1990–1999
A Ressurreição
anterior seguinte

A Ressurreição

Irmãos,quero falar-vos um pouco nesta tarde sobre a ressurreição e a importância de retornarmos ao Pai Celestial, em condição de pureza. Seguramente os vivos não conhecem muita coisa sobre a ressurreição, porque nem profetas nem pessoas ressurretas explicaram o processo aos mortais. Apenas isto: que a expiação de Jesus Cristo “traz a ressurreição dos mortos”. (Alma 42:23) Na morte o espírito é separado do corpo.

A ressurreição tem a ver com a restituição do espírito ao corpo, e do corpo ao espírito. Segundo as palavras de Alma: “Sim, e todos os membros e juntas serão devolvidos aos respectivos corpos; sim, nem mesmo um fio de cabelo da cabeça será perdido, mas tudo será devolvido à sua própria e perfeita forma” (Alma 40:23.) E por que isto? Novamente, nas palavras de Alma: “A ressurreição dos mortos devolve os homens à presença de Deus; e assim são restaurados à sua presença, para serem julgados de acordo com seus feitos, segundo a lei e a justiça.” (Alma 42:23.)

Jacó nos dá uma idéia de como será a ressurreição:

“Oh! Quão grande é o plano de nosso Deus! Porque… o paraíso de Deus deverá entregar os espíritos dos justos e a sepultura deverá entregar os corpos dos justos; e o espírito e o corpo serão restaurados um no outro novamente, e todos os homens se tornarão incorruptíveis e imortais, e serão almas viventes, tendo um perfeito conhecimento, semelhante ao que temos na carne, com a diferença de que então o nosso conhecimento será perfeito.

Teremos, portanto, um conhecimento perfeito de todas as nossas faltas, nossa impureza e nudez; e os justos terão um conhecimento perfeito de sua alegria e de sua justiça, estando vestidos com pureza, sim, com a túnica da justiça.

E certamente, como o Senhor vive, pois que assim o Senhor Deus falou, … os justos permanecerão justos e os impuros continuarão impuros.” (2 Néfi 9:13–14, 16.)

Parece, pois, haver boas novas e más novas sobre a ressurreição. As boas novas são que todos serão ressuscitados. Todos voltarão a viver! E todos os que foram justos (se arrependeram), continuarão justos. As más novas são que aquele que for impuro (quer dizer, o demônio e os que preferiram associar- se a ele, continuarão sendo impuros. Outros receberão uma glória menor que a celestial, por não se terem arrependido, quando ainda estavam na came. Portanto, na ressurreição os homens serão julgados. O julgamento determinará até que ponto guardamos os mandamentos na carne. (Vide Alma 5:15.)

Então, com vistas à condição em que estaremos quando formos ressuscitados, provavelmente o mandamento mais importante nas palavras do Pai, é: “Arrependei-vos, arrependei-vos, e sede batizados em nome do meu Filho bem amado” (2 Néfi 31:11; vide versículo 31:15), e perseverai até o fim.

Em verdade, o Mestre ensinou que não deveríamos pregar senão arrependimento a esta geração. (Vide D&C 6:9; D&C 11:9; D&C 14:8; D&C 19:21.) O arrependimento parece ser a mais importante experiência que podemos ter nesta terra, a fim de nos prepararmos para a ressurreição, porque “apenas os verdadeiros penitentes serão salvos”. (Alma 42:24.)

Assim, a pergunta das perguntas é: O que faz a pessoa arrepender-se? Em meu entendimento, desde que a pessoa tenha fé suficiente em Jesus Cristo, crendo que Jesus Cristo pagou o preço de seus pecados, ela se arrependerá. Parece que muito poucos, se é que algum, se arrependerão antes de crerem nesta verdade. E importante ensinar a verdade acerca de Jesus Cristo como o filho literal de Deus, nosso Salvador e Redentor, a fim de levar almas ao arrependimento. Fé em Cristo para o arrependimento é o poder salvador do Evangelho de Jesus Cristo. (Vide Alma 34:16.)

