Conferência Geral
    Doces Momentos
    Notas de rodapé
    Theme

    Doces Momentos

    Se buscarmos ao Senhor e a Sua orientação, se a direção que seguirmos for a de retornar à presença do Pai no Céu, os mais doces momentos surgirão.

    Quão gratas somos por nosso profeta vivo, o Presidente Gordon B. Hinckley, e por suas palavras “Deus abençoe a Sociedade de Socorro d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.1 Toda irmã desta Igreja pertence à Sociedade de Socorro. Cada uma de nós pode sentir o amor tão abundante nessa organização instituída por Deus.

    Meu coração está fragilizado por vocês, irmãs, que foram seriamente afetadas por desastres naturais recentes. Alegro-me com as mulheres dignas que estão servindo e recebendo ajuda. Por meio do serviço, tanto o que serve quanto o que recebe o serviço experimentam o amor do Senhor. Nesse período de dificuldades, oro para que sintam Seu amor e também o meu amor e o amor de suas muitas irmãs da Sociedade de Socorro.

    O Profeta Joseph Smith estabeleceu o curso para a Sociedade de Socorro quando disse às irmãs, em 1842: “É natural para as mulheres terem sentimentos de caridade — vocês estão agora numa situação em que podem agir de acordo com essa compreensão que Deus plantou em seu coração. Se viverem de acordo com esses princípios, quão grande e glorioso [será o [seu] galardão no reino celestial]!”2

    As irmãs da Sociedade de Socorro pioneira foram inspiradas pelo Profeta Joseph a agir. Hoje, nós também temos oportunidades de servir como “instrumentos nas mãos de Deus, para realizar esta grande obra”.3

    O que significa ser um instrumento em termos do dia-a-dia? Acho que significa nutrir outras pessoas. Joseph Smith chamou a isso agir “de acordo com essa compreensão”4 plantada em nosso coração. Tive muitos momentos doces ao sentir que o Senhor me usou como instrumento. Acredito que vocês também são guiadas e auxiliadas ao ensinarem, consolarem e incentivarem.

    Entretanto, como mulheres, nós somos muito duras com nós mesmas! Acreditem em mim, cada uma de nós é muito melhor do que pensamos. Precisamos reconhecer e comemorar o que estamos fazendo corretamente. Muito do que fazemos parece pouco e insignificante — apenas parte do viver diário. Quando formos “chamadas a prestar contas a Jeová”, como disse o Profeta Joseph, sei que teremos muito a relatar.

    Deixem-me dar-lhes um exemplo. Recentemente perguntei ao Élder William W. Parmley das lembranças sobre sua mãe, LaVern Parmley, que serviu como Presidente Geral da Primária durante 23 anos. Ele não mencionou seus discursos de conferências ou os muitos programas que ela implementou. Falou de um de seus momentos mais doces, quando ele tinha 17 anos e estava se preparando para ir para a faculdade. Lembrou-se de quando se sentou ao lado da mãe enquanto ela lhe ensinava como pregar um botão. Com os filhos de todas as idades, os atos pequenos e simples têm um impacto duradouro.

    Nem todas nós temos filhos a quem ensinar dicas básicas de costura. As irmãs pioneiras formavam um grupo tão diverso quanto o nosso. Algumas eram casadas, algumas solteiras, outras viúvas, mas eram unidas em propósito. Ao estar com vocês em muitas terras e muitos lugares, tenho sentido seu amor. Irmãs, eu as amo e sei que o Senhor também as ama.

    Muitas de vocês são solteiras. São estudantes, trabalhadoras e são novas na Sociedade de Socorro. Algumas de vocês são membros há muito tempo. Acreditem no que vou dizer: Cada uma de vocês tem valor e faz falta. Cada uma de vocês traz amor, energia, perspectiva e testemunho à obra. Seus esforços para viver em sintonia com o Espírito abençoam todas nós porque vocês aprenderam a confiar no Espírito para seu fortalecimento e orientação.

