2012
    Fundo Ajuda os Membros no Mundo Todo a Receber Bênçãos do Templo
    Notas de rodapé
    Theme

    Fundo Ajuda os Membros no Mundo Todo a Receber Bênçãos do Templo

    Desde a época em que entrou no Templo de Manila Filipinas, em julho de 2001, pouco antes de iniciar sua missão em Cingapura, Riaz Gill, do Paquistão, sentia o desejo de voltar ao templo para ter uma família eterna.

    Em 2007, sua esposa, Farah, foi batizada, mas seus recursos eram poucos e não sabiam quando poderiam fazer uma viagem ao templo, a mais de 5.700 quilômetros de distância. Quando nasceu o filho, Ammon Phinehas, em 2009, aumentou o desejo de serem selados no templo e, no final de 2010, com a ajuda do Fundo Geral de Auxílio aos Frequentadores do Templo, suas preces foram atendidas.

    “O fato de irmos juntos em família ao templo ajudou a fortalecer meu testemunho”, disse o irmão Gill. “Depois dessa visita ao templo, parece que tenho mais a oferecer ao Senhor. (…) A visita foi muito boa e aumentou tanto nossa fé, que não consigo expressar-me.”

    Enquanto estava no templo, o irmão Gill aproveitou para realizar ordenanças em favor de seu pai, do avô e do sogro, já falecidos. Também providenciou as ordenanças para sua mãe, e foi selado aos pais.

    “Visitar o templo foi um enorme privilégio para mim e para minha família”, disse ele. “Quero agradecer especialmente com muitas orações aos líderes que tornaram possível essa viagem ao templo.”

    Desde 1992, o fundo, composto exclusivamente pelas contribuições dos membros, tem sido o meio de os membros que moram fora dos Estados Unidos e do Canadá fazerem uma visita ao templo; sem essa ajuda, não teriam possibilidade de ir. Os membros que desejarem contribuir para esse fundo devem escrever “Fundo de Frequentadores do Templo”, no campo “Outros” da papeleta normal de doações. Os doadores também podem fazer sua contribuição por meio do site www.LDSPhilanthropies.org.

    Durante a conferência geral de outubro de 2011, o Presidente Thomas S. Monson incentivou os membros a contribuírem para o Fundo Geral de Auxílio aos Frequentadores do Templo, dizendo: “Ainda há regiões do mundo em que os templos estão tão distantes dos membros, que eles não podem arcar com as despesas da viagem. Eles não podem partilhar das bênçãos sagradas e eternas que os templos oferecem” (“Ao Reunir-nos Novamente”, A Liahona, novembro de 2011, p. 4).

    “O objetivo desse fundo era ajudar as pessoas nos lugares do mundo onde seria muito mais difícil frequentar o templo”, disse o Élder William R. Walker, Diretor Executivo do Departamento de Templos. “Esse auxílio para somente uma viagem possibilita que a pessoa receba suas próprias ordenanças.”

    O maior número de solicitações, disse o Élder Walker, vem da África, do Pacífico e da Ásia. Os presidentes de estaca e os presidentes de missão fazem as recomendações a sua Presidência de Área, que administra o fundo de acordo com cada país.

    Durante os anos 2009 e 2010, cerca de 4.000 membros usaram o fundo para ir ao templo pela primeira — e, possivelmente, única — vez.

    O Élder Walker disse que, a fim de abençoar o maior número de vidas possível, “procuram um templo onde [eles] possam conseguir as tarifas aéreas mais econômicas. Isso significa que nem sempre o cálculo terá por base a proximidade do templo ou se ele está, ou não, em sua área”.

    Espera-se que cada membro que usar o fundo faça algum tipo de sacrifício ou contribuição.

    “Em alguns lugares, só o processo de conseguir o passaporte já é muito caro e difícil”, afirma. “Portanto, em algumas áreas, onde os membros precisam sair do país para ir ao templo, eles têm de custear o próprio passaporte para poder usar o fundo. Em alguns países, trata-se apenas de uma quantia em dinheiro. Para alguns, pode não parecer muito, mas para eles, pode ser tudo o que conseguiriam economizar em seis meses.”

    O Élder Walker disse que as pessoas que contribuem para uma meta, em geral descobrem que a apreciam mais. “Em quase todas as vezes, as pessoas se esforçaram ao máximo para contribuir e foram extremamente abençoadas — e nem contavam com isso”, disse ele.

    Além de possibilitar uma viagem ao templo, o fundo também é usado para comprar sete jogos de garments para cada pessoa, a fim de que possa honrar seus convênios, quando voltar para casa.

    A declaração do Presidente Monson durante a conferência foi a primeira vez em que o fundo foi anunciado ao púlpito pelo profeta. Isso, aliado à crescente demanda pelo fundo, muito provavelmente resultará em um aumento das doações, disse o Élder Walker.

    “Ainda há pessoas filiando-se à Igreja, e nem de perto atendemos à necessidade existente em muitas áreas”, afirmou. Citando o conselho do Presidente Howard W. Hunter (1907–1995), em 1994, de que todos os membros dignos deveriam portar uma recomendação para o templo (ver “O Grande Símbolo de Nossa Condição de Membros da Igreja” Tambuli, novembro de 1994, p. 6; A Liahona, outubro de 1994, p. 4), acrescentou: “Há muitos membros fiéis da Igreja, portadores de uma recomendação válida, que ainda não puderam entrar no templo e não têm uma perspectiva imediata de fazê-lo”.

    O Élder Walker disse que o anúncio do Presidente Monson partiu de seu amor pelos templos e sua empatia com os santos que são os principais beneficiários do fundo.

    “Ao visitar esses lugares longínquos, é impossível não se solidarizar com o povo e os desafios que enfrentam”, disse o Élder Walker. “Esse fundo será uma bênção para muitas pessoas.”

    Riaz Gill, sua esposa, Farah, e seu filho, Ammon Phinehas, puderam ir ao Templo de Manila Filipinas e ser selados como família em 2010, graças ao Fundo Geral de Auxílio aos Frequentadores do Templo.

    Fotografia: Cortesia de Riaz Gill

    Templo de Manila Filipinas

    © IRI