Quando nos arrependemos, é-nos permitido fazer sagrado convênio com Deus nas águas do batismo, que é para a remissão dos pecados (vide D&C 13:1; D&C 68:27) e, ainda mais, um testemunho perante o Pai, de que seremos obedientes a ele a partir daí, guardando seus mandamentos. (Vide 2 Néfi 31:6–7).

Uma vez batizados, recebemos o Espírito Santo, um dom especial de Deus, de valor inestimável. O Espírito Santo testifica do Pai e do Filho e nos guia a toda a verdade, conforta-nos e dá-nos paz para o resto da vida. O Espírito Santo é recebido pela imposição das mãos de um élder de Á Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, quando somos recebidos na Igreja e “nascemos de novo” — filhos de Jesus Cristo. (Vide João 1:12; Éter 3:14; Alma 5:49.)

De acordo com o Pai, tudo o que se requer depois é que perseveremos até o fim (vide 2 Néfi 31:15), o que significa que:

  1. Continuaremos a nos arrepender. (Vide Moisés 5:8.)

  2. Continuaremos a perdoar outros (vide D&C 64:9–10) pelo resto da vida.

    Talvez haja mais uma coisa que precisemos fazer:

  3. Temos de ser generosos!

Não creio que haverá alguém no reino celestial que não seja generoso… (Vide D&C 31:9; D&C 52:40.)

“Ser generoso” significa muito mais que simplesmente ser bom. Por exemplo, a coisa mais generosa que os pais podem fazer por seus filhos é dar-lhes a oportunidade de nascer sob o convênio do templo, ou ser selados a eles posteriormente. Provavelmente não existe coisa de maior valor. Por que? Porque garante vida eterna aos filhos — se eles permanecerem fiéis. E isto se aplica independentemente ao que aconteça com os pais.

A coisa mais generosa que os filhos podem fazer pelos pais é ser-lhes obedientes. (Vide Colossenses 3:20.) O melhor presente que um pai pode dar aos filhos é amar a esposa e ser-lhe fiel. O melhor presente que a mãe pode dar aos filhos é amar o esposo e ser fiel a ele. Por que isto é um presente tão generoso? Basicamente, porque assegura aos filhos que nunca terão de escolher um dos dois.

O melhor presente que podeis dar a amigos ou conhecidos não-membros é levar-lhes o evangelho. Provavelmente, a maneira mais fácil de fazer isto é mandar-lhes um exemplar do Livro de Mórmon, pelos missionários. Por que o Livro de Mórmon? Por ser, segundo o Profeta Joseph Smith o “livro mais correto da terra”. (History of the Church, 4:461.) Por que o Livro de Mórmon é tão valioso? Talvez porque as verdades “claras e preciosas” que se perderam ou foram tiradas da Bíblia foram nele restauradas. (Vide 1 Néfi 13:40.) Em minha opinião, o homem pode aprender mais a respeito de Cristo lendo o Livro de Mórmon do que lendo qualquer outro livro.

A coisa mais generosa que podemos fazer por um membro menos ativo da Igreja é estender-lhe a mão com amor, brandura e bondade, e trazê-lo de volta à plena atividade na Igreja para que possa ir ao templo, o que precisa fazer para preparar-se para uma ressurreição gloriosa.

A coisa mais generosa que podemos fazer pelos pobres é, nas palavras do Rei Benjamim, dar “de (nossos) bens a (eles)… cada um de acordo com o que possui, assim alimentando o faminto, vestindo o despido, visitando o doente e aliviando seu sofrimento, tanto espiritual como corporal, conforme suas necessidades”. (Mosiah 4:26.)

Quando o Senhor nos convida a voltar para junto dele (vide Malaquias 3:7), ele quer dizer, em essência, que nos arrependamos e retornemos a seus mandamentos, pois sua finalidade é nos tornar felizes e preparar-nos para a ressurreição.

Bem! Que mandamentos devemos guardar? Após o batismo, comecemos pelos Dez Mandamentos e acrescentemos a Palavra de Sabedoria e a Lei do Dízimo.

