Conferência Geral
Permita que Deus prevaleça
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Permita que Deus prevaleça

Vocês estão dispostos a permitir que Deus prevaleça em sua vida? Vocês estão dispostos a permitir que Deus seja a maior influência em sua vida?

Meus queridos irmãos e irmãs, como sou grato pelas mensagens maravilhosas desta conferência e por meu privilégio de falar a vocês agora.

Ao longo de minha experiência de mais de 36 anos como apóstolo, a doutrina da coligação de Israel tem atraído minha atenção.1 Tudo sobre esse assunto me intriga, inclusive o ministério e o nome2 de Abraão, de Isaque e de Jacó; sua vida e suas esposas; o convênio que Deus fez com eles e que se estendeu por sua linhagem;3 a dispersão das 12 tribos; e as muitas profecias sobre a coligação em nossos dias.

Tenho estudado sobre a coligação e orado sobre ela; tenho me banqueteado com cada escritura relacionada a ela e pedido ao Senhor que amplie minha compreensão.

Então imaginem minha alegria quando fui conduzido recentemente a uma nova percepção. Com a ajuda de dois estudiosos do hebraico, aprendi que um dos significados da palavra hebraica Israel é “permita que Deus prevaleça”.4 Portanto, o próprio nome Israel se refere a uma pessoa que está disposta a permitir que Deus prevaleça em sua vida. Esse conceito aviva minha alma!

A palavra disposto é fundamental para essa interpretação de Israel.5 Todos temos o arbítrio. Podemos escolher ser de Israel ou não. Podemos escolher permitir que Deus prevaleça em nossa vida ou não. Podemos escolher permitir que Deus seja a influência mais forte em nossa vida ou não.

Por um momento, vamos relembrar uma ocasião crucial na vida de Jacó, neto de Abraão. No lugar a que Jacó deu o nome de Peniel (que significa “a face de Deus”),6 ele lutou contra um sério problema. Seu arbítrio foi testado. Por meio dessa luta, Jacó revelou o que era mais importante para ele. Ele mostrou que estava disposto a permitir que Deus prevalecesse em sua vida. Em resposta, Deus mudou o nome de Jacó para Israel,7 que significa “permita que Deus prevaleça”. Deus então prometeu a Israel que todas as bênçãos que haviam sido pronunciadas sobre a cabeça de Abraão também seriam suas.8

Infelizmente, a posteridade de Israel quebrou seus convênios com Deus. Eles apedrejaram os profetas e não estavam dispostos a permitir que Deus prevalecesse em sua vida. Posteriormente, Deus os dispersou pelos quatro cantos da Terra.9 Misericordiosamente, Ele posteriormente prometeu reuni-los, conforme relatado por Isaías: “Por um pequeno momento te deixei, porém com grandes misericórdias te recolherei”.10

Com a definição hebraica de Israel em mente, vemos que a coligação de Israel adquire um significado adicional. O Senhor está reunindo aqueles que estão dispostos a permitir que Deus prevaleça em sua vida. O Senhor está reunindo aqueles que escolherão permitir que Deus seja a maior influência em sua vida.

Por séculos, os profetas predisseram essa coligação,11 e ela está acontecendo exatamente agora! Como um prelúdio essencial para a Segunda Vinda do Senhor, essa é a obra mais importante no mundo!

A coligação que antecede o Milênio é uma saga individual de se expandir a fé e a coragem espiritual para milhões de pessoas. Como membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ou como a “Israel do convênio nos últimos dias”,12 fomos encarregados de ajudar o Senhor nesse trabalho crucial.13

Quando falamos da coligação de Israel em ambos os lados do véu, referimo-nos, é claro, ao trabalho missionário e ao trabalho de templo e história da família. Também estamos nos referindo a edificar a fé e o testemunho no coração daqueles com quem moramos, trabalhamos e servimos. Sempre que fazemos algo para ajudar alguém — nos dois lados do véu — a fazer e a cumprir seus convênios com Deus, estamos ajudando a coligar Israel.

Há pouco tempo, a esposa de um de nossos netos estava passando por dificuldades espirituais. Vou chamá-la de “Jill”. Apesar dos jejuns, das orações e das bênçãos do sacerdócio, o pai de Jill estava morrendo. Ela estava com muito medo de perder tanto seu pai quanto seu testemunho.

