Orientação profética
Recomendados ao Senhor
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Recomendados ao Senhor

Comecem agora o processo de se tornar “recomendados ao Senhor” para que Seu Espírito esteja com vocês em abundância.

Bom dia, irmãos e irmãs. Como um discípulo de nosso Salvador, Jesus Cristo, esperei ansiosamente por este encontro virtual da conferência em todas as partes do mundo.

Este ano tem sido muito incomum. Para mim, ele começou com uma designação da Primeira Presidência para dedicar um templo santo do Senhor em Durban, na África do Sul. Jamais esquecerei a grandiosidade daquele edifício. Porém, além do cenário, sempre apreciarei a dignidade das pessoas que estavam tão bem preparadas para entrar naquele lugar sagrado. Elas vieram preparadas para partilhar de uma das bênçãos mais grandiosas da Restauração: a dedicação de uma casa do Senhor. Vieram com o coração repleto de amor por Ele e por Sua Expiação. Vieram cheias de gratidão a nosso Pai Celestial por proporcionar ordenanças sagradas que conduzem à exaltação. Vieram dignas de entrar no templo.

Os templos, onde quer que estejam, ficam acima dos caminhos do mundo. Todos os templos santos dos últimos dias no mundo — todos os 168 — são um testemunho de nossa fé na vida eterna e da alegria de vivermos para sempre com nossa família e nosso Pai Celestial. A frequência ao templo aumenta nossa compreensão da Trindade e do evangelho eterno, nosso comprometimento de viver e ensinar a verdade, e nosso desejo de seguir o exemplo de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo.

Do lado de fora de todos os templos da Igreja, vemos escritas estas palavras: “Santidade ao Senhor”. O templo é a casa do Senhor e um santuário protegido do mundo. Seu Espírito envolve aqueles que adoram ao Senhor dentro daquele espaço sagrado. Ele define o padrão que seguimos como Seus convidados.

Meu sogro, Blaine Twitchell, um dos melhores homens que já conheci, ensinou-me uma grande lição. A irmã Rasband e eu fomos visitá-lo quando ele estava prestes a deixar sua jornada mortal. Ao entrarmos em seu quarto, seu bispo estava indo embora. Ao cumprimentarmos o bispo, pensei: “Que bispo bom. Ele está aqui ministrando a um membro fiel de sua ala”.

Eu disse a Blaine: “Foi bom receber a visita do bispo?”

Blaine olhou para mim e respondeu: “Foi muito mais do que isso. Pedi que ele viesse porque queria fazer minha entrevista de recomendação para o templo. Quero partir desta vida recomendado ao Senhor”. E assim o fez!

A frase “recomendado ao Senhor” permaneceu comigo. Ela trouxe uma nova perspectiva para mim sobre sermos regularmente entrevistados por nossos líderes da Igreja. Ter uma recomendação para o templo é tão importante que, no início da Igreja, até 1891, cada recomendação para o templo era aprovada pelo presidente da Igreja.1

Seja para jovens ou adultos, sua recomendação para o templo não se resume em uma lista de coisas que vocês podem ou não fazer. Não é uma lista de tarefas, uma autorização ou um ingresso para uma poltrona especial. Ela tem um propósito mais elevado e sagrado. A fim de se qualificarem para a honra de ter uma recomendação para o templo, vocês devem viver em harmonia com os ensinamentos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Na entrevista, vocês têm a oportunidade de analisar sua alma a respeito de sua fé pessoal em Jesus Cristo e em Sua Expiação. Vocês têm a bênção de compartilhar seu testemunho do evangelho restaurado, seu desejo de apoiar aqueles que o Senhor chamou para liderar Sua Igreja, sua fé na doutrina do evangelho, seu cumprimento das responsabilidades familiares, suas qualidades de honestidade, castidade, fidelidade, obediência, observância da Palavra de Sabedoria, da lei do dízimo e da santidade do Dia do Senhor. Esses princípios são o alicerce de uma vida dedicada a Jesus Cristo e a Sua obra.

