Revelação Pessoal: 
O Dom, o Teste 
e a Promessa

    Notas de rodapé

    Revelação Pessoal: 
O Dom, o Teste 
e a Promessa


    Acreditai, e vossa fé será constantemente revigorada, vosso 
conhecimento da verdade ampliado.

    Falo aos jovens da Igreja que estão se defrontando com “tempos trabalhosos”, como o Apóstolo Paulo profetizou que sobreviriam nos últimos dias.1

    Com o intuito de preparar-vos e proteger-vos, relatarei do modo mais claro possível o que aprendi a respeito da revelação pessoal.


    Seres de Natureza Dupla

    Existem duas partes em vossa natureza: o corpo temporal nascido de pais mortais e o espírito imortal dentro dele. Sois filho ou filha de Deus.


    Fisicamente, podeis ver com os olhos, escutar com os ouvidos, tocar, sentir e aprender. Por meio da inteligência, aprendestes a maior parte das coisas que sabeis sobre o mundo em que vivemos.


    Se aprenderdes apenas com a razão, nunca compreendereis o Espírito nem como Ele age, não importando o quanto aprendais a respeito de outras coisas.


    As escrituras ensinam que “os grandes [nem sempre] são sábios”.2 Espiritualmente podeis “não saber nem saber que não sabeis” e “[aprender] sempre, e nunca chegar ao conhecimento da verdade”.3

    O espírito e a inteligência aprendem de modo diferente.


    Pois “há um espírito no homem, e a inspiração do Todo-Poderoso os faz entendidos”4, e o Espírito de Cristo “dá luz a todo o homem que vem ao mundo”5.


    Empregarei as palavras ver, ouvir e sentir para ensinar a respeito da revelação, mas irei utilizá-las da maneira como são usadas nas escrituras.


    O Dom do Espírito Santo

    Depois do batismo, na ordenança da confirmação, recebestes o dom do Espírito Santo.


    Apesar de o Espírito Santo poder inspirar toda a humanidade, esse dom concede o direito de tê-lo como “companheiro constante”6. “Pelo poder do Espírito Santo podeis saber a verdade de todas as coisas.”7

    Somos ensinados que “os anjos falam pelo poder do Espírito Santo”8 e que quando falamos pelo poder do Espírito Santo, nós o fazemos “na língua dos anjos”9.


    Oração


    Por terdes o livre-arbítrio, a inspiração não virá, talvez nem possa vir, a menos que a peçais ou alguém o faça por vós.


    Nenhuma mensagem das escrituras é mais repetida do que o convite ou mesmo o mandamento de orar e de pedir.


    A oração é tão essencial à revelação que sem ela o véu pode permanecer fechado para vós. Aprendei a orar. Orai sempre. Orai em pensamentos, no coração. Orai de joelhos.


    Começai de Onde Estiverdes


    Deveis começar de onde estiverdes. Orai, mesmo que estejais como o profeta Alma quando jovem e rebelde, ou com a mente fechada como Amuleque, que “sabia a respeito dessas coisas … embora não quisesse saber”10.


    A oração é vossa chave pessoal para o céu. A fechadura está deste lado do véu.11

    Estudo

    Mas não é tudo. Para alguém que havia pensado que receberia revelação sem qualquer esforço o Senhor disse:


    “Eis que não compreendeste; tu supuseste que eu to daria quando não fizeste outra coisa senão pedir.


    Mas, eis que eu te digo, deves ponderar em tua mente; depois me deves perguntar se é correto e, se for, eu farei arder dentro de ti o peito; hás de sentir assim, que é certo.”12

    Esse ardor no peito não é apenas uma sensação física. É como uma luz cálida brilhando dentro de nós.


    Descrever os influxos do Espírito Santo a alguém que nunca os sentiu é algo muito difícil. Tais influxos são pessoais e estritamente particulares!13

    A Voz Mansa e Delicada

    O Espírito Santo fala com uma voz que mais se sente do que se escuta e é descrita como “mansa e delicada”.14 Apesar de dizermos “ouvir” os sussurros do Espírito, é mais comum descrevermos o influxo espiritual como um sentimento.


    O Profeta Joseph Smith explicou: “Podeis beneficiar-vos, ao perceber o primeiro embate do Espírito de revelação. Por exemplo, quando sentis que a inteligência pura flui para vós, podereis, repentinamente, ser despertados por uma corrente de idéias, de modo que por atendê-lo, vereis que se cumprem no mesmo dia ou pouco depois; (isto é) verificareis as coisas que o Espírito de Deus revelou à vossa mente; e assim, por conhecer e aceitar o Espírito de Deus, podereis crescer no princípio da revelação até que chegueis a ser perfeitos em Cristo Jesus.”15

    A revelação vem por meio de palavras que sentimos mais do que ouvimos. Néfi disse a seus irmãos rebeldes que haviam sido visitados por um anjo: “Havíeis perdido a sensibilidade, de modo que não pudestes perceber suas palavras.”16

    As escrituras estão repletas de expressões como: “O véu foi retirado de nossas mentes, e abertos os olhos do nosso entendimento”17, “eu falarei à tua mente e ao teu coração”18, “iluminei a tua mente”19 ou “falai os pensamentos que eu puser em vossos corações”20. Existem centenas de versículos que ensinam a respeito da revelação.


