1: Qual é o meu propósito como missionário?
    Notas de rodapé
    Tema

    “1: Qual é o meu propósito como missionário?” Pregar Meu Evangelho: Guia para o Serviço Missionário, 2018, pp. 1–16

    “1 Meu propósito”, Pregar Meu Evangelho, pp. 1–16

    1

    Qual é o meu propósito como missionário?

    Dan Jones Awakens Wales

    Dan Jones, um dos maiores missionários desta dispensação, prega o evangelho no País de Gales.

    © 1993 Clark Kelley Price. Reprodução proibida.

    Seu propósito

    Convidar as pessoas a achegarem-se a Cristo, ajudando-as a receber o evangelho restaurado por meio da fé em Jesus Cristo e em Sua Expiação, do arrependimento, do batismo, do recebimento do dom do Espírito Santo e da perseverança até o fim.

    Pense nisto

    • Qual é o meu propósito como missionário?

    • O que é o evangelho de Jesus Cristo?

    • Por que pregamos o evangelho?

    • Por que preciso ensinar com poder e autoridade?

    • Qual é a mensagem da Restauração? Por que ela é tão importante?

    • Que responsabilidade tenho em ajudar as pessoas a se converterem?

    • Como posso saber se sou um missionário bem-sucedido?

    Seu encargo de ensinar o evangelho Restaurado de Jesus Cristo

    Você está cercado por pessoas. Você passa por elas nas ruas, visita a casa delas e viaja com elas. Todas são filhos e filhas de Deus, seus irmãos e suas irmãs. Deus as ama tanto quanto ama você. Muitas dessas pessoas estão procurando um propósito na vida. Estão preocupadas com o futuro e com a família. Precisam sentir que fazem parte de algo, como só as pessoas que sabem que são filhos de Deus e membros de Sua família eterna podem sentir. Querem se sentir seguras em um mundo cujos valores estão sempre mudando. Desejam “paz neste mundo e vida eterna no mundo vindouro” (Doutrina e Convênios 59:23), mas estão “[afastadas] da verdade por não saber onde encontrá-la” (Doutrina e Convênios 123:12).

    O evangelho de Jesus Cristo, conforme restaurado pelo Salvador por intermédio do profeta Joseph Smith, abençoará as pessoas e as famílias, atenderá às necessidades espirituais delas e as ajudará a realizar seus mais profundos desejos. Embora não saibam o motivo, elas precisam de alívio da solidão e do sentimento de culpa causados por seus pecados. Precisam sentir a alegria da redenção, receber o perdão de seus pecados e desfrutar o dom do Espírito Santo.

    Lehi's Dream

    Como representante autorizado de Jesus Cristo, você pode ensinar às pessoas com poder e autoridade que “a redenção nos vem por intermédio do Santo Messias” e que ninguém “pode habitar na presença de Deus a menos que seja por meio dos méritos e misericórdia e graça do Santo Messias” (2 Néfi 2:6, 8). Ao aceitarem o evangelho restaurado de Jesus Cristo e receberem as ordenanças do batismo e da confirmação pela autoridade do sacerdócio, elas podem ter a certeza de que “não foram [rejeitadas] para sempre” (página de título do Livro de Mórmon).

    À medida que você adquirir maior compreensão do sacrifício do Salvador, também conhecido como a Expiação de Jesus Cristo, seu desejo de compartilhar o evangelho vai aumentar. Você sentirá, assim como Leí, “quão importante é tornar estas coisas conhecidas dos habitantes da Terra” (2 Néfi 2:8).

    Você foi chamado para representar Jesus Cristo, ajudando as pessoas a se tornarem limpas de seus pecados e a encontrarem maior felicidade e alegria. Você faz isso convidando-as a virem a Jesus Cristo e a se converterem ao Seu evangelho restaurado. O presidente Dallin H. Oaks ensinou: “Já falamos bastante sobre o resumo inspirado de nosso trabalho: ‘Ensinar arrependimento e batizar conversos’. Mas conversos a quê? A Jesus Cristo, nosso Salvador e nosso Redentor, à Sua doutrina, ao Seu evangelho restaurado, à Sua autoridade, ao Seu nome. A conversão ao Senhor Jesus Cristo e ao Seu evangelho deve preceder a conversão à Sua Igreja e a ser membro dela. (…) Busque a conversão a Jesus Cristo e a Seu evangelho” (“Closing Remarks”, discurso proferido no seminário para novos presidentes de missão, 28 de junho de 2017, p. 6, Biblioteca de História da Igreja, Salt Lake City).

    Para se aproximarem do Salvador, as pessoas precisam ter fé Nele para o arrependimento — fazer as mudanças necessárias na vida para que esteja de acordo com Seus ensinamentos. Vocês podem ajudar as pessoas a desenvolver tal fé ensinando-lhes o evangelho restaurado pelo Espírito e convidando-as a assumir o compromisso de viverem de acordo com Seus ensinamentos. O cumprimento desse compromisso vai prepará-las para os convênios do batismo e da confirmação e para receber o precioso dom do Espírito Santo. Elas vão se despojar do “homem natural” e se tornar santas “pela expiação de Cristo, o Senhor” (Mosias 3:19).

    Atividade: Estudo pessoal ou com o companheiro

    Examine a gravura da árvore da vida nesta página à medida que estuda a visão da árvore da vida, que se encontra em 1 Néfi 8 e 11. Nessa visão, a árvore da vida simboliza o amor de Deus (ver 1 Néfi 11:21–22).

    • O que Leí desejou depois de ter comido do fruto? (Ver 1 Néfi 8:10–18.)

