5.9 Programa de proteção respiratória
    Notas de rodapé

    5.9 Programa de proteção respiratória

    5.9.1 Propósito

    Estas diretrizes fornecem um programa de proteção respiratória para os funcionários que utilizam respiradores. O objetivo do programa de proteção respiratória é garantir que os funcionários da Igreja estejam protegidos contra níveis perigosos de contaminantes do ar e escassez de oxigênio. A Igreja fornece equipamento de proteção respiratória para cada funcionário que esteja ou possa estar exposto a uma atmosfera de risco durante o trabalho.

    Os gerentes e supervisores das operações da Igreja que precisem de respiradores devem implementar estas diretrizes e designar um administrador do programa respiratório em cada local. O administrador do programa deve se empenhar para garantir que o programa de proteção respiratória descrito neste documento seja seguido.

    A melhor maneira de controlar os riscos respiratórios é por meio de controles administrativos e de engenharia, tais como melhorar a ventilação, mudar processos e substituir materiais tóxicos por materiais menos tóxicos. No entanto, algumas situações exigem proteção respiratória. Podem ser utilizados respiradores em caráter temporário enquanto controles administrativos ou de engenharia estiverem sendo implementados. Ou eles devem ser usados rotineiramente nos lugares em que não existam controles de engenharia.

    5.9.2 Regras e procedimentos gerais

    Os gerentes e supervisores devem estabelecer e manter um programa por escrito de proteção respiratória. O administrador do programa respiratório deve executar as seguintes regras e procedimentos gerais para estabelecer e manter um programa de proteção respiratória.

    Procedimentos operacionais-padrão (POPs)

    O administrador do programa deve manter POPs para respiradores. O administrador do programa deve:

    • Desenvolver uma lista de operações e condições de emergência nas quais os respiradores devam ser usados.

    • Determinar os respiradores adequados para cada operação ou condição (ver a seção 5.9.3, “Selecionar respiradores”).

    • Redigir os procedimentos de uso do respirador para cada operação ou condição.

    • Realizar testes para verificar se os respiradores se adequam aos funcionários (conhecidos como testes de ajuste).

    Os funcionários devem usar os respiradores de acordo com os POPs redigidos. Se não houver procedimentos para uma determinada operação, use uma das seguintes opções:

    1. Use o respirador que ofereça a maior proteção disponível (com suprimento de ar ou ARICA — Aparelho Respiratório Isolante de Circuito Aberto).

    2. O administrador do programa deve desenvolver um novo POP e selecionar um respirador adequado (ver a seção 5.9.3, “Selecionar respiradores”).

    Manutenção de respiradores

    Os funcionários devem manter os equipamentos de proteção respiratória limpos e em boas condições operacionais. Devem fazê-lo por meio de um programa rotineiro de inspeção, limpeza, reparo e estoque adequado quando o equipamento não estiver em uso (ver a seção 5.9.6, “Manutenção, limpeza, inspeção e estoque de respiradores”).

    Determinação médica

    O administrador do programa respiratório deve:

    • Preencher o formulário de Determinação médica do respirador (ver o capítulo 7) para fornecer ao profissional de saúde licenciado informações sobre o tipo de respirador a ser usado e a natureza dos riscos respiratórios.

    • Peça ao profissional de saúde licenciado que faça uma avaliação médica usando um questionário (aplicável à jurisdição regulamentadora do lugar onde você reside). O profissional de saúde licenciado pode fornecer a aprovação analisando o questionário ou realizando uma avaliação médica em pessoa se necessário. Certifique-se de que o profissional de saúde licenciado devolva o formulário “Determinação médica do respirador” com uma opinião sobre a capacidade do funcionário de usar o respirador.

    • Preencha o formulário Determinação médica do respirador (ver o capítulo 7).

    • Providencie avaliações médicas adicionais se:

      • O funcionário relatar sinais ou sintomas médicos relacionados ao uso do respirador.

      • O médico, o supervisor ou o administrador do programa observar (por exemplo, durante o teste de ajuste ou a avaliação do programa) ou tomar ciência de informações (por exemplo, uma alteração nas condições do local de trabalho, como esforço físico, roupas de proteção ou temperatura) que determinem que o funcionário precisa ser reavaliado.