    O Presidente Marion G. Romney, citando o profeta Enos, disse: “Enquanto estava assim lutando no espírito, eis que a voz do Senhor me veio outra vez à mente.”21 Enos então relata o que o Senhor fez-lhe vir à mente.


    O Presidente Romney disse: “Esta é uma maneira muito comum de receber revelação. Ela vem à mente da pessoa em palavras e frases. Este é um tipo de revelação que particularmente conheço muito bem.”22

    Não buscamos experiências espetaculares. O Presidente Spencer W. Kimball falou das muitas pessoas que “não dão ouvidos às mensagens espirituais … que chegam trajando roupas comuns … Por esperar algo espetacular, a pessoa pode não estar plenamente atenta ao constante fluxo de comunicações reveladas”23.


    Sussurro

    A voz do Espírito fala suavemente, sussurrando-vos o que fazer ou o que dizer, ou mesmo alertando-vos ou advertindo-vos.


    Se ignorais ou desobedeceis esses sussurros o Espírito vos abandonará. A escolha é vossa, é vosso o livre-arbítrio.


    A revelação depende da fé. Exerceis fé quando fazeis vossa mente aceitar uma verdade, que não podeis provar com certeza apenas com a razão.24

    Vosso primeiro exercício de fé deve ser a aceitação de Cristo e de Sua expiação.


    Ao pôr os princípios do evangelho à prova, acreditando sem ainda saberdes com certeza, o Espírito passará a ensinar-vos e gradualmente vossa fé será substituída pelo conhecimento.


    Sereis capazes de discernir ou ver com os olhos espirituais.


    Acreditai, e vossa fé será constantemente revigorada, vosso conhecimento da verdade ampliado e vosso testemunho do Redentor, da ressurreição, da restauração será como “uma fonte de água viva, vertendo para a vida eterna”.25 Podereis então receber orientação nas questões práticas da vida.


    A Palavra de Sabedoria

    O corpo é o instrumento da mente. Nas emoções, o espírito e o corpo tornam-se mais próximos um do outro. O que aprendeis espiritualmente depende, em parte, de como cuidais de vosso corpo. É por isso que a Palavra de Sabedoria26 é tão importante.


    As substâncias que causam dependência e que foram proibidas por revelação—chá, café, bebidas alcoólicas, fumo—interferem nos delicados sentimentos da comunicação espiritual, assim como outras drogas que viciam.


    Não ignoreis a Palavra de Sabedoria pois isto poderá custar-vos “grandes tesouros de conhecimento, até mesmo tesouros ocultos”27 prometidos a todos os que a cumprem, além da bênção adicional da boa saúde.


    Música


    Fazei da música sadia de todos os tipos parte de vossa vida.


    Depois, aprendei qual a relação entre a música sacra e a revelação. O Senhor disse: “Minha alma se deleita com o canto do coração; sim, o canto dos justos é uma prece a mim, e será respondida com uma bênção sobre suas cabeças.”28

    A música secular pode ser inspiradora, num sentido clássico ou popular, mas não irá preparar a mente para ser instruída pelo Espírito, como acontece com a música sacra.


    O Apóstolo Paulo aconselhou os efésios dizendo: “­enchei-vos do Espírito; falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais: cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração…”29.


    Reverência

    O prelúdio musical reverentemente executado nutre o espírito e convida a inspiração. É um momento que nos faz lembrar o que disse o poeta: “Voltai a atenção ao vosso peito
… e perguntai o que sabe vosso coração.”30 Jamais perturbeis as pessoas que estão ouvindo o prelúdio musical pois a reverência é essencial à revelação. “Aquietai-vos”, disse Ele, “e sabei que eu sou Deus….”31

    Um aviso! Algumas músicas são espiritualmente destrutivas. Vós, jovens, sabeis que músicas são essas. O ritmo, o som e o estilo de vida daqueles que as executam afastam o Espírito. São muito mais perigosas do que podeis supor, pois podem embotar vossos sentidos espirituais.


    Tentação

    Jovens, escutai com atenção! Antes que eu diga algo mais a respeito da revelação pessoal, devo explicar de maneira que não vos seja possível deixar de compreender: “… Há muitos falsos espíritos …”32. Pode haver revelações falsas, sussurros do diabo, tentações! Enquanto viverdes, de uma maneira ou outra o adversário tentará fazer com que vos desvieis do caminho.


