Judá
    Notas de rodapé
    Theme

    Judá

    No Velho Testamento, quarto filho de Jacó e Lia (Gên. 29:35; 37:26–27; 43:3, 8; 44:16; 49:8). Jacó deu uma bênção a Judá na qual lhe disse que seria um líder natural entre seus irmãos e que Siló (Jesus Cristo) seria seu descendente (Gên. 49:10).

    Tribo de Judá

    Após o estabelecimento em Canaã, a tribo de Judá assumiu a liderança. Sua maior rival era a tribo de Efraim. Moisés abençoou a tribo de Judá (Deut. 33:7). Após o reinado de Salomão, essa tribo tornou-se o reino de Judá.

    Reino de Judá

    No reinado de Roboão os domínios de Salomão foram divididos em dois reinos separados, principalmente em virtude da inveja entre as tribos de Efraim e Judá. O reino do sul, ou de Judá, incluía a tribo de Judá e a maior parte da tribo de Benjamim. Jerusalém era sua capital. Em muitos aspectos permaneceu mais fiel à adoração a Jeová que o reino do norte. Judá era menos exposto a ataques vindos do norte e do leste, e o poder supremo permaneceu nas mãos da família de Davi até o cativeiro babilônico. O reino de Judá conseguiu manter-se por 135 anos após a queda do reino de Israel, o maior e mais poderoso dos dois.

    Vara de Judá

    Referência que se faz à Bíblia como um registro da casa de Judá (Eze. 37:15–19). Nos últimos dias, quando os vários ramos da casa de Israel forem reunidos, os seus registros sagrados também serão reunidos. Esses registros escriturísticos complementam um ao outro e formam um testemunho unificado de que Jesus é o Cristo, o Deus de Israel e o Deus de toda a Terra (TJS, Gên. 50:24–36 [Apêndice da Bíblia]; 2 Né. 3; 29).