reuniões da Igreja e gosta de participar dos debates em classe. Às vezes, ele se sente inspirado a fazer mudanças na vida com base no que aprende, mas em geral não age de acordo com essa inspiração.

Depois de a classe debater essas situações, faça-lhes as seguintes perguntas:

  • Alguma vez você já sentiu sua fé aumentar como resultado de buscar ativamente aprender pelo estudo e pela fé? Como suas ações ajudaram você a aumentar sua fé?

Peça aos alunos que leiam em silêncio Doutrina e Convênios 88:119–120 e procurem o que o Senhor disse aos santos que fizessem. Peça aos alunos que relatem o que encontraram.

Explique-lhes que, em resposta ao mandamento de construir a casa, como foi descrita no versículo 119, os santos acabaram construindo o Templo de Kirtland. Enquanto o templo estava em construção, a Escola dos Profetas se reunia no piso superior da loja de Newel K. Whitney, em Kirtland.

  • De que maneira o conselho contido no versículo 119 também se relaciona com o local onde os irmãos se reuniam para a Escola dos Profetas? E com a nossa casa? E com nosso esforço pessoal de estudar na escola? (A Escola dos Profetas seguia o padrão dos princípios ensinados nesse versículo. Nosso lar pode ser um lugar de oração, de jejum, de fé, de aprendizado e de ordem.)

Separe a classe em duplas. Peça aos alunos que leiam Doutrina e Convênios 88:121–126 com sua dupla e identifiquem como o Senhor esperava que os irmãos da Escola dos Profetas se comportassem. Você pode sugerir que os alunos marquem o que descobriram. Enquanto os alunos estão estudando esses versículos, escreva as seguintes instruções no quadro, para as duplas completarem depois de examinarem a passagem:

Decida quais itens do conselho são especialmente úteis para os jovens que buscam aprender o evangelho. Debata sobre por que você acha que essas ações são uma ajuda importante para quem está aprendendo o evangelho.

Depois de dar aos alunos tempo suficiente para ler e debater o conselho do Senhor, peça a alguns alunos que expliquem o que aprenderam com esse debate. À medida que eles forem respondendo, você pode usar algumas das perguntas e explicações a seguir a fim de ajudá-los a entender esse conselho do Senhor:

  • O que acha que significa “cessai todas as vossas conversas levianas, (…) riso, (…) [e] concupiscências” (versículo 121)? Por que o fato de controlar tais coisas espiritualmente poderia ser útil em nossos esforços de aprender a respeito de coisas sagradas?

Explique-lhes que as reuniões da Escola dos Profetas deveriam ser sagradas. Essas instruções a respeito do riso e das conversas levianas significavam que todos os que participassem das reuniões da Escola dos Profetas precisariam ser reverentes nos ambientes sagrados. Essas reuniões por fim se realizariam no templo.

  • Observe a repetição da palavra todos no versículo 122. Como seria uma aula em que todos os alunos participassem da lição e tentassem aprender uns com os outros?

  • Como acha que “dormir mais do que o necessário” afeta sua capacidade de aprender ou de sentir o Espírito? De que maneira você acha que dormir o tempo necessário e levantar cedo pode nos ajudar a aprender melhor?

  • Como você resumiria o conselho relacionado ao aprendizado contido em Doutrina e Convênios 88:118–126? (Os alunos podem identificar diversos princípios. À medida que os alunos respondem, escreva o seguinte princípio no quadro: Fazer o que é certo e cessar de fazer o que é errado nos ajuda a aprender e ser edificados.)

  • Quais comportamentos mencionados nesses versículos nossa classe do seminário poderia adotar ou abandonar para podermos aprender melhor o evangelho e ser mais edificados?

Peça aos alunos que examinem novamente Doutrina e Convênios 88:121–126 e ponderem que conselho precisam adotar mais plenamente na vida deles. Incentive-os a escrever uma meta de agir de acordo com aquilo que aprenderam.

Doutrina e Convênios 88:127–141

O Senhor estabelece a ordem da Escola dos Profetas

Peça aos alunos que se aproximem do quadro e façam uma lista de alguns lugares em que eles estudam o evangelho. (As respostas podem incluir lugares como: na Escola Dominical, nas classes das Moças ou no quórum do sacerdócio, no seminário e no lar.) Peça-lhes que reflitam se há pessoas nesses locais a quem eles não conheçam muito bem ou com quem eles tenham dificuldade de se relacionar. Peça-lhes que pensem em uma dessas pessoas ao estudarem Doutrina e Convênios 88:127–141. Peça-lhes que ponderem a seguinte pergunta:

  • De que maneira o meu relacionamento com aqueles com quem aprendo o evangelho afeta minha capacidade de aprender e ser edificado pelo Espírito?

Explique-lhes que o Senhor esperava que os membros da Escola dos Profetas tivessem um bom relacionamento entre eles enquanto aprendiam juntos. Escolha alguns alunos para se revezar na leitura em voz alta de Doutrina e Convênios 88:128–134. Peça à classe que acompanhe a leitura e identifique o papel do professor no estabelecimento de um ambiente espiritual de aprendizado na Escola dos Profetas.

