2016
Como Tornar Cristo o Ponto Central de Nossa Vida

Respostas dos Líderes da Igreja

Como Tornar Cristo o Ponto Central de Nossa Vida

Extraído de um discurso proferido em um devocional na Universidade Brigham Young–Idaho, em 27 de janeiro de 2009.

Activities and recreation

Jesus alcançou união perfeita com o Pai submetendo-Se, tanto física quanto espiritualmente, à vontade do Pai. Referindo-Se a Seu Pai, Jesus disse: “Eu faço sempre o que lhe agrada” (João 8:29). Como era a vontade do Pai, Jesus sujeitou-Se inclusive à morte, “a vontade do Filho sendo absorvida pela vontade do Pai” (Mosias 15:7). Seu enfoque no Pai é um dos principais motivos pelos quais o ministério de Jesus teve tanta clareza e poder. Não havia Nele hesitação que O distraísse.

Da mesma forma, todos nós podemos pôr Cristo no centro de nossa vida e tornar-nos um com Ele, assim como Ele o é com o Pai (ver João 17:20–23). Podemos começar despojando-nos de todas as coisas de nossa vida e depois pondo-as de volta em ordem de prioridade, com o Salvador no centro. Devemos primeiro dar a mais alta prioridade às coisas que nos permitem recordá-Lo sempre — orar e estudar as escrituras com frequência, examinar atentamente os ensinamentos apostólicos, preparar-nos todas as semanas para tomar o sacramento dignamente, adorar o Senhor aos domingos e recordar o que o Espírito e a experiência nos ensinam sobre o discipulado. Outras coisas podem lhes vir à mente, as quais se aplicam especificamente a vocês nesta fase de sua vida. Depois de reservarmos tempo e recursos adequados para esses assuntos a fim de centralizarmos nossa vida em Cristo, podemos começar a adicionar outras responsabilidades e coisas de valor, como os estudos, as responsabilidades familiares e a carreira profissional. Dessa forma, não excluiremos de nossa vida o essencial em troca do meramente bom, e as coisas de menor valor terão menos prioridade ou simplesmente desaparecerão.

Embora não seja fácil, podemos prosseguir com firmeza e constância, tendo fé no Senhor. Posso atestar que, com o passar do tempo, nosso desejo e nossa capacidade de sempre recordar e seguir o Salvador crescerão. Devemos empenhar-nos com paciência para esse fim e orar sempre pelo discernimento e auxílio divino de que precisamos (ver 2 Néfi 32:9).