Liahona
A âncora da minha vida e da minha fé
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

A âncora da minha vida e da minha fé

Quanto mais leio o Livro de Mórmon, mais acredito que é a palavra de Deus.

Imagem do Livro de Mórmon fornecida pelo autor; outras imagens: Getty Images

Eu não era nada feliz quando garoto, mas as coisas mudaram quando dois americanos bateram à nossa porta.

Aos 14 anos, fiquei curioso com aqueles dois americanos que falavam japonês e se apresentaram como missionários. Depois que eles saíram, meu pai me entregou um livro que eles haviam acabado de lhe dar, chamado Livro de Mórmon. Comecei a ler e senti algo especial, mas não sabia o que era. Um mês depois, terminei o livro e o coloquei na minha estante.

Três anos depois, conheci dois missionários numa estação ferroviária de Tóquio. Eles me convidaram para ouvir a mensagem deles. Levei meu Livro de Mórmon para nosso encontro.

Eles começaram a conversa dizendo: “Gostaríamos de compartilhar um livro importante com você”.

Tirei o Livro de Mórmon da minha bolsa e perguntei: “É este aqui? Eu já li”.

Eles ficaram perplexos. Por fim, o evangelho me foi ensinado, e os missionários me incentivaram a perguntar a Deus com um coração sincero se o Livro de Mórmon era verdadeiro (ver Morôni 10:4–5).

Uma noite, pensei em Deus, na Igreja, no Livro de Mórmon e em como poderia ser feliz e senti um calor no peito. Então, decidi ser batizado.

Depois de me filiar à Igreja, continuei a ler o Livro de Mórmon. Um dia, durante a leitura, ocorreu-me nitidamente um pensamento sobre a medicação que meu pai tomava para pressão alta. Fui me informar e descobri que um dos possíveis efeitos colaterais era um quadro grave de depressão. Por minha sugestão, meu pai pediu ao médico para trocar de remédio. Sua depressão desapareceu desde essa época.

Quanto mais leio, mais acredito que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus. Fiquei mais feliz e senti o desejo de compartilhar a verdade com os outros.

Meus pais se opuseram à minha missão e acabaram me expulsando de casa, mas eu estava determinado. Servi no Tennessee, EUA. Na época em que eu era um missionário santo dos últimos dias que vinha de um país budista e que servia no Cinturão da Bíblia dos Estados Unidos, muitas vezes me perguntaram como eu podia acreditar no Livro de Mórmon. Testifiquei que havia orado sobre sua veracidade e recebido a confirmação.

Após a missão, terminei os estudos e fui trabalhar numa grande empresa do Japão que me transferiu para vários lugares do mundo, incluindo Mianmar, Inglaterra e Irlanda. Em todos os lugares a que fui, compartilhei meu testemunho do Livro de Mórmon com o maior número possível de pessoas, desde um motorista de táxi até um ministro de Estado.

O Livro de Mórmon tem sido — e sempre será — a âncora da minha vida e da minha fé em Jesus Cristo. Sempre que me sinto oprimido pela adversidade, leio o Livro de Mórmon e supero minhas dificuldades com o apoio espiritual do Pai Celestial e de nosso Salvador. O Livro de Mórmon me abençoa todos os dias da minha vida.