4.16 Trabalho a quente
    Notas de rodapé

    4.16 Trabalho a quente

    Estas diretrizes estabelecem requisitos que ajudarão a proteger pessoas e propriedades durante operações que envolvem chamas abertas ou produção de calor ou faíscas. Isso inclui, mas não se limita a, corte, esmerilhamento, brasagem, soldagem, descongelamento de tubulações, cobertura aplicada à tocha e outros trabalhos a quente realizados nas operações da Igreja. As diretrizes a seguir estão em conformidade com as práticas recomendadas para trabalho a quente.

    Os gerentes e supervisores devem:

    • Estabelecer áreas regulares onde o trabalho a quente deve ser realizado.

    • Estabelecer procedimentos para o trabalho a quente em áreas não designadas para esse trabalho.

    • Designar um indivíduo responsável por autorizar, por meio de permissão, as operações de trabalho a quente nas áreas não designadas para tais finalidades. Pode ser usada a Permissão para trabalho a quente da Igreja (ver capítulo 7) ou outra permissão para esse tipo de trabalho.

    • Os gerentes de propriedades devem se certificar de que os prestadores de serviços que realizarem operações de trabalho a quente em suas instalações sigam os procedimentos de trabalho a quente da Igreja.

    • Ajude a treinar soldadores e cortadores na operação segura de seus equipamentos e no processo de trabalho a quente.

    Os seguintes requisitos se aplicam a operações de trabalho a quente realizadas nas operações da Igreja:

    • Antes da operação de trabalho a quente, faça o seguinte:

    • Onde for prático, mova o objeto a ser cortado ou soldado para um local seguro contra incêndio.

    • Se o objeto não puder ser movido, remova todos os riscos de incêndio transportáveis que estejam a uma distância de até 11 metros para um local seguro contra incêndio.

    • Se isso não puder ser feito, use proteções ou mantas resistentes ao fogo para confinar calor, faíscas e resíduos de escória de modo a proteger os riscos de incêndio que não possam ser movidos.

    • Se os requisitos anteriores não puderem ser cumpridos, o trabalho a quente não deve ser executado.

    • Quando houver aberturas ou rachaduras no piso, rachaduras ou buracos nas paredes, portas abertas, janelas abertas ou quebradas ou outras aberturas, tome as precauções adequadas para evitar que materiais de fácil combustão localizados do outro lado entrem em ignição.

    • Mantenha o devido equipamento de extinção de incêndio pronto para uso imediato.

    • Proteja os funcionários e outras pessoas que estejam próximas das áreas de trabalho a quente usando telas ou proteções não combustíveis ou à prova de chamas. Os funcionários devem usar óculos de proteção adequados em todos os momentos. As outras pessoas devem usar óculos de proteção quando não houver telas disponíveis.

    • Designe uma ronda contra incêndio para operações de trabalho a quente nos locais onde possa ocorrer um incêndio. A ronda contra incêndio é executada por uma equipe responsável que tenha acesso imediato ao equipamento de supressão de incêndio. A equipe vigia e patrulha a área para prevenir incêndios, agindo quando estes venham a ocorrer. A equipe da ronda se certifica de que, caso ocorra ignição, ela possa ser extinta o mais rápido possível. Normalmente, a duração de uma ronda contra incêndio é descrita na permissão para trabalho a quente. Podem surgir incêndios nos seguintes locais:

      • Onde uma quantidade significativa de material combustível esteja a menos de 11 metros da operação.

      • Onde houver aberturas da parede ou do piso a uma distância de até 11 metros da operação. (O integrante da ronda contra incêndio deve estar posicionado de modo a poder observar o lado oposto da parede ou do piso.)

      • Onde materiais combustíveis poderiam ser inflamados por condução ou radiação através de um piso, parede, teto ou telhado.

    • A ronda contra incêndio deve:

      • Ter equipamento de extinção de incêndio prontamente disponível e ser treinada em seu uso.

      • Somente tentar extinguir incêndios até o limite da capacidade do equipamento disponível.

      • Familiarizar-se com os procedimentos e o local para fazer soar o alarme em caso de incêndio.

      • Soar o alarme em caso de incêndio.

      • Manter a ronda contra incêndio por pelo menos uma hora após as operações de trabalho a quente terem sido concluídas. Isso ajudará a detectar e extinguir possíveis incêndios de combustão lenta. Continuar a monitorar a área frequentemente por mais três horas após o término do trabalho.

    • Providenciar ventilação adequada para operações de trabalho a quente. Podem ser necessários procedimentos especiais de ventilação ou proteção respiratória para operações que envolvam:

      • Compostos de flúor

      • Cádmio

      • Zinco

      • Mercúrio

      • Chumbo

      • Berílio

      • Aço inoxidável

      • Alumínio (geração de ozônio)

      • Espaços confinados

      • Compostos de limpeza