1990–1999
Para que Possamos Tocar os Céus
anterior seguinte

Para que Possamos Tocar os Céus

Assistir à reunião do sacerdócio quando recém-ordenado diácono, e cantar o hino de abertura: “Atende Tu Que Tens de Deus o Sacerdócio”, é uma de minhas lembranças mais vívidas. Hoje à noite, para esta audiência reunida neste Tabernáculo e nas capelas do mundo todo, tento transmitir o espírito daquele hino tão especial, e digo: “Atende tu que tens de Deus o sacerdócio; analisemos nossos chamados, ponderemos nossas responsabilidades, determinemos qual é o nosso dever, e sigamos a Jesus Cristo, nosso Senhor.”

Embora possamos diferir em idade, em costumes ou nacionalidade, pertencemos à mesma igreja e estamos unidos num só corpo, em nossos chamados no sacerdócio.

Há duas semanas, assisti a uma reunião sacramental cujo programa, realizado pelas crianças, tinha por tema “Pertenço à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Essas crianças demonstraram que estão se preparando para servir ao Senhor e ao próximo. A música era linda, as recitações habilmente preparadas, e o espírito reinante comovente. Meu neto, de onze anos, falou da Primeira Visão, ao apresentar a parte que lhe cabia no program^. Mais tarde, quando se dirigia aos pais e avós, eu lhe disse: “Tommy, acho que você está quase pronto para ser um missionário.”

Ele respondeu: “Ainda não; tenho muito o que aprender.”

A fim de ajudar meu neto e todos os jovens a se prepararem para o serviço prestado a Deus, um novo folheto intitulado “Para o Vigor da Juventude” foi publicado, sob a direção da Primeira Presidência e do Quorum dos Doze. Ele ressalta normas contidas nos escritos e ensinamentos dos líderes da Igreja e das escrituras, que, se seguidas, proporcionarão a todos nós as bênçãos do Pai Celestial e a orientação de seu Filho.

Quero apresentar-vos, como já o fiz às irmãs na reunião das mulheres na semana passada, partes da introdução deste novo guia para a jornada mortal, este novo mapa planejado para ajudar-vos a traçar um curso indesviável em direção à vida eterna. Começa assim a declaração da Primeira Presidência:

“Prezados rapazes e moças,

Queremos que saibais que nós vos amamos. Temos grande confiança em vós…

Nós, vos desejamos tudo o que há de justo e bom neste mundo… Sois espíritos escolhidos, reservados para virem à terra nestes dias, em que as tentações, responsabilidades e oportunidades são enormes. E estais passando por um período crítico da vida…

Aconselhamo-vos a ser moralmente limpos…

Não podeis fazer coisas erradas e sentir-vos bem. E impossível! Anos de felicidade podem ser perdidos na tola satisfação de um prazer momentâneo…

Podeis evitar o peso da culpa e do pecado, e todo o sofrimento resultante… se seguirdes os padrões delineados nas escrituras e enfatizados neste folheto.

Oramos para que vós — a jovem geração que surge — mantenhais o corpo e a mente limpos, livres da contaminação do mundo, para que sejais vasos aptos e puros, a fim de assumirdes, triunfantemente, as responsabilidades do reino de Deus, em preparação para a segunda vinda de nosso Salvador.” (Introdução, Para o Vigor da Juventude, Cidade do Lago Salgado: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1990.)

Comentarei convosco, rapazes, esses padrões especiais mencionados na introdução que acabei de ler! São doze itens, seguidos da conclusão. Tratarei rapidamente de cada um deles.

1. Namoro

Começai a preparar-vos para o casamento no templo. O namoro adequado é uma parte dessa preparação. Nas culturas onde é costume namorar, não namoreis antes de, pelo menos, dezesseis anos de idade. Nem todos os adolescentes precisam ou querem namorar. Quando começardes a fazê-lo, saí em grupos ou com outro casal. Não deveis deixar de apresentar a namorada a vossos pais. Como o namoro é uma preparação para o casamento, namorai somente quem viva altos padrões morais.

Tende o cuidado de ir a lugares onde o ambiente seja bom, onde não tenhais que enfrentar tentação.

Um pai sábio disse ao filho: “Se você descobrir que está onde não deveria estar, saia imediatamente!” E um bom conselho para nós todos.

2. Vestuário e Aparência

Os servos do Senhor sempre aconselharam seus filhos a se vestirem recatadamente, para mostrar respeito ao Pai Celestial e a si mesmos. A forma de vestir envia, para os outros, mensagens sobre nós mesmos, e freqüentemente influencia nossa maneira de agir e a do próximo. Vesti-vos de forma que sobressaia o que há de melhor em vós e naqueles que vos cercam. Evitai extremos no vestuário e na aparência.

