2018
“Pule no rio!”
anterior seguinte

“Pule no rio!”

Elvin Jerome Laceda

Pampanga, Filipinas

Jump in the River

Ilustração: Gary Alfonso

Certo dia, minha avó me pediu que eu levasse para minha tia um pouco de comida que ela havia feito. Era uma tarde quente de sábado, e havia muitas outras coisas que eu queria fazer em vez de cumprir uma tarefa para minha avó. Eu disse a ela que um de meus primos poderia ir em meu lugar, mas ela insistiu que tinha de ser eu.

Uma hora se passou, e comecei a sentir que eu devia fazer o que minha avó pedira. Peguei a comida e me pus a caminho da casa da minha tia. Era longe e, quando cheguei, não pretendia ficar lá muito tempo.

Encontrei minha tia e seu bebê de cinco meses em uma rede presa a dois pés de manga. As árvores ficavam à beira de um rio que passava atrás da casa. Fui andando até onde os dois estavam para entregar a comida. De repente, as cordas da rede se romperam. Minha tia e o bebê rolaram para dentro do rio. Fiquei apavorado! Eu não sabia nadar, e não havia ninguém por perto para ajudar. Eu não sabia o que fazer.

Imediatamente, ouvi a voz do Espírito me dizer: “Pule no rio!”

Sem pensar duas vezes, saltei. Felizmente, encontrei o bebê em questão de segundos, e minha tia conseguiu sair das águas. Quando saí do rio com o bebê, nem podia acreditar no que acabara de acontecer. Tinha pulado no rio sem saber nadar, mas, por ter ouvido o Espírito, meu priminho e eu fomos salvos de nos afogar.

Dei-me conta de como é importante reconhecer e ouvir a orientação e a inspiração que Deus nos dá por meio do Espírito Santo. Sinto-me grato por ter finalmente feito o que minha avó pedira e levado a comida para a casa da minha tia. Sei que devemos nos esforçar para estar sensíveis à inspiração espiritual de modo a podermos ser as mãos de Deus para ajudar Seus filhos.