Sua recomendação para o templo reflete um desejo espiritual profundo de buscar viver as leis do Senhor e amar o que Ele ama: humildade, mansidão, perseverança, caridade, coragem, compaixão, perdão e obediência. Vocês se comprometem a seguir esses padrões ao assinarem seu nome nesse documento sagrado.

Sua recomendação para o templo abre as portas do céu para que vocês e outras pessoas desfrutem de ritos e ordenanças de significado eterno, incluindo batismos, investiduras, casamentos e selamentos.

Ser “recomendado ao Senhor” é ser lembrado do que é esperado de um membro que cumpre os convênios. Meu sogro, Blaine, sabia que isso era uma preparação inestimável para o dia em que se apresentasse humildemente perante o Senhor.

Pensem em quando Moisés subiu o monte Horebe e o Senhor Jeová apareceu a ele em uma sarça ardente. Deus disse a ele: “Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés, porque o lugar em que tu estás é terra santa”.2

Tirar nossos sapatos na porta do templo significa abandonar desejos ou prazeres mundanos que nos distraem de nosso crescimento espiritual. Significa deixar de lado as coisas que desviam nossa mortalidade preciosa, superar comportamentos agressivos e buscar tempo para nos santificar.

Por desígnio divino, nosso corpo físico é uma criação de Deus, um templo para nosso espírito, e deve ser tratado com reverência. As palavras de um antigo hino da Primária são muito verdadeiras: “Meu corpo é um templo que precisa do maior cuidado”.3 Quando o Senhor apareceu aos nefitas, Ele ordenou: “Sejais santificados, recebendo o Espírito Santo, para comparecerdes sem mancha perante mim”.4 O Senhor perguntou: “Que tipo de homens devereis ser?” e depois respondeu: “Como eu sou”.5 Para sermos “recomendados ao Senhor”, devemos buscar ser semelhantes a Ele.

Lembro-me de ouvir o primeiro discurso de conferência geral do presidente Howard W. Hunter como o 14º presidente da Igreja. Ele disse: “É o desejo mais profundo de meu coração que todo membro da Igreja seja digno de entrar no templo. Agradaria ao Senhor que todo membro adulto fosse digno de ter uma recomendação para o templo válida e a carregasse consigo”.6 Acrescentaria que uma recomendação de uso limitado determinará um caminho claro para nossos preciosos jovens.

O presidente Russell M. Nelson relembrou as palavras do presidente Hunter: “Naquele dia, 6 de junho de 1994, a recomendação para o templo se tornou um objeto diferente em minha carteira. Antes disso, era um meio para atingir um objetivo. Era o meio que me permitia entrar em uma casa sagrada de Deus. Porém, após a declaração do presidente Hunter, ela se tornou o próprio fim. Ela se tornou minha declaração de obediência a um profeta de Deus”.7

Se vocês ainda não receberam sua recomendação ou se ela expirou, façam uma fila em frente à sala do bispo da mesma maneira que os santos o fizeram em frente ao Templo de Nauvoo em 1846.8 Meus antepassados estavam entre esses fiéis. Eles estavam abandonando sua linda cidade e indo para o Oeste, mas sabiam que havia experiências sagradas reservadas para eles no templo. Sarah Rich, que se encontrava na trilha acidentada de Iowa, escreveu: “Se não fosse pela fé e pelo conhecimento que recebemos naquele templo (…), nossa jornada teria sido como (…) um salto na escuridão”.9 É isso que perdemos quando trilhamos nossa vida sozinhos, sem a inspiração e a paz prometidas no templo.

Comecem agora o processo de se tornar “recomendados ao Senhor” para que Seu Espírito esteja com vocês em abundância e Seus padrões lhes tragam “paz de consciência”.10

Os líderes dos jovens, o presidente do quórum de élderes, a presidente da Sociedade de Socorro, os irmãos e as irmãs ministradores os ajudarão a se preparar. Seu bispo ou presidente de ramo os orientará.

