2017
A Restauração das Chaves do Sacerdócio
anterior próximo

A Restauração das Chaves do Sacerdócio

Extraído de um discurso proferido na Conferência Geral de outubro de 2004.

O Salvador edificou a Sua Igreja sobre um alicerce de apóstolos e profetas, que possuem todas as chaves do sacerdócio hoje em dia na Terra.

Photograph of Ephesus

Fotografia de Éfeso e arredores, imagem de Getty images.

Há muitos anos, falei num antigo teatro em Éfeso. A luz brilhante do sol inundava o local em que, um dia, o Apóstolo Paulo pregou o evangelho. O tema de meu discurso era Paulo, o apóstolo chamado por Deus.

O público era formado por centenas de santos dos últimos dias. Eles estavam sentados nas fileiras de bancos de pedra em que os efésios se sentaram mais de um milênio antes. Entre eles havia dois apóstolos vivos, o Élder Mark E. Petersen e o Élder James E. Faust.

Como podem imaginar, eu havia me preparado muito bem. Tinha lido o livro dos Atos dos Apóstolos e as epístolas, tanto as de Paulo como as dos outros apóstolos. Eu tinha lido e ponderado a Epístola de Paulo aos efésios.

Procurei fazer o melhor que pude para honrar Paulo e seu ofício. Depois do discurso, várias pessoas me cumprimentaram gentilmente. Os dois apóstolos vivos foram muito generosos em seus comentários. Mais tarde, porém, o Élder Faust me chamou de lado e, com um sorriso e muita brandura na voz, disse: “Foi um bom discurso, mas você deixou de mencionar a coisa mais importante que poderia ter dito”.

Perguntei a ele o que era. Semanas depois, ele concordou em me dizer. Sua resposta até hoje me serve de lição.

Ele observou que eu poderia ter dito às pessoas que, se os santos que ouviram Paulo falar tivessem um testemunho da importância e do poder das chaves que ele possuía, talvez os apóstolos não tivessem sido tirados da Terra.

Isso me fez pensar novamente na carta de Paulo aos efésios. Percebi que Paulo queria que as pessoas sentissem a importância da corrente de chaves do sacerdócio que vinham desde o Senhor, passando por Seus apóstolos, até eles, os membros da Igreja do Senhor. Paulo estava tentando despertar neles um testemunho daquelas chaves.

Paulo testificou aos efésios que Cristo era o Cabeça de Sua Igreja. E ensinou que o Salvador edificou a Sua Igreja sobre um alicerce de apóstolos e profetas, que possuem todas as chaves do sacerdócio hoje em dia na Terra (ver Efésios 2:19–20).

O Sacerdócio Foi Restaurado

The Restoration of Priesthood Keys

Ilustração: Brian Call

Apesar da clareza e do vigor de seus ensinamentos e de seu exemplo, Paulo sabia que haveria uma apostasia (ver Atos 20:29–30; 2 Tessalonicenses 2:2–3). Ele sabia que os apóstolos e profetas seriam tirados da Terra e também sabia que, num dia grandioso, no futuro, seriam chamados novamente. Ele escreveu sobre esse tempo aos efésios, falando sobre o que o Senhor faria: “Para, na dispensação da plenitude dos tempos, tornar a congregar em Cristo todas as coisas tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Efésios 1:10).

Paulo aguardava o ministério do Profeta Joseph Smith quando os céus se abririam novamente. Isso aconteceu. João Batista veio e conferiu a mortais o Sacerdócio de Aarão e as chaves do ministério dos anjos e do batismo por imersão para a remissão de pecados (ver D&C 13).

Apóstolos e profetas antigos voltaram e conferiram a Joseph as chaves que possuíam na mortalidade (ver D&C 110). Homens mortais foram ordenados ao santo apostolado em fevereiro de 1835. As chaves do sacerdócio foram dadas aos Doze Apóstolos no final de março de 1844.

Todo profeta que veio depois de Joseph, desde Brigham Young até o Presidente Thomas S. Monson, recebeu e exerceu essas chaves e recebeu o santo apostolado.

A Fé e as Chaves do Sacerdócio

Mas, tal como na época de Paulo, para que o poder dessas chaves do sacerdócio tenha efeito sobre nós, precisamos ter fé. Temos que saber, por inspiração, que as chaves do sacerdócio estão com aqueles que nos lideram e servem. Isso exige o testemunho do Espírito.

E esse testemunho, por sua vez, depende de nosso testemunho de que Jesus é o Cristo e de que Ele vive e lidera esta Igreja. Precisamos também saber por nós mesmos que o Senhor restaurou Sua Igreja e as chaves do sacerdócio por intermédio do Profeta Joseph Smith. E precisamos, por meio do Espírito Santo, ter sempre a revigorada certeza de que essas chaves foram passadas sem interrupção para o profeta vivo e que o Senhor abençoa e dirige Seu povo por meio da linha das chaves do sacerdócio, que chegam até nós por meio dos presidentes de estaca e distrito, e por meio dos bispos e presidentes de ramo, não importa onde estejamos e por mais distantes que nos encontremos do profeta e dos apóstolos.

Confiar nos Servos Escolhidos do Senhor

Restoration of the Melchezedek Priesthood

Restoration of the Melchizedek Priesthood [A Restauração do Sacerdócio de Melquisedeque], de Walter Rane

Para nos mantermos firmes na Igreja do Senhor, podemos e precisamos treinar nossos olhos para reconhecer a mão do Senhor no trabalho realizado por aqueles a quem Ele chamou. Precisamos ser dignos da companhia do Espírito Santo. Precisamos orar pedindo que o Espírito Santo nos ajude a saber que os homens que nos lideram têm esse poder. Para mim, muitas vezes essas orações são respondidas quando me encontro plenamente envolvido no serviço do Senhor.

Podemos agir de modo a fazer jus às revelações que permitem que saibamos que as chaves estão sendo passadas de uma pessoa para a outra por Deus. Podemos procurar ter essa experiência repetidas vezes. E precisamos fazê-lo para receber as bênçãos que Deus reservou para nós e que deseja que ofereçamos a outros.

É provável que a resposta para suas orações não seja tão extraordinária como a recebida por algumas pessoas que, em certa ocasião, viram Brigham Young assumir, ao falar, a aparência do Profeta Joseph, que havia sido assassinado.1 Mas ela pode ser igualmente segura. E com essa segurança espiritual virão paz e força. Vocês saberão novamente que esta é a Igreja verdadeira e viva do Senhor, que Ele a lidera por meio de Seus servos ordenados e que Se preocupa conosco.

Se um número suficientemente grande de nós exercer essa fé e receber essa certeza, Deus elevará aqueles que nos lideram e assim abençoará nossa vida e nossa família. Nós nos tornaremos o que Paulo tanto queria para aqueles a quem servia: “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina” (Efésios 2:20).

Nota

  1. Ver Doutrina e Convênios e História da Igreja — Guia de Estudo do Aluno do Seminário, 2001, p. 158.