Guias e chamados
Momentos de ensino na vida familiar
anterior seguinte

7

Momentos de ensino na vida familiar

Como pais, muitas de suas oportunidades de ensino surgirão de forma inesperada: ao conversarem e trabalharem com os filhos e enfrentarem dificuldades juntos. Por estarem intimamente relacionadas ao que seus filhos estão vivenciando, essas oportunidades podem constituir momentos de ensino inestimáveis. Como são fugazes, vocês precisam reconhecê-las e estar preparados para ensinar princípios que seus filhos estejam prontos para aprender. As sugestões a seguir podem ajudá-los a procurar oportunidades de ensino.

Lidar com as Perguntas e Preocupações dos Filhos

Todas as crianças têm inquietações acerca de si mesmas e do mundo. Mostrem-lhes que o evangelho contém respostas e orientações que podem ajudá-los a compreender e solucionar todos os seus problemas. Se uma criança se assustar com uma tempestade, vocês podem aproveitar para incentivá-la a orar para acalmar-se. Se um filho adolescente estiver sendo pressionado a ver um filme impróprio, vocês podem discutir o assunto com ele e ajudá-lo a aplicar os princípios do evangelho na decisão de vê-lo ou não. Se um filho estiver perturbado ante uma decisão importante, vocês podem ler Morôni 7:15–19 com ele e discutir o conselho de Mórmon sobre a “maneira de julgar”. Se um parente tiver morrido, vocês podem ensinar a respeito do mundo espiritual e da ressurreição.

Na página 139, em “Oportunidades Regulares de Ensino no Lar”, há sugestões sobre como vocês podem conversar com os filhos.

Discutir Problemas Enfrentados pelos Amigos dos Filhos

De vez em quando, os filhos podem falar de problemas enfrentados por seus amigos. Talvez o emprego deles os obrigue a trabalhar aos domingos. Talvez conheçam um rapaz que, apesar de membro da Igreja, não queira servir como missionário. Talvez tenham amigos que utilizem linguagem inadequada ou sejam descorteses com as pessoas. Ao discutirem essas situações com os filhos, usem as escrituras para ensinar os princípios do evangelho. Assim, poderão ajudar a orientá-los a tomarem decisões corretas em circunstâncias semelhantes.

Falar sobre Oportunidades de Fazer Escolhas Corretas

Quando vocês tiverem a oportunidade de fazer escolhas corretas, falem sobre elas com seus filhos. Por exemplo, se receberem troco a mais em uma loja, perguntem aos filhos o que devem fazer. Isso pode levar à discussão de temas como a honestidade, o arbítrio e as conseqüências de nossos atos.

Discutir Idéias Difundidas pela Mídia

Conversem com seus filhos sobre as idéias difundidas em filmes, programas de televisão e músicas populares. Usem também os noticiários para discutir acontecimentos e assuntos em evidência na atualidade. Essas conversas podem ajudar seus filhos a discernirem entre as formas de diversão edificantes e as que trazem consigo filosofias e ações contrárias aos padrões do evangelho.

Ajudar os Filhos a Aprenderem com os Erros

Os erros podem constituir oportunidades de aprendizado. Se um filho tiver errado, vocês podem perdoá-lo, conversar sobre pedir desculpas e reparar o mal praticado e, caso ele tenha desobedecido a um mandamento, ensinar sobre o processo do arrependimento.

Se vocês tiverem agido errado, peçam desculpas. Seus filhos podem aprender lições valiosas ao verem seu empenho para sobrepujar suas próprias fraquezas. Vejamos a experiência a seguir, contada por um membro da Igreja:

“Eu tinha uns dez anos quando fiz algo que desagradou a meu pai. Ele ficou bastante aborrecido e resolveu punir-me. Fiquei profundamente magoado por achar que ele estava castigando-me mais do que eu merecia. Evitei-o no restante do dia, e todas as vezes que ele tentou falar comigo, dei-lhe as costas e corri. No dia seguinte, ainda estava triste com ele, assim, fiquei surpreso quando ele veio até meu quarto e desculpou-se por ter sido tão severo comigo. Implorou que o perdoasse. Naquele momento, aprendi que não há limite de idade para pedir perdão e admitir os erros. Foi uma oportunidade para aprender o verdadeiro valor do arrependimento.”

Explicar os Motivos de Servir

Ao servirem em chamados da Igreja ou de outras formas, digam aos filhos o que estão fazendo e o motivo. Isso vai ajudá-los a entender mais plenamente como nossas crenças e valores afetam nossos atos. Se vocês prepararem uma refeição para alguém que esteja doente, expliquem por que é importante auxiliar essa pessoa. Quando os filhos virem vocês preparando uma aula da Igreja, falem-lhes da importância de magnificar os chamados. Discutam com eles por que erguemos a mão em sinal de apoio aos líderes da Igreja e como podemos apoiar os ungidos do Senhor.

Ajudar os Filhos a Controlar Suas Emoções

Quando ficam aborrecidas, frustradas ou zangadas, as crianças podem agir de forma inadequada. Ensinem-nas a reconhecer e controlar os impulsos de magoar as pessoas ou erguer a voz. Chamem-lhes a atenção para as circunstâncias que suscitaram a ira e então discutam melhores maneiras de lidar com situações semelhantes no futuro.

Ajudar os Filhos a Reconhecerem a Influência do Espírito

Ajudem seus filhos a reconhecer a influência do Espírito pedindo que atentem para os sentimentos de seu coração. O Élder Robert D. Hales contou a experiência a seguir:

“Logo depois de meu batismo e confirmação, minha mãe chamou-me em um canto e perguntou: ‘O que você está sentindo?’ Descrevi da melhor maneira possível a calorosa paz, conforto e felicidade que sentia. Ela explicou-me que aquele sentimento era o dom que acabara de receber, o dom do Espírito Santo. Disse-me que se vivesse dignamente, eu o teria sempre comigo. Esse momento de aprendizado nunca mais me saiu da lembrança.” (A Liahona, julho de 1999, p. 39)

Aprender com a Natureza

Vocês podem usar observações cotidianas da natureza para ensinar o evangelho aos filhos. (Ver “Procurar Lições em Tudo”, nas páginas 22–23; “Comparações e Atividades com Objetos”, nas páginas 163–164.) Os comentários de uma criança sobre a beleza das flores na primavera, por exemplo, podem conduzir a uma discussão a respeito da ressurreição de Jesus Cristo. Plantar sementes juntos é uma excelente oportunidade para conversar sobre a passagem em que Alma comparou a palavra de Deus a uma semente. (Ver Alma 32:28–43.)

Se estiverem sempre atentos, vocês poderão, com serenidade e persistência, transformar muitas das experiências das crianças em momentos de ensino.