Conferência Geral
    Quem Segue ao Senhor?
    Notas de rodapé
    Theme

    Quem Segue ao Senhor?

    Se vocês permanecerem do lado do Senhor, o adversário não poderá cruzar a linha para tentá-los.

    Queridos irmãos e irmãs, sou grato por viver num dia e numa época em que há apóstolos e profetas na Terra, eles nos inspiram e nos guiam. Testifico que o Presidente Hinckley é, de fato, um profeta de Deus — assim como Moisés, Abraão e todos os profetas desde o início do mundo. Sou grato pelos conselhos recebidos hoje de manhã e pela oportunidade que teremos ao fim desta conferência de ouvi-lo de novo.

    Hoje falo principalmente aos rapazes e moças da Igreja, bem como a seus pais e líderes. Falo também aos maravilhosos jovens adultos solteiros, que têm talentos e habilidades formidáveis e enorme potencial de serviço no reino.

    O Presidente Hinckley disse o seguinte sobre esta geração: “Nunca houve uma época como a nossa. Que momento maravilhoso da história do mundo vivemos! Jamais existiu uma geração de jovens como a atual. (…) Vocês são de fato uma ‘geração eleita’” (Way to Be! (2002), p. 3).

    VOCÊS, como jovens de Sião, têm um trabalho grandioso a realizar — e receberam todos os talentos e oportunidades, onde quer que residam, para fazer exatamente o que o Pai Celestial espera de vocês. Oro para que minhas palavras nesta tarde os ajudem neste empenho.

    Em fevereiro de 1852, uma jovem chamada Hannah Last Cornaby foi batizada em Yarmouth, Inglaterra. Não foi uma experiência calma e reverente, como a da maioria das pessoas. Ela mesma descreveu-a: “A casa estava cercada por uma turba que dificultou nossa passagem. (…) Antes de chegarmos à água, a multidão estava a nossa volta; e meu marido batizou-me sob pedradas e gritos (…). E embora as pedras tenham passado perto de nós como uma chuva de granizo, nenhuma nos atingiu, e voltamos para casa em segurança, agradecendo a Deus por Sua proteção milagrosa” (Hannah Cornaby, Autobiography and Poems [1881], pp. 24–25).

    A vida que ela levou depois não foi fácil. Anos mais tarde, ela escreveu:

    Quem segue ao Senhor? Hoje iremos ver;

    Clamemos sem temor: Quem segue ao Senhor?

    (“Quem segue ao Senhor?”, Hinos nº 150.)

    Embora seja a letra de um hino que não cantamos com muita freqüência, tornou-se um dos meus hinos preferidos por causa do compromisso com a verdade e a justiça que ele reflete. De fato, é uma questão que deve estar na mente de cada rapaz e moça no mundo todo: “Quem segue ao Senhor?” E nossa resposta inequívoca deve ser: “EU!”

    Foi essa pergunta que despontou na mente de Néfi quando o Senhor, por meio de Leí, seu pai, pediu a Néfi e seus irmãos que voltassem a Jerusalém para buscar as placas de latão. Quando Lamã e Lemuel se queixaram, a pergunta veio à mente de Néfi: “Quem segue ao Senhor?” E a resposta foi: “EU!” Em outras palavras: “Eu irei e cumprirei as ordens do Senhor, porque sei que o Senhor nunca dá ordens aos filhos dos homens sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens possam ser cumpridas” (1 Néfi 3:7).

    Foi também o caso do jovem Davi, no Velho Testamento. Lembrem que, como jovem pastor, ele foi ter com seus irmãos na frente de batalha. Lá, ouviu os insultos do gigante filisteu Golias contra os homens de Israel, desafiando-os ao combate. E todos os guerreiros de Israel tiveram medo de enfrentar o gigante. A resposta deles à pergunta “Quem está do lado do Senhor? Não foi “EU estou”, mas, em vez disso, foi “Quem? EU?”.

    Mas Davi não teve medo. Depois de pegar algumas pedras e uma simples funda de pastor, aproximou-se do gigante e exclamou: “Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém, eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos. (…)

    Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão (…) e toda a terra saberá que há Deus em Israel” (I Samuel 17:45–46). Naquele momento, Davi não caminhou timidamente, mas correu em direção ao gigante. E em virtude da fé que Davi tinha em Deus, Golias foi morto e Israel prevaleceu.

    Jovens irmãos e irmãs, em todos os lugares por onde viajo conheço jovens nobres como vocês, que se deparam constantemente com Golias modernos na forma de tentações que podem levá-los a violar os convênios e os padrões que o Senhor nos concedeu. Isso se torna ainda mais importante quando vocês estão cercados diariamente por atos profanos, imoralidade aceita pela sociedade, indecência, pornografia e outros materiais impróprios na mídia, inclusive televisão e Internet, e o acesso generalizado a drogas e álcool. Assim, não se passa um dia sem que nos seja feita a pergunta, de uma forma ou de outra: “Quem segue ao Senhor?” Tenho duas sugestões simples para ajudá-los a prepararem sua resposta a essa pergunta.

