Conferência Geral
    Instrumentos nas Mãos de Deus
    Notas de rodapé
    Theme

    Instrumentos nas Mãos de Deus

    Sua influência para o bem é incalculável e indescritível.

    O Presidente Hinckley autorizou-me, em nome da Primeira Presidência, a expressar nossa apreciação a todos os que ajudaram de alguma forma a preservar a vida e a propriedade, após as calamidades que ocorreram e ainda estão ocorrendo em nosso país.

    Minhas queridas irmãs, sinto-me humilde por esta grande responsabilidade e privilégio de dirigir-me a vocês, filhas de Deus, em muitos países. Fomos edificados e elevados pela curta apresentação de vídeo do Presidente Hinckley. Somos gratos por termos o Presidente Hinckley e o Presidente Monson conosco esta noite. Sentimo-nos fortalecidos por seu apoio e influência. A irmã Parkin, a irmã Hughes e a irmã Pingree nos inspiraram. O coro tocou nosso coração. Ao olhar para o rosto de vocês sinto sua bondade. Cumprimento cada uma por suas obras diárias de retidão. Muito embora apenas umas poucas pessoas conheçam suas obras, elas estão registradas no livro da vida do Cordeiro,1 que um dia será aberto para testemunhar seu serviço dedicado, sua devoção e suas ações como “instrumentos nas mãos de Deus, para realizar esta grande obra”.2

    O Élder Neal A. Maxwell disse: “Sabemos tão pouco (…) a respeito da divisão de tarefas entre mulheres e homens quanto da divisão entre maternidade e sacerdócio. Elas foram divinamente determinadas em outra época e lugar. Estamos acostumados a colocar os homens de Deus em evidência por terem o sacerdócio e a linha de autoridade. Mas, paralela a essa linha de autoridade, existe uma torrente de influência digna que reflete as notáveis mulheres de Deus, que existiram em todas as épocas e dispensações, inclusive na nossa. A grandeza não é medida pelo tamanho da coluna de um jornal, nem pelo tamanho das colunas das escrituras. A história das mulheres de Deus é, por enquanto, uma história oculta dentro de outra ainda maior.”3

    Algumas dentre vocês, irmãs, sentem-se inadequadas porque parecem não fazer tudo o que gostariam. Ter filhos e ser mãe são papéis extremamente desafiadores. Vocês também têm chamados na Igreja, que cumprem com grande aptidão e cuidado. Além disso, muitas de vocês precisam trabalhar, assim como cuidar da família. Meu coração se enternece com amor pelas viúvas e pelas irmãs que carregam a enorme responsabilidade de criar os filhos. Em geral vocês, nobres irmãs, realizam um trabalho muito melhor, mantendo o controle e sendo bem-sucedidas, do que admitem. Sugiro que enfrentem os desafios um dia de cada vez. Façam o melhor que puderem. Vejam tudo através das lentes da eternidade. Se fizerem isso, a vida terá uma perspectiva diferente.

    Acredito que todas vocês, irmãs, querem ser felizes e encontrar a paz que o Salvador prometeu. Acredito que muitas de vocês se esforçam arduamente para cumprir suas responsabilidades. Não quero ofender ninguém. Reluto em mencionar um assunto, mas sinto que devo. Algumas vezes carregamos conosco sentimentos infelizes devido a mágoas antigas, guardadas durante tempo demais. Consumimos energia excessiva pensando em coisas que já passaram e que não podem ser mudadas. É difícil fechar a porta e deixar a mágoa para trás. Se, depois de algum tempo, pudermos perdoar seja o que for que nos tenha causado a dor, encontraremos a “fonte de conforto que nos dá a vida” por intermédio da Expiação, e a “doce paz” do perdão será nossa.4 Algumas feridas doem tanto e são tão profundas, que a cura só ocorre com a ajuda de um poder maior e com esperança de justiça e restituição perfeitas na vida futura. Irmãs, vocês podem encontrar tal fonte nesse poder maior e receber o consolo precioso e a doce paz.

