2012
    Falam Russo?
    Notas de rodapé
    Theme

    Falam Russo?

    Anna Nikiticheva, Escócia

    Apesar de estarmos muito ocupados, meu marido, Daniil, e eu decidimos visitar o Templo de Preston Inglaterra mais uma vez antes do fim de 2009. Da cidadezinha escocesa onde residimos, precisamos tomar dois ônibus e passar quase seis horas na estrada para chegar ao templo.

    Na manhã prevista para a viagem, o dia amanheceu nublado e chuvoso, mas estávamos felizes por ir ao templo. Enquanto esperávamos mais uma hora para pegar o segundo ônibus na baldeação, começou uma chuva torrencial e a temperatura baixou.

    No entanto, a esperança de logo estar no templo aqueceu-nos o coração. Quando chegamos a Preston, sentimo-nos fortemente inspirados a seguir sem tardar para o templo. Estávamos com fome e encharcados, mas demos ouvidos ao Espírito Santo.

    Quando entramos no templo, um simpático oficiante pediu-nos a recomendação. Tirou os óculos e olhou novamente o nome em nossa recomendação.

    “São da Rússia?” perguntou ele, admirado.

    “Somos”, respondemos, um pouco surpresos com a reação.

    “Então falam russo?” indagou.

    “Claro”, dissemos.

    Em seguida pegou o telefone e ligou para alguém.

    Logo o presidente do templo se aproximou de nós. Apesar de seus óculos, vimos que tinha lágrimas nos olhos. “Vocês são anjos de Deus!” disse ele com um sorriso e pediu que o seguíssemos. Assim o fizemos e logo vimos um jovem missionário confuso cercado de oficiantes do templo.

    Descobrimos que o missionário era da Armênia e falava russo. Ele fora chamado para servir na Missão Inglaterra Londres, mas ainda não tinha aprendido inglês. Não havia uma única pessoa no centro de treinamento missionário ao lado do templo que falasse russo. Naquele dia, ele deveria receber a investidura, mas os oficiantes do templo não conseguiam comunicar-se com ele — isto é, até a entrada de um casal russo completamente encharcado.

    Daniil imediatamente pediu para acompanhar o jovem missionário. O missionário ficou felicíssimo e mais tarde disse ter sentido um Espírito especial quando chegamos.

    Sou grata ao fato de ter decidido com meu marido, apesar de nossa agenda lotada e do tempo chuvoso, ir ao templo naquele dia para podermos ajudar um filho de Deus de língua russa na Inglaterra. Sinto-me grata pelas bênçãos do templo, que iluminam nossa vida com luz e propósito especiais. Sei que se dermos ouvidos aos sussurros do Espírito Santo, Ele nos levará de volta a nosso lar celestial — assim como conduziu a mim e a meu marido à casa do Senhor naquele dia.