Tópicos
Castidade
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Castidade

A castidade é a pureza sexual, uma condição que “é agradável a Deus”. (Jacó 2:7) Para ser casto, você deve ser moralmente limpo em pensamentos, palavras e atos. Você não deve ter nenhuma relação sexual antes de ser legalmente casado e, se for casado, deve ser completamente fiel a seu marido ou mulher.

A intimidade física entre marido e mulher é bela e sagrada. Ela é ordenada por Deus para a criação de filhos e para a expressão de amor dentro do casamento.

No mundo de hoje, Satanás levou muitas pessoas a acreditar que a intimidade sexual fora do casamento é aceitável. Mas à vista de Deus, esse é um pecado sério por ser um abuso do poder de criar vida que Ele nos concedeu. O profeta Alma ensinou que os pecados sexuais são mais sérios do que quaisquer outros, exceto o assassinato e o negar o Espírito Santo. (Ver Alma 39:3–5.)

Às vezes, as pessoas tentam convencer-se de que relações sexuais fora do casamento são aceitáveis desde que os envolvidos se amem. Isso não é verdade. Quebrar a lei da castidade e incentivar outros a fazê-lo não é expressão de amor. As pessoas que se amam nunca colocarão em risco a felicidade e a segurança do outro em troca de um prazer pessoal temporário.

Quando as pessoas se preocupam o suficiente umas com as outras para guardar a lei da castidade, o amor delas, assim como sua confiança e comprometimento aumentam, resultando em maior felicidade e união. Ao contrário, relações que se baseiam na imoralidade sexual não duram muito. Os que se envolvem com a imoralidade sexual em geral sentem medo, culpa e vergonha. Amargura, ciúmes e ódio logo substituem quaisquer sentimentos positivos que tenham existido nesse relacionamento.

Nosso Pai Celestial deu-nos a lei da castidade para a nossa proteção. A obediência a essa lei é essencial para a paz pessoal, a força de caráter e a felicidade no lar. Ao conservar-se puro sexualmente, você evitará os danos espirituais e emocionais que sempre advêm das intimidades físicas com alguém fora dos laços do casamento. Você continuará sensível à orientação, à força, ao consolo e à proteção do Espírito Santo e preencherá um requisito importante para receber uma recomendação para o templo e para participar das ordenanças ali realizadas.

Pecados Sexuais

O Senhor e Seus profetas condenam a imoralidade sexual. Todas as relações sexuais fora do casamento violam a lei da castidade e são perigosas física e espiritualmente para aqueles que nelas se envolvem.

Os Dez Mandamentos incluem a ordem de não cometermos o adultério, que é o relacionamento sexual entre um homem casado e outra pessoa que não seja sua esposa ou entre uma mulher casada e outra pessoa que não seja seu marido. (Ver Êxodo 20:14.) O Apóstolo Paulo disse que é “a vontade de Deus” que nos abstenhamos da fornicação, que é a relação sexual entre alguém que não seja casado e qualquer outra pessoa. (Ver I Tessalonicenses 4:3.) Os profetas atuais sempre falam contra esses pecados e contra a prática maligna do abuso sexual.

Da mesma maneira que as outras violações da lei da castidade, a atividade homossexual é um pecado sério. É contrária aos propósitos da sexualidade humana. (Ver Romanos 1:24–32.) O homossexualismo distorce as relações de amor e impede as pessoas de receberem as bênçãos que podem ser encontradas na vida familiar e nas ordenanças salvadoras do evangelho.

De acordo com os padrões de pureza do Senhor, a mera abstinência de relações sexuais fora do matrimônio não basta. O Senhor exige de Seus discípulos um padrão moral elevado que inclui a completa fidelidade ao cônjuge em pensamento e conduta. No Sermão da Montanha, Ele disse: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela”. (Mateus 5:27–28) Nestes últimos dias, Ele declarou: “Não (…) cometerás adultério (…) nem farás coisa alguma semelhante”. (D&C 59:6) E Ele deu nova ênfase ao princípio que ensinou no Sermão da Montanha: “(…) Aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, ou se alguém em seu coração cometer adultério, não terá o Espírito, mas negará a fé e temerá”. (D&C 63:16) Essas advertências se aplicam a todas as pessoas, sejam elas casadas ou não.

Se você tiver cometido um pecado sexual, fale com o seu bispo ou presidente de ramo para que ele possa ajudá-lo a passar pelo processo de arrependimento. (Ver “Arrependimento, página 186.)

