2000–2009
    Sociedade de Socorro — Um Trabalho Sagrado
    Notas de rodapé
    Tema

    Sociedade de Socorro — Um Trabalho Sagrado

    Nosso trabalho é de salvação, de serviço e de santificação das pessoas.

    Esta é uma bela reunião das mulheres da Sociedade de Socorro. Desde nossa última reunião geral, tive a bênção de reunir-me com muitas de vocês. Obrigada por seu serviço dedicado e devotado. Nas últimas reuniões gerais da Sociedade de Socorro, ponderamos sobre o vigor e a constância com que as mulheres SUD conhecem e cumprem o propósito da Sociedade de Socorro.1 Hoje, espero fortalecer nosso testemunho e nossa compreensão de que o trabalho da Sociedade de Socorro fundamenta-se na fé. Falarei sobre o propósito deste trabalho e a maneira como devemos realizá-lo.

    Sabemos que o propósito da Sociedade de Socorro, como estabelecido pelo Senhor, é preparar as mulheres para as bênçãos da vida eterna, ajudando-as a:

    1. aumentar a fé e a retidão pessoal;

    2. fortalecer a família e o lar; e

    3. servir ao Senhor e a Seus filhos.

    A história, o propósito e a obra da Sociedade de Socorro são peculiares entre todas as organizações das mulheres. Em 1942, referindo-se ao centenário da Sociedade de Socorro, a Primeira Presidência da Igreja disse:

    “Nenhuma outra organização feminina sobre a Terra teve uma origem assim. (…)

    As irmãs [da Sociedade de Socorro] não devem permitir que nenhum tipo de interesse hostil ou competitivo diminua os deveres e as obrigações, os privilégios e as honras, as oportunidades e as realizações inerentes à participação nessa grande sociedade”.2

    Considerando que nossa participação na Sociedade de Socorro tem tanta importância, precisamos saber o que nos diferencia de outros grupos ou organizações femininas. Tudo o que fazemos na Sociedade de Socorro tem importância, porque o Pai Celestial e Seu Filho, Jesus Cristo, visitaram Joseph Smith e porque, por seu intermédio, a plenitude do evangelho de Jesus Cristo foi restaurada na Terra. A Sociedade de Socorro faz parte dessa restauração. O Profeta Joseph Smith definiu o propósito da Sociedade de Socorro e instruiu as irmãs quanto a seu propósito, da mesma forma que ensinou, aos líderes do sacerdócio em Kirtland e Nauvoo, o propósito e a obra de seu sacerdócio. Nossa organização continua, hoje em dia, a ser liderada por profetas, videntes e reveladores.

    A Sociedade de Socorro é peculiar porque foi organizada segundo o “padrão do sacerdócio”,3 e servimos em âmbito geral e local sob a direção dos líderes do sacerdócio. Trabalhamos em parceria com os líderes do sacerdócio, portadores das chaves que lhes dão autoridade para presidir em nome do Senhor. Trabalhamos à maneira do sacerdócio — isto é, buscamos e recebemos revelação e agimos sob inspiração; tomamos decisões em conselhos; e nos preocupamos com o cuidado das pessoas, individualmente. Temos o mesmo objetivo do sacerdócio: de nos preparar para as bênçãos da vida eterna, fazendo e cumprindo convênios. Portanto, assim como nossos irmãos portadores do sacerdócio, o nosso trabalho também é de salvação, de serviço e de santificação das pessoas.

    O Presidente Boyd K. Packer ensinou-nos: “A Sociedade de Socorro possui responsabilidades bastante extensas.

    A frequência à reunião de domingo é apenas uma pequena parte de seus deveres. Algumas de vocês ainda não compreenderam isso e deixaram de lado muito do que a Sociedade de Socorro ofereceu todos esses anos: a irmandade e suas partes práticas e caritativas”.