    Certa manhã, uma irmã solteira, Cynthia, foi inspirada a visitar uma das irmãs de quem era professora visitante. A irmã não estava em casa. Quando Cynthia voltava para casa, notou uma enfermeira do lado de fora de um hospital, com duas crianças, ambas com queimaduras graves. Quando Cynthia ouviu a enfermeira chamar o nome das menininhas, reconheceu-as imediatamente: ela conhecera aquelas duas crianças quando era missionária na Bolívia, quatro anos antes. Ao conversar com elas no gramado do hospital, ficou claro que as crianças estavam se recuperando fisicamente; mas sem qualquer apoio da família, elas estavam sofrendo emocionalmente. Cynthia começou a visitá-las e a acalentá-las. Ao dar ouvidos à orientação do espírito, Cynthia tornou-se um instrumento de Deus para abençoar duas crianças que sentiam saudades de casa.

    Aquele esforço se deu porque ela era solteira? Não. Foi porque ela estava atenta ao Espírito e entregou seu coração a Deus. Se estivermos em sintonia com o Espírito, se buscarmos ao Senhor e à Sua orientação, se a direção que seguirmos for a de retornar à presença do Pai no Céu, os mais doces momentos surgirão. Nós os apreciaremos, pois nos tornamos instrumentos nas mãos de Deus.

    Às vezes a nossa vida dá uma volta inesperada e temos que mudar do “plano A” para o “plano B”. Uma irmã solteira escreveu: “Não acho que tenha sentido a verdadeira felicidade na minha vida adulta senão depois de chegar à conclusão de que meu valor como pessoa e como filha do meu Pai Celestial nada tinha a ver com meu estado civil. Nesse ponto, comecei a me concentrar no meu desenvolvimento espiritual e pessoal, e não em se iria me casar um dia”.5

    Reparem como aprendemos e crescemos quando compartilhamos umas com as outras nosso testemunho de que o Senhor vive e nos ama. Como disse antes, se eu pudesse fazer com que algo acontecesse a cada uma de vocês, seria que sentissem o amor do Senhor diariamente em sua vida.

    Algumas vezes esse amor surge de maneira inesperada. Kristen estava terminando a pós-graduação quando nasceu o seu segundo filho. Ela achava que os outros alunos tinham conquistado muito mais do que ela e estava hesitante em ir ao jantar de formatura. Seus temores se confirmaram quando, no jantar, foi pedido aos alunos que escrevessem suas conquistas profissionais. Kristen relatou: “Senti-me subitamente constrangida e envergonhada. Não tinha título algum, nenhuma posição importante, nenhum cargo de destaque”. Para piorar, o professor lia as listas conforme entregava o diploma a cada aluno. A mulher à frente de Kristen tinha muitas conquistas: já tinha doutorado, estava recebendo o grau de mestre pela segunda vez e já fora prefeita! A mulher recebeu muitos aplausos.

    Então, chegou a vez de Kristen. Ela entregou ao professor a folha em branco, tentando conter as lágrimas. O professor tinha dado aula para ela no curso e elogiara seu desempenho. Ele olhou para a folha em branco e, sem fazer pausa, anunciou: “Kristen tem o papel mais importante de toda a sociedade”. Ele ficou em silêncio por alguns segundos, depois declarou em alta voz: “Ela é mãe de dois filhos”. Apenas uma vez, aquela noite, as pessoas se levantaram e aplaudiram com entusiasmo; fora para a mãe que estava no salão.

    Mães, vocês são instrumentos nas mãos de Deus, com a divina responsabilidade de ensinar e nutrir seus filhos. Os pequeninos precisam muito de sua mão carinhosa e amável. Se vocês os colocarem em primeiro lugar, Deus as guiará na maneira como devem servi-los.