3. Fazer Amizades

Todos precisam de bons amigos. O círculo de amizade será de muita influência na vossa maneira de pensar e no vosso comportamento, e vice-versa. Quando tendes valores comuns com vossos amigos, podeis fortalecer-vos e incentivar-vos mutuamente. Tratai a todos com bondade e dignidade. Muitos não-membros se converteram à Igreja por intermédio de amigos que os envolveram nas atividades da Igreja.

4. Honestidade

O provérbio freqüentemente repetido é sempre verdadeiro: “A honestidade é a melhor política.” (Miguel de Cervantes, Familiar Quotations, John Bartlett, compilado por Emily Morison Beck, ed., Boston: Little, Brown and Co., 1968, p. 197.) Todo o rapaz santo dos últimos dias deve viver o que ensina e o que acredita. E honesto para com os outros, para consigo mesmo, e para com Deus. E honesto porque tem o hábito de sê-lo e porque sabe que é o que se espera dele. Quando uma decisão difícil tem de ser tomada, ele nunca pergunta a si mesmo: “O que vão os outros pensar?” mas “o que vou pensar de mim mesmo”?

Alguns serão tentados a desonrar seus padrões pessoais de honestidade. Em uma aula de direito, na universidade que cursei, lembro de um colega em particular, que nunca se preparou para os debates em classe. Eu dizia para mim mesmo: “Como é que ele vai passar nos exames finais?”

Descobri a resposta quando ele se apresentou na sala de aula para uma prova, num dia de inverno, calçando apenas um par de sandálias. Fiquei surpreso e me pus a observá-lo quando o teste começou. Todos os seus livros tinham sido postos no chão. Ele tirou as sandálias e, com os dedos dos pés, para isso treinados e preparados com glicerina, habilidosamente virava as páginas de um dos livros que estavam no chão, podendo assim ver as respostas das perguntas feitas.

Ele obteve uma das melhores notas do curso, mas o dia do ajuste de contas chegou. Mais tarde, quando se preparava para prestar exames finais, pela primeira vez o professor dessa disciplina em particular disse: “Este ano faremos algo diferente; teremos uma prova oral em lugar de escrita.” Nosso amigo favorito, perito em colar com os pés, meteu os pés pelas mãos e nessa ocasião não conseguiu passar no exame.

5. Linguajar

Vossa maneira de falar e as palavras que usais, revelam muito a imagem que quereis transmitir. Usai uma linguagem que possa edificar aqueles que vos rodeiam. A linguagem profana, vulgar ou grosseira, bem como piadas impróprias ou indecentes, é ofensiva ao Senhor. Não façais, nunca, uso impróprio do nome de Deus ou de Jesus Cristo. O Senhor declarou: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão: porque o Senhor não terá por inocente_o que tomar o seu nome em vão.” (Exodo 20:7.)

6. Mídia: Cinema, Televisão, Rádio, Fitas de Vídeo, Livros e Revistas

O Pai Celestial nos aconselhou a procurar tudo o que for virtuoso, amável ou louvável (13.a Regra de Fé). Tudo o que lemos, ouvimos ou vemos tem influência sobre nós.

A pornografia, principalmente, é perigosa e pode criar vício. A exploração curiosa da pornografia pode tornar-se um hábito dominante que leva a um material mais obsceno e à transgressão sexual.

Não tenhais receio de deixar um filme pelo meio, de desligar o aparelho de televisão ou mudar uma emissora radiofônica, se o que estiver sendo apresentado não estiver de acordo com os padrões do Pai Celestial. Se tiverdes dúvida quanto a um filme, livro ou outro tipo de diversão, não deveis assistir a ele, lê-lo ou participar dessa diversão.

Recentemente apareceu no jornal uma observação feita pelo comediante Steve Allen, que descreve um dos grandes problemas atuais:

“Steve Allen não acha engraçada a tendência do uso, na televisão, de uma linguagem mais forte e de temas que requerem supervisão paterna. O veterano comediante reprova com veemência as tendências atuais da televisão, em declaração publicada no Los Angeles Times.

Esta ‘tendência está levando a todos nós diretamente para o esgoto’, escreveu ele. ‘A mesma linguagem que os pais proibem aos filhos, atualmente está sendo incentivada, não só por canais displicentes, que não se importam com o que é apresentado no vídeo, mas também por aqueles que antes zelavam pela defesa de altos princípios’, disse Allen. Programas que mostram crianças e outros usando linguagem vulgar, só acentuam o colapso da família americana, declarou ele.”

