Conferência Geral
Oferecer nossa mudança
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Oferecer nossa mudança

Por meio de Jesus Cristo, recebemos força para fazer mudanças duradouras. Ao nos voltarmos para Ele com humildade, Ele aumentará nossa capacidade de mudar.

Irmãs, é uma grande alegria estar com vocês.

Imaginem ir ao mercado para comprar algo. Se vocês pagarem ao funcionário do caixa um valor maior do que o valor do produto, o funcionário lhes devolverá a diferença.

O rei Benjamim ensinou seu povo na América antiga sobre as maravilhosas bênçãos que recebemos de nosso Salvador, Jesus Cristo. Ele criou os céus, a Terra e toda a beleza da qual desfrutamos.1 Por meio de Sua amorosa Expiação, Ele proporciona um meio para nos redimir do pecado e da morte.2 Quando demonstramos nossa gratidão a Ele vivendo Seus mandamentos com diligência, Ele nos abençoa imediatamente, o que nos leva a sempre termos uma dívida com Ele.

O Salvador nos dá muito mais do que o valor de tudo o que podemos devolver a Ele. Então, o que podemos oferecer a Ele, que pagou o preço incalculável por nossos pecados? Podemos oferecer a diferença. Podemos oferecer nossa mudança. Pode ser uma mudança em nossos pensamentos, nossos hábitos ou na direção que estamos seguindo. Em troca do imensurável preço que Ele pagou por cada um de nós, o Senhor nos pede uma mudança de coração. A mudança que Ele pede de nós não é para o benefício Dele, mas para o nosso. Diferentemente do comprador que recebe de volta o valor excedente que oferecemos, nosso amável Salvador pede que fiquemos com a diferença, com a mudança.

Após ter ouvido as palavras proferidas pelo rei Benjamim, o povo clamou, declarando que seu coração havia mudado, dizendo: “Por causa do Espírito do Senhor Onipotente que efetuou em nós (…) uma vigorosa mudança (…) não temos mais disposição para praticar o mal, mas, sim, de fazer o bem continuamente”.3 As escrituras não falam que eles se tornaram imediatamente perfeitos, mas que seu desejo de mudar os compeliu a agir. Sua mudança de coração significou se despojarem do homem e da mulher natural e se renderem ao Espírito à medida que buscaram ser mais semelhantes a Jesus Cristo.

O presidente Henry B. Eyring ensinou: “Para que ocorra a verdadeira conversão, é preciso que a pessoa procure de livre e espontânea vontade, e que se esforce muito. Mas é o Senhor que pode conceder (…) o milagre da purificação e da mudança”.4 Ao combinarmos nosso esforço com a capacidade do Salvador de nos transformar, nós nos tornamos novas criaturas.

Quando era jovem, eu me imaginava andando em um caminho vertical e ascendente em direção à minha meta de vida eterna. Cada vez que fazia ou falava algo errado, sentia que estava escorregando no caminho, tendo que iniciar minha jornada outra vez. Era como se estivesse jogando um jogo de tabuleiro e, quando chegava perto do final, caía naquela casa que levava de volta ao início! Era desanimador! Porém, encontrei esperança à medida que comecei a entender a doutrina de Cristo5 e como aplicá-la em minha vida diária.

Jesus Cristo nos deu um padrão contínuo de mudança. Ele nos convida a exercer fé Nele, o que nos inspira a nos arrepender — “fé e arrependimento que [nos] transformam o coração”.6 Quando nos arrependemos e voltamos nosso coração para Ele, adquirimos um desejo maior de fazer e viver convênios sagrados. Perseveramos até o fim quando continuamos a aplicar esses princípios por toda a nossa vida e convidamos o Senhor a nos transformar. Perseverar até o fim significa mudar até o fim. Agora compreendo que não estou recomeçando com cada tentativa fracassada; mas, cada vez que tento novamente, estou dando continuidade ao meu processo de mudança.