Tarde da noite, minha esposa, a irmã Wendy Nelson, contou-me sobre a situação de Jill. Na manhã seguinte, Wendy se sentiu inspirada a compartilhar com Jill que minha resposta para sua luta espiritual estava em uma única palavra! Era a palavra míope.

Tempos depois, Jill admitiu a Wendy que a princípio ela ficou arrasada com minha resposta. Ela contou: “Eu esperava que o vovô me prometesse um milagre em relação a meu pai. Fiquei pensando por que a palavra míope foi a única que ele se sentiu compelido a dizer”.

Depois da morte do pai de Jill, a palavra míope continuou vindo à mente dela. Ela abriu seu coração para compreender ainda mais profundamente que a palavra míope vinha de “miopia”. E ela começou a mudar de ideia. Jill disse depois: “A palavra míope fez com que eu parasse, pensasse e me curasse. Aquela palavra agora me traz paz. Ela me lembra de expandir minha perspectiva e buscar as bênçãos eternas. Ela me lembra de que há um plano divino e que meu pai ainda vive, que ele me ama e cuida de mim. A palavra míope me guiou a Deus”.

Tenho muito orgulho de nossa preciosa neta. Durante este período desolador de sua vida, a querida Jill está aprendendo a aceitar a vontade de Deus em relação a seu pai, com uma perspectiva eterna de sua própria vida. Por escolher permitir que Deus prevaleça, ela está encontrando paz.

Se permitirmos, há muitas maneiras pelas quais essa interpretação hebraica de Israel pode nos ajudar. Imaginem o quanto nossas orações pelos missionários — e nossos esforços para coligar Israel — seriam diferentes se tivéssemos esse conceito em mente. Normalmente oramos para que nós e os missionários sejamos guiados às pessoas que estão preparadas para receber as verdades do evangelho restaurado de Jesus Cristo. Fico imaginando para quem seremos levados quando orarmos para encontrar as pessoas que estão dispostas a permitir que Deus prevaleça em sua vida.

Poderemos ser conduzidos a algumas pessoas que nunca acreditaram em Deus ou em Jesus Cristo, mas que agora estão ansiosas para aprender sobre Eles e sobre Seu plano de felicidade. Outras pessoas podem ter “nascido no convênio”,14 mas se afastaram do caminho do convênio. Elas podem agora estar prontas para se arrepender, retornar e permitir que Deus prevaleça. Podemos ajudá-las recebendo-as de braços e coração abertos. E algumas das pessoas para as quais seremos guiados podem ter sempre sentido que há algo faltando em sua vida. Elas também anseiam pela plenitude e pela alegria que advêm àqueles que desejam permitir que Deus prevaleça em sua vida.

A rede do evangelho para coligar a Israel dispersa é extensa. Há espaço para todas as pessoas que aceitarem plenamente o evangelho de Jesus Cristo. Cada pessoa que é convertida se torna filha do convênio de Deus,15 seja por nascimento ou por adoção. Cada uma delas se torna total herdeira de tudo o que Deus prometeu aos filhos fiéis de Israel!16

Cada um de nós tem um potencial divino, pois cada um de nós é um filho ou uma filha de Deus. Somos todos iguais a Seus olhos. As implicações dessa verdade são profundas. Irmãos e irmãs, peço que ouçam com atenção o que direi agora. Deus não ama uma raça mais do que outra. Sua doutrina a esse respeito é clara. Ele convida todas as pessoas a se achegarem a Ele, “negro e branco, escravo e livre, homem e mulher”.17

Garanto a vocês que sua situação perante Deus não é determinada pela cor de sua pele. A aprovação e a desaprovação de Deus dependem de sua devoção a Deus e a Seus mandamentos, e não da cor de sua pele.

Lamento que nossos irmãos e irmãs negros em todo o mundo estejam enfrentando as dores do racismo e do preconceito. Hoje, conclamo nossos membros em todos os lugares a liderar os esforços de banir atitudes e ações de preconceito. Suplico a vocês que promovam o respeito por todos os filhos de Deus.