    • Na visão, o que as pessoas precisavam fazer para que pudessem comer do fruto? O que precisamos fazer para receber todas as bênçãos da Expiação do Salvador? De que maneiras os compromissos e os convênios nos ajudam a desfrutar essas bênçãos?

    • Como missionário, qual é seu dever em relação a ajudar as pessoas a encontrar o evangelho e a partilhar de seus frutos?

    O evangelho abençoa indivíduos e famílias

    A mensagem da Restauração do evangelho de Jesus Cristo abençoa indivíduos e famílias. Graças à Restauração, compreendemos o propósito de Deus para Seus filhos: “O plano divino de felicidade permite que os relacionamentos familiares sejam perpetuados além da morte. As ordenanças e os convênios sagrados dos templos santos permitem que as pessoas retornem à presença de Deus e que as famílias sejam unidas para sempre” (“A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, maio de 2017, p. 145).

    Na Terra, o relacionamento familiar pode ser a fonte de algumas de nossas maiores alegrias. Satanás está atacando a família por muitos lados, e muitas famílias estão sendo destruídas por esse ataque. A mensagem do evangelho restaurado de Jesus Cristo é a de que todas as pessoas fazem parte da família de Deus e que as famílias podem ficar unidas agora e na eternidade. Por viverem os princípios do evangelho, as famílias podem ter paz, alegria e um sentimento de união e identidade nesta vida. Por meio da luz do evangelho, as famílias podem resolver mal-entendidos, brigas e desafios. As famílias divididas pela discórdia podem ser curadas pelo arrependimento, pelo perdão e pela fé no poder da Expiação de Jesus Cristo. “A felicidade na vida familiar é mais provável de ser alcançada quando fundamentada nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo. O casamento e a família bem-sucedidos são estabelecidos e mantidos sob os princípios da fé, da oração, do arrependimento, do perdão, do respeito, do amor, da compaixão, do trabalho e de atividades recreativas salutares” (“A Família: Proclamação ao Mundo”, p. 145).

    Esforce-se para encontrar e ensinar famílias — pai, mãe e filhos — que se apoiem mutuamente para viver o evangelho e, por fim, sejam seladas como unidade familiar pela autoridade restaurada do sacerdócio.

    Ensinar pelo Espírito

    Como o evangelho de Jesus Cristo é o “poder de Deus para salvação a todo aquele que crê” (Romanos 1:16), a mensagem da Restauração do evangelho precisa ser ensinada com poder divino — o poder do Espírito Santo, que é o terceiro membro da Deidade. Ele frequentemente é chamado de o Espírito, e um de Seus papéis é ensinar a verdade e prestar testemunho dela. Quando você ensinar com esse poder, o Espírito Santo vai:

    • Ensinar-lhe novas verdades e fazer com que se lembre da doutrina que você estudou (ver João 14:26).

    • Dar as palavras que você deve dizer no exato momento em que delas necessitar (ver Doutrina e Convênios 84:85).

    • Levar sua mensagem ao coração das pessoas que você estiver ensinando (ver 2 Néfi 33:1).

    • Prestar testemunho da veracidade de sua mensagem e confirmar suas palavras (ver Doutrina e Convênios 100:5–8).

    • Ajudá-lo a perceber as necessidades das pessoas que você estiver ensinando (ver Alma 12:7).

    O Espírito é essencial para que você ensine as verdades do evangelho de modo a fazer com que as pessoas edifiquem a fé. Ao se esforçar para desenvolver a fé que o leva a confiar no Espírito, você deve:

    Você foi designado a seu chamado sagrado com a promessa de que o Espírito lhe será dado à medida que cumprir as exigências estabelecidas pelo Senhor. Um de seus desejos mais sinceros deve ser o de desfrutar os dons do Espírito.

    O poder e a autoridade de seu chamado

    Os missionários devem ir “no poder da ordenação com o qual [foram ordenados], proclamando boas novas de grande alegria, sim, o evangelho eterno” (Doutrina e Convênios 79:1).

    Como missionário, você tem autoridade para pregar o evangelho. O presidente Dallin H. Oaks ensinou: “Qualquer pessoa que atue em um ofício ou chamado recebido de alguém que possui as chaves do sacerdócio exerce a autoridade do sacerdócio ao cumprir seus deveres designados” (“As chaves e a autoridade do sacerdócio”, A Liahona, maio de 2014, p. 51). Ao exercer fervorosa e dignamente essa autoridade, você receberá poder espiritual, que é uma prova da veracidade de seu chamado. Não tenha medo nem seja tímido no cumprimento desse encargo. Assim como os filhos de Mosias, você deve ensinar com o poder e a autoridade de Deus (ver Alma 17:2–3). Se você possui o sacerdócio, também tem autoridade para ministrar suas ordenanças.

    Quando você foi designado pela autoridade do sacerdócio, recebeu o direito e o privilégio de representar o Senhor. Você recebeu um certificado de ministério que confirma essa autoridade para o mundo. O presidente Spencer W. Kimball disse: “A designação pode ser considerada de modo literal; você foi separado do pecado, separado do carnal; separado de tudo que é cruel, vil, maligno, barato ou vulgar; separado do mundo e levado para um nível mais elevado de pensamento e atividade. A bênção é condicional à fidelidade” (The Teachings of Spencer W. Kimball, ed. por Edwards L. Kimball, 1982, p. 478).

