Orientação profética
“Vigiai, pois, a todo tempo, orando”
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

“Vigiai, pois, a todo tempo, orando”

Hoje estendo meu apelo para que orem por todas as pessoas de todos os países do mundo.

Meus queridos irmãos e irmãs, durante a última semana de Seu ministério mortal, Jesus ensinou a Seus discípulos: “Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que sejais considerados dignos de escapar de todas essas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do Homem”.1

Entre as “coisas que hão de acontecer” antes de Sua Segunda Vinda estão “guerras e (…) rumores de guerras[,] (…) fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares”.2

Em Doutrina e Convênios, o Salvador disse: “E todas as coisas estarão tumultuadas; (…) pois o temor tomará conta de todos”.3

Certamente, vivemos em uma época em que as coisas estão tumultuadas. Muitas pessoas temem o futuro, e muitos corações se desviaram de sua fé em Deus e em Seu Filho, Jesus Cristo.

O noticiário está repleto de relatos de violência. A degradação moral está disponível online. Cemitérios, igrejas, mesquitas, sinagogas e santuários religiosos têm sido vandalizados.

Uma pandemia mundial atingiu literalmente cada canto da Terra: milhões de pessoas foram infectadas; mais de um milhão já morreu. Formaturas escolares, serviços religiosos de adoração, casamentos, o serviço missionário e uma série de outros eventos importantes da vida foram interrompidos. Além disso, inúmeras pessoas foram deixadas sozinhas e isoladas.

Turbulências econômicas causaram problemas para muitas pessoas, especialmente para os filhos de nosso Pai Celestial que são mais vulneráveis.

Temos visto pessoas exercerem veementemente seu direito ao protesto pacífico e temos visto multidões furiosas.

Ao mesmo tempo, continuamos a ver conflitos no mundo todo.

Com frequência penso nas pessoas que estão sofrendo, que estão preocupadas, com medo e se sentindo sozinhas. Garanto a cada um de vocês que o Senhor os conhece, que Ele está ciente de suas preocupações e angústias, e que Ele os ama — íntima e pessoalmente, de modo profundo e eterno.

Todas as noites quando oro, peço ao Senhor que abençoe todas as pessoas que estão sobrecarregadas de sofrimento, dor, solidão e tristeza. Sei que outros líderes da Igreja também fazem essa mesma oração. Nosso coração, individual e coletivamente, está com vocês, e nos dirigimos a Deus em oração em seu favor.

Durante vários dias no ano passado, estive na parte nordeste dos Estados Unidos, visitando propriedades históricas da Igreja e dos Estados Unidos, participando de reuniões com missionários e membros, e visitando líderes empresariais e governamentais.

No domingo, dia 20 de outubro, falei a uma grande audiência perto de Boston, Massachusetts. Enquanto eu falava, fui inspirado a dizer: “Rogo a vocês (…) que orem por este país, por nossos líderes, por nosso povo e pelas famílias que vivem nesta grande nação fundada por Deus”.4

Também acrescentei que os Estados Unidos e muitas das nações da Terra, assim como no passado, estão passando por um momento crítico e precisam de nossas orações.5

Minhas palavras de súplica não estavam nas anotações que preparei. Elas vieram a mim enquanto eu sentia o Espírito me orientar a convidar os presentes a orar por seu país e por seus líderes.

Hoje estendo meu apelo para que orem por todas as pessoas de todos os países do mundo. A despeito de como vocês oram ou para quem oram, por favor, exerçam sua fé — qualquer que seja sua religião — e orem por seu país e pelos líderes de sua nação. Conforme eu disse em outubro passado em Massachusetts, estamos hoje em uma das maiores encruzilhadas da história, e as nações da Terra estão precisando desesperadamente de inspiração e orientação divinas. Não se trata de política ou de normas. Trata-se de paz e de cura para a alma das pessoas, bem como para a alma dos países — suas cidades, suas vilas e seus povoados — por meio do Príncipe da Paz e da fonte de cura, o Senhor Jesus Cristo.

Durante os últimos meses, tive a impressão de que a melhor maneira de ajudar em meio à situação do mundo atual é fazer todas as pessoas confiarem mais plenamente em Deus e voltarem seu coração a Ele por meio de sincera oração. Ser humildes e buscar inspiração do céu para perseverar ou para superar o que está diante de nós será a maneira mais segura e garantida de seguir em frente com confiança nestes tempos difíceis.

As escrituras ressaltam as orações oferecidas por Jesus, assim como Seus ensinamentos sobre a oração durante Seu ministério mortal. Vocês se lembrarão da oração do Pai Nosso:

“Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;

O pão nosso de cada dia dá-nos hoje;

E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém”.6

Essa dedicada e bela oração, repetida com frequência por todo o cristianismo, torna claro que é apropriado pedirmos diretamente ao “Pai nosso, que estás nos céus” a fim de recebermos respostas ao que está nos preocupando. Portanto, vamos orar por orientação divina.

Eu os convido a orar sempre.7 Orem por sua família. Orem pelos líderes das nações. Orem pelas pessoas de coragem que estão na linha de frente das batalhas contra as pragas sociais, ambientais, políticas e biológicas que afetam todas as pessoas em todo o mundo: ricos e pobres, jovens e velhos.