A questão para cada um de nós, a despeito da raça, é a mesma. Vocês estão dispostos a permitir que Deus prevaleça em sua vida? Vocês estão dispostos a permitir que Deus seja a maior influência em sua vida? Vão permitir que Suas palavras, Seus mandamentos e Seus convênios influenciem o que vocês fazem todos os dias? Vão permitir que Sua voz tenha prioridade acima de todas as outras? Estão dispostos a permitir que qualquer coisa que Ele precise que vocês façam tenha precedência sobre quaisquer outras ambições? Estão dispostos a ter sua vontade absorvida pela vontade Dele?18

Pensem em como essa disposição de fazer a vontade Dele pode abençoá-los. Se vocês são solteiros e estão procurando um companheiro ou uma companheira eternos, seu desejo de ser “de Israel” vai ajudar na decisão de quem vão namorar e como o farão.

Se são casados com uma pessoa que tenha quebrado seus convênios, sua disposição de permitir que Deus prevaleça em sua vida vai permitir que seus convênios com Deus permaneçam intactos. O Salvador vai curar seu coração partido. Os céus se abrirão quando vocês buscarem saber como seguir em frente. Vocês não precisam divagar nem duvidar.

Se vocês têm questionamentos sinceros sobre o evangelho ou sobre a Igreja, ao escolherem permitir que Deus prevaleça, vocês serão guiados a encontrar e a compreender as verdades eternas e absolutas que vão orientar sua vida e os ajudar a permanecer firmes no caminho do convênio.

Quando se defrontarem com uma tentação — se a tentação vier quando estiverem exaustos ou sentindo-se sozinhos ou incompreendidos —, imaginem a coragem que são capazes de ter ao escolherem permitir que Deus prevaleça em sua vida e ao suplicarem a Deus que os fortaleça.

Quando seu maior desejo é permitir que Deus prevaleça, quando seu maior desejo é ser parte de Israel, muitas decisões se tornam mais fáceis. Muitos problemas não serão mais um problema. Vocês saberão a melhor forma de se vestir. Saberão a que assistir e o que ler, em que despender seu tempo e com quem se associar. Saberão o que querem realizar. Saberão que tipo de pessoas realmente desejam se tornar.

Agora, meus queridos irmãos e irmãs, é necessário ter fé e coragem para permitir que Deus prevaleça. Isso requer um persistente e rigoroso esforço espiritual para se arrependerem e deixarem de lado o homem natural por meio da Expiação de Jesus Cristo.19 É necessário um esforço diário consistente para desenvolver o hábito pessoal de estudar o evangelho, de aprender mais sobre o Pai Celestial e sobre Jesus Cristo, e de buscar obter revelação pessoal e agir de acordo com ela.

Nestes tempos trabalhosos sobre os quais o apóstolo Paulo profetizou,20 Satanás não está mais tentando esconder seus ataques ao plano de Deus. Um mal audacioso se prolifera. Entretanto, o único meio de sobreviver espiritualmente é estarmos determinados a permitir que Deus prevaleça em nossa vida, aprendermos a ouvir Sua voz e usarmos nossa energia para ajudar a coligar Israel.

Agora, como o Senhor Se sente sobre aqueles que permitem que Deus prevaleça? Néfi resumiu isso bem: “[O Senhor] ama os que o tomam por seu Deus. Eis que amou nossos pais e fez convênios com eles, sim, com Abraão, Isaque e Jacó; e [lembra-se] dos convênios que [faz]”.21

E o que o Senhor está disposto a fazer por Israel? O Senhor prometeu que “lutaria [nossas] batalhas e as batalhas de [nossos] filhos e as dos filhos de [nossos] filhos, (…) até a terceira e a quarta geração”!22

Ao estudarem as escrituras durante os próximos seis meses, incentivo-os a fazer uma lista de tudo o que o Senhor prometeu que faria pela Israel do convênio. Acho que ficarão surpresos. Reflitam sobre essas promessas. Conversem sobre elas em família e com os amigos. Depois vivam de acordo com elas e vejam como elas estão sendo cumpridas em sua vida.

Meus queridos irmãos e irmãs, ao escolherem permitir que Deus prevaleça em sua vida, vocês verão por si mesmos que Deus é um “Deus de milagres”.23 Como povo, somos Seus filhos do convênio e seremos chamados por Seu nome. Presto testemunho disso no sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.