O Poder para Mudar
    Notas de rodapé

    Falamos de Cristo

    O Poder para Mudar

    Embora eu tenha nascido na Igreja e permanecido ativo até os quinze anos de idade, afastei-me do evangelho no início da fase adulta. Nessa época, em busca de algo que me fizesse feliz, parti para as drogas.

    Deixei-me dominar por um vício cada vez mais forte, e minha vida parecia uma espécie de filme ruim que eu não conseguia desligar. A despeito de minha vontade de parar, vi que praticamente não possuía mais controle sobre meus pensamentos e atos. Foi só ao cumprir pena na prisão por um crime ligado às drogas que achei o que perdera. Eu tinha um Livro de Mórmon e deparei-me com Alma 5:7: “Eis que ele lhes transformou o coração; sim, despertou-os de um profundo sono e eles despertaram para Deus. Eis que estavam em meio à escuridão; não obstante, suas almas foram iluminadas pela luz da palavra eterna”.

    Eu sabia que estava envolto por trevas e desejava uma mudança de coração.

    Não que eu não tivesse tentado mudar antes. Participara de vários programas de recuperação. Tentara deixar o vício para meu próprio bem e o da minha família. Todas essas tentativas tinham dado certo por um período, mas eu sempre tinha recaídas. Esse versículo de Alma ofereceu-me esperança em Jesus Cristo — esperança de que, mesmo que eu fosse ou não fosse capaz de mudar a mim mesmo (e eu sabia que não), Ele poderia mudar-me.

    Lembro-me de depositar aos pés do Salvador o fardo de meu vício. Orei e admiti ao Pai Celestial: “Não posso sair dessa sozinho”.

    Ingressei no programa da Igreja de recuperação de dependências, um curso de 12 passos ministrado por um casal de missionários. Os ensinamentos que transmitiram nessas aulas me salvaram. Eles cultivaram a semente da fé plantada muitos anos antes, quando frequentei a Igreja com minha mãe, na infância. Os missionários ensinaram-me sobre o arrependimento e o perdão. Ainda mais importante, demonstraram amor por mim e disseram-me que eu poderia achar um amor ainda maior nos braços do Pai Celestial e do Salvador. Senti “uma grande mudança em [meu] coração” (Alma 5:12) e descobri que a felicidade que eu vinha buscando por tanto tempo estava no evangelho desde o início.

    Faz seis anos que decidi voltar-me para meu Salvador. A luta tem sido árdua, mas com a força do Senhor, já venci muitos obstáculos.

    Jamais poderia imaginar a felicidade e alegria que hoje desfruto em minha vida com minha esposa e meus filhos. Sou portador do Sacerdócio de Melquisedeque e recebi as ordenanças do templo. Atribuo essas transformações positivas na minha vida a Jesus Cristo. Ele é o poder para mudar.

    Testifico a outras pessoas que estejam sofrendo como sofri — e a seus entes queridos — que a mudança é possível e muito real. Não percam as esperanças. Há uma forma de reconquistar a felicidade, e é por meio de Jesus Cristo.

    Cura do Coração Partido, de Michael T. Malm