Caso você esteja lutando contra tentações sexuais, inclusive contra sentimentos de atração pelo mesmo sexo, não ceda a tais tentações. Tenha a certeza de que você tem a capacidade de escolher e de evitar esse comportamento. Você pode receber ajuda do Senhor ao orar para ter forças para vencer o problema. Como parte desse processo, procure aconselhamento com o seu bispo ou presidente de ramo. Ele o ajudará.

Guardar a Lei da Castidade

Por mais fortes que sejam as tentações, o Senhor o ajudará a vencê-las se a sua decisão for a de segui-Lo. O Apóstolo Paulo declarou: “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”. (I Coríntios 10:13) O seguinte conselho pode ajudá-lo a vencer as freqüentes e óbvias tentações do mundo de hoje:

Decida agora a ser casto: Você precisa tomar essa decisão apenas uma vez. Tome-a agora, antes que a tentação chegue; faça com que a sua decisão seja tão firme e de tão profundo comprometimento que ela seja inabalável. Determine agora que você nunca fará nada fora do casamento que desperte as poderosas emoções que devem ser expressas apenas no matrimônio. Não estimule essas emoções no corpo de outra pessoa ou em seu próprio. Determine-se agora a ser completamente fiel a seu cônjuge.

Controle seus pensamentos: Ninguém comete pecado sexual inesperadamente. Os atos imorais sempre começam com pensamentos impuros. Se você permitir que seus pensamentos vagueiem por coisas obscenas ou imorais, você já terá dado o primeiro passo em direção à imoralidade. Fuja imediatamente de situações que possam levar ao pecado. Ore para ter força constante para resistir à tentação e controlar seus pensamentos. Faça dessa busca uma parte importante de suas orações diárias.

Afaste-se da pornografia: Não veja, leia ou escute nada que descreva ou demonstre o corpo humano ou conduta sexual de forma a estimular os desejos sexuais. Materiais pornográficos viciam e são destrutivos. Eles podem roubar-lhe o auto-respeito e o sentido das belezas da vida. Eles podem destruí-lo ou levá-lo a pensamentos malévolos e conduta abusiva.

Se você é solteiro e está namorando, sempre trate a pessoa a quem namora com respeito. Nunca a trate como um objeto a ser usado para satisfazer desejos lascivos. Planeje com cuidado atividades positivas e edificantes de modo que você e a outra pessoa nunca fiquem sozinhos e sem nada para fazer. Permaneçam em áreas seguras onde vocês consigam controlar-se facilmente. Não participe de conversas ou atividades que estimulem os desejos sexuais. Não participe de beijos apaixonados, não se deite com a outra pessoa nem sobre a outra pessoa nem lhe toque as partes íntimas e sagradas do corpo, com ou sem roupa. Nunca permita que ninguém faça essas coisas com você.

Se você é casado, seja fiel a seu cônjuge em pensamentos, palavras e atos. O Senhor disse: “Amarás tua esposa de todo o teu coração e a ela te apegarás e a nenhuma outra. E aquele que olhar uma mulher para a cobiçar negará a fé e não terá o Espírito; e se não se arrepender, será expulso”. (D&C 42:22–23) Nunca flerte de maneira nenhuma. Tanto quanto possível, evite ficar a sós com qualquer pessoa do sexo oposto. Pergunte-se se seu cônjuge ficaria feliz ao saber de suas palavras ou atos. Lembre-se de que o Apóstolo Paulo aconselha: “Abstende-vos de toda a aparência do mal”. (I Tessalonicenses 5:22) Quando você se mantém à distância de tais circunstâncias, a tentação não tem chances de desenvolver-se.

Perdão para Aquele que Se Arrepende

O melhor caminho é a pureza moral completa. É errado cometer pecados sexuais com a intenção de arrepender-se mais tarde. Essa atitude já em si é pecaminosa e demonstra irreverência com o Senhor e com os convênios que você faz com Ele. Entretanto, se você cometeu pecados sexuais, o Senhor oferece perdão, caso você se arrependa.

O arrependimento é difícil, mas é possível. Você pode ficar limpo novamente. (Ver Isaías 1:18.) O desespero do pecado pode ser substituído pela doce paz do perdão. Para saber o que se deve fazer para arrepender-se, leia “Arrependimento”, páginas 18–22.

Trabalhe com vistas a um dia ser digno de entrar no templo, guiado pelas palavras do salmista:

“Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?

Aquele que é limpo de mãos e puro de coração (…)”. (Salmos 24:3–4)