    Primeiro, nunca esqueçam quem vocês são. A verdade simples está no hino que muitos de nós aprendemos na Primária: “Sou um filho de Deus” (Hinos, nº 193). E nosso Pai Celestial sábio e bondoso não nos mandou aqui para deixar-nos sozinhos: deu-nos guias específicos para ajudar-nos a realizar o que Ele espera de nós. Deu-nos a família para ajudar-nos, amar-nos e ensinar-nos. Deu-nos profetas vivos para liderar-nos. Deu-nos, por meio da Primeira Presidência, os padrões que se encontram no livreto “Para o Vigor da Juventude”, com a seguinte promessa: “Nós lhes prometemos que, ao cumprirem estes padrões e viverem de acordo com as verdades das escrituras, vocês estarão aptos a realizar o trabalho de sua vida com maior sabedoria e habilidade, assim como suportarão as provações com maior coragem. Vocês terão a ajuda do Espírito Santo” ([2001], pp. 2–3).

    Sempre tenho um exemplar desse livreto comigo — sempre! Desafio-os a fazerem o mesmo. Assim, quando estiverem esperando o ônibus ou em outro momento livre, peguem-no, leiam-no e reassumam o compromisso de seguir os padrões contidos nesse livreto. Prometo-lhes que, caso o façam, terão felicidade e paz, e uma profunda coragem e auto-estima lhes advirá.

    Ao exercerem seu arbítrio, lembrem que não estão sozinhos. Além de um Pai Celestial bondoso e sábio, há outras pessoas que oram por vocês para que façam escolhas sábias. Em minha juventude, quando eu saía à noite com uma namorada ou com amigos, eu sempre ia ver meus pais ao voltar para casa. Em geral, batia à porta do quarto deles, abria-a e dizia: “Cheguei”. Depois, ia dormir. Certa noite, ao voltar de um encontro, bati à porta como sempre e abri-a. Então, a luz do corredor incidiu sobre meu anjo de mãe, que estava orando de joelhos. Ao vê-la ali, soube por quem ela estava orando. Nunca esqueci essa experiência. E o fato de saber que minha mãe ainda ora por mim hoje em dia fortalece-me e ajuda-me a lembrar que não estou só.

    Minha segunda sugestão: aprendam a controlar seus pensamentos. Parte do plano de felicidade concedido a nós pelo Pai Celestial ensina que fomos mandados ao mundo para sermos testados. Portanto, sempre haverá tentações. Nossa missão como santos dos últimos dias é cumprir os mandamentos de Deus, apesar das tentações que Satanás põe em nosso caminho. Em minha vida, aprendi que é muito mais fácil fazê-lo quando controlamos nossos pensamentos — e principalmente quando memorizamos hinos, escrituras e bons poemas para substituir os maus pensamentos que se infiltram em nossa mente.

    O Presidente Boyd K. Packer aconselhou-nos a memorizar um hino para que, quando um pensamento ruim entrar em nossa mente, possamos substituí-lo pelo hino. Ao aplicar essa instrução, um amigo meu relatou: “Certo dia, saí do escritório para almoçar. Depois de andar cerca de dois quarteirões, percebi que estava cantarolando ‘meu hino’: Sou um Filho de Deus. Ao refletir sobre o que me levara a fazer isso ao caminhar, percebi que, ao atravessar a rua do meu escritório, uma jovem com trajes impróprios passara na minha frente. De imediato, meu subconsciente acionou a letra e a melodia de ‘Sou um Filho de Deus’, que surgiram na minha mente para afugentar pensamentos inadequados”. Naquele dia, meu amigo aprendeu uma bela lição sobre sua capacidade de controlar os pensamentos.

    O Presidente George Albert Smith deu conselhos maravilhosos sobre o assunto, ao dizer: “Há uma linha demarcatória bem definida entre o território do Senhor e o território do diabo. Se vocês permanecerem do lado do Senhor, o adversário não poderá cruzar a linha para tentá-los. (…) Mas (…) caso atravessem a fronteira e forem para o lado do diabo, estarão no território dele. (…) E ele fará de tudo para que continuem o mais longe possível da linha demarcatória, pois sabe que só conseguirá destruí-los se os mantiver afastados dos locais seguros” (Conference Report, outubro de 1945, p. 118).

    O Tema da Mutual para 2007 traz uma promessa para quem segue este sábio conselho: “Que a virtude adorne teus pensamentos incessantemente; então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus (…) [e o] Espírito Santo será teu companheiro constante (…)” (D&C 121:45–46).

    Testifico-lhes que Deus vive. Sei que somos Seus filhos, que Ele nos conhece pelo nome e que não estamos sós ao tomarmos decisões importantes. A cada dia da sua vida, vocês farão escolhas, e isso os porá num lado da linha ou do outro. Assim, lanço um desafio a todos os jovens ao alcance de minha voz, aos jovens de nobre estirpe do mundo todo: vivam de modo a estarem preparados para, ao depararem-se com uma escolha entre o bem e o mal e ouvirem no íntimo a pergunta: “Quem segue ao Senhor”, responder com todo o vigor: “EU!” Em nome de Jesus Cristo. Amém.