    Com a autoridade que recebeu, você assumiu a responsabilidade de ser digno de seu chamado. Como representante do Senhor, você deve ser “o exemplo dos fiéis” (1 Timóteo 4:12) Esforce-se para viver de acordo com os mandamentos de Deus e para cumprir os convênios que fez no templo; conheça as escrituras; seja educado, pontual e digno de confiança; siga os padrões missionários de conduta, vestuário e aparência; e ame as pessoas a quem você serve e com quem trabalha. Honre o nome de Cristo com suas ações.

    Além da autoridade, você também deve exercer poder em seu trabalho. A autoridade que você recebeu pode conduzi-lo ao poder. De fato, o poder espiritual é uma prova de que sua autoridade é real. O poder espiritual é um dom que lhe possibilita fazer seu trabalho de modo mais eficaz.

    Seu poder e sua autoridade devem ser evidentes quando você estiver trabalhando e ensinando. O poder pode se manifestar em muitas coisas que você faz, por exemplo:

    Estudo das escrituras

    Como você recebe poder?

    Atividade: Estudo pessoal ou com o companheiro

    Olhe para a pintura de Cristo ordenando os apóstolos e depois leia João 15:1–16.

    De que modo Cristo é a vinha? De que modo você é um ramo dessa vinha? O que sua designação tem a ver com esse relacionamento?

    Leia novamente seu certificado de ministério. Escreva seus sentimentos e pensamentos sobre o que leu. Toda vez que estudar este capítulo, repita o processo. Observe como seus sentimentos mudam ao longo do tempo.

    Estude Doutrina e Convênios 109:13–15, 21–30, 38–39, 55–57, que são trechos da inspirada oração dedicatória do profeta Joseph Smith para o Templo de Kirtland. Que bênçãos Joseph Smith pediu para os fiéis?

    Christ Ordaining the Twelve Apostles

    O evangelho de Jesus Cristo

    O evangelho de Jesus Cristo define sua mensagem e seu propósito, ou seja, ele determina o “quê” e o “porquê” do trabalho missionário.

    O Livro de Mórmon ensina claramente o evangelho de Jesus Cristo. De acordo com o Livro de Mórmon, o evangelho inclui (1) fé no Senhor Jesus Cristo; (2) arrependimento por meio da Expiação de Cristo; (3) batismo por imersão em nome de Cristo; (4) o dom do Espírito Santo; e (5) perseverar até o fim (ver 2 Néfi 31; 3 Néfi 11 e 3 Néfi 27).

    Ele também nos ensina o que precisamos crer a respeito de Cristo para exercermos fé Nele. Por exemplo, quando apresentou Seu evangelho às pessoas no Novo Mundo, o Salvador disse: “Vim ao mundo para fazer a vontade de meu Pai, porque meu Pai me enviou. E meu Pai enviou-me para que eu fosse levantado na cruz; e depois que eu fosse levantado na cruz, pudesse atrair a mim todos os homens, a fim de que, assim como fui levantado pelos homens, assim sejam os homens levantados pelo Pai, para comparecerem perante mim a fim de serem julgados por suas obras, sejam elas boas ou más” (3 Néfi 27:13–14).

    O Salvador acrescentou: “Em verdade, em verdade vos digo que este é o meu evangelho; e sabeis o que deveis fazer em minha igreja; pois as obras que me vistes fazer, essas também fareis; porque aquilo que me vistes fazer, isso fareis” (3 Néfi 27:21).

    Além disso, o Livro de Mórmon nos dá exemplos do tipo de coisas que devemos fazer se quisermos perseverar até o fim, incluindo a investidura e as ordenanças seladoras do templo, a oração, o jejum, o estudo das escrituras, seguir o exemplo do Salvador e desenvolver atributos cristãos. Nesse contexto, o Livro de Mórmon ensina que podemos nos tornar “[santos] pela expiação de Cristo, o Senhor” (Mosias 3:19).

    Um propósito do evangelho de Jesus Cristo é purificar as pessoas de seus pecados para que recebam Sua misericórdia no dia do julgamento. Portanto, o enfoque deste manual e, mais importante, o trabalho que você realiza a cada dia é convidar as pessoas a achegarem-se a Cristo, ajudando-as a receber o evangelho restaurado por meio da fé em Jesus Cristo e em Sua Expiação, do arrependimento, do batismo, do recebimento do Espírito Santo e da perseverança até o fim.

    As pessoas e as famílias começam a seguir a Cristo ao exercerem fé Nele e ao se arrependerem de seus pecados. Elas desenvolvem essa fé à medida que seguem o exemplo do Salvador, sendo humildes, buscando a vontade de Deus e obedecendo aos Seus mandamentos (ver 2 Néfi 31:6–7; 3 Néfi 27:13–14). Elas recebem a remissão de pecados por meio do batismo e do recebimento do dom do Espírito Santo, por alguém que possua autoridade de Deus para realizar essas ordenanças. Elas então perseveram até o fim, ou em outras palavras, continuam exercendo fé em Jesus Cristo por toda a vida, arrependendo-se e renovando os convênios que fizeram. Esses passos não são algo que elas vivenciam apenas uma vez na vida; mas, ao serem repetidos por toda a vida, esses princípios se tornam um padrão de vida cada vez mais recompensador. Na verdade, essa é a única maneira de viver que trará paz de consciência e permitirá que os filhos do Pai Celestial voltem a viver em Sua presença.

    A obediência a Jesus Cristo é um compromisso vitalício. Ao exercermos fé, arrependermo-nos, sermos batizados, comprometermo-nos a servir a Cristo e então recebermos o Espírito Santo, podemos vivenciar a cura, o perdão dos pecados e a conversão completa ao Salvador e ao Seu evangelho.

