Conferência Geral
    Mensagem para os Meus Netos
    Notas de rodapé
    Theme

    Mensagem para os Meus Netos

    Espero que cada um de vocês se torne um homem de Deus. Vocês se tornarão homens de Deus por meio de obras de retidão.

    Irmãos, esta noite eu gostaria de conversar com vocês como o faria com os meus netos. Espero que o que tenho a dizer aqui aplique-se a todos os jovens portadores do sacerdócio em todos os lugares. Ao pensar nesta grande congregação e também nos muitos milhares que nos assistem via satélite, lembro-me de que a grande bênção de possuir o sacerdócio de Deus é reservada a relativamente poucos, considerando os bilhões de pessoas existentes no mundo. Portar o sacerdócio é uma honra notável; ainda assim qualquer homem ou menino na Igreja, com mais de 12 anos de idade, pode recebê-lo.

    O sacerdócio é a autoridade delegada ao homem para ministrar em nome de Deus. É um poder que ninguém exerce por iniciativa própria. Como Paulo disse: “E ninguém toma para si esta honra, senão o que é chamado por Deus, como Aarão”.1 É uma autoridade que vai além do poder humano para ser criada.

    Peter, um jovem sacerdote, escreveu a respeito de uma experiência que o ensinou que o poder do sacerdócio é muito real. Um jovem converso de sua ala em Ontário, no Canadá, foi apoiado como mestre no Sacerdócio Aarônico e pediram que Peter fizesse a “voz”na ordenação. Peter escreveu: “Jamais impusera as mãos sobre a cabeça de alguém e senti-me tão inadequado. Mas então o Espírito assegurou-me que eu poderia fazê-lo. (…)

    O rapaz a ser ordenado sentou-se na cadeira e eu fiquei bem atrás dele. [Nosso presidente dos Rapazes] orientou-me durante a oração da ordenação e eu repeti cada palavra que ele disse. Depois de terminarmos a ordenação e ter dito: ‘(…) e queremos dar-lhe uma bênção nesta ocasião (…)’, [o presidente dos Rapazes] olhou para mim e indicou que o resto era por minha conta.

    Naquele momento, o sacerdócio mudou completamente de significado para mim. Deixou de ser apenas um título, e passou a ser a autoridade real para agir em nome de Deus, e eu estava dando aquela autoridade a alguém mais. Fiz uma pausa e esperei que o Espírito sussurrasse o que eu deveria dizer. Para mim, é difícil descrever os sentimentos que tive naquele dia durante a bênção, mas posso dizer que agora tenho um forte testemunho de que o poder do sacerdócio é real.”2

    Vocês rapazes, sem dúvida, aguardam ansiosos, o momento em que receberão o Sacerdócio maior ou de Melquisedeque. A respeito desse sacerdócio maior, o Profeta Joseph Smith disse: “Foi ‘instituído desde antes da fundação da Terra, quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, ou os Filhos de Deus rejubilavam’, e é o Sacerdócio maior e mais santo, segundo a ordem do Filho de Deus”.3

    Como portadores do sacerdócio somos os agentes do Senhor. O Senhor falou, sobre este arbítrio sagrado, aos élderes da Igreja em Kirtland, em 1831: “Portanto, como sois agentes, estais a serviço do Senhor; e tudo o que fazeis de acordo com a vontade do Senhor é negócio do Senhor”.4

    O Presidente Hinckley nos lembra com freqüência, que o trabalho missionário é essencialmente uma responsabilidade do sacerdócio. É uma grande honra e responsabilidade ser chamado para servir ao Senhor no trabalho missionário. Esse serviço traz alegria duradoura, muito embora às vezes seja também desafiador e desanimador. A missão mudou o rumo da minha vida. Foi uma das maiores experiências que vivi. Servir em uma missão prepara-nos para a vida e para o nosso trabalho eterno.

