Expiação, Expiar
    Notas de rodapé

    Expiação, Expiar

    Reconciliação do homem com Deus.

    No contexto das escrituras, expiar significa sofrer a penalidade por um ato pecaminoso, removendo assim do pecador arrependido os efeitos do pecado e permitindo-lhe reconciliar-se com Deus. Jesus Cristo foi o único ser capaz de realizar uma expiação perfeita por toda a humanidade. Ele pôde fazer isto por ter sido escolhido e preordenado no Grande Conselho, antes que o mundo fosse formado (Ét. 3:14; Mois. 4:1–2; Abr. 3:27), por Sua filiação divina e por Sua vida sem pecado. Sua expiação incluiu o Seu sofrimento pelos pecados da humanidade, o derramamento de Seu sangue, Sua morte e a subsequente ressurreição da tumba (Isa. 53:3–12; Lc. 22:44; Mos. 3:5–11; Al. 7:10–13; D&C 19:16–19). Por causa da Expiação, todas as pessoas se levantarão dos mortos com um corpo imortal (1 Cor. 15:22). A Expiação também proporciona o meio pelo qual podemos ser perdoados de nossos pecados e viver para sempre com Deus. Todavia, a pessoa que alcançou a idade da responsabilidade e recebeu a lei só pode receber tais bênçãos se tiver fé em Jesus Cristo, se arrepender de seus pecados, receber as ordenanças de salvação e guardar os mandamentos de Deus. Aqueles que não alcançam a idade da responsabilidade e os que não têm a lei são redimidos por intermédio da expiação (Mos. 15:24–25; Morô. 8:22). As escrituras ensinam claramente que se Cristo não tivesse expiado nossos pecados, nenhuma lei, ordenança ou sacrifício satisfaria as exigências da justiça e o homem jamais poderia voltar à presença de Deus (2 Né. 2; 9).