Temos vivenciado uma época em que os templos estão fechados ou com uso limitado. Para o presidente Nelson e para nós que servimos a seu lado, a decisão inspirada de fechar os templos foi “dolorosa” e “muito preocupante”. O presidente Nelson perguntou a si mesmo “O que eu diria ao profeta Joseph Smith? O que diria a Brigham Young, Wilford Woodruff e aos outros presidentes até o presidente Thomas S. Monson?”11

Agora, com gratidão, estamos reabrindo os templos de maneira gradual e limitada para selamentos e investiduras.

Entretanto, a dignidade para frequentar o templo não foi suspensa. Deixem-me enfatizar: Tenham vocês acesso a um templo ou não, precisam de uma recomendação para o templo válida para permanecer firmes no caminho do convênio.

No final do ano passado, a irmã Rasband e eu estávamos em uma designação na Nova Zelândia e falamos para um grupo grande de jovens adultos solteiros. Eles não podiam frequentar o templo facilmente; o templo em Hamilton estava sendo reformado e eles ainda estavam esperando a abertura de terra do Templo de Auckland. Entretanto, senti-me inspirado a incentivá-los a renovar ou receber sua recomendação para o templo.

Apesar de não poderem frequentar o templo, eles estariam se apresentando perante o Senhor sendo puros e estando preparados para servir a Ele. Ser digno de ter uma recomendação para o templo válida significa ter proteção contra o adversário, pois fazemos um firme compromisso com o Senhor a respeito de nossa vida. Também recebemos a promessa de que o Espírito estará ao nosso lado.

Fazemos o trabalho do templo quando pesquisamos nossos antepassados e enviamos seus nomes para ordenanças. Apesar de nossos templos estarem fechados, ainda podemos fazer a pesquisa genealógica. Com o Espírito de Deus em nosso coração, estamos, de maneira vicária, colocando-nos no lugar deles para serem “recomendados ao Senhor”.

Enquanto eu servia como diretor executivo do Departamento de Templos, ouvi o presidente Gordon B. Hinckley citar esta escritura falada pelo Senhor a respeito do Templo de Nauvoo: “Que a obra de meu templo e todas as obras que vos designei continuem sem cessar; e que vossa diligência e vossa perseverança e paciência e vossos trabalhos se redobrem; e de modo algum perdereis vossa recompensa, diz o Senhor dos Exércitos”.12

Nosso trabalho no templo está ligado à nossa recompensa eterna. Recentemente, temos sido testados. O Senhor nos chamou para trabalharmos nos templos com “diligência, (…) perseverança e paciência”.13 Sermos “recomendados ao Senhor” exige essas qualidades. Precisamos ser diligentes em viver os mandamentos, perseverar em nossa atenção a nossos convênios do templo, ser gratos pelos ensinamentos contínuos do Senhor a respeito deles e ser pacientes ao esperarmos pela reabertura total dos templos.

Quando o Senhor nos chama para “redobrarmos” nossos esforços, Ele está pedindo que aumentemos nossa retidão. Por exemplo, podemos aumentar nosso estudo das escrituras, nossa pesquisa de história da família e nossas orações de fé a fim de compartilharmos nosso amor pela casa do Senhor com aqueles que estão se preparando para receber uma recomendação para o templo, especialmente nossos familiares.

Como apóstolo do Senhor Jesus Cristo, prometo-lhes que, ao buscarem redobrar seus esforços justos, vocês se sentirão renovados em sua devoção a Deus, o Pai, e a Jesus Cristo. Vocês terão orientação do Espírito Santo em abundância, sentirão gratidão por seus convênios sagrados e paz por saberem que são “recomendados ao Senhor”. Em nome de Jesus Cristo. Amém.