2010–2019
O Sacramento Pode Nos Ajudar a Tornar-nos Santos
Outubro de 2016


O Sacramento Pode Nos Ajudar a Tornar-nos Santos

Ponderemos cinco maneiras de aumentar o impacto e o poder de nossa participação habitual na ordenança sagrada do sacramento.

Uma de minhas lembranças mais antigas é a de reuniões sacramentais realizadas em nossa casa, em Warrnambool, Austrália. Cerca de 10 ou 15 pessoas frequentavam o nosso ramo, e meu pai, um dos três portadores do sacerdócio, tinha a oportunidade de abençoar o sacramento com frequência. Lembro-me do que sentia quando ele lia com humildade e atenção as palavras das orações sacramentais. Muitas vezes, sua voz tremia ao sentir o Espírito. Às vezes, ele tinha que fazer uma pausa para controlar a emoção antes de terminar a oração.

Como eu só tinha 5 anos, não conseguia entender o pleno significado do que estava sendo dito ou feito; no entanto, eu sabia que algo especial estava acontecendo. Eu podia sentir a influência calma e reconfortante do Espírito Santo enquanto meu pai ponderava o amor do Salvador por nós.

O Salvador ensinou: “E isto fareis sempre a todos os que se arrependerem e forem batizados em meu nome; e o fareis em lembrança do meu sangue que derramei por vós, a fim de que testifiqueis ao Pai que sempre vos lembrais de mim. E se vos lembrardes sempre de mim, tereis o meu Espírito convosco” (3 Néfi 18:11).

Faço um convite para que ponderemos cinco maneiras de aumentar o impacto e o poder de nossa participação habitual na ordenança sagrada do sacramento, uma ordenança que pode nos ajudar a tornar-nos santos.

1. Preparar-se com Antecedência

Podemos começar nossa preparação para o sacramento muito antes do início da reunião sacramental. O sábado pode ser um ótimo dia para refletir sobre nosso progresso e nossa preparação espiritual.

Imagem
Preparing for Sunday

A mortalidade é uma dádiva fundamental em nossa jornada para tornar-nos como o Pai Celestial. É necessário que nela haja provações e desafios que nos deem oportunidades de mudar e crescer. O rei Benjamim ensinou que “o homem natural é inimigo de Deus e tem-no sido desde a queda de Adão e sê-lo-á para sempre; a não ser que ceda ao influxo do Santo Espírito e despoje-se do homem natural e torne-se santo pela expiação de Cristo, o Senhor” (Mosias 3:19). A participação na ordenança do sacramento nos dá a oportunidade de entregar mais plenamente nossa alma e nosso coração a Deus.

Em nossa preparação, nosso coração torna-se quebrantado ao expressarmos gratidão pela Expiação de Cristo, ao nos arrependermos de nossos erros e nossas falhas e ao pedirmos ajuda ao Pai em nossa jornada contínua para tornar-nos mais semelhantes a Ele. Podemos então aguardar ansiosamente pela oportunidade que o sacramento nos dá de lembrar-nos de Seu sacrifício e de renovar nosso compromisso de cumprir todos os convênios que fizemos.

2. Chegar Cedo

A experiência do sacramento pode se tornar ainda melhor se chegarmos bem antes da reunião e meditarmos ao ouvir o prelúdio.

Imagem
Arrive early for sacrament meeting

O Presidente Boyd  K. Packer ensinou: “O prelúdio musical reverentemente executado nutre o espírito e convida a inspiração”.1 “Esse não é um momento”, explicou o Presidente Russell  M. Nelson, “de conversar ou de transmitir mensagens, mas um período de meditação em espírito de oração, em que os líderes e os membros se preparam espiritualmente para o sacramento”. 2

3. Cantar o Hino Sacramental e Aprender com Sua Letra

O hino sacramental é uma parte especialmente importante de nossa experiência com o sacramento. A música eleva nossos pensamentos e nossos sentimentos. O hino sacramental tem ainda mais influência quando nos concentramos na letra e na poderosa doutrina nela ensinada. Aprendemos muito, por exemplo, com as palavras “com sofrimento e dor, cumpres a lei”,3 “deve ser pura nossa mão, nosso intento e coração”4 e “perdão, justiça, redenção, ao pobre pecador”.5

Imagem
Sing and learn from the hymns
Imagem
Focus on the words of the hymns

Ao cantarmos um hino em preparação para partilhar dos emblemas, as palavras podem se tornar parte do nosso compromisso de cumprir o convênio. Ponderem este verso, por exemplo: “Nós te amamos, Senhor; nosso coração transborda. Andaremos no Teu caminho”.6

4. Participar Espiritualmente das Orações Sacramentais (Ver Morôni 4–5)

Em vez de ignorar as palavras já conhecidas das orações sacramentais, podemos aprender muito e desfrutar ainda mais ao participarmos espiritualmente, pensando nos compromissos e nas bênçãos a eles associadas que são mencionados nas sagradas orações.