O Salvador nos ensinou a não limitar o número de pessoas pelas quais oramos. Ele disse: “Amai vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem”.8

Na cruz do Calvário, onde Jesus morreu por nossos pecados, Ele colocou em prática o que ensinou quando orou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”.9

Orar com sinceridade por aqueles que podem ser considerados nossos inimigos demonstra nossa crença em que Deus pode mudar nosso coração e o coração de outras pessoas. Essas orações devem fortalecer nossa decisão de fazer todas as mudanças necessárias em nossa vida, em nossa família e em nossa comunidade.

Onde quer que morem, seja qual for o idioma que falam ou as dificuldades que enfrentam, Deus ouve e responde a suas orações à Sua própria maneira e em Seu próprio tempo. Por sermos Seus filhos, podemos nos aproximar Dele em busca de ajuda, de consolo e de um desejo renovado de fazer uma diferença positiva no mundo.

Orar por justiça, por paz, pelos pobres e pelos doentes nunca é demais. Depois de nos ajoelharmos em oração, precisamos nos levantar e fazer o que pudermos para ajudar — tanto a nós mesmos quanto a outras pessoas.10

As escrituras estão repletas de exemplos de pessoas fiéis que combinam a oração com a ação para fazer a diferença em sua própria vida e na vida de outras pessoas. No Livro de Mórmon, por exemplo, lemos sobre Enos. Observa-se que “cerca de dois terços do pequeno livro de Enos descreve uma oração ou uma série de orações, e o restante conta o que ele fez em consequência das respostas que recebeu”.11

Temos muitos exemplos de como a oração fez a diferença na própria história da Igreja, começando com a primeira oração verbal feita por Joseph Smith em uma clareira perto da casa de troncos que pertencia a seus pais, na primavera de 1820. Em busca de perdão e orientação espiritual, a oração de Joseph abriu os céus. Hoje, somos beneficiários de Joseph, o profeta, e de outros homens e mulheres fiéis da Igreja que oraram e agiram para ajudar a estabelecer A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Sempre penso nas orações de mulheres fiéis como Mary Fielding Smith que, com a ajuda de Deus, corajosamente conduziu sua família em meio à crescente perseguição em Illinois em segurança para este vale, onde sua família prosperou tanto espiritual quanto materialmente. Após orar sinceramente de joelhos, ela trabalhou arduamente para vencer seus desafios e abençoar sua família.

A oração nos elevará e nos aproximará como indivíduos, como famílias, como Igreja e como mundo. A oração influenciará cientistas para ajudá-los na descoberta de vacinas e medicamentos que colocarão fim a esta pandemia. A oração consolará as pessoas que perderam entes queridos. Ela nos guiará para sabermos o que fazer a fim de nos proteger.

Irmãos e irmãs, peço-lhes que redobrem seu compromisso de orar. Eu os convido a orar em seus aposentos, em sua caminhada diária, em seu lar, em sua ala e sempre em seu coração.12

Em nome dos líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, agradeço a vocês por suas orações por nós. Eu os exorto a continuar a orar para que recebamos inspiração e revelação para guiar a Igreja nestes tempos difíceis.

A oração pode mudar nossa própria vida. Motivados por orações sinceras, podemos melhorar e ajudar outras pessoas a fazer o mesmo.

Conheço por experiência própria o poder da oração. Recentemente eu estava sozinho em meu escritório. Eu havia acabado de passar por um procedimento médico na mão. Ela estava roxa, inchada e dolorida. Enquanto eu estava sentado diante de minha mesa, não conseguia me concentrar em assuntos importantes e essenciais porque estava distraído com a dor.

Ajoelhei-me em oração e pedi ao Senhor que me ajudasse a me concentrar para que eu pudesse terminar meu trabalho. Levantei-me e retornei à pilha de papéis que estavam em minha mesa. Quase imediatamente, clareza e foco me vieram à mente, e consegui concluir as tarefas que estavam diante de mim.

A situação caótica do mundo atual pode parecer assustadora se considerarmos o grande número de problemas e desafios. Entretanto, é meu ardente testemunho que, se orarmos e pedirmos ao Pai Celestial pelas bênçãos de que precisamos e por orientação, saberemos como podemos abençoar nossa família, nossos vizinhos, nossa comunidade e até mesmo o país em que vivemos.

O Salvador orou e “andou fazendo o bem”,13 alimentando os pobres, oferecendo coragem e apoio aos necessitados, estendendo a mão com amor, oferecendo perdão, paz e descanso a todos os que se achegavam a Ele. Ele continua a estender a mão para nos socorrer.

Convido todos os membros da Igreja, bem como nossos vizinhos e amigos de outros grupos religiosos no mundo todo, a fazer conforme o Salvador aconselhou Seus discípulos: “Vigiai, pois, a todo tempo, orando14 por paz, consolo, segurança e por oportunidades de servirmos uns aos outros.

Grande é o poder da oração, e nossas orações com fé em Deus e em Seu Filho são extremamente necessárias no mundo hoje. Que nos lembremos do poder da oração e sejamos gratos por esse poder. Em nome de Jesus Cristo. Amém.