    Temo que vocês, irmãs, não tenham se dado conta da boa influência que têm em sua família, na Igreja e na sociedade. Ela é incalculável e indescritível. O Presidente Brigham Young disse: “As irmãs em nossas Sociedades de Socorro têm feito muitas coisas boas. Poderiam dizer-me a quantidade de boas ações que as mães e filhas em Israel podem fazer? Não, é impossível. Todo o bem que fizerem seguirá com elas por toda a eternidade”.5 Acredito sinceramente que vocês são instrumentos nas mãos de Deus nos muitos papéis que desempenham, especialmente no da maternidade.

    Na obra do reino, homens e mulheres têm a mesma importância. Deus incumbe as mulheres de terem e criarem os filhos Dele. Nenhum outro trabalho é mais importante. A maternidade é um papel de grande importância para as mulheres. As bênçãos sagradas e a influência digna fluíram à minha própria vida e à vida de minha amada esposa, de sua mãe, de minha própria mãe, avós, de minhas preciosas filhas e netas. O relacionamento precioso de cada mulher em minha vida não pode ser descrito com palavras. Isso é especialmente verdade no que se refere à minha companheira eterna, Ruth.

    Queremos que vocês, irmãs solteiras, saibam de nosso grande amor por vocês. Vocês podem ser instrumentos poderosos nas mãos de Deus, para ajudar a realizar esta grande obra. Vocês são preciosas e necessárias. Outras mulheres, embora casadas, talvez não sejam mães. Seja qual for sua situação, estejam certas de que o Senhor as ama e não as esqueceu. Vocês podem fazer coisas por outra pessoa que ninguém mais poderá fazer. Vocês podem fazer coisas pelo filho de outra mulher que ela talvez não possa fazer por si mesma. Acredito que algumas bênçãos compensarão essas provações que virão nesta vida e no futuro para as irmãs que vivem em tais circunstâncias. Essas bênçãos e a paz consoladora virão a vocês se puderem amar a Deus “de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo”.6 Vocês ainda poderão ser altamente bem-sucedidas no que quer que façam como instrumentos nas mãos de Deus para a realização desta grande obra.

    As mulheres influenciam muito do que acontece no mundo, tanto para o bem quanto para o mal. Até certo ponto, as esposas e mães controlam o fluxo de bênçãos que chegam a seu lar. Ao apoiarem os chamados do sacerdócio de seu marido e incentivarem os filhos nas atividades do sacerdócio, seu lar será ricamente abençoado. Vocês devem também incentivar seus filhos a ajudar outras pessoas que tenham dificuldades. Nosso lar tem sido abençoado devido ao envolvimento de minha esposa na Sociedade de Socorro durante toda nossa vida de casados. Ela foi presidente da Sociedade de Socorro na ala e depois na estaca durante um período que abrangeu vários anos. Ao cuidar de suas tarefas e participar das reuniões, nosso lar foi abençoado com o doce espírito de serviço que ela trazia para casa.

    Vocês são membros, como já ouviram esta noite, da maior sociedade para mulheres de todo o mundo. E como o Presidente Hinckley acabou de falar no vídeo, o Profeta Joseph Smith declarou: “Esta Sociedade receberá instruções por meio da ordem que Deus estabeleceu — por intermédio das pessoas que foram designadas a liderar — e agora, eu vos abro as portas em nome de Deus, e esta Sociedade se regozijará, e o conhecimento e a inteligência aqui fluirão a partir de agora — este é o início de dias melhores para esta Sociedade”.7 As mulheres tiveram mais oportunidades desde que o profeta abriu as portas em seu benefício do que desde o início da humanidade na Terra.8

    Desde o princípio, as mulheres da Igreja são instrumentos nas mãos de Deus. Quando o templo estava sendo construído em Kirtland, as mulheres davam apoio aos trabalhadores, como o Presidente Heber C. Kimball disse:

