2021
Como me tornei alguém que ama o templo
anterior próximo

Como me tornei alguém que ama o templo

Eu me comprometera a frequentar o templo toda sexta-feira, mas, certa manhã, vários centímetros de neve puseram à prova minha resolução.

Fotografia: Getty Images

Eu estudava na Universidade Brigham Young em 1994, quando o presidente Howard W. Hunter (1907–1995) aconselhou os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias a se tornarem “um povo que frequenta e ama o templo”. Ele disse: “Procuremos diligentemente ir à casa do Senhor tão amiúde quanto nosso tempo, nossos meios e nossas condições pessoais nos permitirem”.1

Naquela época, eu morava em um apartamento que ficava a 15 minutos a pé do Templo de Provo Utah. Eu não tinha carro, mas sabia que não havia desculpas para não frequentar o templo regularmente. Decidi tornar isso uma prioridade.

Organizei meu horário de aulas de modo a ficar com a sexta-feira livre. Então, comprometi-me a torná-la meu “dia do templo”. Todas as sextas-feiras naquele semestre, debaixo de sol ou de chuva, caminhei até o templo às 7 horas e 30 minutos para fazer batismos vicários. Se eu precisasse terminar um trabalho ou projeto grande, primeiramente ia ao templo e depois dedicava o restante do dia para as atividades da faculdade.

Em uma manhã de inverno, quando me levantei, vi vários centímetros de neve no chão. Como alguém da Califórnia central, eu não estava acostumada com a neve e estava apavorada com a ideia de caminhar até o templo. Mas, em vez de racionalizar e ficar em casa, vesti botas quentes, levei na bolsa meus sapatos sociais e iniciei o trajeto para o templo.

Quando cheguei, fui cumprimentada por uma oficiante do templo que me conhecia e que ficou contente em ver que eu tinha conseguido realizar minha caminhada apesar do clima adverso. Uma vez dentro do templo, senti um misto de triunfo e gratidão. Percebi que, assim como o profeta havia pedido, eu havia me tornado uma pessoa “que frequenta e ama o templo”.

Nos anos seguintes, meu tempo, meus meios e minhas condições pessoais, bem como a distância de um templo, mudaram várias vezes. Entretanto, com cada mudança, organizei meu horário de modo a manter a frequência ao templo como prioridade em minha vida.

Ao fazer isso, recebi as bênçãos do templo tal qual prometera o presidente Hunter.