2020
Uma igreja para Zulma
anterior seguinte

Uma igreja para Zulma

Talvez Deus quisesse que Zulma conhecesse algo mais.

“Buscai e encontrareis” (3 Néfi 14:7).

Liahona Magazine, 2020/04 Apr

Zulma se sentou em um dos bancos da igreja e ajeitou a saia de seu uniforme escolar. Uma luz colorida brilhava através dos vitrais e uma cruz se erguia bem em frente da capela. Zulma frequentava uma escola religiosa, assim participava de ofícios de adoração duas vezes ao dia com os demais alunos. Zulma gostava de sua igreja. Amava Jesus e adorava aprender a respeito Dele.

Ela permaneceu em silêncio enquanto o sacerdote falava. Mas hoje havia algo diferente. De repente um pensamento lhe veio à mente e ao coração: Há mais verdade lá fora.

Zulma franziu as sobrancelhas. Mais verdade? O que isso significava?

O pensamento veio novamente. Há mais verdade.

Zulma fechou os olhos e se concentrou no que estava sentindo. Ela havia aprendido muitas coisas boas na igreja. Agora imaginava se faltava algo. Talvez Deus quisesse que ela conhecesse algo mais. Mas como ela podia descobrir isso?

Mais tarde, ela conversou com o irmão mais velho, Alberto, sobre seus pensamentos.

“Você acha que existe mais verdade em outro lugar?”, Alberto perguntou.

Zulma confirmou com a cabeça. “Quero saber mais sobre outras igrejas”, ela disse.

“Tudo bem”, respondeu Alberto. “Vou com você!”

Por vários anos, Zulma e Alberto visitaram igrejas diferentes. Depois das visitas, Alberto dizia: “Essa igreja ensina coisas boas”.

Zulma concordava, mas eles ainda sentiam que faltava alguma coisa, então continuaram procurando.

Certo dia, Alberto subiu correndo as escadas da casa. “Encontrei a igreja que estamos procurando!”, exclamou Alberto. Ele deu um grande abraço em Zulma.

Ela arregalou os olhos. “Onde? Como?”

“Meu amigo conheceu alguns missionários de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, foi a resposta. “Ouvi a mensagem deles e acredito no que ensinam!”

Zulma e Alberto estavam tão felizes que dançaram pela casa. Mas então Zulma recebeu más notícias. A mãe disse que não queria que ela conhecesse os missionários. “Você só tem 12 anos”, argumentou a mãe. “É jovem demais.”

Como Alberto era mais velho, foi-lhe permitido continuar a se reunir com os missionários. Algumas semanas depois, ele foi batizado.

Zulma continuou a pedir à mãe insistentemente para aprender com os missionários. Finalmente a mãe concordou.

Quando os missionários a ensinaram, Zulma sentiu um calor no coração. Um dos missionários tinha dificuldade para falar espanhol, mas isso não tinha importância. O que importava era o que Zulma sentia. Quando aprendeu sobre Joseph Smith e o Livro de Mórmon, ela soube que tinha encontrado a verdade que estava procurando.

Zulma queria ser batizada. Mas o que a mãe diria? Zulma ficou tão feliz quando a mãe concordou! No dia do batismo, Zulma se vestiu toda de branco. Ela sabia que Deus a amava. Sabia que Ele a conhecia. E sabia que Ele a ajudara a encontrar Sua Igreja restaurada! ●

Aqui está Zulma quando era pequena. À direita está uma fotografia dela hoje, com o marido, o élder Walter F. González, dos setenta.

Ilustrações: Scott Wakefield