Guias e chamados
Não há maior chamado
anterior seguinte

1

Não há maior chamado

Em uma conferência geral, o Élder Jeffrey R. Holland declarou: “Somos extremamente gratos por todos os que ensinam. Nós amamos vocês e nem temos palavras para expressar nossa gratidão. Temos muita confiança em vocês”. Em seguida, disse: “O ensino eficaz, acompanhado do sentimento de que se está tendo sucesso, realmente exige trabalho árduo, mas vale a pena. ‘Não há maior chamado’ que possamos receber. (…) Para cada um de nós, “[vir] a Cristo”, guardar Seus mandamentos e seguir Seu exemplo para voltar ao Pai, são com certeza os mais altos e sagrados propósitos da existência humana. A tarefa de ajudar as outras pessoas a fazerem o mesmo — ensinando-as, persuadindo-as e, em espírito de oração, levando-as a seguir o caminho da redenção — certamente deve ser a segunda coisa mais importante de nossa vida. Talvez seja por isso que o Presidente David O. McKay tenha dito certa vez: ‘Nenhum homem [ou mulher] pode ter maior responsabilidade do que ser professor dos filhos de Deus’ ”. (A Liahona, julho de 1998, p. 27)

O Papel do Ensino no Plano do Pai Celestial

Para podermos exercer plenamente nosso arbítrio em retidão, precisamos aprender a respeito do Salvador e das doutrinas de Seu evangelho. Assim, o ensino do evangelho sempre desempenhou um papel primordial no plano do Pai Celestial para Seus filhos.

No mundo espiritual pré-mortal, “[recebemos nossas] primeiras lições (…) e [fomos] preparados para nascer no devido tempo do Senhor, a fim de [trabalharmos] em sua vinha para a salvação da alma dos homens”. (D&C 138:56) Depois de expulsar Adão e Eva do Jardim do Éden, o Senhor enviou anjos para ensinar-lhes o plano de redenção. (Ver Alma 12:27–32.) Posteriormente, ordenou a Adão e Eva que “[ensinassem] estas coisas liberalmente” a seus filhos. (Ver Moisés 6:57–59.)

Em todas as dispensações do evangelho, o Senhor dirige pessoalmente o ensino do plano de redenção. Ele envia anjos (ver Mosias 3:1-4; Morôni 7:29–32; Joseph Smith — História 1:30–47), chama profetas (ver Amós 3:7), fornece escrituras (ver D&C 33:16) e ajuda as pessoas a conhecer a verdade pelo poder do Espírito Santo (ver 1 Néfi 10:19; Morôni 10:5). Ele deu a Seus seguidores o mandamento de ensinar o evangelho à família (ver Deuteronômio 6:5–7, Mosias 4:14–15, D&C 68:35–28), aos demais membros da Igreja (ver D&C 88:77–78) e às pessoas que ainda não receberam a plenitude do evangelho. (Ver Mateus 28:19–20; D&C 88:81.)

Acerca da importância do ensino do evangelho na Igreja, o Élder Gordon B. Hinckley afirmou: “O ensino do evangelho aos membros da Igreja é fundamental no programa da Igreja. Em cumprimento a um mandamento dado à Igreja desde a restauração, desenvolveu-se na Igreja um sistema de grandes organizações de ensino — os quóruns do sacerdócio, tanto o Aarônico como o de Melquisedeque, o sistema educacional da Igreja, espalhado pelo mundo inteiro, e as auxiliares (…), todos com um papel de suma importância na formação de nosso povo”. (Conference Report, outubro de 1962, pp. 72–73)

Cada Membro, um Professor

Quando o Salvador ressurreto ensinou os nefitas, disse: “Levantai vossa luz para que brilhe perante o mundo. Eis que eu sou a luz que levantareis — aquilo que me vistes fazer”. (3 Néfi 18:24) Nesta instrução, o Senhor não fez distinção entre os que ouviram Sua voz: todos receberam o mandamento de ensinar.

O mesmo é válido hoje em dia. A responsabilidade de ensinar o evangelho não se restringe aos que tenham o chamado formal de professor. Na condição de membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, você tem a responsabilidade de ensinar o evangelho. Como pai, filho, filha, marido, esposa, irmão, irmã, líder da Igreja, professor de uma classe, mestre familiar, professora visitante, colega de trabalho, vizinho ou amigo, você depara-se com a oportunidade de ensinar. Às vezes, poderá ensinar de forma aberta e direta por meio do que disser e do testemunho que prestar. E sempre ensinará pelo exemplo.

O Senhor disse: “Esta é minha obra e minha glória: Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem”. (Moisés 1:39) Ao pensar no papel do ensino do evangelho na salvação e exaltação dos filhos de Deus, você pode conceber um dever mais nobre ou sagrado? Ele exige seus mais diligentes esforços para conseguir aumentar sua compreensão e melhorar suas técnicas, sabendo que o Senhor o magnificará caso ensine da forma ordenada por Ele. É um trabalho de amor, uma oportunidade de ajudar as pessoas a exercerem seu arbítrio em retidão, virem a Cristo e receberem as bênçãos da vida eterna.