Por que é tão importante a Palavra de Sabedoria? Se não vivermos a Palavra de Sabedoria, correremos o risco de nos matar. E isto é contrário ao sexto mandamento. Eis uma declaração tirada de um maço de cigarros, de uma das mais populares marcas nos Estados Unidos: “Advertência do Diretor Nacional de Saúde: Fumar provoca câncer pulmonar, males cardíacos, enfisema e pode complicar a gravidez.” Parece que pode nos matar, não é?

E quanto ao dízimo, qual sua importância? Não pagando o dízimo, estais roubando o Senhor (vide Malaquias 3:8), e isto é contrário ao oitavo mandamento, e ninguém jamais prosperou fazendo isto. Por outro lado, quando pagamos o dízimo e ofertas, o Senhor nos devolve tudo em “boa medida, recalcada, sacudida e transbordando”. (Lucas 6:38.) O que achais dessa promessa?

Os Dez Mandamentos são leis eternas que não mudaram desde o Sinai. São leis infinitas, eternas que nunca mudarão.

Guardar os Dez Mandamentos, pagar o dízimo e obedecer à Palavra de Sabedoria, depois do batismo, é o padrão ou guia para contínuo arrependimento ou, nas palavras de Néfi, para “(banquetear-se) com as palavras de Cristo”. (2 Néfi 32:3.) Portanto, se não estiverdes pagando o dízimo, arrependei-vos e começai a pagá-lo. Se não estiverdes vivendo a Palavra de Sabedoria, arrependei-vos e começai a vivê-la. Se não sois moralmente puros, arrependei-vos e tornai-vos puros.

Arrependimento significa confessar e abandonar os pecados (vide D&C 58:43), e participar do sacramento, no qual renovamos o convênio batismal. Então estaremos limpos, porque temos um Salvador que expiou nossos pecados, mas só sob condição de arrependimento. (Vide D&C 18:12.)

Se não estiverdes santificando o dia do Senhor, arrependei-vos e começai a fazê-lo. Se não falais a verdade, arrependei-vos e começai a fazê-lo. Se não honrais vossos pais, arrependei-vos e começai a honrá-los. Se cultuais falsos deuses — tal como futebol, golfe, tênis ou dinheiro, tecnologia, automóveis, casas, ouro ou prata — e podemos dizer o que o homem adora, pelo que ele faz no domingo — arrependei-vos e começai a adorar o verdadeiro Deus vivente, o criador dos céus e da terra e de todas as coisas que neles há.

Irmãos, é fácil viver o evangelho. Tudo o que temos a fazer é nos apegarmos sempre a ele.

Estamos nesta terra para aprender a ser eternamente felizes, preparando-nos para uma ressurreição gloriosa, porque o homem existe para que tenha alegria (vide 2 Néfi 2:25), e recebemos nossas bênçãos daquele a quem decidimos obedecer. (Vide Alma 3:27; D&C 29:45.)

Não é inteligente seguir o Senhor? Na verdade, não há outro caminho, pois o Senhor Deus o disse e ele nunca se desvia daquilo que falou. (Vide Mosiah 2:22.)

Irmãos, sou testemunha perante Deus de que ele vive, ouve nossas preces e responde a elas. Testifico que ele enviou Jesus Cristo para expiar o pecado, e romper as cadeias da morte. Sei que é unicamente por meio dele que vivemos, nos movemos e temos o nosso ser; que ele é o único nome dado debaixo dos céus, pelo qual os homens podem ser salvos ou purificados. (Vide 2 Ne. 31:21; Mosiah 3:17; Atos 4:12.) Sei que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a única igreja verdadeira, da qual o Senhor se agrada, falando coletiva e não individualmente. Estas coisas não apenas creio, eu as sei. Presto testemunho de que Ezra _Taft Benson é um profeta de Deus.

Se fiz ou disse algo que ofendeu alguém ao alcance de minha voz hoje, sinceramente peço perdão, pois a verdade central do evangelho é que “apenas os verdadeiros penitentes serão salvos” (Alma 42:24), do que presto testemunho, expressando-vos meu amor, em nome de Jesus Cristo, amém.