    Espero que cada um de vocês se torne um homem de Deus. Vocês se tornarão homens de Deus por meio de obras de retidão. Honrarão e magnificarão seu sacerdócio e, como o Apóstolo Paulo disse: “segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão”.5

    Nem sempre é fácil seguir um plano de retidão e ser obediente às leis da sociedade e às leis do Senhor. A longo prazo, contudo, seguir as regras ainda é o melhor caminho para se obter todas as coisas que o Senhor prometeu.

    Somos todos responsáveis por nossas ações. Minha experiência como advogado ensinou-me que aqueles que levam uma vida de crimes, com freqüência culpam o pai, a mãe ou a sociedade quando são aprisionados. Ainda assim, eles intencionalmente decidem agir “contrários à natureza de Deus” e conseqüentemente estão “num estado contrário à natureza da felicidade”.6 Alguns deles até sustentam: “O diabo obrigou-me a fazê-lo!” A verdade nessa declaração é que o diabo nos instiga a fazer o mal.7 A falsidade nela é que nós temos o arbítrio. O demônio não pode obrigar-nos a fazer nada que não quisermos fazer.8

    As armadilhas e ciladas podem estar no caminho de todos nós, quer seja em nossa juventude, meia-idade ou velhice. Como alguém observou certa vez: “Na juventude procuramos os obstáculos, na velhice são os obstáculos que nos procuram!”9 A crescente tolerância de nossa sociedade exigirá que nos apeguemos com muita firmeza à barra de ferro da retidão para recebermos as bênçãos e a proteção do Senhor. Há grande perigo em se brincar com as tentações de Satanás. Precisaremos nos proteger contra todas as formas do mal, todos os dias de nossa vida.

    Todos vocês, rapazes, que possuem o sacerdócio têm o dever de respeitar o sexo feminino. Quando saírem com as adoráveis jovens da Igreja, vocês têm o dever de proteger sua integridade física e sua virtude. O sacerdócio que possuem confere a vocês uma responsabilidade maior de assegurar-se de que os elevados padrões morais da Igreja sejam sempre mantidos. Vocês sabem que não devem chegar nem perto dos perigos que advêm da atração sexual. Vocês perderão parte do que é sagrado em vocês se atravessarem os limites e abusarem dos grandes poderes da procriação. Como qualquer um de nós espera desempenhar um grande papel nesta vida ou na eternidade se não temos o poder do autocontrole? Ser casado com uma mulher digna que ama o Senhor, ama você e respeita o sacerdócio, é uma das maiores bênçãos da vida e da eternidade. Aprendi isso nos mais de 60 anos que estou casado com minha esposa, Ruth.

    Os amigos e conhecidos enriquecem nossa vida, mas esses relacionamentos podem ser temporários. Ninguém os ama mais ou tem maior preocupação por seu bem-estar do que seus pais. Talvez duvidem do que dizem, mas não podem duvidar do seu amor por vocês e do interesse que têm por seu bem-estar.

    Chegará o tempo em que vocês, rapazes, terão a responsabilidade de cuidar de uma esposa e dos filhos, que dependerão de vocês. Quando se casarem e iniciarem uma família, vocês serão os responsáveis pelo bem-estar de sua esposa e, consequëntemente, pelo bem-estar dos filhos. O casamento e a paternidade podem trazer eterna felicidade e alegria. O Presidente Joseph F. Smith disse que é na vida familiar “em que o governo da Igreja se baseia e se perpetua”.10 Para encontrar a doce satisfação em casa, ambos os cônjuges precisam estar totalmente envolvidos com o casamento. O Presidente David O. McKay disse certa vez: “Quando o homem põe os negócios ou o prazer acima do lar, nesse momento ele inicia um processo de degradação da alma”.11

    Alguns de vocês estão bem adiantados em cumprir com sucesso algumas das metas de sua vida. Estamos orgulhosos de vocês. Meu pai disse-me, certa vez, que ele achava que tinha atingido o sucesso ao se formar na faculdade de direito. Disse que, de algum modo, realmente, sua formatura fora apenas o início de desafios maiores. Não atingimos o sucesso maior nem ficaremos livres dos desafios desta vida.