    A doutrina de Cristo muda a crença das pessoas e o modo como elas vivem; também orienta sua maneira de trabalhar e concentrar seus esforços. Ajude as pessoas a adquirir a fé em Jesus Cristo que leva ao arrependimento, ensinando e testificando que a plenitude do evangelho de Jesus Cristo e a autoridade do sacerdócio foram restauradas, e as convide a viver de acordo com Seus ensinamentos.

    Estudo das escrituras

    Qual é a doutrina e os princípios do evangelho de Cristo encontrados nesses versículos?

    A mensagem da Restauração: O alicerce da fé

    Não importa onde você serve ou a quem ensina, concentre seu ensinamento na Restauração do evangelho de Jesus Cristo. “O Senhor vai [abençoá-lo] ao [levar] a mensagem da Restauração a um mundo que precisa desesperadamente do evangelho de Jesus Cristo” (“Declaração sobre o trabalho missionário”, carta da Primeira Presidência, 11 de dezembro de 2002). Ao estudar a doutrina das lições missionárias, você verá que temos uma mensagem: Por meio de um profeta moderno, Deus restaurou o conhecimento do plano de salvação, que se centraliza na Expiação de Jesus Cristo e se cumpre quando vivemos os princípios e as ordenanças do evangelho.

    Certifique-se de que todas as pessoas a quem você ensinar compreendam claramente o seguinte:

    • Deus é literalmente nosso Pai Celestial. Ele nos ama. Todas as pessoas desta Terra são filhos e filhas de Deus e membros da família Dele. Jesus Cristo, o Filho de Deus, é nosso Salvador e Redentor.

    • Nosso amoroso Pai Celestial estendeu a mão para Seus filhos durante toda a história da Bíblia, revelando Seu evangelho aos profetas. Infelizmente, muitas pessoas rejeitaram esse evangelho; até aqueles que o aceitaram mudaram a doutrina e as ordenanças, e caíram em descrença e apostasia.

    • Nosso Pai Celestial enviou Seu Filho Amado, Jesus Cristo, à Terra. O Salvador realizou milagres e ensinou Seu evangelho. Ele realizou a Expiação e ressuscitou.

    • Começando pela Primeira Visão, Deus novamente estendeu a mão com amor para Seus filhos. Ele restaurou o evangelho de Jesus Cristo e Sua autoridade do sacerdócio e organizou Sua Igreja na Terra por intermédio do profeta Joseph Smith.

    • Devido à Ressurreição do Salvador, todas as pessoas ressuscitarão e serão salvas, ou ganharão a salvação da morte física. Essa é uma dádiva incondicional.

    • As pessoas também podem ser salvas, ou ganhar a salvação, da morte espiritual por meio da Expiação de Jesus Cristo, ao exercer fé Nele, viver em obediência às leis e ordenanças de Seu evangelho e servindo-O.

    • Além de ganhar a salvação, também podemos nos qualificar para a exaltação, sendo fiéis aos convênios feitos com Deus no templo sagrado (ver 2 Néfi 31:14–20).

    • O Livro de Mórmon é uma prova convincente do evangelho restaurado.

    À medida que você ajudar as pessoas a quem está ensinando a ver o padrão de apostasia e restauração, elas estarão preparadas para compreender a grande necessidade da Restauração dos últimos dias. Elas perceberão a necessidade de aceitarem o evangelho restaurado, receberem as ordenanças de salvação pela autoridade do sacerdócio restaurado e seguirem o caminho que conduz à vida eterna. Ajude as pessoas a reconhecerem que a Igreja não é simplesmente mais uma religião e também que não é uma igreja americana. Mas, sim, ela é a restauração da “plenitude do (…) evangelho” (Doutrina e Convênios 1:23), o mesmo que foi revelado e ensinado desde o princípio.

    O Livro de Mórmon: Outro Testamento de Jesus Cristo é uma prova convincente de que Joseph Smith foi um profeta e que o evangelho de Jesus Cristo foi restaurado. Ele é a pedra angular de nossa religião, o mais poderoso recurso para ensinar esta mensagem. Algumas verdades importantes restauradas por intermédio de Joseph Smith incluem o conhecimento de que Deus é nosso Pai e que somos Seus filhos espirituais, que vivemos com Ele antes de nascer e que a família pode ser exaltada e viver unida para sempre na presença de Deus, por meio da Expiação de Cristo, pela obediência às leis e ordenanças do evangelho.

    O Livro de Mórmon é a prova do amor de Deus por Seus filhos. Ele presta testemunho de Jesus Cristo e de Seu chamado divino como Salvador do mundo. Ele mostra que Deus fala a Seus filhos. À medida que você ensinar e testificar, convide as pessoas a ler o Livro de Mórmon e a orar sobre sua mensagem. Cada pessoa a quem você ensinar precisa decidir se aceitará o Livro de Mórmon como revelação de Deus.

    Confie na extraordinária promessa de Morôni 10:3–5. Faça tudo o que puder para persuadir as pessoas a lerem o livro, para ajudá-las a compreenderem-no e motivá-las a perguntarem a Deus sinceramente se ele é verdadeiro. O testemunho do Espírito Santo se tornará a pedra angular de sua fé no fato de que Cristo restaurou Sua Igreja. Ajude as pessoas a quem você está ensinando a receber essa confirmação espiritual.

    Estudo das escrituras

    Como você deve usar o Livro de Mórmon no trabalho missionário?

    Atividade: Estudo pessoal

    Imagine que você vai escrever um parágrafo a respeito da mensagem da Restauração nas mídias sociais ou para um jornal local. Em seu diário de estudo, escreva um título que descreva a mensagem central. Em seguida, escreva seus pensamentos e sentimentos a respeito da mensagem, inclusive como o fato de compreendê-la melhor mudou sua maneira de viver e de ver o mundo a seu redor.

