1990–1999
Em Tudo Dai Graças
anterior seguinte

Em Tudo Dai Graças

Irmãos, irmãs e amigos, como o Apóstolo Paulo aconselhou aos santos tessalonicenses: “Em tudo dai graças…” (1 Tessalonicenses 5:18), eu hoje gostaria de expressar minha gratidão por algumas das bênçãos especiais de minha vida: Sou muito grato por ser nascido e criado em uma família cristã, onde desde os primeiros anos de minha vida tive o privilégio de conhecer e apreciar as sagradas escrituras da Bíblia.

Sou grato por ter sido ensinado nos princípios de honestidade, trabalho árduo e economia, muito mais pelo exemplo diário de meus pais e parentes do que por suas palavras de conselho.

Naqueles dias agora distantes no passado de minha adolescência, decidi seguir a carreira militar. Na academia fui ensinado por meus líderes e mestres nos princípios de disciplina, obediência e dedicação. Por aquela experiência minha alma também se enche de gratidão.

Quando ainda jovem, ao tempo em que ocorreu, considerei o infortunado acidente que me impediu de prosseguir na carreira militar como um terrível impedimento à realização dos meus mais acalentados sonhos; entretanto hoje, a este ponto de minha vida em que os cabelos castanhos foram substituídos pelos brancos que agora ameaçam abandonar-me inteiramente, chego a reconhecer aquele acidente como uma bênção disfarçada, destinada a impulsionar minha existência a outros caminhos que me conduziriam a níveis mais altos de entendimento e auto-realização. Sou também grato por isso.

Ao contemplar os anos passados e os acontecimentos que neles se desenrolaram, medindo o que o Senhor me tem dado e considerando as seguras promessas de um futuro mais feliz — um futuro tornado ainda mais feliz pela companhia de familiares e amigos que me antecederam em passar para o outro lado do véu, e pensando naqueles amados com quem ainda desfruto o convívio quotidiano — particularmente a extraordinária mulher que Deus me permitiu ter por esposa na mortalidade e através da eternidade; também os maravilhosos filhos e netos que enviou ao nosso lar para serem a alegria de nossa vida. Ao contemplar todas essas bênçãos, gratidão é o sentimento predominante em meu coração.

Por causa dessas e de muitas outras bênçãos que não consigo expressar adequadamente, quando recebi o convite para falar durante esta conferência, gratidão foi o primeiro tema que me ocorreu.

Graças dou por aqueles que preservaram a Bíblia para as gerações futuras, a começar pelos fiéis patriarcas de Israel, passando por aqueles dedicados sábios que traduziram os escritos dos profetas para o grego — a língua universal da época — e assim preservaram para nós aquela preciosa versão do Velho Testamento conhecida como a “Septuaginta”. Depois os inabaláveis indivíduos que trabalharam incansavelmente copiando as escrituras durante a Idade Média, que pacientemente as reproduziram e defenderam dos bárbaros que invadiram a Europa. Pago também tributo e louvor aos corajosos reformadores do século XVI que a traduziram para a língua do povo e a divulgaram para leitura geral e edificação de todos os filhos de Deus.

I express appreciation to those who preserved the Bible for future generations, beginning with the faithful patriarchs of Israel and then passed on by those dedicated scholars who translated the prophets’ writings into Greek—the universal language of the time—and thus preserved for us that precious version of the Old Testament known as the Septuagint. Later, there were the steadfast individuals who tirelessly worked to copy the scriptures during the Middle Ages and who patiently reproduced and defended them from the barbarians who invaded Europe. I also pay honor and praise to the courageous reformers of the sixteenth century who translated the scriptures into the language of the people and made them available for the general reading and edification of all the children of God.

Expresso apreciação a nosso Pai Celestial por Joseph Smith, o humilde e fiel profeta por meio do qual foram reveladas a esta geração as experiências espirituais e os preciosos ensinamentos doutrinários dos profetas que viveram neste hemisfério e registraram seu testemunho de Jesus Cristo nas escrituras hoje conhecidas como o Livro de Mórmon — o livro que lança tanta luz sobre as passagens obscuras da Bíblia, confirmando a palavra de Deus e completando o estupendo plano de salvação criado por nosso Pai nos Ceus para a felicidade de seus filhos.

Expresso apreciação também pelas boas famílias, descendentes dos pioneiros que povoaram estes vales ermos, criando filhos nobres, puros e dedicados, aptos para aceitarem chamados missionários, desejosos de deixarem seus lares e saírem pelo mundo ensinando as preciosas verdades do evangelho restaurado a pessoas desconhecidas e algumas vezes hostis. Graças especialmente àqueles cujos filhos foram enviados à nossa terra natal, o Brasil, por tudo que fizeram pelo povo em geral e por minha família em particular.

Sou grato ao Todo-Poderoso pelo privilégio, dado a todos nós, de nascermos nesta geração de desafios imensos e esperanças luminosas, de progresso tecnológico e magníficas realizações científicas. Sou grato também por haver nascido em uma nação livre, onde a mensagem do evangelho pode ser livremente pregada para a eterna felicidade de todos que a recebam.

Expresso gratidão pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias — perfeita em organização, incomparável em poder espiritual, e inatacável em doutrina e prática. Graças porque no Evangelho Restaurado as verdades do Universo estão incorporadas de forma tal que os que as abraçam nunca são forçados a abandonar nenhuma verdade conhecida, nenhuma esperança consoladora, nenhum princípio enobrecedor possuído anteriormente. Ao contrário, essas verdades do Evangelho Restaurado somente fazem a luz já possuída resplandecer com maior brilho — qualquer felicidade e alegria já desfrutada ser ampliada, e inspirada sabedoria ser acrescentada ao conhecimento já adquirido. Assim, por meio do Evangelho Restaurado de Jesus Cristo, o indivíduo pode ser elevado aos mais altos patamares que a mente e o coração humanos podem alcançar.

Graças especialmente pela restauração do sacerdócio, incluindo as mesmas chaves do selamento prometidas pelo próprio Jesus Cristo aos seus apóstolos, que permitem a nossos queridos serem selados hoje como famílias eternas. Mateus 16:19.)

O reconhecimento e a gratidão pelas bênçãos recebidas têm sido uma mensagem enfatizada não somente pelos apóstolos e profetas dos dias antigos, mas também no tempo presente, por estes profetas que estão conosco aqui no tabernáculo hoje.

Considerando novamente a admoestação do Apóstolo Paulo: “Em tudo dai graças…” (1 Tessalonicenses 5:18), devemos ser gratos pelas bênçãos que desejamos, tanto quanto por aquelas que nos vêm e que estão além de nossa capacidade atual de compreender. Tudo provém de Deus, que é justo, amoroso e perfeito, e resultará em proveito nosso, porque: “…todas as coisas, contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus.” (Romanos 8:28.)

Que o orgulho e as pretensões humanas nunca se insinuem em nós para imaginarmos, nos momentos de vitória e auto--realização, que seja nosso o mérito de as alcançarmos, mas que reconheçamos em tudo a mão de Deus, porque, conforme lemos nas escrituras modernas: “…em nada ofende o homem a Deus, ou contra ninguém está acesa a sua ira, a não ser contra os que não confessam a sua mão em todas as coisas, e não obedecem aos seus mandamentos.” (D&C 59:21.)

Em nome de Jesus Cristo, amém.