    Teste de ajuste dos respiradores

    O administrador do programa é responsável por testar anualmente os funcionários que usam respiradores de pressão negativa (purificadores de ar). Sempre que possível, realize testes de ajuste qualitativo usando o respirador do próprio funcionário (ver “Teste de pressão positiva” e “Teste de pressão negativa” a seguir). Se isso não for possível, somente realize o teste em um respirador da mesma marca, modelo e tamanho do respirador do próprio funcionário. O Registro de teste de ajuste do respirador (ver o capítulo 7) pode ajudar nesse processo.

    O administrador do programa deve manter os registros dos testes de ajuste periódicos no arquivo. Se o funcionário não passar no teste de ajuste periódico, forneça-lhe outro tamanho ou modelo de respirador. Sob nenhuma circunstância, o funcionário deve continuar a usar um respirador que não esteja devidamente ajustado. Os funcionários não devem usar respiradores de pressão negativa (purificadores de ar) em uma atmosfera de risco ou potencialmente perigosa, a menos que tenham passado por um teste de ajuste quantitativo ou qualitativo. O teste de ajuste pode estar disponível nos fornecedores ou nas clínicas médicas do local de trabalho. Os procedimentos e as práticas recomendadas para testes de ajuste de respiradores estão prontamente disponíveis na internet.

    Os funcionários que usam respiradores com suprimento de ar não precisam ser testados. No entanto, se possível, procure garantir que uma peça facial de tamanho adequado seja usada para minimizar o vazamento de ar. Os respiradores purificadores de ar motorizados não precisam de testes de ajuste.

    Os funcionários com barba ou outros pelos faciais na área de vedação da peça facial são automaticamente reprovados no teste de ajuste.

    Verificação da vedação

    Sob a direção de uma pessoa qualificada, o funcionário deve escolher entre vários tamanhos (e marcas) de respiradores purificadores de ar de meia face ou de rosto inteiro, segurando-os no rosto para ver qual deles parece ser o ideal para ele. O funcionário deve então colocar o respirador, seguindo as instruções do fabricante, e realizar testes de pressão positiva e negativa para verificar a vedação entre o respirador e seu rosto.

    1. Teste de pressão positiva. Feche a válvula de expiração pressionando levemente a tampa da válvula. Expire suavemente. O ajuste será satisfatório se uma leve pressão positiva se acumular dentro da peça facial sem vazamento de ar entre a vedação da peça facial e o rosto do funcionário.

    2. Teste de pressão negativa. Bloqueie a entrada de ar para o respirador, tapando com a palma das mãos a entrada dos cartuchos, apertando o tubo de respiração ou bloqueando sua entrada. Inspire suavemente e segure a respiração por pelo menos 10 segundos. O ajuste será satisfatório se a peça facial colapsar levemente sem vazamento de ar entre a vedação da peça facial e o rosto do funcionário.

    Em ambos os testes, não exerça pressão demasiada com as mãos a ponto de fazer com que a peça facial do respirador fique distorcida, alterando o ajuste. Ambos os testes podem ser difíceis ou impossíveis de serem realizados usando-se respiradores que não foram projetados para esse tipo de teste. Alguns cartuchos não podem ser tapados com uma mão de tamanho normal, e algumas válvulas de expiração são difíceis de vedar com a mão. Às vezes a remoção das tampas ou dos cartuchos ajuda.

    O funcionário deve passar no teste de pressão com o respirador de tamanho e marca adequados antes de iniciar o teste de ajuste do respirador.

    Treinamento do funcionário

    Os funcionários devem ser treinados antes de usar proteção respiratória em uma atmosfera de risco ou potencialmente perigosa. Uma pessoa qualificada deve treinar os supervisores e funcionários. O administrador do programa deve documentar o treinamento e manter os registros no arquivo. Realize um treinamento anual para os funcionários que utilizam respiradores. Se um funcionário novo recebeu treinamento sobre o uso do respirador num período de 12 meses antes de ser contratado pela Igreja e puder demonstrar habilidade e competência em relação ao uso do respirador, então um novo treinamento não é necessário até a conclusão do período de 12 meses. O treinamento deve incluir o seguinte:

    • Instrução sobre a natureza dos riscos encontrados na atmosfera de trabalho (sejam agudos, crônicos ou ambos) e uma avaliação honesta do que pode acontecer se o respirador não for usado.

