2017
Soldado do Senhor

Soldado do Senhor

O autor mora na Cidade do México, México.

Eu tive que escolher se cuidaria pessoalmente do meu problema ou se o deixaria nas mãos do Senhor para me concentrar no meu serviço missionário.

Soldier for the Lord

Imagem de camuflagem de Getty Images; fotografia de soldado por Krista Rossow/Getty Images

Há muitos anos, servi como missionário de tempo integral na Missão México Monterrey Norte. Senti que foi um grande privilégio servir missão.

Quando comecei meu trabalho missionário, deixei um problema pendente. Eu ainda não tinha recebido meus documentos de dispensa do serviço militar. Esse documento é extremamente importante. Atesta que um rapaz concluiu o serviço militar obrigatório e que tem o direito de trabalhar e estudar. Ele é oficialmente reconhecido como um cidadão do México.

Quando a data para emissão desse documento estava próxima, comecei a me preocupar. Escrevi para meus pais e pedi que pegassem o meu certificado de alistamento militar se fosse possível. Quando recebi a resposta deles, fiquei ainda mais preocupado. Disseram-me que já tinham sido informados que o certificado somente poderia ser entregue para a pessoa a quem ele pertencia.

Senti uma necessidade urgente de orar ao Senhor e perguntar a Ele o que fazer. A resposta, que não veio imediatamente, era de que eu deveria explicar o problema ao meu presidente de missão. Durante minha entrevista com ele, conversamos sobre duas alternativas. Uma era que eu deveria simplesmente “confiar no Senhor”. E a outra, que eu poderia pegar o documento pessoalmente. A decisão era minha.

Eu não tinha certeza do que fazer. Falei sobre a minha preocupação para o meu companheiro e nos sentimos fortalecidos ao ler esta escritura: “Não sabeis que estais nas mãos de Deus? Não sabeis que ele tem todo o poder e que, sob o seu grandioso comando, a Terra será enrolada como um pergaminho?” (Mórmon 5:23.) Essa escritura eliminou minha confusão. Quando a li, soube, naquele momento, que era meu dever me dedicar completamente ao trabalho missionário. Meu problema estava nas mãos do Senhor.

Um pouco depois, recebi outra carta de meus pais. Meu pai escreveu o seguinte:

“Filho, voltei ao escritório da Defesa Nacional para ver se encontrava alguém que pudesse nos ajudar a resolver o seu problema. Depois de falar com muitas pessoas, fui encaminhado para determinado lugar. Cheguei lá me sentindo um pouco desanimado e desesperado. A primeira coisa que vi foi uma porta muito grande, que estava completamente aberta e guardada por dois soldados imponentes. Reuni toda a minha coragem, passei por eles e encontrei o escritório para onde haviam me encaminhado. Estava nervoso quando bati à porta, mas ao mesmo tempo eu sabia que estava sendo guiado pelo Espírito do Senhor.

Quando entrei, vi um oficial sentado atrás da mesa. Havia muitas medalhas no seu peito e as paredes do escritório estavam cobertas por quadros com certificados coloridos. Ele apertou minha mão com firmeza e solenemente me perguntou: ‘Qual é o propósito de sua visita?’

‘Tenho um filho servindo missão’, respondi. ‘Por esse motivo ele não pode vir buscar o certificado de alistamento militar. Vim até aqui para ver se consigo pegá-lo para ele.’

‘Não, você não pode. Esse documento só pode ser entregue para a pessoa a quem ele pertence’, disse o oficial.

Naquele momento o Senhor me iluminou com Seu Espírito e eu disse: ‘Senhor, há muitos soldados sob seu comando e eles são responsáveis por cumprir suas ordens. Da mesma maneira, meu filho está cumprindo agora o dever que ele tem de pregar o evangelho do Senhor. Neste momento, ele é um soldado do Senhor Jesus Cristo’.

Ao ouvir isso, o oficial levantou-se da cadeira e disse: ‘Você tem algum documento de identificação? Qual é o nome de seu filho?’

Depois que respondi às perguntas, ele chamou seu secretário e disse: ‘Traga-me os papéis desse jovem missionário’.

Ele assinou, selou e me entregou os documentos. Não fez nenhuma outra exigência. Apertei a mão dele com firmeza e gratidão. Meu filho, seus documentos agora estão em ordem e você deve mostrar sua gratidão ao Senhor, servindo-O como um verdadeiro soldado”.

Depois de receber essa carta, agradeci ao Senhor por usar Seu grande poder de interceder a meu favor, pela resposta à minha oração e por iluminar meu pai. Oro para que depositemos nossa total confiança no Senhor e nunca nos esqueçamos de Sua promessa: “Pedi e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei e ser-vos-á aberto. Porque todo aquele que pede, recebe; e o que busca, encontra; e ao que bate, será aberto” (3 Néfi 14:7–8).