Conferência Geral
Ajudar os pobres e necessitados


Ajudar os pobres e necessitados

A Igreja de Jesus Cristo está comprometida em servir aos necessitados e também está comprometida em cooperar com outras pessoas nesse esforço.

Irmãos e irmãs, nosso amado presidente Russel M. Nelson falará a nós ao final desta sessão. Ele pediu que eu fosse o primeiro orador.

Hoje falarei a respeito do que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e seus membros doam e fazem pelos pobres e necessitados. Falarei também de doações semelhantes feitas por outras pessoas boas. Fazer doações aos necessitados é um princípio em todas as religiões abraâmicas e também em outras religiões.

Há alguns meses, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias relatou, pela primeira vez, a extensão de nosso trabalho humanitário em todo o mundo.1 Em 2021, foram gastos 906 milhões de dólares — quase 1 bilhão de dólares — com pessoas necessitadas de 188 países em todo o mundo. Além disso, nossos membros forneceram mais de 6 milhões de horas de trabalho voluntário nessa mesma causa.

Esses números são, naturalmente, um relatório incompleto de nossas doações e ajuda. Eles não incluem o serviço pessoal que nossos membros prestam individualmente enquanto ministram uns aos outros em chamados e em serviço voluntário de membro para membro. E nosso relatório de 2021 não faz menção ao que nossos membros fazem individualmente por meio de inúmeras organizações de caridade que não estão formalmente ligadas à nossa Igreja. Vou começar falando sobre isso.

Em 1831, menos de dois anos após a organização da Igreja restaurada, o Senhor deu esta revelação para guiar seus membros, e acredito que todos os Seus filhos, no mundo inteiro:

“Pois eis que não é conveniente que em todas as coisas eu mande; pois o que é compelido em todas as coisas é servo indolente e não sábio; (…)

Em verdade eu digo: Os homens devem ocupar-se zelosamente numa boa causa e fazer muitas coisas de sua livre e espontânea vontade e realizar muita retidão.

Pois neles está o poder e nisso são seus próprios árbitros. E se os homens fizerem o bem, de modo algum perderão sua recompensa.”2

Em mais de 38 anos como apóstolo e em mais de 30 anos de emprego profissional, tenho visto muitos esforços generosos de organizações e de pessoas do tipo que essa revelação descreve como “[uma] boa causa” e que “[realizam] muita retidão”. Há inúmeros exemplos de tal serviço humanitário em todo o mundo, além de nossas próprias fronteiras e além de nosso conhecimento comum. Refletindo sobre esse assunto, penso no profeta e rei Benjamim do Livro de Mórmon, cujo sermão incluía esta verdade eterna: “Quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de vosso Deus”.3

Muito é ensinado e praticado sobre bem-estar e serviço humanitário para com nossos semelhantes por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e por nós como seus membros. Por exemplo, jejuamos no primeiro dia de cada mês e contribuímos com pelo menos o equivalente às refeições não consumidas para ajudar os necessitados em nossa própria congregação. A Igreja também faz enormes contribuições para o serviço humanitário e outros tipos de serviço em todo o mundo.

Apesar de tudo o que nossa Igreja faz diretamente, a maioria do serviço humanitário aos filhos de Deus no mundo inteiro é realizada por pessoas e organizações que não têm nenhuma conexão formal com nossa Igreja. Como um dos apóstolos afirmou: “Deus está usando vários grupos para a realização de Sua grande e maravilhosa obra. (…) É um trabalho muito amplo, muito árduo, para um só povo”.4 Como membros da Igreja restaurada, precisamos ser mais atentos e mais gratos ao serviço prestado por outras pessoas.

A Igreja de Jesus Cristo está comprometida em servir às pessoas necessitadas e também está comprometida em cooperar com outras pessoas nesse esforço. Recentemente, fizemos uma grande doação para o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas. Durante as muitas décadas de nosso trabalho humanitário, duas organizações se destacam como principais colaboradores: projetos com as agências Cruz Vermelha e Crescente Vermelho em dezenas de países proporcionaram aos filhos de Deus alívio crucial durante desastres naturais e conflitos. Da mesma forma, temos um longo histórico de assistência com os Serviços de Socorro Católicos. Essas organizações nos ensinaram muito sobre o auxílio a nível mundial.

Tivemos também colaborações que trouxeram bons frutos com outras organizações, como Muslim Aid, Water for People e IsraAID, citando apenas algumas. Embora cada organização humanitária tenha suas próprias áreas de especialização, compartilhamos o objetivo comum de aliviar o sofrimento dos filhos de Deus. Tudo isso é parte da obra de Deus para Seus filhos.

As revelações modernas ensinam que nosso Salvador, Jesus Cristo, é “a verdadeira luz que ilumina todo homem que vem ao mundo”.5 Assim sendo, todos os filhos de Deus são iluminados para servi-Lo e servir uns aos outros da melhor maneira que sabem e que são capazes de fazer.