    • Uma explicação do motivo pelo qual os controles administrativos ou de engenharia não são imediatamente viáveis para a redução ou eliminação da necessidade de respiradores.

    • Uma troca de ideias sobre o motivo pelo qual o respirador selecionado para determinada operação é o mais adequado para essa finalidade.

    • Uma troca de ideias sobre as capacidades e limitações do respirador.

    • O uso propriamente dito do respirador e um treinamento sobre a importância de uma supervisão rigorosa para garantir a continuidade de seu uso adequado. Isso inclui treinamento sobre como reconhecer o fim da vida útil dos cartuchos e filtros (por exemplo, os sinais incluem gosto ou cheiro de contaminantes, a verificação da data de vencimento do fabricante ou a percepção de maior dificuldade para respirar).

    • Uso do respirador em um ambiente seguro por um período de tempo adequado para garantir que o funcionário esteja familiarizado com o funcionamento do aparelho.

    • Instruções sobre limpeza, estoque e manutenção do respirador.

    • Como colocar, usar e remover o respirador. Isso inclui o ajuste adequado da peça facial e o teste de vazamento, usando-se os testes de pressão positiva e negativa.

    Avaliação do programa

    O administrador do programa deve avaliar periodicamente a eficácia do programa para garantir que os funcionários recebam proteção respiratória adequada. Deve fazer o seguinte:

    • Avaliar a aceitação do funcionário. Consultar os funcionários periodicamente no tocante à atitude deles em relação ao uso dos respiradores. Os fatores que afetam a atitude deles incluem:

      • Conforto

      • Resistência à respiração

      • Fadiga

      • Interferência na visão

      • Interferência na comunicação

      • Restrição de movimentos

      • Interferência no desempenho do trabalho

      • Confiança na eficácia do respirador

    • Inspecionar e avaliar a operação do programa de respiradores. Realize inspeções frequentes do programa para ter certeza de que:

      • Sejam selecionados tipos adequados de respiradores.

      • Os funcionários sejam treinados adequadamente.

      • Os respiradores corretos sejam distribuídos e usados.

      • O uso, a manutenção e o estoque dos respiradores sejam adequados.

      • Os respiradores sejam devidamente inspecionados.

      • Os riscos respiratórios sejam monitorados.

      • A vigilância médica dos funcionários seja realizada.

    O administrador do programa deve se certificar de que as falhas encontradas no programa de proteção respiratória sejam documentadas e corrigidas. A documentação deve incluir planos para correção de falhas no programa e datas-alvo para a implementação de ações corretivas.

    5.9.3 Selecionar respiradores

    O administrador do programa deve selecionar respiradores que correspondam ao risco respiratório. Ele deve seguir o processo de seleção para todas as operações de risco que exijam respiradores.

    O administrador do programa deve preparar e manter um formulário de Seleção do respirador (ver o capítulo 7), que relaciona o seguinte:

    • Operações de trabalho

    • Riscos respiratórios presentes

    • Estimativa da exposição do funcionário

    • Respirador requerido para uso na operação

    Ao preparar o formulário de Seleção do respirador, utilize o padrão das melhores práticas do setor e as melhores informações disponíveis sobre os riscos envolvidos e os respiradores disponíveis. Sob nenhuma circunstância, os supervisores devem permitir que os funcionários usem para uma determinada operação respiradores que ofereçam proteção menor do que a proporcionada pelos que estão relacionados no formulário.

    Para operações potencialmente perigosas não citadas no formulário, o supervisor ou funcionário deve entrar em contato com o administrador do programa para ajudar a selecionar o respirador adequado antes de iniciar o trabalho.

