Liahona
Desfrutar a vida na terceira idade
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Envelhecer com fé

Desfrutar a vida na terceira idade

A velhice pode ser uma bela época de progresso e crescimento.

Imagens: Getty Images

À medida que vou envelhecendo, percebo que minha vida também vai mudando. Embora eu ainda queira me envolver com minha família e com a Igreja, não tenho o mesmo vigor físico de antes e, estando eu presente ou não, tudo à minha volta parece transcorrer muito bem.

Mas há mais uma coisa que estou aprendendo: esta fase da vida não é tão ruim. Claro que tenho dores aqui e ali e outros problemas, mas envelhecer faz parte do curso natural da vida, e esse período traz oportunidades novas e gratificantes. Meu consolo é saber que tenho o amor da minha família e dos meus amigos. Acredito ainda ser de valor para a Igreja, mas o mais importante é que sei, mais do que nunca, que o evangelho de Jesus Cristo é verdadeiro.

Aceitar as mudanças

Com certeza, a vida não para. Ela é dinâmica. Então, embora não queiramos que nossas circunstâncias ou nossos relacionamentos mudem, as mudanças vão acontecer. Como dizem muito bem as escrituras:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e todo propósito debaixo do céu tem o seu tempo:

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; (…)

[Deus] tudo fez formoso em seu tempo” (Eclesiastes 3:1–2, 11).

Talvez estranhemos certas modernidades, e não há problema nenhum em sentir saudades dos bons e velhos tempos. Mas também podemos ter fé no fato de que ainda há mais para aprender enquanto continuamos a trilhar o caminho da felicidade. A maneira de nos ajustarmos às mudanças e de lidarmos com elas é o que vai determinar nosso crescimento nos últimos anos de vida. Se aceitarmos as mudanças em vez de resistirmos a elas, estaremos mais propensos a reconhecer novas oportunidades e entender coisas novas.

Percebi que, ao continuar tentando seguir a Jesus Cristo, eu me achego mais a Ele de maneiras que eu não conseguia quando era jovem. Por também ter passado pela Terra, Cristo entende como nos sentimos quando nos aproximamos do fim da vida mortal (ver Mateus 16:21). E de uma maneira que não entendemos muito bem, Ele sabe perfeitamente o que nós estamos sentindo de maneira específica graças à Sua Expiação. Podemos pedir a Ele que nos ajude a nos tornar o que Ele deseja de nós com o tempo que nos resta (ver Morôni 7:48).

Continuar a servir

Por mais idosos que sejamos, ainda podemos procurar oportunidades de servir ao próximo todos os dias, o que vai nos ajudar a estar preparados para servir depois desta vida. O presidente George Albert Smith (1870–1951) ensinou certa vez: “Não estamos aqui simplesmente para passar o tempo de nossa vida e depois adentrarmos uma esfera de exaltação; na verdade, estamos aqui para nos qualificarmos, dia após dia, para as posições que nosso Pai espera que alcancemos no porvir”.1

Ao envelhecermos, essas experiências que têm o propósito de nos “qualificar” vão ser diferentes do que foram antes. Tenho observado homens mais novos assumirem seus papéis e cumprirem muitas tarefas antes desempenhadas por mim. Meus filhos têm a própria vida deles bem ocupada e seus próprios problemas familiares; e não me envolvo muito com isso. No entanto, sei que, se eu continuar a ajudar os outros dentro das minhas possibilidades, essas experiências vão continuar a me ensinar e refinar de acordo com o plano de Deus.

Bênçãos e perguntas

Que bênçãos você notou que já recebeu por estar envelhecendo? Abaixo, fiz uma lista de algumas coisas que percebi. Também fiz uma lista com algumas perguntas sobre as quais nós, que somos da velha geração, podemos pensar embora ache que poderiam se aplicar a qualquer um.

Testifico que cada um de nós pode escolher se concentrar no que é mais importante ao seguirmos a Jesus Cristo durante nossos gratificantes anos dourados.

Envelhecer me trouxe as seguintes bênçãos:

  • Mais consciência do que está ocorrendo ao meu redor.

  • Mais tempo e tranquilidade para ler as escrituras, ponderar e orar.

  • Sensibilidade para ouvir os sussurros do Espírito.

  • Visitas ocasionais da família que trazem imensa alegria.

  • Sentimentos mais ternos em relação às pessoas e aos animais.

  • Interesse no trabalho de templo e história da família.

  • Menos tentação de desobedecer aos mandamentos.

Pergunte a si mesmo, “Como posso…”

  • Servir à Igreja e à família de modo significativo?

  • Aproximar-me do Pai Celestial e de Jesus Cristo?

  • Influenciar positivamente as pessoas?

  • Comparecer sem mancha perante Deus quando O vir novamente?