    Ele explicou:

    “A Sociedade de Socorro, segundo o Profeta [Joseph], foi organizada de acordo com o padrão do sacerdócio. Quando um homem possui o sacerdócio (…) isso requer dedicação e lealdade total. (…)

    A associação ao sacerdócio magnifica o homem e o menino. Onde quer que eles estejam, façam o que fizerem, associem-se com quem se associarem, espera-se deles que honrem seu sacerdócio. (…)

    Se vocês, irmãs, seguirem o mesmo padrão, (…) servirão a sua organização e a sua causa — a Sociedade de Socorro (…).

    O trabalho na Sociedade de Socorro magnifica e santifica cada uma das irmãs, individualmente. Sua associação na Sociedade de Socorro deve estar sempre em sua mente”.4

    Trabalhar à Maneira do Senhor

    Quando nosso propósito é claro, a consequência natural é que exista uma maneira adequada de cumprir nossas responsabilidades. Vamos examinar como o trabalho fundamentado na fé, feito pela Sociedade de Socorro, deve ser administrado. Um dos mais preciosos bens que todos possuímos é o tempo. A maioria das mulheres tem muitas responsabilidades, e o tempo nunca é suficiente para fazer tudo o que seu coração e sua mente desejam. Demonstramos nosso respeito pelo Senhor e pelas irmãs quando usamos com inspiração o tempo da Sociedade de Socorro.

    O Presidente Dieter F. Uchtdorf nos ensinou: “Certa vez, um sábio fez a distinção entre ‘a nobre arte de fazer as coisas’ e ‘a arte mais nobre de deixar de fazer certas coisas’. A verdadeira ‘sabedoria na vida’, ensinou ele, consiste na ‘eliminação do que não é essencial’”. O Presidente Uchtdorf perguntou, então: “Que coisas não essenciais atrapalham seu dia e roubam seu tempo? Que hábitos você desenvolveu, que não servem a um propósito útil? Que coisas não terminadas ou não começadas poderiam dar vigor, significado e alegria a sua vida”?5 Podemos aplicar essas perguntas a todas as reuniões e na obra da Sociedade de Socorro.

    Reunião Dominical da Sociedade de Socorro

    Realizamos a reunião semanal de nossa sociedade aos domingos, como parte do bloco regular de três horas. É extraordinário pensar que todos os domingos, no mundo inteiro, milhares de grupos de irmãs se reúnem para aumentar a fé, fortalecer a família e coordenar esforços para oferecer auxílio. Nossas reuniões dominicais duram apenas 50 minutos; por isso, começamos essas reuniões cuidando de assuntos essenciais que nos ajudarão a ser mais unidas e eficazes em nosso trabalho da Sociedade de Socorro. Mantemos nossos assuntos breves, dignos e organizados, condizentes com quem somos e com o que devemos fazer.

    Assim como as irmãs na primeira reunião da Sociedade de Socorro receberam instruções de profetas e apóstolos, estudamos hoje as palavras dos líderes da Igreja. Que bênção é ter recursos correlacionados que ensinam a doutrina e os princípios que nos ajudam a viver o evangelho em nossa vida e em nosso lar! O trabalho da Sociedade de Socorro baseia-se na fé e, por isso, as aulas são mais eficazes quando o ensino é inspirado, e aquela que prega e aquela que recebe se compreendem uma à outra e ambas são edificadas e juntas se regozijam.6

    Outras Reuniões da Sociedade de Socorro

    Todas as nossas reuniões e atividades são reuniões das irmãs da Sociedade de Socorro. Já faz alguns anos que temos denominado as outras reuniões da Sociedade de Socorro como reuniões de aprimoramento pessoal, familiar e doméstico. Em resposta a dúvidas quanto à complexidade desse título, bem como às diferentes interpretações do propósito dessas reuniões, decidimos que o uso da expressão “aprimoramento pessoal, familiar e doméstico” será descontinuado a partir deagora. Numa reunião com a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos, ficou determinado que, em vez de dar um novo título a essas outras reuniões da Sociedade de Socorro, todas as reuniões e atividades serão chamadas a partir de agora, simplesmente de reuniõesda Sociedade de Socorro. Cada reunião da Sociedade de Socorro realizada durante a semana será chamada por qualquer outro nome: reunião de serviço da Sociedade de Socorro, aula, projeto, conferência ou oficina.