    O administrador do programa deve basear a seleção da proteção respiratória adequada considerando o seguinte:

    • Características do risco

    • Características do respirador

    • Outras considerações especiais

    Características do risco

    Ao selecionar um respirador, identifique o risco com o qual você está lidando e considere o seguinte:

    • Características do risco respiratório

      • Os contaminantes

      • A concentração de contaminantes

      • Deficiência de oxigênio

      • Potencial para o ambiente se tornar imediatamente perigoso à vida ou à saúde (IPVS)

      • Propriedades físicas e químicas do contaminante

      • Efeitos fisiológicos no organismo

      • Propriedades de alerta do contaminante

      • Padrões e diretrizes de saúde aplicáveis para sua localização

        Nos lugares em que os respiradores devam ser usados como medida de precaução contra extravasamento, vazamento ou liberação descontrolada, avalie os níveis potenciais de exposição resultantes.

    • A natureza da operação ou do processo de risco

      • Características da operação ou do processo

      • Características da área de trabalho

      • Disponibilidade de oxigênio na área

      • Matéria-prima

      • Produtos finais e subprodutos

      • Atividades dos funcionários

    A proteção respiratória com suprimento de ar é o único tipo de proteção aprovada para atmosferas com deficiência de oxigênio, para atmosferas IPVS e para contaminantes com propriedades de alerta insatisfatórias. Use respiradores de face inteira quando o contaminante for irritante para os olhos.

    • A localização da área de risco em relação à área mais próxima de ar respirável

    • O período de tempo em que o respirador deve ser usado

    • Os padrões para contaminantes específicos (por exemplo, benzeno, chumbo, amianto, formaldeído ou arsênico)

    Características do respirador

    • Os respiradores devem ser aprovados por organizações reconhecidas, como o Instituto Norte-Americano de Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH) ou a Administração de Segurança e Saúde de Minas (MSHA).

    • Conheça as características, capacidades e limitações do respirador selecionado.

    Considerações especiais

    • Pelos faciais. Os funcionários com pelos faciais são proibidos de usar equipamentos de proteção respiratória, pois os pelos faciais não permitem uma boa vedação entre o rosto e a peça facial.

    • Óculos corretivos e lentes de contatos. Os funcionários são proibidos de usar óculos corretivos com um respirador de rosto inteiro porque a vedação do rosto fica prejudicada. Na maioria dos casos em que se utilizam respiradores de pressão negativa, as máscaras de meia-face são aceitáveis. As máscaras de meia-face eliminam a preocupação com óculos corretivos que interferem na vedação da peça facial. No entanto, os funcionários que usam óculos corretivos e precisam usar um respirador facial completo podem usar lentes de contato ou um kit de óculos especial que é montado no interior da peça facial. A Igreja fornecerá esses kits de óculos aos funcionários.

    • Características faciais. Os funcionários não devem usar um respirador se houver cicatrizes, dentes ausentes ou uma configuração facial incomum que impeçam uma vedação adequada do respirador no rosto.

    Fornecimento de respiradores

    Os gerentes e supervisores devem fornecer um respirador próprio para cada funcionário que precisar de um respirador purificador de ar. O nome do funcionário deve ser marcado no respirador. Cada funcionário deve cuidar de seu respirador e guardá-lo de acordo com os requisitos da seção 5.9.6, “Manutenção, limpeza, inspeção e estoque de respiradores”.

    Não forneça outros tipos de respiradores (se houver) para uso exclusivo. Esses respiradores devem ser limpos e desinfetados após cada uso.

    Condições imediatamente perigosas à vida e à saúde (IPVS)

    Quando houver condições IPVS, os funcionários devem usar apenas respiradores com suprimento de ar de pressão positiva. As condições imediatamente perigosas à vida e à saúde incluem o seguinte:

    • Níveis elevados de contaminantes do ar

    • Escassez de oxigênio (menos de 19,5 por cento)

    • Níveis desconhecidos de contaminantes e de oxigênio

    Os funcionários não devem entrar em áreas com condições IPVS a menos que seja absolutamente necessário. Os POPs para condições IPVS devem incluir os seguintes requisitos:

    • Equipe de prontidão

    • Cordões de segurança e arneses ou arreios

    • Monitoramento de limites explosivos

    • Alerta da equipe de auxílio emergencial

    5.9.4 Respiradores purificadores de ar

    Os respiradores purificadores de ar removem os contaminantes da atmosfera e somente podem ser usados (1) quando houver oxigênio suficiente para sustentar a vida (mais de 19,5 por cento) e (2) dentro das limitações especificadas da peça facial, do cartucho ou do filtro específico.