Imagem
Blessing on the bread

O pão e a água são abençoados e santificados para a nossa alma. Eles nos lembram o sacrifício do Salvador e o fato de que Ele pode nos ajudar a tornar-nos santos.

As orações explicam que comemos o pão em lembrança do corpo do Filho, que Ele deu como resgate para qualificar todos para a ressurreição, e tomamos a água em lembrança do sangue do Filho, que Ele livremente derramou para que pudéssemos ser redimidos sob a condição de arrependimento.

As orações começam a citar os convênios com a frase “que desejam” (Morôni 4:3). Essa frase pode exercer muito poder sobre nós! Estamos dispostos a servir e a participar? Estamos dispostos a mudar? Estamos dispostos a superar nossas fraquezas? Estamos dispostos a ajudar e a abençoar outras pessoas? Estamos dispostos a confiar no Salvador?

À medida que as promessas são proferidas e que partilhamos do sacramento, confirmamos em nosso coração que estamos dispostos a:

  • Tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo.

  • Esforçar-nos para cumprir todos os Seus mandamentos.

  • Recordá-Lo sempre.

A oração termina com um convite e uma promessa sublimes: “Para que possam ter sempre consigo o seu Espírito” (Morôni 4:3).

Paulo escreveu: “O fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão [e] temperança” (Gálatas 5:22). Lindas bênçãos e dádivas estão à nossa disposição se cumprirmos nossos convênios.

5. Ponderar e Lembrar-se Dele Enquanto os Emblemas São Distribuídos

Os momentos reverentes em que os portadores do sacerdócio distribuem o sacramento podem tornar-se sagrados para nós.

Imagem
Passing the bread

Quando o pão é distribuído, podemos refletir sobre aquele ato sublime de amor em que o Salvador “[tomou] sobre si a morte, para soltar as ligaduras da morte que prendem o seu povo” (Alma 7:12).

Podemos lembrar a bênção gloriosa da ressurreição que “acontecerá com todos, (…) tanto escravos como livres, tanto homens como mulheres, tanto iníquos como justos; e não se perderá um único cabelo de sua cabeça, mas tudo será restaurado à sua perfeita estrutura” (Alma 11:44).

Imagem
Passing the water

Quando a água é distribuída, podemos nos lembrar do apelo do Salvador:

“Pois eis que eu, Deus, sofri essas coisas por todos, para que não precisem sofrer caso se arrependam;  (…)

Sofrimento que fez com que eu, Deus, o mais grandioso de todos, tremesse de dor e sangrasse por todos os poros; e sofresse, tanto no corpo como no espírito — e desejasse não ter de beber a amarga taça e recuar” (D&C 19:16, 18).

Lembramos que Ele tomou “sobre si as [nossas] enfermidades, para que se lhe encham de misericórdia as entranhas, segundo a carne, para que saiba, segundo a carne, como socorrer seu povo, de acordo com [nossas] enfermidades” (Alma 7:12).

Ao ponderar nossa experiência com o sacramento, talvez nos perguntemos:

  • O que farei esta semana a fim de me preparar melhor para o sacramento?

  • Será que eu poderia contribuir mais para a reverência e o ambiente de revelação que podem permear o início da reunião sacramental?

  • Que doutrina foi ensinada no hino sacramental?

  • O que ouvi e senti quando escutei as orações sacramentais?

  • No que pensei quando o sacramento foi distribuído?

O Élder David A. Bednar ensinou: “A ordenança do sacramento é um convite sagrado e constante para nos arrependermos sinceramente e sermos renovados espiritualmente. O ato de tomar o sacramento, por si só, não perdoa os pecados. Mas, à medida que nos preparamos conscientemente e participamos dessa ordenança sagrada com um coração quebrantado e um espírito contrito, a promessa é a de que teremos sempre conosco o Espírito do Senhor. E pelo poder santificador do Espírito Santo como nosso companheiro constante, podemos sempre conservar a remissão de nossos pecados”.7

Testifico que inúmeras bênçãos estão disponíveis para nós ao melhorarmos nossa preparação e nossa participação espiritual na ordenança do sacramento. Testifico ainda que essas bênçãos estão a nosso dispor por causa do amor do Pai Celestial e do sacrifício expiatório infinito de Seu Amado Filho, Jesus Cristo. No sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

Imprimir