2017
Viver o Evangelho Nutre os Sagrados Relacionamentos Familiares
anterior próximo

Nossa Crença

Viver o Evangelho Nutre os Sagrados Relacionamentos Familiares

Liahona Magazine, 2017/06 Jun

Ilustrações: J. Beth Jepson

Todos nós somos filhos de amorosos Pais Celestiais que nos enviaram à Terra para aprendermos como voltar à presença Deles. A família desempenha um papel central no Plano de Salvação. Deus nos deu a família para que pudéssemos ganhar um corpo, aprender princípios corretos e preparar-nos para a vida eterna.

O Pai Celestial deseja que cada um de Seus filhos seja criado em um ambiente cheio de amor. A melhor maneira de desenvolver esse ambiente de cuidado é vivendo e praticando os princípios do evangelho. “A felicidade na vida familiar é mais provável de ser alcançada quando fundamentada nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo.”1 Lares que são estabelecidos com base nos princípios do evangelho tornam-se refúgios de paz, onde o Espírito do Senhor pode guiar, influenciar e elevar todos os membros da família.

A família é ordenada por Deus e é “a ordem do céu (…), o eco de um padrão celestial, e o exemplo da família eterna de Deus”.2 Os relacionamentos familiares e as responsabilidades que os acompanham são sagrados. Aprendemos nas escrituras que os pais têm o dever de criar seus filhos em verdade, luz e amor (ver Efésios 6:4; D&C 68:25). O marido e a mulher devem amar e respeitar um ao outro (ver Efésios 5:25), e os filhos devem honrar os pais (ver Êxodo 20:12).

“O casamento e a família bem-sucedidos são estabelecidos e mantidos sob os princípios da fé, da oração, do arrependimento, do perdão, do respeito, do amor, da compaixão, do trabalho e de atividades recreativas salutares.”3 A obediência aos princípios do evangelho fortalece os relacionamentos familiares e aumenta a força espiritual individual e coletiva dos membros da família. Esses princípios vão nos ajudar a nos achegarmos mais a Cristo.

Todas as famílias têm desafios. Nos tempos espiritualmente conturbados em que vivemos, nem toda família vive em circunstâncias ideais. Como disse o Élder Neil L. Andersen, do Quórum dos Doze Apóstolos: “Com milhões de membros, e com a diversidade que temos entre as crianças da Igreja, precisamos ser ainda mais atenciosos e sensíveis”.4 Algumas pessoas não têm o apoio da família para viver o evangelho. Alguns desafios são particularmente difíceis, como o divórcio, o abuso e o vício, entre tantos outros.

Deus está ciente da situação de cada família e dos desejos de cada pessoa de ter amor em seu lar. Mesmo que tenhamos relacionamentos imperfeitos em nossa família, a prática do evangelho pode ainda abençoar nossa vida e nosso lar. O evangelho pode fortalecer nosso relacionamento com o cônjuge, os pais, filhos, irmãos e o Pai Celestial. Algumas dessas bênçãos virão agora e outras só na eternidade, mas Deus não negará nenhuma bênção às pessoas que lutam para viver em retidão.

Notas

  1. “A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, novembro de 2010, última contracapa.

  2. Dieter F. Uchtdorf, “Em Louvor dos Que Salvam”, A Liahona, maio de 2016, p. 77.

  3. “A Família: Proclamação ao Mundo”, última contracapa.

  4. Neil L. Andersen, “Quem Os Recebe, Recebe a Mim”, A Liahona, maio de 2016, p. 50.