    “… Porque é desta forma que o diabo age, pois não persuade quem quer que seja a fazer o bem; não, ninguém; tampouco o fazem seus anjos; nem o fazem os que a ele se sujeitam.”33

    O Profeta Joseph Smith disse que “… nada prejudica mais os filhos dos homens do que estar sob a influência de um falso espírito, crendo ser possuídos pelo Espírito de Deus”.34

    O sétimo capítulo de Morôni no Livro de Mórmon explica como testar os sussurros espirituais. Lede-o repetidas vezes com cuidado.


    Por meio da tentativa e de alguns erros podereis aprender a ouvir tais sussurros.


    Se fordes compelidos a fazer algo que vos faça sentir apreensivos, algo que saibais em vossa mente ser errado e contrário aos princípios da retidão, não atendais.


    A Igreja


    O Senhor revela Sua vontade por meio de sonhos e visões, visitações, por meio de anjos, por Sua própria voz ou pela de seus servos.35 “… Seja pela minha própria voz”, disse Ele, “ou pela de meus servos, não importa.”36

    A casa do Senhor é uma casa de ordem. O Profeta Joseph Smith ensinou que “… é contrário ao sistema de Deus que um membro da Igreja, ou qualquer outra pessoa, receba instruções para alguém cuja autoridade seja maior do que a sua”.37

    Podeis receber revelação individual, como pai de família ou por aqueles que estão sob vossa responsabilidade como líder ou professor, depois de terdes sido devidamente chamados e designados.


    Se alguém se torna crítico e cultiva sentimentos negativos, o Espírito se afasta e somente retornará depois que a pessoa se arrepender. A experiência mostrou-me que os canais de inspiração sempre funcionam dessa maneira. Estais em segurança quando seguis vossos líderes.


    O Consolador

    Não deveis supor que sereis poupados de sofrimentos, desapontamentos, fracassos e medo. Todos passam por isso. É algo essencial ao nosso teste.


    Quando vos sobrevierem duras provações sabereis por que o Espírito Santo é chamado de Consolador.


    Deveis enfrentar a vida tal como Néfi: “… [conduzidos] pelo Espírito, não sabendo de antemão o que [devereis] fazer”.38

    Talvez ainda não tenhais um firme testemunho de que Jesus é o Cristo. Exercitai vossa fé e confiança naqueles que possuem tal testemunho.


    Tenho esse firme testemunho. Obtive-o na juventude. Naquela época de dúvidas, amparei-me no testemunho de um professor do seminário. Apesar de não saber por mim mesmo, de alguma forma eu sabia que ele sabia.


    O Senhor disse:


    “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.


    E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;


    O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.


    Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.”39

    Presto testemunho do poder do Espírito e agradeço a Deus por esse incomparável dom ser dado a vós, nossos jovens, para vos guiar em vosso caminho para uma vida feliz, em nome de Jesus Cristo. Amém.

    1. II Timóteo 3:1.

    2. II Timóteo 3:7.

    3. Jó 32:8.

    4. D&C 84:46.

    5. D&C 121:46.

    6. Morôni 10:5; ver também 2 Néfi 32:5.

    7. 2 Néfi 32:3

    8. 2 Néfi 31:13; 32:2.

    9. Alma 10:6.

    10. Ver Apocalipse 3:20.

    11. D&C 9:7–8; grifo nosso.

    12. Ver 1 Néfi 14:28–30; 2 Néfi 32:7; Alma 12:9–11.

    13. D&C 85:6.

    14. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p.147.

    15. 1 Néfi 17:45; grifo nosso.

    16. D&C 110:1.

    17. D&C 8:2.

    18. D&C 6:15.

    19. D&C 100:5.

    20. Enos 1:10.

    21. Conference Report (Relatório de Conferência Geral), abril de 1964, p. 124.

    22. Teachings of Spencer W. Kimball (Ensinamentos de Spencer W. Kimball), org. Edward L. Kimball, Cidade do Lago Salgado: Bookcraft, 1982, p. 457.

    23. Ver Alma 32:27–28,38.

    24. D&C 63:23; ver também João 4:14; Jeremias 2:13.

    25. Ver D&C 89.

    26. D&C 89:19.

    27. D&C 25:12; grifo nosso.

    28. Efésios 5:18–19; grifo nosso.

    29. William Shakespeare, Measure for Measure, ato 2, cena 2, linhas 136–37.

    30. Salmos 46:10.

    31. D&C 50:2; ver também v.3.

    32. Morôni 7:17.

    33. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 200.

    34. Ver D&C 43:25.

    35. D&C 1:38.

    36. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p.23.

    37. 1 Néfi 4:6.

    38. João 14:15–18.