    “As mulheres de nosso povo estavam envolvidas no trabalho de fiar e tricotar para vestir os que trabalhavam no edifício, e apenas o Senhor conhece as cenas de pobreza, tribulações e sofrimento por que passamos até completarmos [esse trabalho]. Minha esposa trabalhou durante todo o verão para ajudar. Ela tinha 45 quilos de lã e, com a ajuda de uma garota, fiou a lã preparando novelos de linha para tecer roupas para os que construíam o Templo e, embora tivesse o privilégio de ficar com metade da lã como recompensa por seu trabalho, ela não guardou material suficiente nem para fazer um par de meias; mas deu tudo para os que trabalhavam na casa do Senhor. Ela fiou, teceu, preparou o tecido, cortou, fez as roupas e deu-as aos homens que trabalhavam no templo; quase todas as irmãs em Kirtland trabalharam tricotando, costurando, fiando, etc., com o propósito de levar avante a obra do Senhor.”9

    Polly Angell, esposa do arquiteto da Igreja, contou que o Profeta disse a elas: “Bem, irmãs, vocês estão sempre prontas a ajudar. As irmãs são sempre as primeiras em todas as boas obras. Maria foi [a] primeira [no sepulcro a ver o Senhor ressuscitado]; e as irmãs agora são as primeiras a trabalhar na parte interior do templo.”10

    Vocês, irmãs, possuem os atributos divinos da sensibilidade e do amor pelas coisas belas e inspiradoras. Esses são dons que vocês usam para tornar nossa vida mais agradável. Com freqüência quando vocês, irmãs, preparam e dão uma aula, colocam uma toalha bonita e flores na mesa — que é uma expressão maravilhosa de sua natureza afetuosa e cuidadosa. Em contraste, quando os irmãos dão uma aula, eles não decoram a mesa nem mesmo com uma flor silvestre murcha! Porém, às vezes, vocês exigem demais de si mesmas. Acham que se sua oferta não for perfeita, não será aceitável. Digo-lhes, contudo, que se tiverem dado o melhor de si, o que já fazem normalmente, sua humilde oferta, seja ela qual for, será aceitável e agradável ao Senhor.

    Nos dias de hoje, as professoras visitantes fazem tantas coisas boas. Doze anos atrás, Suzy foi chamada para ser a professora visitante de Dora, uma viúva sem filhos. Dora tinha uma personalidade difícil e era quase uma eremita. Quando Suzy começou a visitá-la, era recebida na porta, mas nunca convidada a entrar. Vários meses mais tarde, Suzy levou um doce para Dora, mas esta disse que não poderia aceitá-lo. Quando Suzy perguntou por que não, ela respondeu: “Porque você vai querer algo em troca”. Suzy afirmou a ela: “Tudo o que eu quero é sua amizade”. Depois disso, as visitas foram se tornando mais fáceis. Gradualmente, Suzy descobriu maneiras de fazer coisas por Dora e a escutá-la, quando necessário. Também contava a respeito das pessoas maravilhosas da ala, das lições e das conferências, fazendo com que ela se sentisse parte integrante da ala. Quando a saúde de Dora começou a debilitar-se, as visitas de Suzy eram diárias e elas se tornaram boas amigas. Quando Dora faleceu, Suzy pôde elogiar a mulher que as outras chamavam de “inacessível”, como uma “mulher notável” e uma “amiga querida”.11 Ela a conheceu como poucas outras, devido a seu serviço como professora visitante.

    A Sociedade de Socorro é uma irmandade e um lugar onde as mulheres são instruídas a edificar sua fé e a realizar boas obras. Como o Presidente Hinckley diz com freqüência, todos nós precisamos de amigos. A amizade nos enche de felicidade e amor. Ela não fica restrita ao jovem ou ao velho, ao rico ou ao pobre, a um desconhecido ou a uma pessoa famosa. Seja qual for nossa situação, todos nós precisamos de alguém que nos escute com compreensão, nos incentive quando precisarmos de estímulo e que alimente em nós o desejo de agirmos e de sermos melhores. A Sociedade de Socorro foi organizada para ser esse círculo de amizade, repleto de corações atenciosos que geram amor e realização porque, acima de tudo, ela é uma irmandade.

