Guias e chamados
Reconhecer e seguir o espírito ao ensinar
anterior seguinte

9

Reconhecer e seguir o espírito ao ensinar

Se você se preparou adequadamente, o Espírito Santo vai iluminá-lo e guiá-lo ao ensinar. Você pode receber impressões sobre seus alunos, sobre o que deve ressaltar ao ensiná-los e sobre como fazê-lo de maneira mais eficaz. Se você seguir humildemente os sussurros do Espírito, o Senhor magnificará seus esforços diligentes. Você também poderá ajudar seus alunos a reconhecer a influência do Espírito. Estará preparado para presenciar o cumprimento das palavras do Senhor: “Portanto aquele que prega e aquele que recebe se compreendem um ao outro e ambos são edificados e juntos se regozijam”. (D&C 50:22)

Reconhecer o Espírito

O Élder Dallin H. Oaks ensinou: “Devemos reconhecer que o Senhor falará conosco por meio do Espírito em Seu próprio tempo e a Seu próprio modo. (…) Não podemos forçar as coisas espirituais.

Na maioria dos casos, ‘a seu próprio modo’ não deve ser por meio de uma manifestação tonitruante ou por uma luz ofuscante, mas pelo que as escrituras chamam de ‘uma voz mansa e delicada’. (I Reis 19:12; 1 Néfi 17:45; D&C 85:6). (…) Precisamos saber que o Senhor raramente fala alto. Suas mensagens quase sempre chegam por meio de sussurros”. (“Ensinar e Aprender pelo Espírito”, A Liahona, maio de 1999, pp. 20–21)

Quando fala a nós por intermédio do Espírito, o Senhor às vezes pode fazer “arder dentro de [nós] o [nosso] peito”. (D&C 9:8) Esse ardor, explicou o Élder Oaks, certamente “significa um sentimento de consolo e serenidade”. (Ensinar e Aprender pelo Espírito, A Liahona, maio de 1999, p. 22) Na maioria das vezes, sentimos calor, alegria e paz. (Ver Romanos 15:13; Gálatas 5:22–23; D&C 6:23; 11:13.)

O Presidente Howard W. Hunter explicou como podemos discernir as diferentes manifestações do Espírito:

“Fico preocupado quando percebo que algumas pessoas confundem fortes emoções ou lágrimas copiosas com a presença do Espírito. É verdade que o Espírito do Senhor pode dar vazão a fortes emoções, inclusive lágrimas, mas essas manifestações externas não devem ser confundidas com a presença do Espírito.

Ao longo dos anos, venho observando muitos de meus irmãos e juntos vivemos algumas experiências espirituais raras e inestimáveis. Essas experiências foram todas diferentes, cada uma especial a seu modo, e esses momentos sagrados podem ser acompanhados de lágrimas ou não. Com muita freqüência, o são, mas às vezes são seguidos por total silêncio. Em outras ocasiões, são marcadas pela alegria. E sempre são acompanhadas por uma grandiosa manifestação da verdade, da revelação ao coração. (…)

Dêem ouvidos à verdade e à doutrina e permitam a chegada das manifestações do Espírito de todas as suas muitas formas. Apeguem-se a princípios sólidos; ensinem com o coração puro. Então, o Espírito penetrará sua mente e seu coração, assim como de todos os seus alunos.” (Eternal Investments [address to religious educators, 10 de fevereiro de 1989, p. 3)

O Espírito Pode Guiá-lo ao Preparar-se para Ensinar

Ao preparar-se para ensinar, em espírito de oração, ao estudar as escrituras e até ao realizar suas tarefas diárias, abra a mente e o coração à orientação do Senhor. Você pode receber subitamente uma “corrente de idéias” do Espírito (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, sel. Joseph Fielding Smith [1976], p. 147). Você pode ser inspirado a ressaltar determinados princípios. Pode adquirir uma compreensão de como apresentar melhor certas idéias. Pode descobrir exemplos, atividades com objetos e histórias inspiradoras nas coisas simples do cotidiano. (Ver “Procurar Lições em Tudo”, páginas 22–23.) Pode ser inspirado a convidar determinada pessoa a auxiliar na aula e lembrar-se de uma experiência pessoal que possa contar. Anote essas idéias e, em espírito de oração, siga-as.

O Élder C. Max Caldwell contou a seguinte experiência: “Há alguns anos, preparei-me para dar uma aula sobre um assunto que achava que seria particularmente difícil. Na noite anterior, orei pedindo orientação e depois fui dormir, ainda com a mente conturbada. Quando acordei, um pensamento invadiu-me a mente e contei-o à classe. Após a aula, um jovem disse-me em particular: ‘Essa aula foi para mim. Agora sei o que devo fazer’. Mais tarde, fiquei sabendo que a aula havia sido seu primeiro contato com a Igreja após muitos anos. Em seguida, continuou a colocar a vida em ordem e acabou servindo fielmente como missionário. Atualmente, é feliz guardando os convênios familiares eternos”. (Conference Report, outubro de 1992, p. 40; Ensign, novembro de 1992, p. 29–30)

O Espírito Pode Guiá-lo ao Ensinar

Em geral, você ensinará pelo Espírito quando apresentar o que preparou em espírito de oração e com zelo. Além do mais, o Espírito pode, de tempos em tempos, inspirá-lo durante a fase de ensino. Conforme a promessa do Senhor, você receberá “[naquela] mesma hora, sim, naquele mesmo momento, (…) o que dizer”. (D&C 100:6) Às vezes, você pode ser inspirado a omitir pontos de uma lição ou acrescentar algo que não tenha preparado. Pode ser inspirado a prestar seu testemunho ou convidar outras pessoas a fazerem-no. Quando os alunos lançarem perguntas, você pode ser inspirado a deixar de lado o que preparou para discuti-las. Certifique-se de que esses sussurros provenham do Espírito e não apenas das indagações dos alunos. Siga esses sentimentos com humildade. Permita que o Espírito aja por seu intermédio para tocar o coração dos alunos.

Você Pode Ajudar as Pessoas a Reconhecerem o Espírito

Quando se familiarizar com a voz do Espírito, você conseguirá ajudar seus alunos a reconhecer Sua influência. O Élder Richard G. Scott disse: “Se, em seu relacionamento com os alunos, vocês não conseguirem nada mais do que ajudá-los a reconhecer e seguir os sussurros do Espírito, abençoarão a vida deles de forma inestimável e eterna”. (Helping Others to Be Spiritually Led [address to religious educators, 11 de agosto de 1998], p. 3)

Kristi, uma menina de oito anos de idade, assistiu ao serão missionário especial com seu pai. Durante a reunião, seu pai mostrou gravuras de Jesus Cristo e prestou seu testemunho do Salvador. Ao término da atividade, Kristi virou-se para o pai e disse: “Estou com vontade de chorar”. Ele ajudou-a a reconhecer que estava sentindo a influência do Espírito. Ele ajoelhou-se, deu um abraço nela e disse-lhe que aqueles sentimentos de ternura eram sussurros do Espírito Santo, ajudando-a a saber que as coisas que ouvira naquela noite eram verdadeiras. Ele prestou testemunho de que ela sempre saberia quando algo era verdadeiro ao sentir a mesma doce felicidade que lhe enchia o coração naquele momento.

Tire proveito de cada oportunidade que tiver para ajudar seus alunos a reconhecerem a paz e alegria que receberão ao seguirem os sussurros do Espírito e a serem gratos por isso.