2010–2019
Encontrar alegria em compartilhar o evangelho
Notas de rodapé
Tema

Encontrar alegria em compartilhar o evangelho

Temos um amoroso Pai Celestial esperando que nos voltemos a Ele para abençoar nossa vida e a vida dos que estão ao nosso redor.

Um de meus hinos mais queridos da Primária começa com estas palavras:

“Sou da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Eu sei quem sou eu

e o plano de Deus

com fé eu seguirei.

Sei que Cristo é nosso Salvador”.1

Que declaração simples e bela das verdades em que acreditamos!

Como membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sabemos quem somos. Sabemos que “Deus é o Pai de nosso espírito. Somos (…) Seus filhos, e Ele nos ama. Vivemos [com Ele no céu] antes de [virmos à] Terra”.

Conhecemos o plano de Deus. Estávamos no céu com Ele quando Ele nos apresentou esse plano. “O verdadeiro propósito de Deus — Sua obra e Sua glória — é permitir que cada um de nós desfrute todas as Suas bênçãos. Ele providenciou um plano perfeito para cumprir Seu propósito. Compreendemos e aceitamos esse plano (…) de felicidade, (…) redenção e (…) salvação” antes de virmos à Terra.

“Jesus Cristo é o centro do plano de Deus. Por meio de Sua Expiação, Jesus Cristo cumpriu o propósito de Seu Pai e tornou possível para cada um de nós desfrutar a imortalidade e a exaltação. Satanás, ou o diabo, é inimigo do plano de Deus” e tem-no sido desde o princípio.

“O arbítrio, ou capacidade de escolha, é uma das maiores dádivas de Deus a Seus filhos. (…) Precisamos escolher se seguiremos Jesus Cristo ou Satanás.”2

Essas são verdades simples que podemos compartilhar com as outras pessoas.

Gostaria de contar a vocês sobre quando minha mãe compartilhou essas verdades simples apenas por estar aberta a conversar e a reconhecer oportunidades.

Há muitos anos, minha mãe estava indo visitar a Argentina com meu irmão. Ela não gostava muito de andar de avião, então pediu a um de meus filhos que lhe desse uma bênção de consolo e proteção. Ele se sentiu inspirado a também abençoar a avó com orientação e ajuda especiais do Espírito Santo para que ela fortalecesse e tocasse o coração de muitos que desejavam aprender o evangelho.

The Pol Family

No aeroporto de Salt Lake, minha mãe e meu irmão conheceram uma garotinha de 7 anos de idade que estava voltando para a Argentina após uma viagem de férias com a família. Os pais dela notaram que ela já estava conversando havia muito tempo com minha mãe e meu irmão, e decidiram se aproximar. Eles se apresentaram como Eduardo, Maria Susana e a filha como Giada Pol. A conexão com aquela família agradável foi natural e calorosa.

As duas famílias ficaram animadas por estarem no mesmo voo para Buenos Aires, Argentina. Ao longo da conversa, minha mãe observou que até então aquela família não tinha ouvido falar da Igreja restaurada de Jesus Cristo.

Uma das primeiras perguntas de Susana foi: “Poderiam nos falar sobre aquele belo museu que tem uma estátua dourada em cima?”

Minha mãe explicou que aquele belo edifício não era um museu, mas, sim, um templo do Senhor onde fazemos convênios com Deus para podermos voltar a viver com Ele um dia. Susana confessou à minha mãe que, antes de sua viagem a Salt Lake, ela havia orado por algo que lhe fortalecesse o espírito.

Durante o voo, minha mãe prestou um testemunho simples mas forte do evangelho e convidou Susana a procurar os missionários em sua cidade. Susana então perguntou: “Como vou encontrá-los?”

Minha mãe respondeu: “Não há como errar; geralmente são dois jovens com camisa branca e gravata ou duas jovens bem-vestidas, e também usam uma plaqueta com o nome deles e de ‘A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias’”.

As famílias compartilharam seus contatos e se despediram no aeroporto de Buenos Aires. Susana, que desde aquela época virou uma grande amiga, já me disse várias vezes que ficou muito triste ao se despedir de minha mãe no aeroporto. Ela disse: “Sua mãe tinha um brilho. Não sei explicar, mas ela irradiava uma luz da qual eu não queria me separar”.

Logo que voltaram à sua cidade natal, Susana e a filha, Giada, compartilharam essa experiência com a mãe de Susana, que morava a poucos quarteirões. Ao passarem de carro por uma rua, Susana viu dois rapazes vestidos da maneira como minha mãe descrevera. Ela parou o carro no meio da rua, saiu e perguntou aos dois rapazes: “Por acaso vocês são da Igreja de Jesus Cristo?”

Eles responderam que sim.

“Missionários?”, ela continuou.

