Tópicos
História da Família e Genealogia, O Trabalho de
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

História da Família e Genealogia, O Trabalho de

Em 3 de abril de 1836, o profeta Elias apareceu a Joseph Smith e Oliver Cowdery no Templo de Kirtland. Ele conferiu a eles o poder selador do sacerdócio, tornando possível selar as famílias ao longo das diversas gerações. Ao conferir esse poder, ele cumpriu a profecia de que o Senhor o enviaria para “voltar o coração dos pais para os filhos e os filhos para os pais”. (D&C 110:14–16; ver também Malaquias 4:5–6.)

Por meio do trabalho de história da família, você pode participar do cumprimento contínuo dessa promessa. Pode conhecer seus antepassados e passar a amá-los mais. Pode ser inspirado por suas histórias de coragem e fé e pode transmitir esse legado a seus filhos.

Esses são benefícios duradouros que advêm do trabalho de história da família, mas não são as razões principais do grande esforço da Igreja de reunir registros genealógicos. Todo o empenho da Igreja em relação à história da família é direcionado para suprir a necessidade de um “elo de ligação (…) entre os pais e os filhos”. (D&C 128:18) Esse elo é formado no templo pelo poder do sacerdócio e por meio de ordenanças sagradas que recebemos em favor de nossos ancestrais.

Redenção dos Mortos

Muitos dos filhos do Pai Celestial morreram sem ter tido a oportunidade de receber a plenitude do evangelho. Em Sua misericórdia e infinito amor, o Senhor preparou uma maneira para eles ganharem um testemunho do evangelho e receberem as ordenanças salvadoras do sacerdócio.

No mundo espiritual, o evangelho é “pregado (…) àqueles que [morreram] em seus pecados, sem conhecimento da verdade ou em transgressão, tendo rejeitado os profetas. A esses [é] ensinada a fé em Deus, o arrependimento do pecado, o batismo vicário para remissão de pecados, o dom do Espírito Santo pela imposição de mãos e todos os outros princípios do evangelho que [precisam] saber a fim de qualificarem-se para ser julgados segundo os homens na carne, mas viver segundo Deus no espírito”. (D&C 138: 32–34)

Muitos abraçam o evangelho no mundo espiritual. Entretanto, eles não podem receber as ordenanças do sacerdócio por si mesmos porque não possuem corpos físicos. Nos templos sagrados, temos o privilégio de receber ordenanças em seu favor. Essas ordenanças incluem o batismo, a confirmação, a ordenação ao Sacerdócio de Melquisedeque (para os homens) e a investidura, o selamento matrimonial e o selamento dos filhos aos pais. O Senhor revelou esse trabalho ao Profeta Joseph Smith, restaurando a prática que havia sido revelada aos cristãos logo após a Ressurreição de Jesus Cristo. (Ver I Coríntios 15:29.)

Ao receber as ordenanças do sacerdócio em lugar daqueles que já morreram, você se torna um salvador no monte Sião para eles. (Ver Obadias 1:21.) Seu esforço aproxima-se do espírito do sacrifício expiatório do Salvador—você executa uma obra salvadora por outros que não podem fazê-las por si mesmos.

Suas Responsabilidades no Trabalho de História da Família

No trabalho de história da família, você tem três responsabilidades básicas:

  1. Receber as ordenanças do templo para si mesmo e ajudar os membros da sua família imediata a recebê-las.

  2. Ter consigo uma recomendação para o templo válida e ir ao templo tão freqüentemente quanto as circunstâncias o permitirem.

  3. Reunir informações de história da sua família a fim de ajudar seus antepassados a receberem as bênçãos do templo.

Você pode participar do trabalho do templo e de história da família, pelo menos até certo ponto, não importa onde more ou a situação em que se encontre. Embora provavelmente você não possa fazer tudo, pode fazer algumas coisas. As idéias a seguir podem ajudá-lo a começar:

  • Registre os detalhes importantes da sua própria vida. Registre a data e local de seu nascimento, assim como a data do seu batismo e da confirmação. Mantenha um diário pessoal para registrar as coisas importantes que lhe acontecerem, inclusive as experiências pessoais que fortalecerão seus filhos e os de outras gerações futuras na fé.

  • Consiga informações sobre seus antepassados. Comece por registrar o que souber de memória e as informações de outras fontes disponíveis em casa. Registre os dados vitais de seus irmãos, pais, tios, tias, avós e bisavós de que se lembre com precisão ou que possa encontrar. Se possível, obtenha cópias de certificados e outros documentos que contenham esses dados. À medida que for conseguindo mais informações, sugere-se que você pesquise em outros locais, como, por exemplo, os cartórios e arquivos públicos. A ala ou ramo local pode ter um consultor de história da família que possa ajudá-lo. Também pode ser interessante visitar o site oficial de História da Família da Igreja na Internet, www.familysearch.org

  • Ao identificar os seus antepassados, use os gráficos de linhagem e de grupo familiar para registrar as informações encontradas. Esses gráficos estão disponíveis em impressos e também em programas de computador produzidos pela Igreja, tais como o Personal Ancestral File (PAF).

Quando tiver reunido as informações necessárias relativas aos seus antepassados que já faleceram sem receber o evangelho, certifique-se de que o trabalho no templo seja feito por eles. Mesmo que você não viva perto o suficiente de um templo para que você ou seus familiares possam fazer as ordenanças pessoalmente, você pode submeter o nome deles a um templo para que outras pessoas possam fazer o trabalho por eles. Pode ser que você consiga visitar um centro de história da família mais próximo ou procurar ajuda com os consultores de história da família da ala ou ramo para aprender como fazer.

O Profeta Joseph Smith declarou que há “princípios referentes aos mortos e aos vivos [que] não podem ser negligenciados no que tange a nossa salvação. Porque a sua salvação é necessária e essencial a nossa salvação (…), [pois] eles, sem nós, não podem ser aperfeiçoados—nem podemos nós, sem nossos mortos, ser aperfeiçoados”. (D&C 128:15) Por meio da sua participação na obra da história da família, você e seus ancestrais progridem em direção à salvação.