Talvez o sr. Allen estivesse fazendo referência a uma crítica que apareceu em recente edição da revista Newsweek, intitulada “A Season on the Brink”. “Desesperados por vencer a (competição), as Três Grandes (redes de televisão) lançam programações chocantes, irreverentes, reais… e arriscadas”, é o que lemos no cabeçalho. Em uma declaração resumida lemos: “As redes de televisão … subitamente estão fazendo corar até suas próprias ondas.” (Pp. 70-71.)

7. Saúde Mental e Física

O Apóstolo Paulo disse: “Não sabeis que vós sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? …o templo de Deus, que sois vós, é santo.” (1 Coríntios 3:16–17.) Refeições nutritivas, exercícios regulares e sono adequado são necessários para fortalecer o corpo, assim como o estudo consistente das escrituras e a oração fortalecem a mente e o espírito.

Drogas, o uso errado de remédios, álcool, café, chá e tabaco, destroem o bem-estar físico, mental e espiritual. Qualquer tipo de bebida alcoólica, inclusive a cerveja, é prejudicial ao espírito e ao corpo. O tabaco pode escravizar, enfraquecer os pulmões e encurtar a vida.

8. Música e Dança

A música pode ajudar-vos a chegar mais perto do Pai Celestial. Ela pode ser usada para educar, edificar, inspirar e unir. No entanto, pode também, dependendo do ritmo, andamento, intensidade e letra, embotar a sensibilidade espiritual. Não podeis permitir que a mente seja contaminada por música de baixo nível. Dançar pode ser divertido e proporciona a oportunidade de conhecer novas pessoas e fortalecer amizades. Deveis ir a bailes onde o vestuário, a iluminação, os tipos de dança, a música e as letras contribuam para uma atmosfera na qual o Espírito do Senhor possa estar presente.

9. Pureza Sexual

Por ser a intimidade sexual tão sagrada, o Senhor exige autocontrole e pureza antes do casamento, e fidelidade total depois. Tratai a namorada com respeito e esperai serdes tratados da mesma forma. A transgressão é inevitavelmente seguida de lágrimas. Irmãos, cuidai para não fazer as mulheres chorar, pois Deus conta as lágrimas delas.

O Presidente David O. McKay aconselhou: “Eu vos imploro que tenhais pensamentos puros.” Em seguida, ele fez esta significativa declaração sobre a verdade: “Toda ação é precedida pelo pensamento. Se desejamos controlar as ações, devemos controlar o pensamento.” Irmãos, ocupai a mente com bons pensamentos, e vossas ações serão apropriadas. Que possais fazer eco ao que Tennyson disse, através de Sir Galahad: “Minha força é a força de dez, porque o meu coração é puro.” (Familiar Quotations, p. 647.)

Dos tempos antigos temos um exemplo que ressalta esta verdade. Dario, por meio de ritos adequados, fora reconhecido como rei legítimo do Egito. Seu rival, Alexandre, fora declarado filho legítimo de Amon; era, também, Faraó. Alexandre encontrou Dario vencido, às portas da morte; pôs as mãos sobre a cabeça dele, para curá-lo, ordenando-lhe que se levantasse e assumisse o poder como rei, concluindo: “Juro-vos, Dario, por todos os deuses, que faço estas coisas com sinceridade e sem dolo”, ao que Dario replicou, com gentil repreensão: “Alexandre, meu filho… achais que podeis tocar os céus com as mãos?”

Irmãos, estamos preparados para tocar os céus quando desempenhamos os chamados no sacerdócio?

Recentemente o autor de um artigo sobre sexualidade entre adolescentes resumiu sua pesquisa dizendo que não vê redução na atividade sexual dos adolescentes para o futuro, em parte porque a sociedade lhes envia uma mensagem dupla: As propagandas e a mídia das massas transmitem “mensagens de impacto, que dizem que a atividade sexual é aceitável e esperada”, incentivos estes que muitas vezes são mais fortes que as advertências dos peritos e os conselhos dos pais. O Senhor põe fim a todas as mensagens da mídia com uma linguagem clara e precisa, ao dizer: “Purificai-vos.” (3 Néfi 20:41.)

Na tentação, lembrai o sábio conselho do Apóstolo Paulo, que declarou: “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” (1 Coríntios 10:13.)

10. O Comportamento no Domingo

O Dia do Senhor foi dado para nosso beneficio, e o Salvador mandou que o santificássemos. Existem muitas atividades apropriadas para esse dia. Não deveis esquecer, no entanto, que domingo não é feriado. E um dia santificado.