    Essas outras reuniões podem tornar-se suplementos valiosos à instrução de domingo, especialmente para as irmãs que trabalham na Primária ou nas Moças, ou que não podem participar das reuniões aos domingos. Essas reuniões serão também uma ocasião excelente para trazer nossas amigas de outra religião e para integrar irmãs que não podem participar ativamente na Igreja. Todas as irmãs da Sociedade de Socorro e suas amigas são convidadas a participar. Entretanto, elas não devem sentir que seu comparecimento a essas reuniões adicionais seja obrigatório.

    Sob a direção do bispo, a presidência da Sociedade de Socorro da ala pode usar essas reuniões para tratar as necessidades espirituais e materiais das pessoas e famílias da ala e para fortalecer a irmandade e a união.

    Quando as irmãs se reúnem na Sociedade de Socorro durante a semana, têm a oportunidade de aprender e realizar tanto atividades práticas quanto caritativas. É nelas que aprenderão a praticar habilidades que aumentarão sua fé e retidão, fortalecerão a família e o lar, e servirão aos necessitados. Tais reuniões têm o objetivo de ser instrumentos para o ensino das habilidades e responsabilidades características das mulheres e das mães no plano do Senhor. É nelas que as mulheres aprendem e aplicam os princípios do viver previdente e da autossuficiência espiritual e material, além de fortalecer a irmandade e a união, ensinando e servindo umas às outras.

    A presidente da Sociedade de Socorro da ala supervisiona todas as reuniões da Sociedade de Socorro. Como parte dessa responsabilidade, ela se reúne regularmente com o bispo para decidir como essas reuniões podem ajudar a atender à necessidade das pessoas e famílias da ala.

    A presidência da Sociedade de Socorro estuda, em espírito de oração, a frequência com que devem realizar as reuniões da Sociedade de Socorro durante a semana e o lugar onde devem realizá-las. Depois, fazem uma recomendação ao bispo, levando em consideração a disponibilidade de tempo das irmãs, suas condições familiares, a distância e o custo da viagem para elas, os custos financeiros para a ala, a segurança e outras circunstâncias.

    Essas reuniões são geralmente realizadas em dias diferentes dos domingos ou das segundas-feiras. Em geral, elas são realizadas mensalmente, mas a presidência da Sociedade de Socorro pode recomendar que as reuniões sejam realizadas com maior ou menor frequência. Deve-se envidar esforços para que sejam realizadas pelo menos trimestralmente. Pelo menos uma irmã da presidência da Sociedade de Socorro da ala deve estar presente em cada reunião. Sob a direção da presidência da estaca, a presidência da Sociedade de Socorro da estaca pode planejar e realizar uma ou duas reuniões em âmbito de estaca por ano para todas as irmãs da Sociedade de Socorro da estaca.7

    As líderes da Sociedade de Socorro reúnem-se em espírito de oração para decidir os assuntos que fortalecerão as irmãs e sua família e a melhor maneira de ensinar esses assuntos. A presidente da Sociedade de Socorro assegura-se de que esses planos sejam aprovados pelo bispo. Ela também se assegura de que os planejamentos sejam condizentes com as normas em vigor quanto às atividades e também quanto a finanças. Embora a presidente da Sociedade de Socorro supervisione essas reuniões, ela pode pedir à primeira ou à segunda conselheira que a ajudem. Ela pode recomendar que outra irmã da ala seja chamada para servir como coordenadora da reunião da Sociedade de Socorro para ajudar a presidência a planejá-las e realizá-las.

    As reuniões podem ter como foco um tópico ou ser divididas em mais de uma aula ou atividade. Em geral, as professoras nessas reuniões devem ser membros da ala ou da estaca. Todo ano, uma reunião pode celebrar o aniversário da Sociedade de Socorro e ter como foco sua história e seu propósito.

