2017
Peça: Tiago 1:5–6
Notas de rodapé

Hide Footnotes

Tema

Tema da Mutual de 2017

Peça

Tiago 1:5–6

“E se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, sem repreensão, e ser-lhe-á dada.

Porém peça-a com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte.”

Tiago 1:5–6

Por que esse tema foi escolhido e o que significa para você? O irmão Stephen W. Owen, Presidente Geral dos Rapazes, e a irmã Bonnie L. Oscarson, Presidente Geral das Moças, expressam seus pensamentos.

Por que essa escritura?

Irmã Oscarson: O Senhor sabe de qual mensagem vocês vão precisar, e é extraordinário ver como alguns problemas que surgem durante o ano são respondidos pelo tema e como ele realmente se encaixa no que acontece em sua vida.

Quando discutimos Tiago 1:5–6 como possibilidade para o tema deste ano, o Espírito encheu a sala. E todos concordamos que seria uma excelente escritura para nossos jovens porque tem várias conexões. Ela tem conexão com a história da Igreja — é a escritura que Joseph Smith leu e que o inspirou a ir ao Bosque Sagrado para orar. E a segunda grande conexão é que ela presta testemunho da missão divina de Joseph Smith, algo de que precisamos numa época em que sua reputação e a história da Igreja estão continuamente sendo questionadas pelo mundo. Também é uma mensagem sobre como recebemos revelação pessoal em nossa vida, que todos precisam conhecer.

Irmão Owen: Há muitas coisas acontecendo na vida de vocês hoje, e vocês têm muitas perguntas. Com todas as redes sociais e os mecanismos de busca que temos, há muitas fontes para as quais podemos nos voltar para obter respostas para suas dúvidas sobre a fé. Essa importante escritura mostra o processo de revelação vivenciado por Joseph Smith, que é um modelo que podemos seguir.

Como os jovens podem personalizar e usar Tiago 1:5–6?

Irmã Oscarson: Essa escritura contém uma excelente mensagem. Diz: “Peça-a com fé, não duvidando” (Tiago 1:6). Isso é particularmente pungente. Precisamos pedir com fé, e não com dúvidas.

Irmão Owen: E pedir com fé significa pedir com real intenção. Quando Joseph Smith recebeu a resposta sobre a qual igreja deveria filiar-se, não disse simplesmente: “Bem, é bom saber isso, mas…” Ele prosseguiu com fé.

Irmã Oscarson: Lembrem que uma oração justa não é pedir o que queremos, mas descobrir o que Deus quer para nós.

Que conselho você daria aos jovens sobre como utilizar a oração na vida deles?

Irmã Oscarson: Façam disso um hábito. Vocês não podem esquecer-se de orar. Não podem negligenciar a oração. O irmão de Jarede nos deixou um exemplo disso (ver Éter 2:14).

Irmão Owen: Esquecer-se de orar de tempos em tempos é uma coisa, porém é mais preocupante desligar-se do Senhor e não querer orar. Quando vocês sentirem que não devem orar, é nesse momento que realmente precisam orar. E se estiverem orando e lendo as escrituras, estarão em sintonia. E se não estiverem, vão distanciar-se.

Irmã Oscarson: Podemos falar diretamente com Deus. Ele não estabelece limites. Que grande dádiva é saber que podemos fazer isso e que Ele sempre está a nosso lado.

Como foi que você aprendeu a orar de modo significativo?

Irmã Oscarson: Não consigo pensar em uma experiência única. É o resultado final de toda uma vida. Orar tornou-se uma das partes mais significativas do meu dia porque esforço-me para ser assídua nisso. Melhorei muito minha capacidade de ouvir e receber respostas. Aprendemos e melhoramos à medida que nos envolvemos no processo. Trata-se simplesmente de fazer isso com constância, todos os dias, certificando-me de não perder essa oportunidade de conversar com o Pai Celestial. Quanto mais oramos, melhor aprendemos a ouvir as respostas.

Irmão Owen: Em minha juventude, quando eu precisava mesmo saber algo, lembrava-me da Primeira Visão e pensava: “Joseph Smith fez isso. Não preciso de uma manifestação grandiosa, mas preciso de uma resposta”. E então, com fé, eu seguia aquele padrão. Lembro-me de ajoelhar-me, abaixar a cabeça e orar em voz alta. O fato de ter continuado a seguir esse padrão abençoou minha vida muitas vezes, permitindo-me receber revelação pessoal.

Qual é uma das coisas mais importantes que os jovens podem aprender com essa escritura?

Irmão Owen: Simplesmente volto a enfatizar o padrão de oração estabelecido por Joseph Smith. Com apenas 14 anos, ele estava confuso, por isso leu as escrituras. A Primeira Visão não foi um momento fugaz em que Joseph simplesmente se ajoelhou. Houve muito trabalho antes disso. Ele refletiu muitas e muitas vezes sobre sua dúvida. Quando encontrou Tiago 1:5–6, disse: “Jamais uma passagem de escritura penetrou com mais poder no coração de um homem do que essa, naquele momento, no meu” (Joseph Smith—História 1:12). Penetrou com grande força em seu coração, e ele então a colocou em prática. Orou com real intenção e prosseguiu com fé. E é isso que esperamos que vocês consigam sentir com essa escritura ao longo de todo o ano de 2017.