O Livro de Mórmon ensina que “tudo o que convida e impele a fazer o bem e a amar a Deus e a servi-lo, é inspirado por Deus”.6

E continua:

“Pois eis que o Espírito de Cristo é concedido a todos os homens, para que eles possam distinguir o bem do mal; portanto, vos mostro o modo de julgar; pois tudo o que impele à prática do bem e persuade a crer em Cristo é enviado pelo poder e dom de Cristo. (…)

E agora, meus irmãos, (…) conheceis a luz pela qual podeis julgar, luz essa que é a luz de Cristo”.7

Aqui estão alguns exemplos de filhos de Deus que ajudam outros filhos de Deus em suas necessidades fundamentais de alimentação, cuidados médicos e ensino:

Há dez anos, os Kanhdari, marido e mulher sikh nos Emirados Árabes Unidos, iniciaram pessoalmente um notável esforço para alimentar os famintos. Por intermédio do templo Guru Nanak Darbar Sikh, eles atualmente servem mais de 30 mil refeições vegetarianas todos os fins de semana para qualquer pessoa que entre no templo, independentemente da religião ou raça. O Dr. Kanhdari explica: “Acreditamos que todos são um; somos filhos de um só Deus, e estamos aqui para servir à humanidade”.8

A prestação de cuidados médicos e odontológicos para os necessitados é outro exemplo. Em Chicago, conheci um médico sírio-americano de tratamentos intensivos, o Dr. Zaher Sahloul. Ele é um dos fundadores da MedGlobal, que organiza profissionais médicos para voluntariar seu tempo, suas habilidades, seu conhecimento e sua liderança para ajudar outras pessoas em crises, como na guerra da Síria, onde o Dr. Sahloul arriscou sua vida ao dar assistência médica a civis. A MedGlobal e organizações similares (incluindo muitos profissionais santos dos últimos dias) demonstram que Deus está fazendo com que profissionais de fé levem o alívio necessário aos necessitados em todo o mundo.9

Muitos filhos altruístas de Deus estão envolvidos em esforços de ensino, também em todo o mundo. Por meio de nossos esforços humanitários, ficamos cientes de outro bom exemplo, que é a atividade de um homem conhecido como Sr. Gabriel, que já foi refugiado de vários conflitos em várias ocasiões. Ele observou recentemente que centenas de milhares de crianças refugiadas na África Oriental precisavam de ajuda para manter sua esperança viva e a mente ativa. Ele organizou outros professores da população refugiada no que eles chamavam de “escolas em árvore”, onde as crianças se reuniam para ter aulas sob a sombra de uma árvore. Ele não esperou que outras pessoas se organizassem ou conduzissem o trabalho, mas ele pessoalmente liderou esforços que proporcionaram oportunidades de aprendizado para milhares de crianças do Ensino Fundamental durante os anos estressantes de desalojamento.

Naturalmente, esses três exemplos não significam que tudo o que é dito ou feito por organizações ou pessoas que dizem ser boas ou de Deus realmente é bom ou de Deus. Esses exemplos mostram que Deus inspira muitas organizações e pessoas a fazer o bem. Eles também mostram que mais de nós devemos reconhecer o bem feito por outras pessoas e apoiá-las à medida que tenhamos tempo e recursos para fazê-lo.

Aqui estão alguns exemplos de projetos de serviço que a Igreja apoia e que nossos membros e outras boas pessoas e organizações também apoiam com doações individuais de tempo e dinheiro:

Começo com a liberdade religiosa. Ao apoiarmos a liberdade religiosa, nós nos beneficiamos, mas também beneficiamos outras religiões. Conforme o presidente Joseph Smith ensinou: “Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência; e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde, ou o que desejarem”.10

Outros exemplos de doações humanitárias e outros tipos de assistência da Igreja restaurada que também são apoiadas voluntariamente por nossos membros são nossas conhecidas escolas, faculdades e universidades e nossas menos conhecidas, mas agora divulgadas, grandes doações para o alívio daquelas pessoas que sofrem com desalojamentos e destruições causados por desastres naturais como tornados e terremotos.

Outras atividades de caridade que nossos membros apoiam por meio de suas doações e esforços voluntários são muito numerosas para serem listadas, mas apenas mencionar estas poucas vai sugerir sua variedade e importância: combater o racismo e outros preconceitos, pesquisar como prevenir e curar doenças, ajudar os deficientes, apoiar organizações de música e de museus, e melhorar o ambiente moral e físico para todos.

Todos os esforços humanitários de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias procuram seguir o exemplo de um povo justo descrito no Livro de Mórmon: “E assim, em sua prosperidade, não deixavam de atender a quem quer que estivesse nu ou faminto ou sedento ou doente (…) e (…) eram liberais com todos, tanto velhos como jovens, tanto escravos como livres, tanto homens como mulheres, pertencessem ou não à igreja”.11

Presto testemunho de Jesus Cristo, cuja luz e Espírito guiam todos os filhos de Deus para ajudarem os pobres e necessitados em todo o mundo. Em nome de Jesus Cristo, amém.