2017
Orar com Zara
anterior próximo

Orar com Zara

A autora mora em Queensland, Austrália.

Liahona Magazine, 2017/06 Jun

Num dia quente de verão, Reesey e Cheyenne convidaram Zara para brincar. A mãe delas preparou um lanche. As meninas se sentaram à mesa para comer.

A mãe fatiou as mangas que colheu da mangueira. Colocou maçãs picadas e uvas em um prato. Reesey olhou para aquele lanche delicioso. Ela se lembrou de fazer uma oração antes de comer o lanche. Perguntou a Zara: “Vocês fazem oração na sua casa?”

“O que é isso?”, perguntou Zara.

“É assim”, respondeu Cheyenne. Ela cruzou os braços e abaixou a cabeça. Pediu uma bênção para o alimento. Quando terminou, perguntou: “Viu? É assim. Fácil, não é?”

“Não fazemos isso em casa. A gente só come”, comentou Zara.

Reesey nunca tinha pensado em não orar. “Mãe”, disse ela, “podemos parar de fazer oração?”

A mãe sorriu enquanto colocava os copos com água gelada na mesa. “Gostamos de agradecer ao Pai Celestial pelo que Ele nos dá. Vamos continuar a fazer oração. Mas tudo bem se outras pessoas não fazem.”

Ressey sabia que a mãe estava certa. Ela ficava feliz quando a família fazia oração. Talvez fazer oração deixasse Zara feliz também. “Você deveria tentar”, fez o convite a Zara. “Fazer oração é bom.”

“Gosto quando fazemos oração”, disse Cheyenne.“Sinto alegria no coração.”

Zara sorriu. “Talvez eu faça”, disse ao comer uma fatia de manga.

Reesey e Cheyenne estavam felizes por poder falar para a amiga sobre a oração. Elas terminaram o lanche e voltaram a brincar.