    Ajudar as pessoas a assumir compromissos: A porta para a fé e para o arrependimento

    Ajude as pessoas a se qualificarem para o batismo e para a confirmação, ensinando-lhes a doutrina verdadeira e convidando-as a se arrepender e a mudar de vida, assumindo e cumprindo compromissos que edificarão sua fé em Jesus Cristo. Esses compromissos preparam as pessoas para fazer e cumprir convênios sagrados.

    O élder Jeffrey R. Holland ensinou: “A primeira coisa que você deve fazer quando alguém lhe disser que não leu o Livro de Mórmon e não orou a respeito dele é ficar arrasado! (…) Na maioria das vezes, damos pouca importância a tudo isso. Trata-se da vida eterna. Trata-se da salvação dos filhos de Deus. A eternidade está em jogo. (…) É o caminho mais importante que [uma pessoa] vai tomar na vida. Mas, se ela não souber disso, ao menos você sabe! (…) Portanto, assuma o controle da situação. Ensine com poder e autoridade, e depois fique arrasado se os primeiros passos para o cumprimento dos mandamentos e dos convênios não tiveram um início bem-sucedido” (“Making and Keeping Covenants”, transmissão via satélite para missionários, abril de 1997).

    Ao ensinar as pessoas a compreender a Restauração da plenitude do evangelho, você deve “declarar arrependimento” (Doutrina e Convênios 15:6). O arrependimento envolve uma mudança no coração e o desejo de abandonar o pecado e servir a Deus. Envolve a submissão humilde ao Espírito e à vontade de Deus. Exige que as pessoas assumam um compromisso maior de viver de acordo com a vontade de Deus. O arrependimento exige uma sincera e duradoura mudança de pensamentos, desejos, hábitos e ações. É uma experiência positiva que traz alegria e paz. Seja destemido e amoroso ao ajudar as pessoas a compreender o que precisam fazer para se arrependerem. Ao convidar as pessoas a assumir compromissos, você estará transmitindo com eficácia uma mensagem de admoestação e esperança.

    Estudo das escrituras

    O que estas escrituras ensinam a respeito de declarar arrependimento?

    Batismo e confirmação

    Batizar e confirmar as pessoas que você está ensinando é o ponto central de seu propósito. O batismo é para a remissão de pecados, e o dom do Espírito Santo proporciona uma infinidade de bênçãos para aqueles que são dignos dele. Por meio dessas ordenanças, as pessoas entram pelo portão e seguem pelo caminho que conduz à vida eterna e à exaltação. O presidente Dallin H. Oaks disse: “Não pregamos e ensinamos para ‘trazer pessoas para a Igreja’ ou para aumentar o número de membros da Igreja. Não pregamos e ensinamos apenas para persuadir as pessoas a terem uma vida melhor. (…) Convidamos todas as pessoas a achegarem-se a Cristo por meio do arrependimento, do batismo e da confirmação para que as portas do reino celestial sejam abertas aos filhos e às filhas de Deus. Ninguém mais pode fazer isso” (“The Purpose of Missionary Work”, transmissão via satélite para missionários, abril de 1995).

    À medida que ensinar o evangelho restaurado de Jesus Cristo, ajude as pessoas a entender a natureza sagrada e a necessidade do batismo pela água e pelo Espírito, e a confirmação como membros da Igreja. Ajude as pessoas a entender que receber o dom do Espírito Santo é uma grande bênção nesta vida e a chave para a salvação. O Espírito Santo “[lhes] ensinará todas as coisas” (João 14:26). O presidente Boyd K. Packer ensinou: “Quando estiverem ensinando as pessoas e preparando-as para o batismo pela água, vocês também precisam pensar no dom do Espírito Santo — o batismo pelo fogo. Pensem nisso como uma frase. Primeiro vem o batismo pela água e depois o batismo pelo fogo” (“The Gift of the Holy Ghost: What Every Missionary Should Know—and Every Member As Well”, discurso proferido no seminário para novos presidentes de missão, junho de 2003). O profeta Joseph Smith ensinou: “O batismo pela água é apenas metade do batismo e de nada serve sem a outra metade — ou seja, o batismo do Espírito Santo” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 100).

    Ajude essas pessoas a compreender que, para se qualificar para o batismo e para a confirmação, elas precisam cumprir as condições dadas em Doutrina e Convênios 20:37.

    Doutrina e Convênios 20:37 Requisitos para o batismo

    • Humilhar-se perante Deus.

    • Desejar ser batizado.

    • Apresentar-se com o coração quebrantado e o espírito contrito.

    • Arrepender-se de todos os seus pecados.

    • Estar disposto a tomar sobre si o nome de Jesus Cristo.

    • Ter o firme propósito de servir a Cristo até o fim.

    • Manifestar por suas obras que recebeu o Espírito de Cristo para a remissão de seus pecados.

    Depois que os conversos dignos são batizados, eles são confirmados membros da Igreja e o dom do Espírito Santo lhes é conferido. Essa confirmação acontece sob a direção do bispo ou do presidente do ramo, em uma reunião sacramental logo após o batismo. Embora as duas ordenanças estejam separadas por um breve período de tempo, a confirmação complementa e completa o batismo.

    Estudo das escrituras

    De que maneiras o dom do Espírito Santo é um dos maiores dons que podemos receber?

    Por que os conversos devem ter o desejo de receber o dom do Espírito Santo?

    Atividade: Estudo com o companheiro

    Pesquisem as seguintes escrituras e façam uma lista de requisitos e de convênios do batismo. Debata com seu companheiro sobre como ensinar esses requisitos às pessoas.

