Tópicos
Arrependimento
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Arrependimento

O arrependimento é um dos primeiros princípios do evangelho. (Ver Regras de Fé 1:4.) Ele é essencial para a nossa felicidade nesta vida e por toda a eternidade. O verdadeiro arrependimento é muito mais do que apenas reconhecer os erros. É uma mudança na mente e no coração que nos dá uma nova perspectiva sobre Deus, sobre nós mesmos e sobre o mundo. O arrependimento inclui o afastamento do pecado e o voltar-se para Deus para obter o perdão. O arrependimento é motivado pelo amor a Deus e pelo sincero desejo de obedecer aos Seus mandamentos.

A Necessidade de Arrependimento

O Senhor declarou que “nada impuro pode herdar o reino do céu”. (Alma 11:37) Nossos pecados nos tornam impuros—indignos de retornar à presença de nosso Pai Celestial e de viver com Ele. Eles também trazem angústia à nossa alma nesta vida.

Por meio da Expiação de Jesus Cristo, o Pai Celestial providenciou a única maneira pela qual poderíamos ser perdoados de nossos pecados. (Ver “Perdão; páginas 102–105.) Jesus Cristo sofreu para pagar por nossos pecados para que possamos ser perdoados, se nos arrependermos sinceramente. Se você se arrepender e confiar na graça salvadora de Cristo, será purificado do pecado. Ele declarou:

“Ordeno que te arrependas—arrepende-te, para que eu não te fira com a vara de minha boca e com minha ira e com minha cólera e teus sofrimentos sejam dolorosos—quão dolorosos tu não sabes, quão intensos tu não sabes, sim, quão difíceis de suportar tu não sabes.

Pois eis que eu, Deus, sofri essas coisas por todos, para que não precisem sofrer caso se arrependam;

Mas se não se arrependerem, terão que sofrer assim como eu sofri;

Sofrimento que fez com que eu, Deus, o mais grandioso de todos, tremesse de dor e sangrasse por todos os poros; e sofresse, tanto no corpo como no espírito—e desejasse não ter de beber a amarga taça e recuar—

Todavia, glória seja para o Pai, eu bebi e terminei meus preparativos para os filhos dos homens”. (D&C 19:15–19)

O Perigo de Procrastinar o Arrependimento

Não racionalize os seus pecados nem adie o arrependimento. Amuleque alertou-nos: “Esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para encontrar Deus; sim, eis que o dia desta vida é o dia para os homens executarem os seus labores. (…) Peço-vos, portanto, que não deixeis o dia do arrependimento para o fim; porque depois deste dia de vida que nos é dado a fim de nos prepararmos para a eternidade, eis que, se não fizermos melhor uso de nosso tempo nesta vida, virá a noite tenebrosa, durante a qual nenhum labor poderá ser executado”. (Alma 34:32–33)

Elementos do Arrependimento

O arrependimento é um processo doloroso, mas que leva ao perdão e à paz duradoura. Por intermédio do profeta Isaías, o Senhor disse: “(…) ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã”. (Isaías 1:18) Nesta dispensação, o Senhor prometeu: “Aquele que se arrependeu de seus pecados é perdoado e eu, o Senhor, deles não mais me lembro”. (D&C 58:42) O arrependimento inclui os seguintes elementos:

Fé no Pai Celestial e em Jesus Cristo. O pecado tem grande influência sobre nós. Para livrar-se dele, você deve-se voltar para o Pai Celestial e orar com fé. Satanás poderá tentar convencê-lo de que você não é digno de orar, de que o Pai Celestial está tão desgostoso com você que nunca ouvirá suas orações. Isso é mentira. O Pai Celestial está sempre pronto a ajudá-lo se você procurá-Lo com arrependimento no coração. Ele tem o poder de curá-lo e de ajudá-lo a triunfar sobre o pecado.