    As partículas são removidas por filtros mecânicos. Os gases e vapores são removidos por absorção ou reação química. Existem combinações de cartuchos com filtros mecânicos e químicos.

    Fatores de proteção

    O fator de proteção de um respirador purificador de ar é definido como a razão entre a concentração de contaminantes fora do respirador e os níveis dentro do respirador. Um fator de proteção 1 indica que não há proteção. Quanto maior o número, mais proteção oferece o respirador.

    Os funcionários não devem usar respiradores quando os contaminantes excederem a concentração de uso máximo. Isso é determinado multiplicando-se o fator de proteção atribuído pelo limite de exposição do contaminante. Por exemplo, se o respirador tiver um fator de proteção 10 e o limite de exposição for de 50 partes por milhão (ppm), o respirador pode ser usado para concentrações de até 500 ppm. Os contaminantes não devem exceder os limites de concentração dos cartuchos ou filtros do respirador.

    Propriedades de alerta dos contaminantes

    Os respiradores purificadores de ar somente são usados para gases e vapores que tenham boas propriedades de alerta. Os gases e os vapores podem ser detectados por sabor, cheiro ou irritação, e os níveis não devem exceder os limites de exposição. As únicas exceções a essa regra são respiradores aprovados que tenham um indicador de fim de vida útil informando ao usuário que o cartucho ou filtro está chegando ao fim de sua vida útil.

    Ao usar respiradores purificadores de ar para proteção contra gases e vapores, substitua os cartuchos ou filtros quando for detectado um contaminante no interior da peça facial por sabor, cheiro ou irritação.

    Muitas partículas contaminantes do ar não possuem propriedades de alerta. No entanto, à medida que os filtros mecânicos se tornam carregados com partículas, a resistência por meio do filtro aumenta e se torna mais difícil aspirar o ar pelo filtro. Substitua os filtros quando a respiração se tornar mais difícil.

    Tipos de respiradores purificadores de ar

    A seguir estão quatro tipos comuns de respiradores purificadores de ar:

    1. Respirador de uso único ou descartável. Há respiradores de uso único para partículas e para vapores orgânicos. Como eles não podem ser testados e os funcionários não podem determinar a adequação do ajuste, esses respiradores não devem ser usados em situações em que os contaminantes possam exceder os limites regulamentares ou outros padrões de saúde. Devem ser usados apenas para conforto do funcionário contra contaminantes de baixa ou nenhuma toxicidade. Não os use quando estiverem presentes benzeno, chumbo, amianto, radionuclídeos, formaldeído ou arsênico, independentemente da concentração.

      Se os respiradores forem fornecidos pela Igreja para uso voluntário ou se o funcionário providenciar seu próprio respirador, deve-se tomar precauções para garantir que o respirador não apresente risco. Se o uso de respiradores em determinado local for voluntário e não houver uma necessidade justificada de outros tipos de proteção respiratória, não será obrigatório que esse local participe do programa de proteção respiratória. Para operações com base nos EUA, forneça a cada funcionário que utilizar voluntariamente um respirador uma cópia do apêndice D do padrão OSHA 29 CFR 1910.134, informação (obrigatória) para funcionários que utilizam respiradores quando estes não forem obrigatórios pelo padrão.

    2. Respirador purificador de ar de meia-face. Os respiradores purificadores de ar de meia-face e de face inteira também são conhecidos como respiradores de pressão negativa porque, na inalação, a pressão no interior do respirador cai abaixo da pressão atmosférica. Os respiradores de meia-face se encaixam sob o queixo e sobre o nariz e têm tirantes com quatro pontos. Esses respiradores não são adequados para irritantes oculares. Seu fator de proteção atribuído é 10. Portanto, não devem ser usados quando os contaminantes do ar excederem dez vezes o limite de exposição.