    Estabelecer A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

    Depois que as pessoas tiverem sido batizadas e confirmadas membros da Igreja, continue a trabalhar com os líderes e com os membros da ala para ajudar esses recém-conversos a se adaptarem à nova vida e continuarem seu crescimento espiritual. A Igreja é estabelecida à medida que as pessoas que têm um testemunho são batizadas e confirmadas, cumprem seus convênios, preparam-se ativamente para ir ao templo e ajudam a fortalecer a ala ou o ramo.

    Os conversos que têm amigos membros, que recebem uma responsabilidade, que são nutridos pela palavra de Deus crescem em testemunho e em fé. Os missionários, os líderes locais e os membros da Igreja não devem se esquivar de sua responsabilidade de nutrir e fortalecer os membros novos.

    Fazer o bem

    Durante Seu ministério mortal, o Salvador “[tomou] a forma de servo” (Filipenses 2:7). Ele “andou fazendo o bem” (Atos 10:38) e “pregando o evangelho” (Mateus 4:23). Ao seguir esse exemplo, você encontrará aqueles a quem poderá servir e que vão recebê-lo.

    Por meio do serviço, você cumpre os dois grandes mandamentos de amar a Deus e amar ao próximo (ver Mateus 22:36–40). Por meio do serviço, você e aqueles que estão preparados para receber o evangelho restaurado também podem se reunir de modo vigoroso e inspirador. Suas boas obras ajudarão algumas pessoas a reconhecê-lo como servo de Deus e podem conduzi-lo a oportunidades de ensinar o evangelho restaurado. Entretanto, o serviço cristão deve ser oferecido como uma expressão sincera de amor pelas pessoas ao seu redor, sem a expectativa de que elas ouçam a mensagem do evangelho ou aceitem uma visita de ensino.

    Muitos missionários tiveram experiência com o serviço ao próximo antes da missão participando de “projetos de serviço” planejados, como ajudar uma pessoa a se mudar, limpar a capela ou ajudar alguém a cuidar do quintal. Como missionário, você oferecerá esse tipo de serviço planejado todas as semanas (ver o Manual Missionário para obter mais informações). Sob a direção de seu presidente de missão, busque oportunidades de servir na comunidade por meio do site JustServe (onde aprovado), por meio dos serviços humanitários da Igreja ou do Programa Mãos Que Ajudam (onde for possível).

    O tipo de serviço descrito nesta seção enfoca oportunidades não planejadas. Esse tipo de serviço exige que você ouça o Espírito para reconhecer oportunidades de realizar pequenos atos de bondade que pode oferecer aos filhos de Deus. Ore e fique atento a oportunidades de fazer o bem todos os dias.

    Christ Healing a Blind Man

    Diretrizes

    Lembre-se das seguintes diretrizes ao procurar fazer o bem:

    • Fique perto de seu companheiro.

    • Preserve a natureza sagrada de seu chamado.

    • Cumpra as regras missionárias e não doe ou use seu dinheiro.

    • Veja no Manual Missionário as diretrizes sobre serviço comunitário semanal.

    Estudo das escrituras

    Qual foi o papel do serviço na vida do Salvador?

    Qual foi o papel do serviço na missão de Amon e de Aarão?

    O que o Senhor pede que você faça?

    Um missionário bem-sucedido

    Seu sucesso como missionário é medido principalmente por sua dedicação em encontrar, ensinar, batizar e confirmar pessoas e ajudá-las a se tornarem fiéis membros da Igreja, que desfrutam a presença do Espírito Santo.

    Evite se comparar com outros missionários e avaliar os resultados externos de seu trabalho com os deles. Lembre-se de que as pessoas possuem o arbítrio para escolher se vão aceitar sua mensagem. Sua responsabilidade é ensinar com clareza e poder para que elas façam uma escolha consciente. Alguns talvez não aceitem sua mensagem, mesmo que tenham recebido um testemunho espiritual de que ela é verdadeira. Você ficará triste porque ama essas pessoas e deseja a salvação delas. Contudo, você não deve ficar desanimado, porque isso vai enfraquecer sua fé. Se você rebaixar suas expectativas, sua eficácia diminuirá, seu desejo enfraquecerá e você terá mais dificuldade de seguir o Espírito.

    Você pode saber que está sendo um missionário bem-sucedido quando:

    • Sentir que o Espírito testifica às pessoas por seu intermédio.

    • Amar as pessoas e desejar que elas sejam salvas.

    • Obedecer com exatidão.

    • Viver de modo que possa receber e saber como seguir o Espírito, que lhe mostrará para onde ir, o que fazer e o que dizer.

    • Desenvolver atributos cristãos.

    • Trabalhar eficazmente todos os dias, fazer o melhor possível para trazer almas a Cristo e buscar sinceramente aprender e ser melhor.

    • Ajudar a estabelecer e fortalecer a Igreja (a estaca e a ala), seja onde for que esteja designado a trabalhar.

    • Admoestar as pessoas sobre as consequências do pecado. Convidá-las a assumir e a cumprir compromissos.

    • Ensinar e servir a outros missionários.

    • Fazer o bem e servir às pessoas em todas as oportunidades, quer elas aceitem ou não sua mensagem.

    Mesmo que tenha feito o melhor possível, ainda assim pode ser que você tenha decepções, mas não ficará desapontado consigo mesmo. Terá a certeza de que o Senhor está satisfeito quando sentir o Espírito trabalhando por seu intermédio.

    Estudo das escrituras

    Como os servos do Senhor se sentem a respeito do trabalho? Como os servos do Senhor influenciam as pessoas a quem servem?