O arrependimento é um ato de fé em Jesus Cristo—um reconhecimento do poder de Sua Expiação. Lembre-se de que você pode ser perdoado apenas nos termos Dele. Ao reconhecer com gratidão Sua Expiação e Seu poder de limpá-lo do pecado, você estará apto a “exercer [sua] fé para o arrependimento”. (Alma 34:17)

Tristeza pelo Pecado. Para ser perdoados, devemos primeiramente reconhecer em nosso íntimo que pecamos. Se você estiver-se esforçando para viver o evangelho e reconhecer que pecou, isso o levará à “tristeza segundo Deus”, que “opera arrependimento para a salvação”. (II Coríntios 7:10) A tristeza segundo Deus não vem por causa das conseqüências naturais do pecado ou por causa do medo da punição; em vez disso, ela vem do conhecimento de que desagradamos ao Pai Celestial e ao nosso Salvador. Quando experimentamos a tristeza segundo Deus, temos o desejo sincero de mudar e uma vontade de submeter-nos a todos os requisitos do perdão.

Confissão. “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”. (Provérbios 28:13) Essencial ao perdão é o desejo de abrir-se completamente ao Pai Celestial por tudo o que tiver feito. Ajoelhe-se diante Dele em humilde oração, reconhecendo seus pecados. Confesse a sua vergonha e culpa e depois implore por ajuda.

Transgressões sérias, tais como violações da lei da castidade, podem colocar em risco a sua condição de membro da Igreja. Portanto, você precisa confessar esses pecados ao Senhor e aos Seus representantes na Igreja. Esse processo é conduzido por seu bispo ou presidente de ramo e talvez por seu presidente de estaca ou de missão, pois eles são designados atalaias e juizes na Igreja. Embora só o Senhor possa perdoar pecados, esses líderes do sacerdócio têm um papel importante no processo de arrependimento. Eles manterão a sua confissão confidencial e o ajudarão ao longo do processo de arrependimento. Seja totalmente honesto com eles. Se você confessar parcialmente, relatando apenas os erros menores, não conseguirá resolver uma transgressão maior que não tenha sido revelada. Quanto antes você iniciar esse processo, mais rapidamente você será capaz de encontrar a paz e a alegria que vêm com o milagre do perdão.

Abandono do Pecado. Embora a confissão seja um elemento essencial no arrependimento, ele não é suficiente. O Senhor disse: “Desta maneira sabereis se um homem se arrepende de seus pecados—eis que ele os confessará e abandonará”. (D&C 58:43)

Mantenha uma resolução firme e permanente de que nunca repetirá a transgressão. Enquanto mantiver esse compromisso, você nunca sentirá a dor desse pecado novamente.

Fuja imediatamente de qualquer situação perigosa. Se uma certa situação o leva ou pode levá-lo ao pecado, saia. Não é possível ficar próximo à tentação e esperar vencer o pecado.

Restituição. Você tem que restituir, tanto quanto seja possível, tudo o que tiver sido danificado por suas ações, seja isso em termos de propriedades alheias, seja em termos da boa reputação de alguém. Uma restituição feita de bom grado mostra ao Senhor que você fará tudo o que for possível para arrepender-se.

Viver em Retidão. Não basta simplesmente tentar resistir ao mal ou eliminar o pecado de sua vida. É necessário que você encha a sua vida com retidão e se empenhe em atividades que tragam poder espiritual. Estude as escrituras com afinco. Ore diariamente para que o Senhor lhe dê forças além das suas próprias. Jejue de vez em quando para pedir bênçãos especiais.

A obediência plena traz o poder completo do evangelho à sua vida, inclusive aumentando suas forças para vencer as fraquezas. Essa obediência inclui ações que podem nem parecer importantes no processo do arrependimento, tais como freqüentar as reuniões, pagar o dízimo, prestar serviço e perdoar aos outros. O Senhor prometeu que “aquele que se arrepender e cumprir os mandamentos do Senhor será perdoado”. (D&C 1:32)