O tema das Moças contém uma frase inspirada que declara: “Dou valor à dádiva do arrependimento e procuro melhorar a cada dia”.7 Oro para que demos valor a essa bela dádiva e que busquemos intencionalmente a mudança. Às vezes, as mudanças que precisamos fazer estão associadas a um pecado grave. Porém, na maioria das vezes, nós nos esforçamos para refinar nosso caráter para estarmos alinhadas com os atributos de Cristo. Nossas escolhas diárias podem nos ajudar ou nos prejudicar em nosso progresso. Mudanças pequenas, porém constantes e intencionais, nos ajudarão a melhorar. Não fiquem desanimadas. A mudança é um processo de uma vida inteira. Sinto-me grata pela paciência do Senhor para conosco em nosso empenho de mudar.

Por meio de Jesus Cristo, recebemos força para fazer mudanças duradouras. Ao nos voltarmos para Ele com humildade, Ele aumentará nossa capacidade de mudar.

Além do poder transformador da Expiação de nosso Salvador, o Espírito Santo vai nos apoiar e orientar ao nos esforçarmos. Ele pode até nos ajudar a saber quais mudanças precisamos fazer. Também podemos encontrar ajuda e incentivo por meio de bênçãos do sacerdócio, da oração, do jejum e da frequência ao templo.

Da mesma maneira, familiares, líderes e amigos de confiança podem nos ajudar em nossos esforços para mudar. Quando eu tinha 8 anos de idade, meu irmão mais velho, Lee, e eu brincávamos com nossos amigos nos galhos de uma árvore em nosso bairro. Nós adorávamos nos divertir com eles sob a sombra daquela árvore. Um dia, Lee caiu da árvore e quebrou o braço. Seu braço quebrado o impedia de subir na árvore sozinho. Mas a brincadeira na árvore simplesmente não era mais a mesma sem ele. Então, alguns de nós o seguraram pelas costas enquanto outros puxaram seu outro braço. Sem muito esforço, Lee estava novamente em cima da árvore. Seu braço ainda estava quebrado, mas ele estava conosco novamente, desfrutando de nossa amizade enquanto se recuperava.

Tenho pensado com frequência que essa experiência de brincar na árvore é como nossa vivência no evangelho de Jesus Cristo. Sob a sombra dos galhos do evangelho, desfrutamos de muitas bênçãos associadas aos nossos convênios. Algumas pessoas podem ter caído, afastando-se da segurança dos convênios, e precisam de nossa ajuda para subir novamente para a segurança dos galhos do evangelho. Pode ser difícil para elas voltarem sozinhas. Podemos, gentilmente, puxar um pouco aqui e levantar um pouco ali para ajudá-las a se recuperar enquanto desfrutam de nossa amizade?

Se vocês estão sofrendo por uma lesão causada por uma queda, permitam que outras pessoas as ajudem a retornar a seus convênios e às bênçãos associadas a eles. O Salvador pode ajudar vocês a serem curadas e transformadas, rodeadas por pessoas que as amam.

Às vezes encontro amigos que não vejo há muitos anos. Às vezes, eles dizem: “Você não mudou nada!” Cada vez que escuto isso, fico constrangida porque espero ter mudado com o passar dos anos. Espero ter mudado de ontem para hoje! Espero agir com mais bondade, ser mais solidária e julgar menos. Espero responder mais rapidamente às necessidades de outras pessoas e ser um pouco mais paciente.

Amo fazer caminhadas nas montanhas perto de minha casa. Com frequência, sinto uma pequena pedra entrar em meu sapato ao seguir pela trilha. Em algum momento, paro e sacudo meu sapato. Mas fico impressionada com quanto tempo permito a mim mesma fazer a caminhada com dor antes de parar e me livrar da pedra irritante.

Ao trilharmos o caminho do convênio, às vezes encontraremos pedras em nossos sapatos na forma de maus hábitos, pecados ou atitudes ruins. Quanto mais rápido sacudirmos essas pedras para fora de nossa vida, mais alegre será nossa jornada mortal.

Manter a mudança que fazemos exige esforço. Não consigo imaginar parar ao longo da trilha para colocar novamente a pedra incômoda e dolorosa em meu sapato. Não gostaria de fazer isso, da mesma forma que uma borboleta não escolheria voltar para o casulo.

Testifico que, por causa de Jesus Cristo, podemos mudar. Podemos ajustar nossos hábitos, mudar nossos pensamentos e refinar nosso caráter para nos tornarmos mais semelhantes a Ele. E, com a ajuda Dele, podemos ficar com a diferença, oferecer-Lhe nossa mudança. Em nome de Jesus Cristo. Amém.