    Atividade: Estudo pessoal

    • Leia Helamã 10:1–5 e 3 Néfi 7:17–18. Como o Senhor Se sentiu a respeito desses missionários e do serviço que prestaram?

    • Pense no trabalho missionário de Abinádi e de Amon (ver Mosias 11–18; Alma 17–20, 23–24). Por que os dois missionários foram bem-sucedidos, mesmo que o resultado imediato de seu trabalho tenha sido diferente?

    • Escreva em seu diário de estudo o que aprendeu.

    Lembre-se disto

    • Seu propósito é convidar as pessoas a achegarem-se a Cristo, ajudando-as a receber o evangelho restaurado por meio da fé em Jesus Cristo e em Sua Expiação, do arrependimento, do batismo, do recebimento do dom do Espírito Santo e da perseverança até o fim.

    • O evangelho restaurado de Jesus Cristo é o único caminho pelo qual podemos alcançar a felicidade eterna.

    • Seu chamado lhe dá autoridade; o cumprimento dos convênios lhe dá poder.

    • A plenitude do evangelho de Jesus Cristo foi restaurada por intermédio do profeta Joseph Smith. O Livro de Mórmon é uma prova de que Joseph Smith foi um profeta.

    • Você ajuda as pessoas a viver o evangelho convidando-as a assumir e a cumprir compromissos.

    • Você demonstra seu amor pelo Senhor e sua gratidão pela Expiação conduzindo almas a Ele.

    • Você terá sido bem-sucedido se for obediente, se viver em retidão e fizer o seu melhor para ajudar as pessoas a viver o evangelho.

    Trabalho missionário

    Veja a seguir declarações de alguns presidentes da Igreja nesta dispensação.

    Presidente Joseph Smith (1830–1844)

    “Depois de tudo o que foi dito, o maior e mais importante dever é pregar o evangelho” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 346).

    Presidente George Albert Smith (1945–1951)

    “Somente alcançaremos nossa exaltação no reino celestial sob a condição de que compartilhemos com os outros filhos de nosso Pai as bênçãos do evangelho de Jesus Cristo e cumpramos os mandamentos que enriquecerão nossa vida aqui e no mundo vindouro” (Sharing the Gospel with Others, p. 190).

    Presidente David O. McKay (1951–1970)

    “Todo membro (…) um missionário!” (Conference Report, abril de 1959, p. 122.)

    “O verdadeiro cristianismo é o amor em ação. Não há melhor maneira de manifestar o amor a Deus do que demonstrar um amor não egoísta pelo próximo. Esse é o espírito do trabalho missionário” (Gospel Ideals, 1954, p. 129).

    Presidente Ezra Taft Benson (1985–1994)

    “Somos ordenados por Deus a levar este evangelho para todo o mundo. Essa é a causa que nos deve unir hoje. Somente o evangelho salvará o mundo da calamidade de sua autodestruição. Somente o evangelho unirá os homens de todas as raças e nacionalidades em paz. Somente o evangelho trará alegria, felicidade e salvação para a humanidade” (The Teachings of Ezra Taft Benson, 1988, p. 167).

    Presidente Howard W. Hunter (1994–1995)

    “O que a Expiação [de Jesus Cristo] tem a ver com o trabalho missionário? Toda vez que sentimos as bênçãos da Expiação [do Salvador] em nossa vida, não podemos deixar de nos preocupar com o bem-estar [das outras pessoas]. (…) Uma grande evidência da conversão pessoal é o desejo de compartilhar o evangelho com os outros” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Howard W. Hunter, 2015, pp. 128–129).

    Presidente Gordon B. Hinckley (1995-2008)

    “Estamos aqui para ajudar nosso Pai em Sua obra e Sua glória: ‘Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem’ (Moisés 1:39). A obrigação de cada um é tão séria em sua esfera de responsabilidade quanto o é a minha em minha esfera” (“Esta é a obra do Mestre”, A Liahona, julho de 1995, p. 76).

    “Cultivemos no coração de todo membro o entendimento de seu próprio potencial para levar outras pessoas ao conhecimento da verdade. Vamos todos trabalhar nisso. Oremos com maior sinceridade a esse respeito” (“Encontrem as ovelhas e apascentem-nas”, A Liahona, julho de 1999, p. 120).

    Presidente Thomas S. Monson (2008–2018)

    “Lembrem-se de que esta obra não é apenas sua ou minha. É a obra do Senhor e, quando estamos a serviço do Senhor, temos direito a Seu auxílio. Lembrem-se de que o Senhor molda a pessoa para que ela seja capaz de carregar o fardo que lhe foi colocado nas costas” (“Aprender, fazer e ser”, A Liahona, novembro de 2008, p. 62).

    Presidente Russell M. Nelson (2018 até o presente)

    “A mensagem do Senhor é para todos. Este é um trabalho mundial. (…) A mensagem é convidar todos os filhos de Deus em ambos os lados do véu a se achegarem ao Salvador, desfrutarem as bênçãos do templo, terem uma alegria duradoura e se qualificarem para a vida eterna. E isso trará esperança, auxílio e encorajamento para todas as pessoas” (“President Nelson Bolsters Faith from London, First Stop on Global Tour”, Church News, 13 de abril de 2018, lds.org/church/news/president-nelson-bolsters-faith-from-london-first-stop-on-global-tour).

    Ideias para estudo e aplicação

    Estudo pessoal

    • Prepare um discurso de dois minutos sobre uma das perguntas do início deste capítulo. Esteja preparado para apresentar seu discurso a seu companheiro ou a outros missionários em um conselho de distrito.