      As concentrações não devem exceder os limites máximos determinados para o cartucho em uso. Há cartuchos disponíveis para uma variedade de contaminantes do ar, incluindo partículas, vapores orgânicos, gases ácidos, cloro, amônia, radionuclídeos, amianto e combinações destes. Não use respiradores purificadores de ar de meia-face para contaminantes que:

      • Sejam extremamente tóxicos.

      • Tenham propriedades de alerta insatisfatórias.

      • Sejam irritantes oculares.

      • Sejam mal absorvidos pelos cartuchos disponíveis.

    3. Respirador purificador de ar de face inteira. O respirador de face inteira cobre o rosto desde o queixo até a testa e tem uma peça facial transparente para a visão. Oferece proteção ocular e um maior nível de proteção. Também tem uma vida útil mais longa do que o respirador de meia-face, porque o filtro purificador de ar é maior. Esse respirador tem um fator de proteção atribuído de 50; portanto, não deve ser usado quando as concentrações excederem 50 vezes o limite de exposição. Quando estiver presente amianto, é obrigatório o teste de ajuste quantitativo.

    4. Respirador purificador de ar motorizado (PAPR). Nos PAPRs, sopradores impelem o ar por meio de filtros mecânicos até um capacete ou capuz frouxo sob pressão positiva constante. Eles estão disponíveis com filtros de partículas, inclusive filtros de ar com alta eficiência na separação de partículas (HEPA) e filtros de carvão ativado para determinados vapores orgânicos. São uma boa alternativa para funcionários que não se adequam a respiradores de pressão negativa.

    5.9.5 Respiradores com suprimento de ar

    Os respiradores com suprimento de ar fornecem ar de grau D ou melhor (conforme definido a seguir) sob pressão positiva. A fonte de ar pode ser um cilindro de ar comprimido ou um compressor que bombeie ar ambiente filtrado e limpo. O ar flui por meio de mangueiras ou tubos até uma peça facial, um capuz ou um capacete. Os respiradores com suprimento de ar fornecem proteção contra escassez de oxigênio e atmosferas tóxicas.

    Aparelho respiratório isolante de circuito aberto (ARICA)

    O aparelho respiratório isolante de circuito aberto (ARICA) é um cilindro de ar comprimido que é carregado nas costas do funcionário. Fornece ar respirável para uma peça facial por meio de conjuntos de mangueira e manômetro. Os cilindros de ar fornecem 20 a 60 minutos de ar. São uma excelente fonte de proteção respiratória de emergência por serem portáteis. Os ARICAs devem ter manômetros para o tanque e dispositivos de aviso de baixa pressão.

    Respiradores com suprimento de ar

    Nos respiradores com suprimento de ar ou linha de ar, o ar respirável é fornecido por um compressor ou cilindro de ar comprimido por meio de uma mangueira conectada a uma peça facial ou um capuz. Duas vantagens são que o funcionário:

    1. Não está limitado a 20 a 30 minutos na área de trabalho.

    2. Não precisa carregar o peso do cilindro de ar comprimido nas costas.

    No entanto, a linha de ar pode limitar a mobilidade e ser cortada. É necessário que haja um cilindro de escape acessório com pelo menos cinco minutos de ar para saídas de emergência de condições IPVS. O comprimento das mangueiras pode chegar a mais de 90 metros. Os conectores da mangueira não devem se encaixar em outros sistemas de gás.

    Quando são usados compressores de ar, os pontos de entrada de ar devem estar em áreas livres de contaminação para garantir que o ar fornecido seja de grau D ou melhor (conforme definido a seguir). Um monitor contínuo e alarme de monóxido de carbono deve ser instalado e estar funcionando no fluxo de ar do compressor.

    Um sistema purificador de ar também deve estar presente para remoção de partículas, excesso de umidade, monóxido de carbono e outros contaminantes do ar.