    Todas vocês com filhos mais velhos são necessárias no lar. Sim, há frustrações, porém há muitas alegrias. Reparem nelas! Tendo criado quatro filhos diligentes, aprendi uma ou duas coisas sobre ser um instrumento: Aproveitem o vigor desses anos! Façam do lar um lugar seguro, feliz e tranqüilo onde os amigos sejam bem-vindos. Ouçam, amem, contem as histórias da sua infância e adolescência para os filhos.

    Tenha expectativas quanto a seus filhos. Tínhamos um toque de recolher e dizíamos aos filhos que o Espírito Santo ia dormir à meia-noite. Quando eles não voltavam para casa, algumas vezes o Espírito Santo me dizia para sair e procurá-los. Aquilo surpreendia algumas garotas com quem saíam! Rimos disso agora — mas tenho que admitir, rir tornou-se mais fácil à medida que eles ficaram mais velhos.

    Importem-se com seus filhos. Sentem-se na cama e aproveitem as conversas noite adentro — tentem manter-se acordadas! Orem para que o Senhor as inspire. Perdoem com freqüência. Escolham os assuntos que vocês querem reforçar. Testifiquem freqüentemente sobre Jesus Cristo, Sua bondade e a Restauração. E mais importante, faça-os saberem de sua confiança no Senhor.

    Se os filhos já cresceram e saíram de casa; se você é solteira, divorciada ou viúva, não deixe que as circunstâncias controlem sua vontade de falar sobre as experiências de vida. Sua voz é necessária. Em certa lição da Sociedade de Socorro da minha ala, falávamos sobre o que faz um bom casamento. Uma irmã, Lisa, disse:

    “Eu provavelmente não deveria dizer coisa alguma, já que sou divorciada. Mas o que faz com que eu persevere são meus convênios do templo.” Depois da lição, perguntei a algumas jovens adultas na Sociedade de Socorro o que lhes tocara na lição. Elas disseram: “O comentário de Lisa foi o que teve maior impacto sobre nós”.

    Minhas queridas irmãs mais velhas, vejo a imagem de Deus em seu nobre semblante. Sua sabedoria, paciência e experiência tocaram tantas vidas! Mary, minha fabulosa sogra, em seus 90 e poucos anos, costumava dizer: “As pessoas acham que, porque sou velha, não sei de coisa alguma”. Vou-lhes contar o que ela fez. Enquanto vivia num lar de idosos, Mary perguntou ao gerente se poderiam usar uma sala para reuniões da Igreja. Ele respondeu que “não” porque aquele era um centro sem denominação religiosa. Ela recusou-se a aceitar a resposta! Com algumas outras irmãs idosas, Mary insistiu até que a empresa cedeu uma sala. Logo, um ramo foi organizado e os membros se reuniam a cada domingo para partilhar do sacramento e renovar seus convênios. A idade não impede as pessoas de tornarem-se um instrumento nas mãos de Deus.

    Há várias formas de ser um instrumento nas mãos de Deus: Por exemplo, ser o tipo de professora visitante que você sempre quis ter; perguntar a uma jovem adulta solteira do que ela gosta em vez de por que não se casou; compartilhar coisas ao invés de acumular; escolher com cuidado suas roupas, linguagem e tipo de entretenimento; sorrir para o marido ou filho que sabe que causou frustração e pesar; colocar o braço sobre os ombros de uma moça; ensinar no berçário com um coração alegre; mostrar, por meio de suas atitudes, que você encontra alegria na jornada. O Profeta Joseph disse o seguinte sobre tais esforços: “Se viverem à altura de seus privilégios, não se poderá impedir que os anjos as acompanhem e ajudem”.6

    Testifico que estamos engajadas na obra de Deus. Obrigada por sua devoção à família, à Sociedade de Socorro e à Igreja. Obrigada por serem instrumentos nas mãos de Deus para realizar esta grande obra. Que vocês sintam o amor de Deus em sua vida e que falem desse amor com outras pessoas é minha oração, em nome de Jesus Cristo. Amém.