Guias e chamados
Ensinar as pessoas a contribuírem para uma atmosfera propícia ao aprendizado
anterior seguinte

21

Ensinar as pessoas a contribuírem para uma atmosfera propícia ao aprendizado

“Dentre vós designai um professor e não falem todos ao mesmo tempo; mas cada um fale a seu tempo e todos ouçam suas palavras, para que quando todos houverem falado, todos sejam edificados por todos.” (D&C 88:122)

Características de uma Atmosfera Propícia ao Aprendizado

Quando nos reunimos para aprender o evangelho, não o fazemos meramente como professores, alunos e amigos e sim na condição de irmãos e de filhos do Pai Celestial. Nosso convênio batismal une-nos ainda mais, pois temos em comum as responsabilidades que Alma descreveu aos santos que se haviam batizado nas águas de Mórmon: devemos “[olhar] para a frente com um único fito, tendo uma fé e um batismo, tendo os corações entrelaçados em unidade e amor uns para com os outros”. (Mosias 18:21)

Essa compreensão de nosso convênio batismal deve inspirar-nos a apoiarmos uns aos outros e a vivermos o evangelho para que voltemos à presença de nosso Pai Celestial. Uma forma pela qual tanto alunos como professores podem fazer isso é criar uma atmosfera propícia ao aprendizado.

Em um ambiente propício ao aprendizado, nós (1) edificamo-nos mutuamente por meio de nossa participação, (2) amamos e ajudamos uns aos outros e (3) ansiamos por buscar a verdade juntos.

Os professores e alunos edificam-se mutuamente por meio de sua participação. Edificamo-nos mutuamente quando ouvimos atenciosamente os comentários uns dos outros, participamos de discussões e outras atividades de aprendizado, fazemos perguntas inteligentes, oramos juntos, relatamos experiências e opiniões pessoais e prestamos testemunho. (Ver D&C 88:122.)

Os professores e alunos amam e ajudam uns aos outros. As pessoas aprendem de modo mais eficaz quando sentem que estão no meio de amigos que se importam com elas. Se sentirem que poderão ser ridicularizadas ou constrangidas, é menos provável que participem da aula ou cresçam no evangelho. Podemos mostrar por nossas palavras e atos que nos importamos com elas e que desejamos que progridam. O seguinte conselho do Élder Henry B. Eyring diz respeito ao amor que devemos sentir quando nos reunimos para aprender o evangelho: “Nosso Pai Celestial quer que sejamos unidos. No amor, essa união não é meramente ideal. É necessária”. (A Liahona, julho de 1998, p. 73.)

Tanto professores como alunos anseiam por buscar a verdade. Quando nos unirmos no grandioso propósito de aprender a compreender e viver o evangelho, nossas oportunidades para o aprendizado aumentam. Ao nos achegarmos mais em nossa busca da verdade, convidamos o Espírito do Senhor a estar conosco de forma abundante.

Ensinar as Pessoas a respeito da Atmosfera Propícia ao Aprendizado

Parte de sua responsabilidade como professor é ajudar os alunos a entenderem o que podem fazer para criar uma atmosfera favorável ao aprendizado. Todos os alunos são responsáveis por ajudar os demais a terem uma boa experiência no estudo. Ao tentar estabelecer uma atmosfera adequada em sua classe, você não está meramente corrigindo comportamentos ou esforçando-se para não ser interrompido em sua exposição. Está cumprindo seu comissionamento divino de ajudar as pessoas a tornarem-se melhores discípulos do Salvador.

Para ensinar os membros da família ou alunos a contribuírem para a criação de uma atmosfera propícia ao aprendizado, realize uma discussão utilizando as sugestões a seguir:

  • Expresse seus sentimentos pelo evangelho e expliquelhes que deseja ajudar as pessoas a aprenderem as verdades do evangelho.

  • Discuta a responsabilidade que temos de ajudar uns aos outros a aprender o evangelho. (Ver a página 77.)

  • Fale da importância de participarmos das aulas.

  • Peça aos presentes que sugiram coisas que podem fazer para criar uma atmosfera propícia ao aprendizado.

Uma professora que fora chamada para ensinar as crianças de sete e oito anos na Primária teve uma discussão dessas em sua primeira aula. “Queridos amigos”, disse ela naquela manhã de domingo, “o bispo chamou-me para ser sua professora. Ele impôs as mãos sobre minha cabeça e deu-me uma bênção para que eu conseguisse compreendêlos, amá-los e ensinar-lhes as coisas verdadeiras. Isso me deixa muito feliz. Em nossa classe, vou tentar preparar aulas interessantes e instrutivas. Vou esforçar-me ao máximo para dar-lhes muitas oportunidades de fazer perguntas, dar respostas, cantar, ouvir histórias e dizer-me o que sabem ser verdade.”

A professora continuou: “Antes de nascermos, todos vivíamos com nosso Pai Celestial. Somos filhos Dele, assim, somos todos irmãos. Em nossa classe, queremos ajudar uns aos outros a aprender para podermos voltar a viver com o Pai Celestial. Quais são algumas coisas que cada um de nós pode fazer para ajudar os colegas a aprenderem as coisas importantes de que vamos falar? Vamos, cada um de nós, pensar em algo que podemos fazer”.

A professora escreveu as idéias dos alunos no quadro- negro. A lista continha coisas como tratar as pessoas com bondade, participar das aulas, relatar experiências e testemunhos, ouvir e esforçar-se para compreender os princípios do evangelho.

Em seguida, a professora indagou: “Conseguem pensar em algo que pode prejudicar nosso aprendizado?” Ela fez outra lista no quadro-negro, que incluía coisas como ridicularizar alguém ou conversar enquanto outra pessoa estiver falando.

A partir dessas duas listas, a professora e os alunos criaram algumas regras para a classe, determinando o que eles deveriam esperar uns dos outros.

Essa não foi a única vez que essa professora conversou sobre tais princípios. Ela discutia-os em particular com os alunos de tempos em tempos e, quando necessário, com a turma inteira.

Ao preparar-se para ensinar, pense em formas de adaptar o procedimento dessa professora ou utilize outras idéias para ajudar seus alunos a contribuírem para um ambiente favorável ao aprendizado. Se for observador e estiver constantemente em espírito de oração, você se deparará com muitas oportunidades para ensinar que o aprendizado se dá melhor quando (1) nos edificamos mutuamente por meio de nossa participação, (2) amamos e auxiliamos uns aos outros e (3) desejamos buscar a verdade juntos.

Outras Informações

Nas lições 6 e 7 do curso Ensinar o Evangelho (páginas 213–221), há mais sugestões para a criação de uma atmosfera propícia ao aprendizado.