O Surgimento de um Testemunho
anterior seguinte

De Um Amigo Para Outro

O Surgimento de um Testemunho

”Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.” (I Coríntios 12:3)

Nasci em St. George, Utah, onde meus antepassados se estabeleceram em 1861. Meu tetravô era Erastus Snow, Apóstolo quando Brigham Young era Presidente da Igreja. Meus pais e avós freqüentemente falavam dos pioneiros e seus sacrifícios. Eles encorajavam-me a honrar o nome da família, a saber quem eu era, e a escolher o certo.

Meu pai era proprietário de uma firma de lavagem a seco e comecei a ajudá-lo quando tinha cerca de cinco anos. Eu varria o chão e preparava os cabides para pendurar calças. A temperatura em St. George freqüentemente fica bem acima dos 38º. Ficar ao lado de uma passadeira a vapor é que me motivava escolher outra profissão e ir para a Faculdade de Direito. A lembrança daqueles dias mantinham-me firme na escola. Meus irmãos, irmã e eu também ajudávamos nossos avós com suas vacas, cavalos e loja de móveis. Aprendi a trabalhar duro, e praticava esportes — especialmente beisebol e futebol americano.

No dia seguinte ao meu batismo, fui confirmado membro d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Foi em uma reunião de jejum e testemunhos, e decidi, pela primeira vez na vida, prestar meu testemunho. À medida que eu falava, um sentimento quente e maravilhoso preencheu meu coração. Era uma confirmação do Espírito de que filiar-me à Igreja era a coisa certa a fazer. Aquele sentimento caloroso foi o início de meu pequeno testemunho, que cresceu à medida que amadureci. Sei que as crianças podem obter seus próprios testemunhos e que mesmo testemunhos pequenos são o suficiente para nos ajudar a escolher o que é certo.

Sirvo atualmente na África sudeste. Muitos membros da Igreja na África foram batizados recentemente. Eles são pioneiros. Um testemunho arde brilhantemente em seu coração. É comum às famílias irem para a Igreja a pé, levando até uma hora e meia em cada direção. As famílias que moram mais longe, economizam durante a semana inteira, a fim de pagar as corridas de táxi.

As crianças africanas são muito reverentes durante a reunião sacramental e a Primária. Elas gostam de ouvir as lições dadas pelos seus professores, e de cantar as músicas. Um dos hinos favoritos é “Graças Damos, Ó Deus, Por Um Profeta” ( Hinos, nº 9). Os santos na África amam muito ao Presidente Gordon B. Hinckley. Eles prestam fervoroso testemunho de que ele é um profeta e de que Joseph Smith restaurou o evangelho à Terra.

A maioria das alas e ramos reúne-se em edifícios que seriam logo reconhecidos como capelas dos santos dos últimos dias. Mas os santos em Rustenburg, África do Sul, reuniam-se em um armazém, enquanto esperavam que sua nova capela fosse terminada. Quando visitei a sua reunião sacramental, notei que o armazém tinha espaços entre o telhado e as paredes, para permitir que o ar que vinha de fora entrasse. Ao começarmos a cantar o hino de abertura, passarinhos voaram e se empoleiraram nos caibros. Eles cantaram conosco. Durante o hino sacramental, os pássaros cantaram mais uma vez.

Em todos os países, vocês, crianças da Igreja, são abençoadas por terem a Primária. Assistir à Primária semanalmente ajuda-as a aprender a respeito do evangelho para que possam obter seu próprio testemunho. Vindo à Igreja, dando ouvidos aos seus pais, orando, lendo as escrituras e guardando os mandamentos do Pai Celestial, vocês serão dignas de sentir o Espírito Santo. Ele testificará a vocês, como testificou para mim e para os santos da África, de que o Presidente Hinckley é um profeta de Deus e de que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é verdadeira.