    Esta reunião Geral da Sociedade de Socorro está sendo transmitida a vários países ao redor do mundo. É bom pensar nas irmãs reunidas em diversos locais para compartilharem as mesmas mensagens que ouvimos e para se reunirem como amigas. Certa irmã da Etiópia participou de uma reunião assim em Fredericksburg, na Virgínia, e comentou: “Entramos e nos sentamos como amigas, mães e filhas, mas nos levantamos e saímos de lá como irmãs”.12

    Uma missionária que serviu na Tailândia escreveu a respeito de assistir com as irmãs em Bangkok à transmissão do ano passado. Ela disse: “Senti tamanha força naquele pequenino grupo de mulheres tailandesas que davam o melhor de si para seguir os conselhos das mulheres de Salt Lake, a quem jamais conheceram”.13 Não é notável sentir o vínculo da irmandade que atravessa rios e oceanos em tantos países para participarmos desta reunião? Verdadeiramente as portas foram abertas pelo Profeta Joseph Smith, quando ele se reuniu com aquele pequeno grupo de mulheres em Nauvoo, para organizar a Sociedade de Socorro em 1842!

    E agora, por fim, eu deveria dirigir algumas palavras a vocês, irmãs mais jovens. Vocês ocupam um lugar importante nessa grande irmandade. A maioria foi abençoada com um testemunho do evangelho restaurado de Jesus Cristo. Com esse testemunho e com a energia, influência e inteligência de sua juventude, podem receber as bênçãos que virão ao cumprirem com a responsabilidade de serem “instrumentos nas mãos de Deus, para realizar esta grande obra”.

    Uma jovem irmã compartilhou, há pouco tempo, seus sentimentos sobre a Sociedade de Socorro. Ela disse que crescera em uma ala onde as irmãs se interessavam muito por ela, mesmo na época em que fazia parte das Moças. Quando chegou a hora de passar a participar da Sociedade de Socorro, ficou entusiasmada e as irmãs também. Ela notou “a ampla gama de personalidades, interesses, experiências e idades daquela Sociedade de Socorro”, e comentou: “Sei (…) que tenho um grupo de amigas de gerações diferentes — desde adolescentes até trisavós e de tudo o que vier entre elas”.14

    Um grande futuro está à sua frente, jovens irmãs. Talvez ele não seja exatamente como planejaram, mas poderá ser uma experiência maravilhosa onde realizarão muitas coisas boas. Para vocês, moças, estar na companhia de irmãs mais velhas, experientes e dignas é tanto uma oportunidade quanto uma bênção.

    A amada esposa do Presidente Gordon B. Hinckley, Marjorie Pay Hinckley, expressou isso tão bem, quando disse: “Estamos todas juntas nisto. Precisamos umas das outras. Oh, como precisamos umas das outras! Nós que somos idosas precisamos de vocês que são jovens. E esperamos que vocês, que são jovens, precisem de algumas de nós que são idosas. É um fato sociológico as mulheres precisarem umas das outras. Precisamos de amizades profundas, satisfatórias e leais entre nós. Essas amizades são uma fonte necessária de sustentação. Precisamos renovar nossa fé todos os dias. Precisamos nos dar as mãos e ajudar a edificar o reino, para que ele role até encher toda a Terra”.15

    Queridas irmãs, nossas amadas cooperadoras no reino, cujos nomes estão no livro da vida do Cordeiro,16 sigam em frente. Sigam em frente com fé e humildade. Não permitam que Satanás, nem seu poder maligno sedutor, tenha influência sobre vocês. Não dêem oportunidade ao adversário,17 nem permitam que ele reduza a rara dádiva divina da sensibilidade de sentirem o Espírito do Senhor. Que o Espírito as guie sempre para sentimentos sagrados em tudo o que pensarem e em todas as suas atividades ao estenderem a mão a outras pessoas com amor e misericórdia. Oro em nome de Jesus Cristo. Amém.