Ambos disseram: “Sim, somos!”

Ela então disse: “Entrem no meu carro; vocês vão até minha casa me ensinar”.

The Pol Family

Dois meses depois, Maria Susana foi batizada. A filha dela, Giada, também foi batizada quando fez 9 anos. Ainda estamos ministrando ao Eduardo, a quem amamos, independentemente de sua decisão.

Desde essa época, Susana se tornou uma das maiores missionárias que conheço. Ela é como os filhos de Mosias, trazendo muitas almas a Cristo.

Em uma de nossas conversas, perguntei a ela: “Qual é seu segredo? Como você compartilha o evangelho com outras pessoas?”

Ela disse: “É muito simples. Todo dia, antes de sair de casa, faço uma oração, pedindo ao Pai Celestial que me dirija a alguém que precise do evangelho em sua vida. Às vezes levo comigo um Livro de Mórmon para compartilhar ou cartões da amizade — e, quando começo a conversar com alguém, sempre pergunto se já ouviram falar da Igreja”.

Ela disse também: “Outras vezes, simplesmente sorrio enquanto espero o trem. Um dia, um homem olhou para mim e perguntou: ‘Você está sorrindo por quê?’ De certa forma, a pergunta dele me pegou de surpresa.

Respondi: ‘Estou sorrindo porque estou feliz!’

Ele então perguntou: ‘E você está feliz por quê?’

Respondi: ‘Sou membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e isso me faz feliz. Você já ouviu falar da Igreja?’”

Quando ele respondeu que não, ela lhe deu um cartão da amizade e o convidou a ir à igreja no domingo seguinte. No domingo seguinte, ela o cumprimentou à porta.

O presidente Dallin H. Oaks ensinou:

“Há três coisas que todo membro pode fazer para ajudar a compartilhar o evangelho. (…)

Primeiro, podemos todos orar para ter o desejo de ajudar nessa parte essencial do trabalho de salvação. (…)

Segundo, podemos guardar os mandamentos. (…) Os membros fiéis sempre terão o Espírito do Salvador para guiá-los ao procurarem participar do grande trabalho de compartilhar o evangelho restaurado de Jesus Cristo.

Terceiro, podemos orar para ter a inspiração sobre o que nós devemos fazer (…) para compartilhar o evangelho com outras pessoas (…) [e orar] com o comprometimento de agir de acordo com a inspiração que [recebermos]”.3

Irmãos, irmãs, crianças e jovens, podemos ser como minha amiga Susana e compartilhar o evangelho com as outras pessoas? Podemos convidar um amigo que não é membro para ir à igreja conosco no domingo? Podemos talvez compartilhar um exemplar do Livro de Mórmon com um parente ou amigo? Podemos ajudar alguém a encontrar seus antepassados no FamilySearch ou compartilhar com outras pessoas o que aprendemos durante a semana ao estudar o Vem, e Segue-Me? Podemos ser mais semelhantes a nosso Salvador, Jesus Cristo, e compartilhar com os outros o que traz alegria à nossa vida? A resposta para cada uma dessas perguntas é sim. Podemos fazê-lo!

Nas escrituras, lemos que os membros da Igreja de Jesus Cristo foram enviados “a fim de trabalharem em sua vinha para a salvação da alma dos homens” (Doutrina e Convênios 138:56). “Esse trabalho de salvação inclui o trabalho missionário dos membros, a retenção de conversos, a ativação de membros menos ativos, o trabalho do templo e de história da família e o ensino do evangelho.”4

Meus queridos amigos, o Senhor precisa de nós para coligar Israel. Em Doutrina e Convênios, Ele disse: “Nem de antemão vos preocupeis com o que haveis de dizer; mas entesourai sempre em vossa mente as palavras de vida e na hora precisa vos será dada a porção que será concedida a cada homem”.5

Além disso, Ele nos prometeu:

“E, se trabalhardes todos os vossos dias clamando arrependimento a este povo e trouxerdes a mim mesmo que seja uma só alma, quão grande será vossa alegria com ela no reino de meu Pai!

E agora, se vossa alegria é grande com uma só alma que tiverdes trazido a mim no reino de meu Pai, quão grande será vossa alegria se me trouxerdes muitas almas!”6

A canção da Primária com a qual comecei conclui com esta profunda declaração:

“Sei que Cristo é nosso Salvador.

Seu nome honrarei.

Seguindo a Jesus,

verdade e luz

ao mundo anunciarei”.7

Presto testemunho de que essas palavras são verdadeiras e de que temos um amoroso Pai Celestial esperando que nos voltemos a Ele para abençoar nossa vida e a vida dos que estão ao nosso redor. Que tenhamos o desejo de trazer nossos irmãos e nossas irmãs a Cristo é minha oração em nome de Jesus Cristo. Amém.