Guias e chamados
Como saber se os alunos estão aprendendo
anterior seguinte

18

Como saber se os alunos estão aprendendo

Uma professora da Primária estava dando aula para uma classe de crianças de nove anos. As principais idéias da lição eram que o Presidente da Igreja recebe revelação para toda a Igreja e que as pessoas podem receber revelação pessoal para guiá-las em sua própria vida. A aula foi bem planejada: os alunos marcaram passagens das escrituras, houve discussões com uso do quadro-negro, outras atividades sugeridas no manual e uma revisão.

Perto do fim da aula, a professora fez a seguinte pergunta: “Quem tem autoridade para receber revelação para a Igreja?” Todas as crianças levantaram a mão e tinham a resposta na ponta da língua: o Presidente da Igreja.

Pouco depois, a professora indagou: “Sobre que tipo de coisas podemos receber revelação?” Não houve respostas. Como haviam discutido o assunto durante a aula, a professora ficou surpresa com o fato de ninguém responder. Ela reformulou a pergunta, fazendo ligeiras alterações, mas novamente não conseguiu resposta. Foi aí que Sarah, uma das alunas, levantou a mão e inquiriu: “Afinal de contas, o que quer dizer revelação?”

Como os alunos haviam meramente recitado respostas corretas, a professora não percebera que eles não haviam compreendido os princípios básicos da lição. Se Sarah não tivesse feito aquela pergunta, a aula teria ficado incompleta para ela e possivelmente para os outros alunos. Eles teriam aprendido bem poucas coisas de real significado para eles. Como a professora poderia ter-se certificado anteriormente de que todos estivessem entendendo?

Como Avaliar Se os Alunos Estão Aprendendo

O Élder Boyd K. Packer ensinou: “Os olhos do professor alerta movem-se constantemente por toda a sala, rastreando cada movimento, registrando cada expressão, reagindo rapidamente a demonstrações de desinteresse ou confusão. Reconhecem de imediato qualquer sinal de perplexidade e percebem prontamente quando os alunos estão aprendendo”. (Teach Ye Diligently, rev. ed. [1991], pp. 164–165)

Ao observar o progresso de seus alunos, você pode, usando de sua perspicácia e sensibilidade, fazer adaptações na apresentação da aula. Pode, por exemplo, repetir ou realçar idéias, parar para uma discussão, contar uma história ou prestar testemunho. Pode também saber o momento certo de dedicar atenção especial a determinada pessoa. Para conseguir manter sua atenção centrada nos alunos, prepare-se bem de modo a não ficar dependente demais de suas anotações ou do manual do professor.

Alguns métodos didáticos podem ajudá-lo a avaliar se os alunos estão compreendendo os princípios ensinados. Examine as sugestões a seguir:

  • Peça aos alunos que definam os princípios com suas próprias palavras. Isso vai ajudá-lo a saber logo no início da lição se compreendem determinadas palavras ou idéias. Se não entenderem, forneça explicações que vão tornar o restante da aula mais significativo para eles.

  • Use vários estudos de caso breves. Planeje-os de tal forma que alguns deles ilustrem corretamente os princípios que você estiver ensinando e outros não. Peça a seus alunos que identifiquem quais estudos deles se aplicam corretamente aos princípios. (Ver “Estudos de Caso”, páginas 161-162.)

  • Faça perguntas que levem os alunos a dizer o que entendem dos princípios ensinados. As respostas poderão apontar para a necessidade de se fazer uma revisão de certos pontos da lição e adaptações no plano de aula.

  • Promova uma discussão. Ao ouvir atenciosamente os comentários dos alunos, você terá condições de saber se eles entenderam corretamente os princípios ensinados. Busque as escrituras, os ensinamentos dos profetas modernos ou o manual do professor para corrigir, esclarecer ou reforçar pontos importantes. (Ver “Dirigir Discussões”, páginas 63–65.)