    • Peça a recém-conversos que contem a história de como se converteram. O que os ajudou a adquirir “fé para o arrependimento” (Alma 34:17)? Por que decidiram ser batizados e confirmados? Como foi para eles se tornar novos membros da Igreja? Como os missionários poderiam tê-los servido melhor?

    • Pense no que significa erguer a voz de advertência (ver Jacó 3:12; Doutrina e Convênios 1:4; 38:41; 63:57–58; 88:81; 112:5; Ezequiel 3:17–21; 33:1–12). Escreva com suas próprias palavras o que isso significa e como você pode fazê-lo.

    • Leia Mórmon 8 e Morôni 1 e 10. Enquanto lê, pergunte a si mesmo: “Qual era a esperança de Morôni para nossos dias? O que ele deseja que façamos com o Livro de Mórmon? O que você diria para Morôni se tivesse a chance de se encontrar com ele?” Escreva seus pensamentos em seu diário de estudo.

    • Pense nos acontecimentos de sua vida que fortaleceram seu testemunho de Joseph Smith e da Restauração. Depois, escreva uma resposta para esta pergunta: O que ajudou você a saber que o Pai Celestial e Jesus Cristo apareceram a Joseph Smith?

    Estudo com o companheiro

    • Compartilhem um com o outro suas respostas para as perguntas da seção “Pense nisto”, no início do capítulo.

    • Compartilhem um com o outro quais foram suas esperanças e seus desejos para sua missão quando receberam o chamado missionário. Até que ponto suas experiências até o momento atingiram essas expectativas? Como vocês podem cumprir mais plenamente essas expectativas?

    • Leiam e conversem sobre o tópico “Ministério, Ministro” no Guia para Estudo das Escrituras.

    • Escolham um destes grandes missionários e leiam as referências relacionadas. Enquanto estiverem lendo, conversem sobre como este missionário (1) compreendeu seu chamado e se dedicou a ele, (2) demonstrou sua atitude e seu desejo de trabalhar, e (3) ajudou outras pessoas a aceitar o evangelho.

    • No hinário, escolham dois hinos do tópico “Restauração” (ver páginas 278–279). Leiam ou cantem os hinos. Debatam o significado das palavras.

    • Leiam juntos os tópicos “”, “Arrepender-se, Arrependimento”, “Batismo, Batizar” e “Espírito Santo” no Guia para Estudo das Escrituras. Leiam e troquem ideias sobre todas as referências das escrituras de cada verbete.

    • Leiam juntos o tópico “Dispensação” no Guia para Estudo das Escrituras. Também leiam e debatam Doutrina e Convênios 136:37.

    Conselhos de distrito, conferências de zona e conselhos de liderança da missão

    • Peça a dois ou três recém-conversos que contem como se converteram. Como eles se sentiram a respeito dos missionários? E quanto ao que os missionários ensinaram? O que mais influenciou a conversão deles?

    • Peça a um líder do sacerdócio que converse com os missionários sobre as oportunidades e dificuldades de edificar a Igreja em sua área.

    • Leia Alma 18 e debata estas perguntas: Quais foram os sentimentos de Lamôni no início da história? De que modo eles mudaram? Que sentimentos a pessoa precisa ter para receber as bênçãos do evangelho? Leia Alma 34:15–16 e compare com a história de Lamôni. Como a Expiação de Cristo nos permite alcançar misericórdia?

    • Debata o que significa ser um missionário bem-sucedido. Convide os missionários a dar exemplos específicos de sucesso.

    • Divida os missionários em três grupos. Designe um grupo para ler Atos 2:36–38 (Pedro), outro grupo para ler Atos 16:25–33 (Paulo) e outro grupo para ler Mosias 18:8–11 (Alma). Peça a cada grupo que responda à pergunta: “O que este missionário fez para ajudar as pessoas a terem mais fé em Cristo, arrependerem-se e receberem o batismo e a confirmação?” Debata sobre o que os missionários aprenderam com essas histórias que poderia ajudá-los a exercer fé ao convidar as pessoas a se arrependerem, a serem batizadas e a receberem o dom do Espírito Santo.

    • Alguns dias antes da reunião, designe vários missionários para ponderar sobre perguntas tiradas da seção “Pense nisto” no início deste capítulo. Peça a cada missionário que prepare um discurso de dois a três minutos sobre a pergunta que lhe foi designada. Durante o conselho de distrito ou durante a conferência de zona, permita que os missionários apresentem seu discurso. Depois dos discursos, faça um debate sobre o que aprenderam e como podem usar essas coisas em seu trabalho missionário.

    • Divida os missionários em quatro grupos. Peça a cada grupo que faça uma lista com o maior número de verdades, convênios e ordenanças que foram restauradas e reveladas por meio do profeta Joseph Smith. Peça a cada grupo que leia o que anotou. Convide os missionários a compartilhar sobre a influência que uma das verdades reveladas por meio da Restauração teve na vida deles.

    Presidente de missão, esposa e conselheiros

    • Durante as entrevistas ou conversas, de tempos em tempos, peça aos missionários que compartilhem com você:

      • Seu testemunho de Jesus Cristo.

      • Seu testemunho do evangelho restaurado e da missão de Joseph Smith.

      • Seu testemunho do Livro de Mórmon.

      • Seus pensamentos a respeito de seu propósito como missionários.

    • Convide os missionários a anotar no diário de estudo qual é, na opinião deles, o propósito de sua missão. Durante uma entrevista ou uma conversa, peça-lhes que leiam para você o que escreveram.

    • Envie uma carta parabenizando os membros novos.