    Ao planejar as reuniões da Sociedade de Socorro para dias de semana, as líderes devem dar prioridade aos tópicos que cumprirão os propósitos da Sociedade de Socorro, como: casamento e família; cuidar da casa; viver previdente e autossuficiência; serviço de solidariedade; templo e história da família; compartilhar o evangelho e outros assuntos solicitados pelo bispo.8

    Quando planejamos, perguntamos o que o Senhor deseja que aprendamos e em quem nos tornemos para nos preparar para a vida eterna. Na sabedoria do Senhor, cada ala tem características peculiares que nenhuma outra ala tem. Isso pode ser comparado ao DNA, que identifica cada ser humano como único. Cada bispo tem a responsabilidade por sua respectiva ala. Cada presidente da Sociedade de Socorro de uma ala tem o chamado de ajudar o bispo. Cada bispo e presidência da Sociedade de Socorro foram designados, sob a imposição de mãos, para receber inspiração para suas responsabilidades particulares, e não para qualquer outra ala ou grupo de irmãs.

    Se trabalharmos com esse entendimento, buscaremos revelação e trabalharemos ao lado do bispo para cumprir os propósitos da Sociedade de Socorro de nossa unidade. O resultado de trabalhar dessa maneira é que, se as irmãs e as famílias precisam ser preparadas para emergências, a Sociedade de Socorro pode organizar, ensinar e inspirar essa preparação. Se as irmãs e as famílias precisam se preparar para ir ao templo, a Sociedade de Socorro pode organizar, ensinar e inspirar as irmãs a fazerem isso. Se o bispo precisa de mulheres adultas solteiras que compartilhem o evangelho e tragam de volta suas amigas à atividade, a Sociedade de Socorro pode organizar, ensinar e inspirar esse trabalho. Se as mães precisam aprender a nutrir e cuidar de seus filhos, a Sociedade de Socorro pode organizar, ensinar e inspirar esse trabalho. Se as irmãs precisam aprender e melhorar suas habilidades para que seu lar se torne um centro de fortalecimento espiritual, a Sociedade de Socorro pode organizar, ensinar e inspirar esse trabalho. Como aconteceu em nossa história, se os líderes do sacerdócio precisam realizar algo significativo, eles podem contar com a Sociedade de Socorro para ajudá-los.

    Ao fazermos uso adequado dessas reuniões da Sociedade de Socorro, aumentaremos a capacidade da Sociedade de Socorro de trabalhar vigorosamente com os líderes do sacerdócio em cada unidade. Como disse Joseph Smith em Doutrina e Convênios:

    “Que nenhum homem as considere coisas pequenas; porque muito há no futuro, com relação aos santos, que depende dessas coisas.

    Sabeis, [irmãs], que um navio muito grande é beneficiado sobremaneira por um pequeno leme, durante uma tempestade, sendo mantido na direção do vento e das ondas”.9

    Líderes da Sociedade de Socorro e do sacerdócio, essa mensagem lhes servirá como norma oficial em vigor, quanto às outras reuniões da Sociedade de Socorro. Se tiverem perguntas quanto a qualquer coisa que tivermos ensinado aqui, depois de estudarem essa mensagem, reúnam-se em sua unidade e estaca para descobrir as soluções de que precisam.

    Professoras Visitantes

    Muito do trabalho essencial que fazemos como Sociedade de Socorro não acontece nas reuniões. Queremos focalizar agora o trabalho das professoras visitantes. Por seguirmos o exemplo e os ensinamentos de Jesus Cristo, valorizamos essa sagrada atribuição de amar, conhecer, servir, compreender, ensinar e ministrar em Seu nome. Esse é um dever que temos na Igreja, onde certamente encontramos a ajuda do Senhor, se a buscarmos. Essa é uma responsabilidade que certamente aumenta nossa fé e nossa retidão pessoal, além de fortalecer nosso lar e nossa família, ao nos tornarmos parceiras do Senhor. Uma irmã nesta Igreja não tem outra responsabilidade — fora a da própria família — que tenha o potencial de fazer tanto bem, quanto a de ser professora visitante.

    Devido a ser esse o programa que o Senhor criou para cuidarmos individualmente de Suas filhas, as normas quanto às visitas são aprovadas pela Primeira Presidência, como se encontram descritas no Manual de Instruções da Igreja. Visto que as visitas de professoras visitantes centralizam-se nas irmãs, individualmente, as líderes da Sociedade de Socorro não organizam as mulheres em grupos com o propósito de fazer essas visitas.

