Tópicos
Revelação
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Revelação

As revelações acontecem quando Deus Se comunica com Seus filhos. Esse tipo de orientação vem por vários meios, de acordo com as necessidades e a situação das pessoas, das famílias e da Igreja como um todo.

Quando o Senhor revela Sua vontade à Igreja, Ele fala por intermédio de Seu profeta. As escrituras contêm muitas revelações desse tipo—a palavra do Senhor por intermédio dos profetas antigos e modernos. Hoje o Senhor continua a dirigir a Igreja por revelação a Seus servos escolhidos.

Os profetas não são as únicas pessoas que podem receber revelação. De acordo com a sua fidelidade, você poderá receber revelação para ajudá-lo em suas necessidades, responsabilidades e dúvidas específicas, além de ajudá-lo a fortalecer seu testemunho.

Preparação para Receber Revelação por Meio do Espírito Santo

As escrituras falam de diferentes tipos de revelação, tais como visões, sonhos e visitas de anjos. Por meio desses canais, o Senhor restaurou o Seu evangelho nos últimos dias e revelou verdades relativas a doutrinas como a da existência pré-mortal, da redenção dos mortos e dos três reinos de glória. Entretanto, a maioria das revelações aos líderes e membros da Igreja vêm por meio dos sussurros do Espírito Santo.

Suaves sussurros espirituais podem não parecer tão espetaculares quanto as visões ou as visitas de anjos, mas eles são mais poderosos, duradouros e são capazes de mudar vidas. O testemunho do Espírito Santo causa uma impressão na alma que é mais significativa do que qualquer outra coisa que você possa ver ou ouvir. Por meio de tais revelações, você receberá vigor duradouro para permanecer fiel ao evangelho e para ajudar outros a fazerem o mesmo.

Os seguintes conselhos o ajudarão a preparar-se para ouvir os sussurros do Espírito Santo:

Ore pedindo orientação. O Senhor disse: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á”. (Mateus 7:7–8) Para encontrar e receber, você tem de procurar e pedir. Se você não bater (orar ao Pai Celestial pedindo orientação) a porta da revelação não se abrirá para você. Mas se você se dirigir-se ao Pai em humilde oração, poderá enfim receber “revelação sobre revelação, conhecimento sobre conhecimento, para que [conheça] os mistérios e as coisas pacíficas—aquilo que traz alegria, que traz vida eterna”. (D&C 42:61)

Seja reverente. Reverência é profundo respeito e amor. Se você estiver reverente e tranqüilo, convidará a revelação. Mesmo que tudo ao seu redor esteja tumultuado, você pode ter uma atitude reverente e estar preparado para receber a orientação do Senhor.

Seja humilde. A humildade está muito relacionada à reverência. Quem é humilde, reconhece que depende do Senhor. O profeta Mórmon ensinou: “(…) a mansidão e a humildade resultam na presença do Espírito Santo, o Consolador, que nos enche de esperança e perfeito amor”. (Morôni 8:26)

Guarde os mandamentos. Se você guardar os mandamentos estará preparado para ouvir, reconhecer e seguir os sussurros do Espírito Santo. O Senhor prometeu: “Ao que guarda meus mandamentos darei os mistérios de meu reino; e será como uma fonte de água viva vertendo para a vida eterna”. (D&C 63:23)

Participe dignamente do sacramento. As orações sacramentais ensinam como ter a companhia constante do Santo Espírito. Ao participar do sacramento, você testifica a Deus que deseja tomar sobre si o nome de Seu Filho, de que sempre se lembrará Dele e guardará Seus mandamentos. O Pai Celestial promete que se você guardar esses convênios, sempre terá a companhia do Espírito. (Ver D&C 20:77, 79.)

Estude as escrituras diariamente. Ao estudar diligentemente as escrituras, você aprenderá com o exemplo de homens e mulheres cuja vida foi abençoada por seguirem a vontade revelada do Senhor. Você também se tornará mais receptivo ao Espírito Santo. Ao ler e ponderar, você poderá receber a revelação de como certa passagem das escrituras se aplica a você ou sobre qualquer outra coisa que o Senhor deseje comunicar-lhe. Você deve estudar as escrituras todos os dias, pois isso pode ajudá-lo a receber revelação pessoal.