    Vivemos na era da especialização. Quando eu era pequeno, muitas pessoas possuíam carros da Ford modelo T. Comparado aos carros modernos, o Ford T tinha uma mecânica relativamente simples. Muitas pessoas conseguiam consertar o próprio carro limpando as válvulas, trocando os anéis dos pistões, substituindo as pastilhas de freio e usando um generoso suprimento de arame. Hoje em dia os automóveis são tão sofisticados que poucas pessoas sabem como consertá-los. Os mecânicos de hoje usam computadores para diagnosticar problemas no motor do carro. Cito esse exemplo para incentivar vocês, jovens, a fazer treinamentos e a estudar para se manterem atualizados. A educação técnica é muito importante e a mesma coisa ocorre nos campos de educação superior. Qualquer tipo de habilidade exige treinamento especializado.

    Não importa qual profissão escolham na vida, desde que seja honrosa. Como vão sustentar a família é decisão sua. Adquirir uma habilidade é uma boa maneira de pagar as contas, mas na realidade precisa haver algo mais em termos de investimento pessoal. Não fiquem tão preocupados com as coisas materiais da vida a ponto de perderem a essência de sua humanidade. Talvez se lembrem do personagem de Dickens, Jacob Marley, que lamentou sua obsessão com o trabalho ao exclamar: “Negócios? A humanidade foi o meu negócio! Seu bem-estar comum deveria ter sido meu negócio”.12 Cada um de nós deve fortalecer a sociedade, especialmente ao realizar a obra de Deus.

    Aprendi que, para aqueles dentre nós que possuem o sacerdócio, a melhor fórmula para o sucesso é: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.13 O sucesso não chegará imediatamente porque ele exige preparação e trabalho árduo. Realmente não existem atalhos para o sucesso.

    Cada um de nós é uma criação ímpar de nosso Pai Celestial. Não existem dois de nós exatamente iguais. Ninguém tem exatamente os mesmos dons e talentos que nos foram dados. Devemos desenvolver esses talentos e dons e usá-los para proveito de nossa singularidade. Por exemplo, quando eu era jovem, havia um ótimo rapaz em nossa vizinhança que não tinha muita escolaridade, mas que tinha a habilidade manual de fazer lindas peças de mobília. Ele e eu fomos convocados para o serviço militar no mesmo dia. Ele não conseguiu aprender a fazer a cama para passar na inspeção, mas transformava pedaços de madeira em requintados objetos de arte. Como o Presidente Howard W. Hunter disse: “Algumas pessoas têm a idéia de que coisas como o talento, a criatividade, a estabilidade moral ou a grandeza não estão associadas à juventude, mas aos mais velhos. Isso não é verdade”.14

    Vocês, rapazes, têm um futuro com grande promessa. Vocês têm um conhecimento que o mundo jamais teve antes. Esse conhecimento permitirá que contribuam para o futuro dos negócios, da indústria, da agricultura e das profissões modernas. Talvez estejam entre os que defenderão um modo de vida nos campos de batalha. Vocês estarão entre aqueles que ensinarão os princípios do evangelho ao mundo e ajudarão a Igreja a crescer.

    Agora, meus queridos netos e todos os jovens especiais ao alcance da minha voz, sigam em frente. Sigam em frente com fé e retidão, seguindo a liderança de nosso profeta, Presidente Gordon B. Hinckley. Se assim o fizerem, o Senhor os fortalecerá e magnificará para que realizem grandes coisas. Testifico da grande e profunda influência que o sacerdócio tem em minha vida. Em todos os meus longos anos de vida tentei não esconder quem sou e no que acredito. Não consigo lembrar-me de um único instante em que tenha prejudicado minha carreira ou que eu tenha perdido amigos queridos por reconhecer humildemente que era membro desta Igreja. Presto meu testemunho a vocês e deixo-lhes a minha bênção hoje, em nome de Jesus Cristo. Amém