    O bispo, que é ordenado pastor da ala, não tem condições de cuidar de todas as ovelhas do Senhor de uma só vez. Ele depende de professoras visitantes inspiradas que o ajudem. Sabemos que cada um deve optar por ser amigo de todos em sua ala; mas o bispo e a presidente da Sociedade de Socorro têm a responsabilidade de receber revelação quanto à pessoa que deve ser indicada para cuidar de cada irmã individualmente e fortalecê-la. O ideal seria que cada irmã cuidasse pelo menos de outra irmã na própria ala e a fortalecesse. Temos a bênção de orar por outra irmã e de receber inspiração quanto à maneira que o Senhor deseja que cuidemos de uma de Suas filhas.

    A visita de professoras visitantes se torna um trabalho do Senhor quando focalizamos a pessoa, em vez de estatísticas. Na realidade, a visita da professora visitante não termina. Trata-se de uma forma de vida, mais do que uma tarefa. O serviço fiel como professora visitante é uma prova de nosso discipulado. Demonstramos nossa fé e seguimos o padrão estabelecido pelo Senhor ao fazermos o relatório mensal de nossa atribuição. Se o cuidado que dedicamos às irmãs se resumisse em relatar que todas as irmãs da ala ouviram a Mensagem das Professoras Visitantes, publicadas mensalmente na revista A Liahona, seria mais fácil lê-la em voz alta diante de todos durante a reunião sacramental. Nosso relatório é mais útil para o bispo e para a presidente da Sociedade de Socorro quando contém dados sobre o bem-estar espiritual e material das irmãs, e o que temos feito para servi-las e amá-las.

    Sou imensamente grata por todas as professoras visitantes que, em todos estes anos, demonstraram sua fé ao me servir, ensinar, fortalecer e amar, de modo inspirado.

    Bem-Estar e Serviço de Solidariedade

    Nosso serviço de solidariedade e ajuda com as necessidades de bem-estar de pessoas e famílias é outra consequência das visitas de professoras visitantes. A presidente da Sociedade de Socorro conhece a necessidade das pessoas de sua unidade por meio das professoras visitantes e das visitas que ela mesma faz. Às vezes, ela nos organiza para ajudar outras e, às vezes, servimos “de acordo com [nossa] natureza”10, seguindo os sussurros do Espírito Santo. Há muitos anos, aprendi com a irmã Camilla Kimball, esposa do Presidente Spencer W. Kimball, a jamais suprimir um pensamento generoso. Se seguirmos esse conselho, saberemos com certeza que nosso Pai Celestial conhece-nos pessoalmente, pois Ele nos envia para sermos Suas mãos e coração para os necessitados. Se fizermos isso, nossa fé Nele será fortalecida.

    Conclusão

    Vivemos em uma época feliz e empolgante de crescimento na história da Igreja, e a Sociedade de Socorro também escreve essa história. Joseph Smith disse: “Que todo homem, mulher e criança reconheça a importância da obra e aja como se o sucesso dependesse exclusivamente de si mesmo; que todos tenham interesse por ela e atentem para o fato de que estão vivendo numa época cuja expectativa ardia no peito de reis, profetas e homens justos há milhares de anos — cuja vinda inspirava suas notas mais doces e seus hinos mais exaltados, fazendo com que irrompesse em enlevados versos como os que estão registrados nas escrituras”.11

    Regozijo-me por saber que o Senhor nos ama o suficiente para nos guiar neste mundo por meio de profetas, videntes e reveladores, e também por pertencer a uma Igreja dirigida por contínua revelação. Tenho certeza de que, se cada irmã fizer sua parte para garantir que os propósitos da Sociedade de Socorro sejam cumpridos, os anjos nos farão companhia e participaremos de milagres surpreendentes. Comemoramos e damos graças pelo trabalho essencial e sagrado que nos foi confiado. Em nome de Jesus Cristo. Amém.