Reserve tempo para ponderar. Ao ponderar com calma as verdades do evangelho, você ficará com a mente e o coração abertos à influência orientadora do Espírito Santo. (Ver 1 Néfi 11:1; D&C 76:19; 138:1–11.) O ato de ponderar fará com que você se desligue das coisas triviais deste mundo e se aproxime do Espírito.

Quando procurar orientação específica, estude a questão em sua mente. Às vezes, o Senhor só Se comunicará com você depois que você estudar bem a questão em sua mente. O Senhor explicou esse processo a Oliver Cowdery que servia como escriba de Joseph Smith durante grande parte da tradução do Livro de Mórmon. Por intermédio do Profeta Joseph Smith, o Senhor falou a Oliver Cowdery e explicou-lhe por que ele, Oliver, não havia sido capaz de traduzir o Livro de Mórmon, apesar de ter recebido o dom de traduzir: “Eis que não compreendeste; supuseste que eu o concederia a ti, quando nada fizeste a não ser pedir-me. Mas eis que eu te digo que deves estudá-lo bem em tua mente; depois me deves perguntar se está certo e, se estiver certo, farei arder dentro de ti o teu peito; portanto sentirás que está certo”. (D&C 9:7–8)

Busque pacientemente conhecer a vontade de Deus. Deus revela-Se “em seu próprio tempo e a seu próprio modo”. (Ver D&C 88:63–68.) A revelação provavelmente nos virá “linha sobre linha, preceito sobre preceito, um pouco aqui e um pouco ali”. (2 Néfi 28:30; ver também Isaías 28:10; D&C 98:12.) Não procure forçar as coisas espirituais. A revelação não vem dessa maneira. Seja paciente e confie no Senhor que oportunamente lhe concederá o que busca.

Como Reconhecer os Sussurros do Espírito Santo

Em meio aos muitos ruídos e mensagens no mundo de hoje, você tem de aprender a reconhecer os sussurros do Espírito Santo. Eis alguns dos principais meios que o Espírito Santo utiliza para comunicar-Se conosco:

Fala à mente e ao coração com uma voz mansa e delicada. O Senhor ensinou: “(…) eis que eu te falarei em tua mente e em teu coração, pelo Espírito Santo que virá sobre ti e que habitará em teu coração. Eis que este é o espírito de revelação”. (D&C 8:2–3) Às vezes o Espírito Santo nos ajuda a entender uma verdade do evangelho ou nos dá uma percepção que “parece ocupar [nosso] pensamento e impor-se a [nossos] sentimentos”. (D&C 128:1) Embora uma revelação dessas possa ter um poderoso efeito sobre nós, as revelações quase sempre vêm de maneira tranqüila, como uma “voz mansa e delicada”. (Ver I Reis 19:9–12; Helamã 5:30; D&C 85:6.)

Inspira-nos por meio do que sentimos. Embora descrevamos a comunicação do Espírito como uma voz, essa voz é mais sentida do que ouvida. E se por vezes falamos de “ouvir” os sussurros do Espírito Santo, normalmente descrevemos uma inspiração espiritual dizendo: “Senti que…” O conselho do Senhor a Oliver Cowdery na seção 9 de Doutrina e Convênios que discutimos anteriormente nas páginas 157–158 ensina esse princípio. Entretanto, esse conselho é às vezes mal compreendido. Ao ler essa passagem, alguns membros da Igreja se confundem, temendo que nunca tenham recebido uma inspiração do Espírito Santo porque eles nunca sentiram um ardor no peito. Observe as palavras finais do Senhor em Doutrina e Convênios 9:8: “Portanto sentirás que está certo”. O ardor descrito nesta passagem de escritura significa um sentimento de consolo e serenidade, não necessariamente uma sensação de calor. Ao longo de sua vida, ao procurar seguir a vontade do Senhor, você virá a reconhecer a influência do Espírito Santo sobre si próprio.

Traz paz. O Espírito Santo é freqüentemente chamado de Consolador. (Ver João 14:26; D&C 39:6.) Quando Ele revelar a vontade do Senhor para você, dará “paz a [sua] mente”. (D&C 6:23) A paz que Ele dá não pode ser imitada por influências mundanas ou falsos ensinamentos. É a paz que o Salvador prometeu quando assegurou a Seus discípulos que Ele lhes enviaria o Consolador. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou: não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. (João 14:27)