2020
Eles tinham esperança na vinda de Cristo — E nós também podemos ter
anterior próximo

Eles tinham esperança na vinda de Cristo — E nós também podemos ter

Os profetas do Livro de Mórmon tinham esperança de que Cristo viria. Ao ler suas palavras, podemos ter a mesma esperança em relação a Seu retorno.

The Visit

the view, Ilustrações: Jorge Cocco Santangelo

Que palavras lhe vêm à mente quando pensa no Livro de Mórmon?

Nefitas, lamanitas e outros -itas?

Guerra, deserto, “ais”?

Arrependimento, redenção, retidão?

Jesus Cristo?

Esperança?

A Páscoa é a época perfeita para ponderar novamente a mensagem do Livro de Mórmon. Acima de tudo, a mensagem de que Jesus é o Cristo, nosso Salvador e Redentor. Graças a Ele, um dia seremos libertos das dores do corpo e da alma. Da morte e do pecado. Podemos sobrepujar tudo o que há de ruim no mundo.

Simplificando, podemos ter esperança.

Esperança — a verdadeira esperança, centralizada em Cristo — inspirou os profetas antigos a guardar registros nas placas de ouro que dariam origem ao Livro de Mórmon. Jacó relembra: “Porque para este fim escrevemos estas coisas: para que tenham conhecimento de que sabíamos de Cristo e tínhamos esperança em sua glória muitos séculos antes de sua vinda” (Jacó 4:4; grifo do autor).

Jacó queria que soubéssemos que ele — e os demais profetas mantenedores de registros — sabia da vinda de Cristo. Muitos séculos antes que Ele viesse! E eles foram inspirados a ter aquela esperança por causa das palavras dos profetas que eles liam. Jacó explica: “E não somente nós tínhamos esperança em sua glória, mas também todos os santos profetas que viveram antes de nós.

Eis que eles acreditavam em Cristo e adoravam o Pai em seu nome; e também nós adoramos o Pai em seu nome. (…)

Portanto, estudamos os profetas e temos muitas revelações e o espírito de profecia; e com todos estes testemunhos obtemos uma esperança e nossa fé torna-se inabalável” (Jacó 4:4–6; ver também 1 Néfi 19:21; Jacó 7:11; Mosias 3:13; Helamã 8:16).

A esperança que eles alcançaram, a partir de suas próprias experiências e das profecias que liam nas escrituras, preparou-os para o dia em que Cristo viria. Da mesma forma, os profetas de hoje nos incentivam a estarmos preparados para o dia em que Cristo retornar. Se precisamos ter a mesma esperança, precisamos também “[estudar] os profetas e [procurar ter] muitas revelações e o espírito de profecia”. O testemunho que eles tinham de Jesus Cristo não apenas nos fortalecerá, mas também nos preparará para a Sua vinda.

Leí

“Portanto, quão importante é tornar estas coisas conhecidas dos habitantes da Terra, para que saibam que nenhuma carne pode habitar na presença de Deus a menos que seja por meio dos méritos e misericórdia e graça do Santo Messias, que dá a sua vida, segundo a carne, e toma-a novamente pelo poder do Espírito, para poder efetuar a ressurreição dos mortos, sendo ele o primeiro a ressuscitar.”

Néfi

“E falamos de Cristo, regozijamo-nos em Cristo, pregamos a Cristo, profetizamos de Cristo e escrevemos de acordo com nossas profecias, para que nossos filhos saibam em que fonte procurar a remissão de seus pecados.”

Rei Benjamim

“E ele chamar-se-á Jesus Cristo, o Filho de Deus (…).

E eis que vem aos seus para que a salvação seja concedida aos filhos dos homens pela fé em seu nome; (…) 

E no terceiro dia ressuscitará dentre os mortos; (…)

Pois eis também que seu sangue expia os pecados dos que caíram pela transgressão de Adão, que morreram sem conhecer a vontade de Deus acerca de si mesmos ou que pecaram por ignorância.”

Alma

“E ele seguirá, sofrendo dores e aflições e tentações de toda espécie; e isto para que se cumpra a palavra que diz que ele tomará sobre si as dores e as enfermidades de seu povo.

E tomará sobre si a morte, para soltar as ligaduras da morte que prendem o seu povo; e tomará sobre si as suas enfermidades, para que se lhe encham de misericórdia as entranhas, segundo a carne, para que saiba, segundo a carne, como socorrer seu povo, de acordo com suas enfermidades.”

Amuleque

“E aquele grande e último sacrifício será o Filho de Deus, sim, infinito e eterno.

E assim ele trará salvação a todos os que acreditarem em seu nome, sendo a finalidade deste último sacrifício manifestar as entranhas da misericórdia, a qual sobrepuja a justiça e proporciona aos homens meios para que tenham fé para o arrependimento.

E assim a misericórdia pode satisfazer as exigências da justiça e envolve-os nos braços da segurança, enquanto aquele que não exerce fé para o arrependimento está exposto a toda a lei das exigências da justiça; portanto, apenas para o que possui fé para o arrependimento tem efeito o grande e eterno plano de redenção.”

Gethsemane Jesus is My Light

Gethsemane, by Jorge Cocco Santangelo

Samuel, o Lamanita

“Pois eis que ele certamente deverá morrer para que venha a salvação; sim, cabe-lhe morrer e isso é necessário para levar a efeito a ressurreição dos mortos, para que assim os homens possam ser conduzidos à presença do Senhor.

Sim, eis que essa morte leva a efeito a ressurreição e redime toda a humanidade da primeira morte — dessa morte espiritual; porque toda a humanidade, tendo sido afastada da presença do Senhor pela queda de Adão, é considerada como morta, tanto em relação às coisas materiais como às coisas espirituais.

Mas eis que a ressurreição de Cristo redime a humanidade, sim, toda a humanidade; e leva-a de volta à presença do Senhor.”

Blessing The Children

Blessing the Children, by Jorge Cocco Santangelo

Mórmon

“Sabei que deveis ter conhecimento de vossos pais e arrepender-vos de todos os vossos pecados e iniquidades e crer em Jesus Cristo, que ele é o Filho de Deus e que foi morto pelos judeus; e que pelo poder do Pai se levantou novamente, pelo que conquistou a vitória sobre a sepultura; e também nele é consumido o aguilhão da morte.

E ele efetua a ressurreição dos mortos, por meio da qual o homem será levantado para comparecer perante o seu tribunal.

E efetuou a redenção do mundo, por meio da qual aquele que for declarado inocente em sua presença, no dia do juízo, terá permissão para habitar na presença de Deus em seu reino, para cantar louvores continuamente, com os coros celestiais, ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, que são um Deus, num estado de felicidade que não tem fim.”