    Qualidade do ar

    O ar respirável grau D inclui o seguinte:

    • Oxigênio: 19,5 a 23,5 por cento

    • Dióxido de carbono: 1.000 ppm ou menos

    • Monóxido de carbono: 10 ppm ou menos

    • Hidrocarbonetos (condensados): 5 mg/m3

    • Ausência de odor perceptível

    5.9.6 Manutenção, limpeza, inspeção e estoque de respiradores

    Os supervisores têm a responsabilidade de se certificarem que os funcionários façam a devida manutenção de seus respiradores e os limpem, inspecionem e guardem adequadamente. Os supervisores também têm a responsabilidade de cuidar para que as partes desgastadas, danificadas ou defeituosas do respirador sejam reparadas ou substituídas.

    Manutenção e limpeza do respirador

    O supervisor tem a responsabilidade primordial de se certificar que os funcionários façam a manutenção de seus respiradores e os limpem adequadamente. Os supervisores devem ter certeza de que os funcionários inspecionem seus respiradores antes e depois de cada uso.

    Usando os procedimentos a seguir, os funcionários devem limpar seus respiradores no final de cada turno ou com frequência maior caso estejam muito sujos:

    • Remova todos os filtros e cartuchos.

    • Lave a máscara e o tubo de respiração em uma solução de limpeza e desinfecção. Use uma escova para remover a sujeira.

    • Lave completamente a peça facial e o tubo de respiração com água limpa e morna. Deixe secar ao ar em uma área limpa.

    • Limpe as outras partes do respirador conforme recomendado pelo fabricante.

    • Insira filtros e cartuchos novos periodicamente conforme recomendado pelo fabricante. Certifique-se de que estejam bem vedados.

    Inspeção do respirador

    Os supervisores devem se certificar de que os funcionários inspecionem seus respiradores antes e depois de cada uso. Os funcionários devem relatar problemas ou defeitos a seus supervisores. Os supervisores devem fornecer peças de reposição e ajudar a substituir válvulas, tiras para a cabeça e outras peças desgastadas, quebradas ou defeituosas.

    Respiradores de purificação do ar. As peças de reposição devem ser fabricadas pelo fabricante do respirador. Não substitua outras partes.

    Respiradores com suprimento de ar. O administrador do programa, ou alguém designado por ele, deve inspecionar os ARICAs a cada mês e manter um registro dessas inspeções. Deve também anexar uma etiqueta a cada ARICA para que a data da inspeção e as iniciais do inspetor possam ser anotadas.

    O inspetor deve:

    • Verificar a pressão do ar para ver se o cilindro está totalmente carregado.

    • Verificar o regulador e os dispositivos de alerta para ver se estão funcionando corretamente.

    • Verificar as condições da peça facial, das válvulas, das tiras para a cabeça, das alças de ombro e de todas as mangueiras de conexão. Estique as mangueiras de conexão para verificar se há defeitos e vazamentos.

    • Teste hidrostaticamente todos os cilindros de gás comprimido periodicamente. Teste os cilindros de aço a cada cinco anos. Teste os tanques de alumínio a cada três anos.

    • Teste o cilindro na data ou antes da data nele impressa. Se um cilindro não tiver sido testado dentro do tempo necessário, tire o cilindro de serviço e o despressurize até que o teste possa ser realizado. O teste deve ser realizado por uma empresa qualificada.

    Os funcionários devem relatar problemas aos supervisores. Os funcionários não devem tentar fazer reparos. Somente técnicos certificados pelo fabricante devem realizar reparos em equipamentos com suprimento de ar.

    Estoque de respiradores

    O supervisor deve se certificar de que os funcionários:

    • Guardem os respiradores purificadores de ar em local limpo, seco e seguro, onde a temperatura não exceda 49°C, como o armário do funcionário.

    • Protejam os respiradores contra luz solar, calor, frio extremo, umidade excessiva, produtos químicos prejudiciais e deformação. Grandes recipientes com tampa de plástico ou sacos plásticos são adequados para guardar unidades de meia-face.

    • Para fins de emergência, mantenham os respiradores utilizados fora de áreas em que possam ocorrer situações perigosas. Isso ajuda a garantir que eles possam ser recuperados e colocados em local seguro.