2021
Orar por uma maneira de encontrar os registros de meus familiares
anterior próximo

Apenas em formato digital

Orar por uma maneira de encontrar os registros de meus familiares

A autora mora na Virgínia, EUA.

Minha amiga Shirley, que é um anjo, me ajudou a encontrar os livros de história da família de meus antepassados.

Fotografia gentilmente cedida pela autora

Há muitos anos, senti que precisava conversar com meu avô sobre nossa história da família. Quando visitei o vovô, ele estava fraco e debilitado. Minha tia me pediu que não o incomodasse, por isso não perguntei a ele sobre nossa história da família. Alguns meses depois, eu me casei e me mudei de Taiwan para os Estados Unidos. Arrependi-me por não ter tido outra oportunidade de falar com o vovô antes de ele falecer. Perguntei a outros membros da família sobre nossa genealogia, mas ninguém pôde me ajudar. Fiquei triste e decepcionada comigo mesma por esperar tanto tempo para aprender sobre o vovô e por ignorar os sussurros do Espírito para conversar com ele sobre sua história.

Certo dia, ao ler minha bênção patriarcal, fiquei impressionada com um trecho que descrevia como eu poderia ajudar a realizar uma obra maravilhosa por meus antepassados falecidos e por outras pessoas que estavam vivas. Pensei comigo: “Como é possível que isso aconteça se não sei por onde começar?” Depois li em Doutrina e Convênios 82:8, 10:

“Dou-vos um novo mandamento para que compreendais a minha vontade concernente a vós; (…)

Eu, o Senhor, estou obrigado quando fazeis o que eu digo; mas quando não o fazeis, não tendes promessa alguma”.

Senti o Senhor me incentivando e orei por um caminho a seguir para encontrar registros da história da minha família.

Alguns meses depois, enquanto estava em Xangai, China, conheci Shirley Wu, que estava visitando e era de Taiwan. Logo nos tornamos amigas. Quando ela soube que eu estava procurando a genealogia da minha família, ela me incentivou a não desistir. Ela sugeriu que, como ponto de partida, eu deveria ir ao departamento de registros familiares local, em Taiwan, para solicitar endereços antigos. “Talvez aconteça alguma coisa”, ela disse.

Fui de avião para Taiwan, esperando encontrar o registro da casa de meu bisavô, mas infelizmente, ela não existia mais. Também não sabia a sua data de nascimento nem o nome do meu primeiro antepassado que veio para Taiwan. Apesar desse contratempo, Shirley disse para eu não me preocupar. “Apenas tenha fé”, disse ela. “Deus vai nos ajudar, e seus antepassados do outro lado do véu também vão ajudar.” Alguns dias depois, voltei à Xangai, esperando e orando por um milagre.

Em uma tarde de domingo, Shirley me enviou uma foto de alguns registros genealógicos. Ela me perguntou se algum nome parecia familiar.

Fiquei surpresa. O nome dos meus antepassados estava na página! Quando perguntei como ela os encontrou, ela me contou a seguinte história milagrosa:

Estive pensando em sua genealogia por várias semanas e senti que deveria ir ao endereço da casa de seu bisavô para verificar o local.

Depois de duas horas no trem de alta velocidade, fui de ônibus para a cidade de Chi Kan, um lugar em que nunca havia estado antes. Eu cochilei, e na última parada o motorista me acordou. Levantei-me, olhei ao redor e vi que estava em uma vila de pescadores. Perguntei a direção para um jovem, dono de uma loja do outro lado da rua. Ele chamou um táxi para mim e instruiu o motorista a ir para um lugar onde morava um homem idoso. Quando cheguei e perguntei ao homem onde eu poderia encontrar o registro genealógico da cidade, ele me disse para caminhar alguns quarteirões até um templo perto da praia.

No templo, vi um grupo de homens tomando chá e conversando. Eles disseram que estavam começando uma reunião anual da genealogia da família Liu Shi a fim de se prepararem para uma grande conferência em outubro. Expliquei que estava ali para encontrar nomes de familiares para minha amiga.

“Geralmente, não há ninguém no templo”, eles comentaram. “A porta fica trancada, exceto por duas a três horas, quando fazemos a reunião anual. Você tem muita sorte de nos encontrar aqui.”

Quando disse aos homens que estava procurando o nome Liu Bei, eles me disseram que estavam coletando a genealogia da família Liu havia anos e não se lembravam desse nome. Um dos homens gentilmente ofereceu seus registros genealógicos para que eu desse uma olhada. Eles continuaram a reunião enquanto eu examinava os registros. Depois de 10 a 15 minutos, dei um grito: “Achei!”

Surpresos, eles pararam de falar e pegaram o livro. Mostrei a eles o nome e eles me disseram que o nome vinha da linhagem familiar do Sr. Liu Qiu Shan, que estava participando da reunião naquele dia. Comprei um exemplar do livro de genealogia, que continha registros de 26 gerações e 2.460 anos de nomes de antepassados em linhagens familiares estendidas.

O Sr. Liu Qiu Shan depois me deu uma carona até a estação de trem. Ele me disse que, se eu tivesse vindo uma hora antes ou no dia seguinte, não teria encontrado nada nem ninguém lá. Ele comentou: “Esse lugar está sempre trancado. Deve ser uma bênção dos antepassados. É um milagre de verdade”.

Shirley é o meu anjo. Ela é repleta do amor de Cristo e sempre está ansiosa para ajudar a realizar a obra de Deus. Ela é um grande exemplo de como ministrar às pessoas. Sua disposição de servir trouxe grandes bênçãos e um milagre a centenas de almas. Testifico que há anjos entre nós, mas precisamos ter o desejo de cumprir a missão do Senhor a fim de receber a ajuda deles. O presidente Gordon B. Hinckley (1910–2008) disse: “Acreditem em si mesmos. Acreditem em sua capacidade de realizar coisas grandes e boas. Acreditem que nenhuma montanha é tão alta que não possa ser escalada. Acreditem que nenhuma tempestade é tão grande que não possa ser suportada”.1 Quando buscarmos a orientação do Senhor, veremos Sua mão e os anjos em nossa vida, e seremos capazes de realizar o que Ele nos pediu que façamos.