  • Como o professor da Escola dos Profetas deveria estabelecer um ambiente espiritual de aprendizado? (Você pode explicar a eles que, quando o professor saudava os membros da classe, isso significava a saudação que fazia quando eles entravam. Era uma saudação específica na Escola dos Profetas.)

  • O que você notou na saudação ou no cumprimento contido no versículo 133?

Chame um aluno para ler em voz alta Doutrina e Convênios 88:135–137. Peça à classe que acompanhe a leitura e identifique o papel do aluno no estabelecimento de um bom ambiente de aprendizado.

  • Que tipo de relacionamento os membros deveriam ter entre si na Escola dos Profetas?

  • De acordo com o versículo 137, o que o Senhor prometeu aos membros da Escola dos Profetas se seguissem Suas instruções? (A escola se tornaria um santuário onde o Espírito os edificaria.)

  • O que pode ocorrer em nossas classes na Igreja ou em nosso lar se seguirmos as instruções do Senhor contidas nos versículos 128–137? (Os alunos podem identificar uma variedade de princípios, mas se assegure de enfatizar o seguinte: Se tivermos amizade e amor uns pelos outros, poderemos convidar o Espírito ao estudarmos o evangelho juntos.)

Peça aos alunos que examinem novamente a saudação que se acha registrada em Doutrina e Convênios 88:133.

  • Como você acha que podemos ter “determinação fixa, inamovível e imutável de ser [um] amigo” dos colegas ou familiares a quem não conhecemos bem ou a quem temos dificuldade de amar?

  • Você já passou pela experiência de ter um ambiente de aprendizado do evangelho onde todos estavam determinados a ser amistosos? (Você pode contar uma experiência pessoal.)

Peça aos alunos que pensem em como eles podem desenvolver a determinação de amar aqueles com quem estão aprendendo o evangelho. Incentive-os a seguir toda inspiração que tiverem de demonstrar mais bondade e amor pelos colegas de classe e pelos familiares. Preste testemunho de que o Senhor os ajudará se eles se esforçarem para amar o próximo.

Comentários e informações históricas

Doutrina e Convênios 88:118. “Procurai conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé”

O presidente Marion G. Romney, da Primeira Presidência, ensinou:

Romney, Marion G.

“Acredito no estudo. Acredito que os homens aprendam muito estudando. Na verdade, segundo o que tenho observado, eles aprendem pouquíssimo quanto às coisas como são, como foram ou como serão, sem o estudo. Porém, também acredito e sei que a fé acelera muito o aprendizado por meio do estudo” (Learning for the Eternities [Aprendizado para as eternidades], 1977, p. 72).

Doutrina e Convênios 88:121. “Cessai todas as vossas conversas levianas, todo riso”

De acordo com Doutrina e Convênios 88, os membros da Escola dos Profetas deveriam cessar toda leviandade no falar e no rir, e toda concupiscência, porque suas reuniões deveriam ser sagradas e viriam a ocorrer no interior do templo. Isso não quer dizer que o ato de rir seja um pecado em si mesmo. Com relação ao riso, o presidente Gordon B. Hinckley disse:

Hinckley, Gordon B.

“Vocês podem divertir-se. É claro que sim! Queremos que o façam. Desejamos que desfrutem a vida. (…) Desejamos que sejam saudáveis e alegres, que cantem e dancem, que riam e sejam felizes.

Mas em tudo isso, tenham humildade e fé, e o céu lhes sorrirá” (“Conselhos e oração do profeta para os jovens”, A Liahona, abril de 2001, p. 30).

Doutrina e Convênios 88:138–141. A ordenança do lava-pés

Quando os irmãos portadores do sacerdócio ingressavam na Escola dos Profetas, eram recebidos pela ordenança do lava-pés, que deveria ser feita pelo profeta, seguindo o exemplo de Jesus Cristo descrito em João 13. Quanto a essa ordenança, o élder Bruce R. McConkie, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensinou:

McConkie, Bruce R.

“O lava-pés é uma ordenança do evangelho; é um rito santo e sagrado, realizado pelos santos no refúgio de seus santuários no templo. Não é realizada diante do mundo ou de pessoas do mundo. Em Seus dias e em Sua dispensação, Jesus a instituiu no cenáculo, por ocasião da Última Ceia.

Nosso Senhor fez duas coisas ao realizar essa ordenança: 1. Ele cumpriu a antiga lei dada a Moisés; e 2. Ele instituiu uma ordenança sagrada que deveria ser realizada pelos administradores legais entre Seus verdadeiros discípulos daquele dia em diante.

Como parte da restauração de todas as coisas, a ordenança do lava-pés foi restaurada na dispensação da plenitude dos tempos. (…)

O conhecimento relativo ao lava-pés foi revelado passo a passo nestes dias até que um pleno conhecimento fosse agora incorporado nas ordenanças reveladas da casa do Senhor’ (Mormon Doctrine [Doutrina Mórmon], 2ª ed., 1966, pp. 829, 831)” (Doctrinal New Testament Commentary [Comentário Doutrinário do Novo Testamento], 3 vols., 1966–1973, vol. 1, pp. 708–710).