11. Ajuda Espiritual

Quando fostes confirmados membros da Igreja, recebestes o direito a ter a companhia do Espírito Santo. Ele pode ajudar-vos a fazer boas escolhas. Quando fordes desafiados ou tentados, não precisais sentir-vos sós. Lembrai que a oração é o passaporte para o poder espiritual.

12. Arrependimento

Se alguém se desviou da rota, há um caminho de volta. O processo é chamado arrependimento. Nosso Salvador morreu para proporcionar-nos esse dom abençoado. Embora seja uma volta difícil, a promessa é real: “Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve.” (Isaías 1:18.)

Não coloqueis em risco a vida eterna. Guardai os mandamentos de Deus. Se pecastes, quanto antes principiardes o caminho de volta, mais cedo encontrareis a paz e a alegria advindas do milagre do perdão.

Estes, então, são os padrões encontrados em Para o Vigor da Juventude. Quando vivemos como o Senhor deseja, e servimos a Deus e ao próximo, alegria e felicidade são a nossa recompensa.

Nosso amado Presidente Ezra Tafit Benson vos envia saudações. Ele vos ama e confia em vós. E como podeis retribuir esse amor, essa confiança?

Tendes uma herança: Honrai-a.

Defrontar-vos-eis com o pecado: Abstei-vos dele.

Tendes a verdade: Vivei-a.

Tendes um testemunho: Compartilhai-o.

O fortalecimento espiritual muitas vezes é ganho por meio do serviço abnegado. Há alguns anos, visitei a Missão Califórnia, onde entrevistei um jovem missionário da Geórgia. Perguntei-lhe: “Você escreve semanalmente para seus pais?”

Ele respondeu: “Sim, Irmão Monson.”

Adicionei: “Gosta de receber cartas de casa?”

O jovem não respondeu. Depois de alguns momentos, reformulei a pergunta: “Quando foi a última vez que recebeu uma carta de casa?”

Com a voz vacilante ele respondeu: “Nunca recebi carta de casa. Meu pai é só um diácono, e minha mãe não é membro da Igreja. Eles insistiram comigo, para que eu não saísse em missão. Disseram que se eu o fizesse, não escreveriam para mim. O que devo fazer?”

Ofereci em silêncio uma oração ao Pai Celestial: “O que devo dizer a este jovem servo teu, que tudo sacrificou para te servir?” E a inspiração veio. Eu respondi: “Elder, continue escrevendo semanalmente para seus pais. Conte-lhes o que está fazendo. Fale-lhes do amor que sente por eles, e preste testemunho.”

Ele perguntou: “Será que se eu fizer isso eles escreverão para mim”?

Respondi: “Sim, eles escreverão para você.”

Separamo-nos e continuei meu caminho. Meses mais tarde eu assistia a uma conferência de estaca no sul da Califórnia, quando um jovem se aproximou e disse: “Irmão Monson, lembra de mim? Sou o missionário que não havia recebido uma só carta dos pais durante os primeiros nove meses de missão. Sou aquele a quem o senhor prometeu: ‘Escreva semanalmente, élder, e seus pais começarão a responder às cartas.’” Em seguida ele perguntou: “O senhor se lembra da promessa que me fez, Elder Monson?”

Sim, eu lembrava, e perguntei: “Seus pais lhe escreveram?”

Ele enfiou a mão no bolso e retirou de lá um maço de cartas presas com um elástico, puxou a carta que estava em cima e disse: “E como escreveram! Escute só o que minha mãe diz nesta aqui: ‘Filho, gostamos tanto de suas cartas. Estamos orgulhosos de você, nosso missionário. Sabe o quê? Seu pai foi ordenado sacerdote. Ele está se preparando para me batizar. Estou recebendo as palestras dos missionários; daqui a um ano pretendemos ir à Califórnia, ao terminar sua missão, pois desejamos, junto com você, tornar-nog uma família etema, no templo do Senhor.’” Em seguida o jovem pôs a mão na minha e perguntou: “Irmão Monson, o Pai Celestial sempre responde as orações dos apóstolos, e cumpre as promessas que eles fazem?”

Repliquei: “O Pai Celestial ouve essas orações e responde a elas a seu próprio modo, quando a pessoa tem a fé que você demonstrou ter.”

Mãos limpas, um coração puro e boa vontade haviam tocado os céus. Uma bênção, enviada de lá, havia sido a resposta às orações fervorosas de um missionário humilde.

Irmãos, é minha oração que possamos viver de forma tal que também nós possamos tocar os céus, e sejamos abençoados de maneira semelhante. Em nome de Jesus Cristo, amém.