Liahona
Daneto Forde — Saint Catherine, Jamaica
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Deneto Forde

Saint Catherine, Jamaica

Fotografia: Christina Smith

Eu não tinha muitos estudos, por isso não sabia ler nem escrever muito bem. A única coisa que eu conseguia fazer era assinar meu nome. Um colega de trabalho me deu um número de telefone e disse que era para eu ligar. Telefonei e era de uma senhora que era professora secundária. Ela me convidou para uma aula de leitura. Depois de um tempo, ela me convidou para a igreja e para atividades.

Fui à igreja um dia e conheci os missionários. Eles disseram que queriam me ensinar o evangelho. Uma coisa que me chamou a atenção foi o plano de salvação. Havia um vazio dentro de mim porque eu sempre dizia a mim mesmo que devia haver mais na vida do que meus olhos viam.

Eu tinha muitas perguntas. “Onde tudo isto começou?” “De onde vim?” Os missionários me disseram: “Você existia antes desta vida. Você vivia com seu Pai no céu. Veio para cá para ser provado e ver se faria o que é necessário para voltar a viver com Ele”. Isso respondeu às minhas perguntas!

Os missionários também me ensinaram que o evangelho de Jesus Cristo tinha sido restaurado. Eu não sabia nada sobre isso. A única coisa que eu sabia era que Jesus Cristo morreu por mim. Depois de um mês, fui batizado aos 25 anos.

Eu queria servir missão. Um ano após meu batismo, fui à República Dominicana para receber minha investidura no Templo de Santo Domingo República Dominicana, porque não há templos na Jamaica. Se houvesse um templo perto de onde moro na Jamaica, eu iria todos os dias se pudesse.

Participei do Centro de Treinamento Missionário na República Dominicana e aprendi o que fazer para ser um missionário melhor. Voltei para a Jamaica e servi por dois anos. Se eu pudesse servir novamente, eu o faria, porque foi maravilhoso. Há altos e baixos na missão e há muito a aprender, mas gostei muito.

Quando fui para a missão, mal conseguia ler o Livro de Mórmon ou a Bíblia. Durante o estudo com o companheiro, eu pedia que meu companheiro me ajudasse a ler uma escritura que eu não entendesse. Ele me ajudava a aprender o que ela significava. Com o tempo, fui aprendendo cada vez mais. No final da missão, eu tinha lido todo o Livro de Mórmon, o Novo Testamento, parte do Velho Testamento e Pregar Meu Evangelho. Agora consigo ler qualquer coisa que alguém me der para ler. Posso ajudar a mim mesmo e continuar aprendendo mais sobre o evangelho. Sei que foi uma das bênçãos da missão.

O evangelho me dá motivos para seguir em frente e buscar dias melhores.

É maravilhoso compartilhá-lo. Às vezes, encontro alguém que está tendo um dia ruim ou alguém preocupado com a vida. Talvez esteja sofrendo com a perda da avó, do pai ou de outro ente querido. Posso falar com eles sobre a Restauração e lhes apresentar o plano de salvação. É por causa da Restauração que sabemos sobre o plano de salvação.