Três Centavos
anterior seguinte

Três Centavos

Três centavos podem ser pouco, mas ajudaram a fazer uma grande mudança em minha vida.

“Não, bispo, acho que não vou fazer missão”, respondia ao meu bispo cada vez que me incentivava a considerar essa possibilidade.

Quando minha família se filiou à Igreja, tivemos muitas coisas a aprender e a desaprender. Como éramos a primeira geração de membros da Igreja, jamais havíamos considerado ou discutido o assunto missão. Parecia ser um sacrifício enorme.

Contudo, eu era um membro ativo da Igreja. Freqüentava todas as reuniões e aceitava as responsabilidades, conforme iam aumentando. Estava no segundo ano do curso de Contabilidade, quando o bispo me chamou para ser secretário financeiro.

Numa quarta-feira, constatei um erro nos relatórios e estava tentando encontrar sua origem. Senti-me desamparado ao tentar encontrar a diferença de três centavos entre os registros da Igreja e os do banco. O relatório deveria ser entregue no dia seguinte, e esse prazo aumentou minha angústia. Descobri que a única coisa sensata a fazer seria pedir ajuda.

Expliquei a situação para o bispo. Fiquei surpreso quando, em vez de examinar logo o relatório, ele me chamou para ajoelhar e orar com ele, a fim de explicarmos o problema ao Senhor. Ao nos levantarmos, o bispo pediu para ver o relatório. Quase imediatamente, e sem o uso da calculadora, ele apontou para uma coluna e disse: “Aqui está o problema”.

Fiz os cálculos, e ele estava certo. Senti que havia acabado de presenciar um milagre. Meu frágil testemunho a respeito da Igreja e de seus líderes foi fortalecido.

Eu ainda estava embevecido com a experiência, quando o bispo perguntou: “Agora você vai para a missão?”

Desta vez, eu disse, “sim”.

Ao sair da capela aquela noite, estava com todos os papéis que precisava preencher para a missão. Logo depois fui chamado para servir em uma missão de tempo integral, na Missão Filipinas Baguio.

Passaram-se muitos anos desde aquela noite e a resposta àquela oração. Após completar uma missão de dois anos, retornei à escola e me graduei, quatro anos depois da maioria dos estudantes da minha idade. Mas se tivesse que fazer tudo novamente, ainda assim escolheria servir.

Sou grato por ter tido um bispo que deu um bom exemplo e seguiu a inspiração de fazer a pergunta certa na hora certa. Da mesma forma, sou grato ao Pai Celestial. Ele não apenas ajudou-me a achar os três centavos para fechar meu relatório, mas também abençoou-me com uma riqueza inestimável de experiências missionárias.

Joel B. Macariola é membro da Ala Tangub, Estaca Bacolod Filipinas Sul.